NOTINHAS PÓS-RODADA (e o 7/9 em Mar del Plata)



Vigésima-segunda do BR-11 (com atuações de gala do apito…):

* De acordo com o próprio Rogério Ceni, a festa de seu milésimo jogo só seria feliz com uma vitória (2 x 1 no Atlético Mineiro: Lucas, Réver e Dagoberto – 60.514 pagantes no Morumbi) em casa.

* O que penso sobre Rogér1000 está no Lance! de hoje. Estará aqui amanhã.

* Nenhum time está jogando com o embalo do Botafogo (4 x 0 no Ceará: Herrera-2, Abreu e Cidinho – 36.995 pagantes no Engenhão), vencedor de 4 jogos seguidos, 6 dos últimos 7.

* Elkeson faz um ótimo campeonato. Ótimo.

* Eram quatro rodadas sem vitória do Internacional (4 x 2 no América-MG: Rodrigo Moledo, Leandro damião, D’Alessandro, André Dias, Oscar e Kempes – 24.681 pagantes no Beira-Rio). Surpresa: Leandro Damião marcou…

* O quarto foi um golaço de Oscar.

* A virada do Santos (2 x 1 no Avaí: William, Borges e Felipe Anderson – 5.920 pagantes) na Ressacada foi o quarto jogo sem derrota do campeão da América.

* O pênalti marcado por Gutemberg de Paula Fonseca foi uma obra tragicômica. Edu Dracena toca involuntariamente na perna direita de Lincoln, que – dez minutos depois – cava a falta deixando a outra perna para trás. Ridículo.

* Pênalti cavado também por Fred, na terceira vitória seguida do Fluminense (2 x 1 no Cruzeiro: Fred, Marquinho e Montillo – público ND no Parque do Sabiá).

* O campeão brasileiro (sexto colocado) é o líder do returno.

* Empate entre Atlético Paranaense e Palmeiras (2 x 2: Henrique, Guerrón, Fernandão e Marcinho – 12.219 pagantes na Arena da Baixada) que não melhorou a vida de ninguém.

* Na polêmica do jogo, Cléber Santana deu um carrinho perigoso e por trás, correndo o risco de levar o amarelo. Levou. Depois, aplaudiu o árbitro, correndo o risco de levar o vermelho. Levou.

* Os gols de Atlético Goianiense e Figueirense (1 x 1: Wellington Nem e Agenor – 2.514 pagantes no Serra Dourada) saíram nos primeiros 14 minutos do jogo.

* O restante da partida mostrou que o bom início foi um engano.

______

Fazia 16 anos que o Brasil não vencia a Argentina em torneios pré-olímpicos ou mundiais de basquete.

Saborosa coincidência que a vitória (73-71) de ontem, em Mar del Plata, tenha acontecido no Dia da Independência?

Ótima partida da seleção brasileira na defesa, contendo o excepcional Luis Scola. Ele marcou 24 pontos, mas chutou 10/21.

Ótima partida de Rafael, que ontem passou a ser conhecido por muita gente no Brasil.

Rafael ficou muito mais tempo em quadra do que seria o normal, já que o titular é Tiago Splitter.

Ocorre que Tiago é um pupilo de Scola. Os dois jogaram juntos na Espanha, período em que o argentino “adotou” o brasileiro e observou de perto seu desenvolvimento como jogador.

É absolutamente normal que Splitter tenha dificuldades quando é marcado por Scola.

Rafael foi o fator novo, inesperado, surpreendente, como confirmou o técnico argentino em entrevista depois do jogo.

E ótima partida, também, de Marcelinho Huertas. Comandou o time com tranquilidade e foi para a jogada individual (com 1’13”), ao perceber que Marcelinho Machado não conseguia se desmarcar.

A bandeja com a mão direita foi decisiva.

Vi Marcelinho começar sua carreira profissional no Clube Atlético Paulistano, no início dos anos 2000. Ele é um sopro de talento, seriedade e confiança numa posição em que o basquete brasileiro é muito carente.

Conquistou seu espaço na Europa (acaba de se transferir para o Barcelona) com mérito. Conquistou a confiança de Ruben Magnano no último Campeonato Mundial.

E ajudou o Brasil a conquistar uma vitória muito importante, mas que não vale o que a seleção foi buscar em Mar del Plata.

O que vale é sábado, na semifinal.

O jogo de hoje contra Porto Rico é treino. O que não pode acontecer é a seleção anfitriã perder para a República Dominicana, o que produziria, talvez, um novo encontro entre Brasil e Argentina.

Seria muito mais difícil derrotar os argentinos num jogo que significaria Londres x ostracismo olímpico.

Que o resultado de ontem fortaleça a seleção. Que o Brasil deixe de ser o time que vence os jogos que não precisa vencer e perde os que não pode perder.

Que o trabalho de Ruben Magnano leve a seleção masculina aos Jogos Olímpicos.



  • Acho que Botafogo e São Paulo brigaram até o final pelo título. Avai e América-MG dificilmente vão permanecer na Série A. O Inter e o Santos estão muito intáveis, caso consigam uma estabilidade nas próximas rodadas e pelo elenco que ambos tem, podem brigar la em cima.

  • Valmor

    Assisti o jogo de ontem entre Atlético e Palmeiras. Não sou torcedor de nenhum dos envolvidos no confronto(nem rival) mas achei que o árbitro foi muito mal. A expulsão do Cleber Santana foi um absurdo. Ele distribuiu cartões amarelos no atacado, inverteu faltas e não manteve o mesmo critério. Acho que este é o ano das piores arbitragens desde que me lembro do Brasileirão. E a comissão de arbitragem brinca com a sorte, não escalando arbitros de peso para confronto entre os grandes clubes.

  • Leonardo atleticano

    Deu muito gosto ver o jogo de basquete, o Galo poderia ter empatado, mas nosso goleiro aceitou mais uma de longe, não foi frannnnngo, mas dava para defender.

  • eduardo pieroni

    Boa ANDRÉ, este treinador tira leite até de pedra,é so esperar.

  • Anna

    O jogo de basquete foi histórico, impressionante. Mas você está coberto de razão, o que vale é sábado, para que possamos voltar a disputar uma Olimpíada após 16 anos. Jogaço, ainda mais com Ginóbili, Scola, Prigioni, Delfino e Oberto, o quinteto dourado de Atenas.

  • Eu também realmente espero que o basquete retorne às olimpíadas. Acho que foi muito acertada a vinda do Ruben. Um trabalhador muito sério, e é isso que o esporte brasileiro precisa. É de arrepiar ver a demonstração de gratidão da torcida argentina para com a figura do técnico que hoje dirige o Brasil.

    André, alguma consideração sobre as ausências dos nossos jogadores mais famosos e suas “justificativas”?

    Abs!

  • Leandro Azevedo

    Digamos que o Brasil conquiste a vaga no fds, como todos esperamos. Sera que o Magnano vai abrir mão de levar o grupo que classificou o time para as Olímpiadas em prol dos jogadores da NBA que se recusaram a jogar o Pré-Olímpico (excessão ao Varejão que queria jogar mas estava machucado)?

  • Luis

    Parabéns Rogério!
    Ficará eternizado não só como atleta, como Fenomeno, Pelé, Romário, mas ficará lembrado pelo seu caráter, assim como Zico, Sócrates, Marcos, etc.
    Pois Pelé fora do esporte se tornou infelizmente o Edson Arantes, depois que resolveu se juntar com Ricardo Teixeira. O Fenomeno se tornou Ronaldo Nazario ao também se juntar a Ricardo Teixeira e seus adeptos.
    Rogério faz e promete seguir outro caminho. Sabe que dinheiro nenhum pagaria o que ele representa para seus torcedores, filhas e família. Outros atletas preferiram ganhar dinheiro até morrer, infelizmente, não se contentando com apenas ter ganho “milhoes”.
    Sim, muitos outros goleiros são e foram tão bons e até melhores que ele realmente! Porém uma lista de poucos como ele serão lembrados e exaltados para sempre pelos seus feitos.
    Defesas impossíveis, penaltis importantes defendidos, espírito guerreiro, títulos conquistados quando eram ‘impossíveis’, caráter, gols, ídolo ao pé da risca!
    Além também de ter um defeito, ou talvez uma virtude para os campeões: NÃO SABE PERDER. Quando perde geralmente dá entrevista puto da cara, fala alguma bobagem, nao faz questão de ser educado, enfim, mas talvez por isso tenha ganho tanto na vida!
    Na copa de 2006 (a segunda dele), Parreira (para quem nao lembra) fez uma baita homenagem o colocando durante um jogo no lugar de Dida… Unica substituição de goleiro na história do Brasil em Copas, somente para homenagear sua capacidade e a injustiça que a CBF impoe a ele, impedindo mais de suas convocações, devido a nunca ter se curvado a sordidez deste país! Sem médias!
    Que venham outros atletas com esses adjetivos do Rogério! Juninho Pernambucano parece que também está deixando um bom legado. Pediu para nao ganhar salário do Vasco. Está jogando por gratidão. Além de ter ganho milhoes de titulos no Lyon, e muitos também para o Vasco.

    ENFIM, parabéns para UM MUNDO MELHOR!!!
    Rogerio Ceni ETERNO CAMPEAO.

  • Rodrigo

    André, né por nada não… sou corinthiano, gosto muito do meu time e tal… mas hoje acho que dá Flamengo…

    Dos últimos jogos ditos “importantes” entre COR x FLA no Pacaembu, lembro de três:

    – em 1989, vitória do Timão por 4×2 e desclassificação da Copa do Brasil;
    – em 1993, reencontro de Casão com a Fiel (Casa tava no Fla) e deu empate em 1×1;
    – em 1999, Corinthians invicto no Brasileirão, podendo superar o Inter, de 76. Perdemos, com gol de Romário;
    – em 2010, oitavas de final da Libertadores e Corinthians desclassificado.

    Tomara que a escrita seja quebrada e que alguém aí embaixo solte um “ô zé mané, teve o ano tal que o Corinthians ganhou tal jogo importante”. A verificar…

    []s

  • Rodrigo

    !!Corrigindo: lembrei de QUATRO, e não TRÊS!!

  • Rodrigo

    Como é bom estar errado! Que beleeeeeeeza!!!

  • BASILIO77

    “para um mundo melhor”…
    essa estorinha de “lado do bem” do futebol…tem torcedor que acredita…
    Depois Corinthiano é que é megalomaniaco…
    Antes isso do que crer em “raça superior” entre os clubes de futebol e suas torcidas.
    O clube de Goebbels chega a assustar.
    Abraço.

  • Alexandre

    Sobre a arrancada do Botafogo, cabe lembrar (como fez o brilhante Mauro Cezar “migraine boy” Pereira) que todas as 6 vitórias foram no Engenhão.
    Quanto à “falta” do Edu Dracena no Lincoln, o árbitro transformou uma simulação que valeria amarelo para o atacante num pênalti que valeu o amarelo para o defensor. Realmente ridículo, e não menos ridículo do que a decisão de não adiar a partida, disputada num charco de dar dó.
    E o Rogério é o jogador “potência de 10”. Número 1 nas costas, nota 10 como ídolo tricolor, 100 gols e 1.000 partidas. 10.000 palmas para ele!

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo