CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

SOL, PRAIA, PASSES E GOLS

Jornalistas esportivos contemporâneos de Lionel Messi usufruem de um bônus incalculável. Além de, como todos os interessados, poderem vê-lo fazer o que faz, também desfrutam dos renovados motivos para escrever sobre o genial argentino. Preparadores físicos, fisiologistas, médicos e demais cientistas do esporte estão convidados a se juntar ao banquete.

Precisamente dez dias atrás, enquanto o futebol europeu finalizava o período de treinos e jogos chamado de pré-temporada, Messi estava num iate. Acompanhado pela namorada e por Daniel Alves e sua mulher, curtia o sol e passeios de jet ski em Ibiza. A folga tardia se deu por causa da participação de Lionel na Copa América. Guardiola, chefe de Messi no Barcelona, lhe ofereceu um mês de descanso. Disse-lhe que só se apresentasse pensando na Supercopa da Europa, jogo contra o Porto no dia 26/8. Mas o camisa 10 tinha outros planos: queria jogar a Supercopa da Espanha, contra o Real Madrid.

Messi voltou ao trabalho no dia 8. De acordo com informações divulgadas por repórteres catalães, em forma exuberante. Bastaram cinco dias de treinos específicos de preparação física para que sua escalação no jogo de ida ficasse a critério do técnico.
O domínio merengue foi evidente no primeiro tempo. Tanto que, por 45 minutos, o Real Madrid conseguiu superar o Barcelona em seu recurso mais precioso – o controle da bola. Messi, ainda com a pele salgada pelas águas de Ibiza, fez basicamente duas coisas: o passe para o golaço de David Villa, e o segundo gol do Barcelona. Não fosse por ele, os catalães não teriam saído do Bernabéu comemorando um 2 x 2.

Ontem, Messi estava um pouco mais solto. Foi buscar a bola no campo de defesa, iludiu dois marcadores e deu um gol para Iniesta. Tabelou com Piqué e fez o segundo, com um toque maldoso de pé direito. E quando a decisão tomava o rumo da prorrogação (exagero para quem está voltando de férias), tramou com Adriano e entrou na área para ganhar o título.

O Barcelona disputou os dois jogos com uma preparação aquém da que gostaria. O esforço foi tamanho que exigirá uma semana de recuperação.

Messi? Provavelmente está bravo com a greve da Associação dos Jogadores na Espanha.

HERÓI

Com Messi, a torcida do Barcelona sorri e comemora. Seus gols e assistências produzem orgulho e títulos. Mas mesmo quando a conversa se restringe à rivalidade pura com o Real Madrid, o argentino encanta. Messi é o jogador que mais gols marcou (14) em Casillas. E Casillas é o goleiro em que Messi marcou mais gols. A temporada mal começou e ele já fez três gols e criou mais dois em jogos contra o rival. Idolatria sem limites.

VILÃO

Horrorosa a atitude de José Mourinho, que durante a confusão após a justa expulsão de Marcelo, agrediu um assistente do Barcelona. Aproximou-se e, pelas costas, enfiou o dedo no olho do colega. Com foto e vídeo claros, deve ser punido com rigor. O gesto é revelador. Mostra como o treinador mais bem pago do mundo lida com a frustração, e ajuda a explicar por que seu time vê tantos cartões vermelhos quando enfrenta o rival.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo