CAIXA-POSTAL



Aos assuntos da semana:

Gustavo (entre muitos) escreve: Como você avaliou o caso Cesar Cielo, as justificativas  apresentadas e a diferença da decisão em relação a Daiane do Santos e ao  goleiro Renê, que foram severamente punidos pelo uso da furosemida?

Resposta: Minha impressão foi que o fato de se tratar de um campeão olímpico e mundial interferiu na decisão da CAS. Em casos semelhantes, com as mesmas justificativas por parte dos atletas envolvidos, a decisão foi por penas longas. Acima de tudo, penso que esse é mais um aspecto de um sistema que cria ídolos e depois os pune. É cada vez mais difícil acreditar em esporte de alto rendimento sem o uso da chamada “preparação química”. Casos são tratados conforme as conveniências do momento.
______

Antonio escreve: André, sou palmeirense e quero saber o que você está achando dessa história do Martinuccio. Obrigado.

Resposta: O Lance! de hoje tem uma ótima reportagem sobre o assunto. O jornal teve acesso à última folha do pré-contrato que o jogador assinou com o Palmeiras. Martinuccio entendeu o que estava escrito e deu seu autógrafo. A reportagem também informa que o contrato foi registrado no Uruguai. Pelo jeito, a não ser que o Fluminense prove que o documento não tem valor legal, o caso pode terminar mal para o clube carioca (que pode ser multado) e para o jogador (que pode ser suspenso).
______

Alex escreve: André, você vê uma possibilidade de estrelas da NBA fazerem contratos para jogar fora dos EUA por causa da greve?

Resposta: Sim. Essa é a grande diferença do locaute da NFL para o da NBA. Os jogadores de futebol americano não tem outro mercado. Os de basquete têm. Na China e na Europa há dinheiro e clubes interessados. Creio que, num primeiro momento, os europeus da NBA irão para clubes do continente, em número maior do que o de jogadores americanos. Mas bastará um jogador de maior nome (como Kobe Bryant, que pediu US$ 1 milhão para jogar na Turquia) ser contratado, para que outros o sigam. Essa possibilidade significa o maior poder de barganha dos atletas, num conflito trabalhista que é bem mais sério do que o da NFL.
______

Luis Eduardo escreve: A seleção do Paraguai pode conquistar a Copa América sem ganhar nenhum jogo. Nessa hora ninguém fala da emoção do mata-mata, né?

Resposta: Calma aí… é impossível organizar copas usando outro sistema de disputa. Especialmente quando a competição é entre países. Para mim, o grande problema são as decisões por pênaltis (publico uma nota sobre o assunto em minha coluna no Lance! de hoje), que se transformam no objetivo de muitos times. O Paraguai, por exemplo, não quis ganhar da Venezuela nas semifinais. Levou três bolas na trave e se classificou. Eu não gosto dos pênaltis como forma de decidir confrontos. Acho que a prorrogação deveria continuar, em tempos de 15 minutos com permissão para substituições, até que um time vença.
______

Uma vez mais, obrigado pelas mensagens. Até a semana que vem.

(emails para a CP do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link abaixo da foto)



  • Conrado

    Dá pra fazer por grupos, André. Minha Copa do Mundo ideal teria 16 seleções, divididas em dois grupos de 8, todos jogando contra todos dentro se suas chaves, os primeiros colocados de cada uma se enfrentando na final, o time com melhor campanha podendo jogar pelo empate na prorrogação. Exatamente 32 dias. Aí, sim, teríamos um campeão mundial de facto e de direito. Meritocracia no lugar de politicagem e disputa de pênaltis.

  • Anna

    Adoro o Cielo, mas achava que a punição deveria ser maior. Porque sempre ficará essa sombra sobre ele. Mas pelo que vimos, o tratamento foi diferenciado porque ele é campeão olímpico, o que não acho certo. Sou contra preparações químicas para os atletas. A coisa chata é que por mais que ele seja inocente, a furosemida estava na urina dele. Mas o TAS deve saber o que está fazendo. Espero que isso sirva de lição ao Cesar Cielo para tomar mais cuidado. Gostei da pergunta do Gustavo.

  • Fred Ferreira

    André,

    Fui um dos que escerveu pedindo sua opinião. Agradeço a consideração em responder. Parece que é isso mesmo, não dá pra confiar mais nem em tribunal anti doping. Já imaginava isso, mas agora ficou escancarado. Devem ter muitos atletas e jogadores que se sentiram “sacaneados” depois desse episódio, e com razão. Alguns recebem passe livre e outros tem a carreira quase destruída. Que mundo!

  • André, respeito sua opinião. Contudo, outros grandes atletas passaram pelo CAS e foram condenados independentemente dos feitos atingidos. Cielo passou por três instâncias, foi absolvido em duas. Não seria mais plausível acreditar que ele realmente foi vítima de um engano de uma farmácia?

    Porém, concordo com você. Existem um monte de suplementos considerados “legais”, que são também uma espécie de doping. Afinal, se seguirmos a lógica da lei antidoping, tudo que é antinatural deveria ser proibido. Inclusive capsulas de cafeína.

    Abraços,

    PS.: Gostei da proposta de várias prorrogações.

    PS2.: Quais seriam as implicações de uma diáspora dos astros da NBA? Acho que seria uma tremenda revolução!

    Abraços!

  • Correção: Cielo não foi absolvido, tomou uma advertência.

    abraços!

  • Guilherme

    Sei que as perguntas já foram respondidas, mas tenho mais uma dúvida sobre a questão dos jogadores da NBA.

    Existe a possibilidade dos grandes clubes europeus que tem equipes de basquete (Real Madrid e Barcelona, principalmente) investirem em grandes estrelas e levar a “era dos galáticos) para as quadras também?

    Acho que o Florentino ainda não percebeu o tamanho que a coisa pode chegar…

  • Carlos Futino

    André,

    Se eu entendi direito, sua ideia para os empates seria fazer algo semelhante ao que se faz no beisebol: Continuar jogando até alguém vencer.

    Nesse caso, qual sua opinião sobre o Golden Goal (morte súbita)? Poderia ser usado apenas a partir de um “terceiro tempo” de prorrogação ou algo assim?

    AK: Não gosto do gol de ouro. Prefiro tempos de 15 minutos, com pequenos intervalos e mais substituições. Um abraço.

  • Luiz Felipe

    “Kobe Bryant, que pediu US$ 1 milhão para jogar na Turquia”

    Já o Robinho disse que não iria à turquia de jeito nenhum!!!!

    Essa é a diferença entres as ligas!!! Não é só quem as comanda, mas que as integra também.

    A TURQUIA É DEMAIS!!! Istambul capital cultural européia de 2010!!!! Não é a toa que o Alex, uma exceção no meio da boleirada tupiniquim, não sai do fenerbahce de jeito nenhum!!

  • Ricardo

    Referente ao caso Martinuccio, a maior prova de que estava fazendo algo contra a lei foi dada pelo próprio Fluminense, que ofereceu 750 mil euros ao Palmeiras para “zerar” o problema, ato recusado de imediato pelo Palmeiras.

    E quanto ao caso Cielo, acho que para ele mesmo seria melhor se tivesse recebido uma pena, mesmo que de 3 meses, porque é brilhante e teria uma carreira inteira para se recuperar (como fez Maureen Maggi) ao invés de pousar sobre ele sempre essa sombra do dopado não punido.

  • Hélio

    André, quanto à proposta das prorrogações, eu acho interessante como forma de se decidir um jogo (eu também nunca gostei da morte súbita), mas não haveria problema com relação às transmissões da TV?
    E também não haveria o risco de ocorrer algo do tipo “Isner x Mahut”, por exemplo, em uma semifinal de Copa do Mundo?
    Abraços,
    Hélio

    AK: Haveria. Não seria sensacional? Um abraço.

  • Alexandre

    Minha opinião sobre o caso Cielo: foi julgado pela CBDA, punido com advertência e anulação dos resultados do Troféu Maria Lenk. A FINA recorreu. A CAS julgou o recurso e manteve a advertência, portanto ele já teve sua devida punição e não deve mais nada para ninguém.
    Deixo três perguntas: Se em outros casos parecidos a pena foi diferente, não seria porque as provas levantadas também foram diferentes? Podemos sugerir que a CAS tenha feito um julgamento político? Qual o histórico da CAS?

  • Alexandre

    Complementando a resposta do André ao Hélio: seria uma semi-final sensacional…e uma final de dar dó.

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo