SANTOS!!!



O reencontro entre o Santos e a Copa Libertadores, após 48 anos, tem a impressão digital de muita gente.

Mas será lembrado principalmente por dois nomes. Dois jogadores fora de série, dois craques com gigantescas possibilidades de marcar época, como fizeram os grandes da História.

Se você tem um cara chamado Paulo Henrique Ganso em seu time, você tem alguém que pega o nada e transforma em tudo. Com a simplicidade de quem é superior, de quem está longe dos outros.

PHG me lembra Zidane. Tem bola para se aproximar do gênio francês, quem sabe até ultrapassá-lo. Será muito bom acompanhar sua trajetória.

Se você tem um cara chamado Neymar em seu time, você tem um atacante letal no mano a mano, um driblador serial, um finalizador raro.

Aí está – na finalização – o que o diferencia. Neymar é um especialista em gols (e acaba de marcar mais um num jogo decisivo).

Até quando não faz. Poucos jogadores no mundo são capazes de dar o toque na saída do goleiro, aquele que bateu na trave.

E se você tem esses dois caras em seu time, você tem uma criatura extraterrestre, um monstro de duas cabeças. Uma pensa, a outra age.

Uma pena não saber por quanto tempo eles continuarão juntos. O consolo (sei que isso importa pouco para quem torce para o Santos) é a Seleção Brasileira.

Parabéns ao Santos e aos santistas. Linda festa no Pacaembu.

______

Apenas um comentário sobre a cafajestagem depois do jogo: não interessa quem começou, ou por quê.

Quando a coisa chega ao estágio do baile funk (o recomeço da briga, perto do gol, após uma voadora de um jogador uruguaio, foi aterrorizador), tudo se perdeu.

E como se não bastassem as horrorosas “cerimônias” de premiação que vemos – na verdade, não vemos coisa alguma – na América do Sul, a pancadaria ajudou a compor uma cena vergonhosa.

Os jogadores do Peñarol tiveram sorte. A Polícia Militar foi profissional no meio da confusão. Em outros lugares, os policiais teriam ido sem dó para cima do time visitante.

ATUALIZAÇÃO: Quando escrevi a nota acima, as origens da briga não estavam esclarecidas. Ao dizer que “não interessa quem começou…”, me referia a qual time, qual jogador.

Obviamente, a partir do momento em que se descobre que a confusão começou por causa da presença de alguém que não deveria estar ali, quem começou interessa, sim. E muito.

Que várzea.

______

O jornal me pediu para escrever o texto do pôster do Santos campeão da América, que está nas bancas.

Obviamente, essas coisas são feitas antes do jogo. Ou não são feitas.

Aí vai:

A TAÇA ESTÁ FELIZ

A história remete à frase de Jackie Stewart, o lendário piloto escocês que disse “deve ser a água que eles bebem” para explicar o sucesso dos brasileiros no automobilismo. A diferença é que, há tempos, não causamos mais tanto espanto nas pistas.

Mas o Santos… bem, o Santos continua instigando a curiosidade de quem gosta de futebol, independentemente de preferências clubísticas. Sério: como explicar que Ganso e Neymar tenham surgido no mesmo lugar de Diego e Robinho, que vem a ser o mesmo lugar em que surgiram – respire fundo – Pelé e Coutinho?

Não, é evidente que aqui não se pretende comparar nomes, carreiras ou grandezas. Mas não há como negar as relações entre duplas emblemáticas, cada uma a seu modo, na história do Santos e do futebol brasileiro.

Especialmente porque PHG e Neymar repetiram o que Pelé e Coutinho fizeram em 1963. O que Diego e Robinho quase conseguiram fazer em 2003. Não deixa de ser interessante que Robinho tenha jogado no time que possibilitou a terceira estrela da Copa Libertadores – o time campeão da Copa do Brasil do ano passado.

E o que dizer de Elano e Léo, que amargaram a derrota para o Boca Juniors em pleno Morumbi e voltaram para levantar a mesma taça, no Pacaembu, oito anos depois?

O Santos sabia que seria campeão. Tratou a fase de grupos com certa displicência, trocou de técnico duas vezes. Pouca gente se lembrará de que era Adílson Batista o treinador na estréia, um 0 x 0 com o Deportivo Táchira, na Venezuela.

Marcelo Martelotte fez a ponte para Muricy Ramalho, que, logo em seu primeiro jogo na competição, tinha a obrigação de vencer o Cerro Porteño. Quem diz que Ganso teve participação discreta no título certamente não viu aquele jogo, no Paraguai. Não fosse a atuação dele, você não estaria com este pôster nas mãos.

E quem pode dizer o que aconteceria se Neymar não mostrasse sinais de evidente amadurecimento, como na vitória sobre o Once Caldas, na partida de ida das quartas de final? PHG estava machucado e o jovem astro chamou o jogo, como se dissesse aos companheiros: “estou aqui, me entreguem a bola”. Foi dele o passe para o gol de Alan Patrick.

Quase meio século de espera também não teria chegado ao final se o Santos não tivesse se tornado uma equipe segura na defesa. Contribuição de Muricy Ramalho ao decantado “DNA ofensivo” do time, prova de que não se chega a lugar algum sem equilíbrio. Finalmente abraçado ao troféu que teimava em frustrá-lo, Muricy deve estar se sentindo consagrado. E com razão.

A juventude de Rafael, a experiência de Edu Dracena, a força de Durval, a raça de Pará, a versatilidade de Arouca, o vigor de Adriano, a disposição de Danilo, o talento de Alan Patrick, a energia de Zé Eduardo. Tudo conspirou para corrigir um erro que já durava tempo demais.

A Libertadores estava morrendo de saudade do Santos.



  • Leandro Azevedo

    Acho que o maior merito desse time foi ser campeao tendo em campo um centroavante como Ze Love… o que o cidadao perde de gols nao eh brincadeira!!! Eh esforcado, mas precisa colocar o pe na forma com urgencia.

    Danilo ontem jogou barbaridade no segundo tempo (o Muricy parece ter encontrado o seu “novo” Richarlyson – o polivalente dos seus times), e Arouca foi outro que jogou muita bola. Os “outros” dois caras do Santos voce ja falou o suficiente. Durval, mesmo com o gol contra, jogou 180 minutos impecaveis la atras.

    O titulo com certeza ficou em otimas maos, e agora resta saber se o papo depois do jogo de que Ganso e Neymar querem ficar vai ser realmente verdade… mas quando o Ganso termina a entrevista se despedindo em Italiano, fica complicado.

    Abraco

  • Anna

    Também acho Ganso parecido com Zidane. Uma mistura de Socrátes e Zidane, pra ser mais exata. Perfeito seu texto. Adoro o que escreve!

  • Juliano

    SENSACIONAL, André. Santista que sou, agradeço por ler um texto tão bem redigido, tão preciso, coerente, certeiro! Sensacional. Está ficando melhor que o seu pai, de quem eu sou muito fã tambem! Voces também surgiram do mesmo lugar e cumprem muito bem suas profissões, sao exemplos. Parabéns.

    “A Libertadores estava morrendo de saudade do Santos”!

    Forte abraço!

  • Thiago Mariz

    Lendo as suas colunas há alguns anos (como passa rápido!) percebi o que talvez seja a sua característica mais marcante como escritor: suas conclusões são inigualáveis. Particularmente, nessa eu me arrepiei.

    Sobre o Santos, eu tentava me lembrar quem PHG parecia jogando, enquanto o via desfilar ontem. É realmente Zidane. Tomara que ele jogue o que Zidane jogou, pois ele foi o homem que mais vi jogar bola na minha vida. E estou com saudades de ver algo extraterrestre como aquele francês.

  • Rita

    “um monstro de duas cabeças”, Perfeito!
    O texto então…

    Título merecidíssimo.

    Então… sempre morri de inveja da Seleção Francesa e seu 10 magistral, portanto
    o Ganso é minha esperança de ver num só jogador (com a 10! da Seleção)
    a simbiose de Sócrates e Zico.

  • Fabio

    Vc me promete que nunca vai encerrar esse blog ?

    AK: Não depende apenas de mim. Mas prometo fazer minha parte. Obrigado. Um abraço.

  • Luiz Fernando

    André, infelizmente não encontrei no site do Lance uma área para ouvidoria ou um “fale conosco”, e como acompanho seu trabalho a muito tempo gostaria de saber se você sabe se o jornal popular “Mais Jornal” (noticia na primeira página do uol hoje) é uma publicação do Lance!.

    Agradeço se puder ajudar. Muito obrigado.

  • Marcos Vinícius

    PHG joga bola.Joga muuuuita bola.Pra mim é o melhor do time,disparado.Neymar é muito mais Neymar quando Ganso está em campo.Toque de bola refinado,visão de jogo,dribla bem e cadencia o jogo quando assim tem que ser feito.
    Mas daí compará-lo a Zidane…é,no mínimo,exagero.Achar que ele pode ultrapassa-lo,então,é utópico.

    Já disse certa vez:Meu topo 3 internacional é composto por Maradona,Zidane e Hagi.Não creio que Ganso um dia chegue a ser o que um desses três foi,embora seja fã incondicional do narigudo.Os dois primeiros ganharam Copa do Mundo sozinhos,e o terceiro levou a fraca seleção de seu país as quartas de final de outra.

    A belíssima jogada do primeiro gol foi toda do Arouca,o operário do meio campo,o cara que corre mais que todo mundo,que protege a defesa e sai pro jogo com incrível qualidade.

    Mas Arouca não é estrela.Por isso nenhuma referência a ele.

    Pobre Arouca.

    AK: Incrível como cada um lê o que quer. E apenas o que quer. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Verdade.Assim como também é incrível a falta de argumento em certas ocasiões.

    AK: Argumento é o que não falta aqui. Nunca faltou. Mas é preciso ler. Um abraço.

  • Willian Ifanger

    Dia de final de Libertadores me dá uma inveja….o clima é maravilhoso dentro do estádio e o jogo é tenso, até acabar, qualquer que seja o placar. Futebol em seu grau de pureza máximo.

    ******

    Neymar é letal, como poucos. Ganso é cirúrgico…..o toque de calcanhar pro Arouca é quase que uma marca d’água da jogada toda.

    ******

    Naquele gol do Peñarol eu imaginei o Everaldo Marques berrando em algum lugar: “TEMOS UM JOGO”.

    ******

    Muricy merece o título como poucos, mas está em dívida com a torcida Tricolor (Paulista). Ainda precisa terminar essa história.

    ******

    A briga, a festa de premiação atrapalhada, a bagunça que virou o gramado no geral….ainda estamos longe de tratar o evento com a grandeza que merece.

    ******

    Não vou generalizar (ou já estou?), mas incrível como eu não vi nenhuma entrevista com o Danilo depois do apito final. O cara simplesmente fez o gol (golaço) da vitória. O Futebol é injusto com certos jogadores.

    ******

    Parabéns ao Santos…..e sejam bem vindos aos clube!

  • Marcos Nowosad

    Muricy em dívida com a torcida Tricolor (Paulista)???

    O cara contribuiu com metade dos titulos brasileiros da historia do clube (3 titulos) e ainda esta’ em divida com a torcida????

    Cada uma que a gente ouve ou lê de torcedor…

  • Luiz Felipe

    Parabéns aos santistas!

    Por falar em festa, considero um crime escolherem um estádio em detrimento de outro que colocaria 30 mil santistas a mais na festa. Não consigo entender como a torcida, que é a razão de tudo que aconteceu ontem, aceita isso.

    Como assim não interessa amigo???? São sempre os hermanos!! Nâo dá para apanhar quieto!

    Ano passado os jogadores do chivas também iniciaram a pancadaria. Mas o indião sozinho pegou um três… hahaha… no final, acabaram perdendo e apanhando.

    E a pm aí é bem passiva mesmo. O penhoral uma vez tentou fazer um confusão dessas no olimpico, acho que na antiga supercopa, e foi corrido a cassetetes para o vestiário.

  • Luiz Felipe

    Ah… nenhuma notinha, nem de rodapé, para o Muricy?????????

    um abraço

    AK: Por favor, leia o post. Um abraço.

  • Willian Ifanger

    Marcos,

    Eu me referi à Taça Libertadores, já que é o assunto em questão. E foi em tom de brincadeira também (deveria existir algum sinal de escrita pra fazer entender assim).

    É lógico que agradeço a ele pelo Tricampeonato brasileiro…..não sou tão doido assim não. Te garanto que, por mim, ele jamais teria saído do comando técnico.

  • Marcos Vinícius

    “A juventude de Rafael, a experiência de Edu Dracena, a força de Durval, a raça de Pará, a versatilidade de Arouca, o vigor de Adriano, a disposição de Danilo, o talento de Alan Patrick, a energia de Zé Eduardo. Tudo conspirou para corrigir um erro que já durava tempo demais.”

    Ué…será que o Léo,um dos melhores da posição no Brasil e extremamente identificado com o Santos,não jogou ontem?

    AK: Finalmente você descobriu o Arouca!! Agora tente de novo, para achar o Léo. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Olha,veja bem…

    O que eu disse foi sobre A JOGADA FEITA PELO VOLANTE SANTISTA!!Uma jogada digna dos melhores meias do nosso futebol.Pra mim,a jogada do título,pois o Peñarol teve que partir pra cima e dar espaço pro segundo gol.
    Dizer que o Arouca é versátil é o mesmo que dizer que o uniforme número um do Santos é branco.Mas a jogada do cara merece destaque.E passou em brancas nuvens,entende?

    E na sua “escalação”,por assim dizer,não está incluido Léo,já que Neymar e Ganso mereceram,com toda justiça,comentário à parte.

    AK: Já achou o Léo?

  • Marcos Vinícius

    Impossível não rir ao ler.

    Mas achei.

    AK: Sensacional.

  • Alexandre

    André,
    O seu texto ficou muito bom e a frase final, perfeita. Daquelas que merecem ser descaradamente “chupadas” para serem ditas com toda pompa numa roda de amigos, sem citar o autor.
    E parece que o pessoal gostou de brincar de “Onde está o Wally”.
    Agora, quase tudo conspirou mesmo para o título, mas o Zé Eduardo não conspirou porcaria nenhuma!!! 😀

  • Eduardo

    http://uolesporte.blogosfera.uol.com.br/2011/06/23/jornal-popular-provoca-o-corinthians-apos-tri-santista/comment-page-26/#comment-188206
    .
    O autor da manchete acima relatada entrou para a história, com o momento mais baixo da história do jornalismo brasileiro.
    .
    A sua agressividade contra o Corinthians é indecente, intolerável para qualquer órgão que possa ser chamado de “imprensa”.
    .
    E o atingido por essa estupidez não é só o Corinthians, mas também o Santos, que viu a sua glória desmerecida ao ser instrumentalizada para ofender um outro clube que não teve qualquer participação ou interesse na decisão da Libertadores jogada no Pacaembu.
    .
    É inadmissível que essa publicação não se retrate do grave erro cometido.
    .
    O mínimo que se espera é uma manchete de desculpas e reconhecimento da lamentável deslize, acompanhado do afastamento sumário do autor dessa barbaridade.
    .
    .
    Obs: Para quem não sabe, a publicação em questão faz parte do Grupo Lance.

  • No campo, os santistas foram incríveis. Sou corintiano e comemorei cada gol como se fosse do Timão. Mas no pódio, tivemos mais uma mostra do quanto o profissionalismo ainda é um palavrão para os dirigentes sulamercianos.

    Abraços, André!

  • Carlos Futino

    Já vi essa comparação do PHG com Zidane antes… Minha reação sempre foi “eu acho que ele lembra mais uma mistura de Sócrates e Falcão”. De um jeito ou de outro, o cara é um gênio.

  • Leonardo atleticano

    André, não foi aquele baita jogo, principalmente no primeiro tempo. Mas mostrou que temos dois baitas jogadores para se contar na seleção.
    Que o Ganso não se machuque mais tão cedo e tenha humildade e tranquilidade para tocar sua carreira.
    Que Neymar amadureça mais um pouco, suporte mais trancos e continue brilhando.

  • Alexandre

    Não deixa de ser uma homenagem do Deuses do Futebol ao Santos FC o fato dele ter conquistado o Tri da Libertadores exatamente em sua centésima partida no torneio.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo