TUDO CERTO



Não gosto quando técnicos rompem contratos, como já disse.

Mas é preciso reconhecer que André Villas-Boas deu mais um passo preciso em sua curta, porém notável, carreira.

Se ficasse no Porto, muito provavelmente não c0nseguiria repetir o sucesso que teve em 2010-11. Teria de ganhar o Campeonato Português e ir fundo na Liga dos Campeões para não ouvir que “fracassou”.

E se não conquistasse a UCL (pouco provável, convenhamos), precisaria se acostumar à frase “mas não conseguiu repetir o feito de José Mourinho, que venceu a Liga dos Campeões…” adicionada a seu currículo.

Era evidente o assédio a um treinador que fez o que AVB fez, e com apenas 33 anos. A questão era como tratar dele.

Sua multa rescisória de 15 milhões de euros, maior do que a de muitos jogadores, já foi preparada para (realmente) ressarcir o Porto em caso de perder o técnico.

De acordo com jornalistas ingleses, Villas-Boas e Roman Abramovich se encontraram no fim de semana, num dos iates do dono do Chelsea.

O técnico disse ao magnata que trabalharia com ele novamente (foi auxiliar de Mourinho no time londrino) apenas se os clubes chegassem a um acordo.

Como não existe acordo impossível para Abramovich quando o russo está resolvido a conseguir algo, o Porto será bem pago.

E apesar dos protestos de alguns fanáticos, Villas-Boas sai pela porta da frente.

Está a caminho de um clube sedento, com bolsos profundos. E um clube que ele já conhece.

Não há situação melhor.



MaisRecentes

Pertencimento



Continue Lendo

Vitória com bônus



Continue Lendo

Anormal



Continue Lendo