ALGO ERRADO NO REINO DE KOBE



Se Phil Jackson entrou pela última vez numa quadra de basquete no domingo passado, sua despedida foi melancólica.

Não pela derrota dos Lakers para o Dallas Mavericks e a eliminação humilhante dos playoffs da NBA.

Perder é do jogo.

A questão é como os atuais bicampeões perderam, como reagiram à derrota, como transformaram a despedida do técnico mais vencedor da História da Liga num espetáculo de displicência, falta de foco, vontade e classe.

Principalmente vontade e classe.

Jackson, o senhor dos 11 anéis (fora 2 como jogador), obviamente tem sua parcela de responsabilidade.

Só como um exemplo, ele disse antes do jogo de domingo que uma das tarefas do time era impedir os arremessos de 3 pontos dos Mavericks.

Dallas acertou 20 bolas de 3. Só Jason Terry matou 9, igualando um recorde de playoff.

É apenas uma prova da péssima atuação dos Lakers, e talvez um sinal de que o time simplesmente aceitou sua inferioridade e esperou o jogo – e a série – terminar.

Não custa lembrar que estamos falando dos atuais bicampeões. Do time que tem o maior competidor (podemos debater eternamente a respeito do melhor jogador da Liga) da NBA, Kobe Bryant.

É evidente que há algo errado.

Lembro do último dia de Natal, em que o Miami Heat foi até Los Angeles e ganhou por 16 pontos.  Andrew Bynum disse “nós não confiamos uns nos outros” depois do jogo e a reação geral foi “quem esse cara pensa que é para falar essas coisas?”.

Parece que Bynum estava certo.

O que me impressionou no jogo de domingo foi a forma como dois jogadores dos Lakers externaram sua frustração.

Lamar Odom deu uma cotovelada em Dirk Novitzki e foi ejetado. Logo depois, Bynum fez igual com J. J. Barea. Mesmo destino.

Bynum ainda se despediu do jogo com elegância, ao tirar a camisa ainda na quadra.

Além de faltas flagrantes, punidas corretamente com exclusão, Odom e Bynum tentaram machucar adversários. Não há como descrever de outro jeito.

Depois, ambos declararam que estavam levando um baile, perderam a cabeça e fizeram faltas graves propositalmente. Como se fosse a reação mais normal e compreensível que existe.

Estou curioso para saber das suspensões que receberão. Apesar de achar que não serão rigorosas o suficiente.

Tudo isso no time de Kobe Bryant, no último jogo de Phil Jackson, que poderia ter repreendido seus jogadores publicamente, mas não o fez.

Talvez tenha sido só um de seus arrependimentos no domingo.

ATUALIZAÇÃO, 21h46 – Bynum foi suspenso por 5 jogos e multado em US$ 25 mil pelo show em Dallas.

A suspensão é pelo ataque a Barea. A multa é por ter tirado a camisa na quadra.

Estou surpreso, confesso. A punição foi mais rigorosa do que eu imaginava.

O pivô dos Lakers se desculpou publicamente por seus atos, disse que está envergonhado e que vai procurar Barea.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo