AMANHÃ ACABA



A Uefa não aceitou as denúncias do Real Madrid, que acusou jogadores do Barcelona de conduta antiesportiva. Mas isso não impediu o clube de insistir no tema, e com argumentos mais sérios.

Além da reclamação de simulação de faltas, o clube merengue afirma que Sérgio Busquets chamou o lateral brasileiro Marcelo de macaco, no primeiro jogo das semifinais.

Me parece inútil pedir punição a alguém por ser demasiado teatral num jogo de futebol (o que não significa, por favor, que eu aprove esse comportamento). Se o árbitro perceber que um jogador tentou enganá-lo, que lhe puna em campo.

Mas o vídeo divulgado pelo Real Madrid, em que Busquets chama Marcelo de “mono”, é claro. A Uefa deveria suspender o volante.

Pep Guardiola defendeu seus jogadores, usando o argumento de que muitos são formados no clube e aprendem valores que extrapolam o futebol. Fica difícil, no entanto, defender Busquets.

As entrevistas coletivas desta segunda-feira foram, outra vez, dominadas pelo clima que se criou fora de campo.

Aitor Karanka, auxiliar do suspenso José Mourinho, criticou a Uefa por não cumprir o que está em seu regulamento, dizendo que “o jogo ficou em segundo plano”.

Guardiola e Xavi lamentaram a insistência do Real Madrid em não falar de futebol. O meia chamou de “patéticas” as alegações do rival.

O técnico do Barcelona, mais de uma vez, disse “amanhã isso acaba”, ao responder as diversas perguntas sobre as acusações feitas pelo Real Madrid.

O ambiente é ruim mesmo. Entre jornalistas espanhóis, há uma clara preocupação com a imagem do futebol do país, justamente no momento em que esses quatro clássicos chamam atenção internacional. Até agora se viu pouco futebol.

Mas ainda há uma chance, nesta terça no Camp Nou.

O Real Madrid tem pouco espaço para manobrar, precisa de gols. Ao buscá-los, pode fazer exatamente o jogo que o Barcelona deseja. Mas o time branco tem os jogadores necessários para, pelo menos, tornar a partida interessante.

O Barcelona está em posição privilegiada. Em copas europeias, jamais foi eliminado em casa após abrir vantagem de dois gols no primeiro jogo.

Andres Iniesta foi liberado pelos médicos e deve jogar. Mas essa não foi a melhor notícia do dia para os catalães.

Eric Abidal, que há um mês e meio retirou um tumor do fígado, também teve alta e foi relacionado para o jogo. É evidente que o lateral francês não tem condições de jogar 90 minutos, mas sua reintegração tem um forte apelo psicológico.

Perguntado se o Real Madrid “não joga futebol” (uma referência à declaração, após o primeiro jogo, que “venceu o futebol”), o meia Xavi respondeu que “é um outro futebol. Um futebol que não me agrada, não me diverte”.

Clara provocação de quem sabe que, quanto mais ofensivo o adversário for, melhor o jogo ficará para o Barcelona.

Veremos como o Real Madrid responderá. Não há muitas alternativas.



MaisRecentes

Poupe



Continue Lendo

Pertencimento



Continue Lendo

Vitória com bônus



Continue Lendo