CAMISA 12



Quando eu lembrar do jogo de anteontem, duas imagens me voltarão à mente: uma é o segundo gol de Messi. Tive a sorte de estar atrás da placa de publicidade, do lado esquerdo do gol, o que me propiciou um ângulo privilegiado da jogada. Quando Messi caiu ao bater na bola de pé direito, ele estava a poucos metros da linha de fundo, na minha frente.

Acredito que se não houvesse tanta coisa em torno do jogo, tanta reclamação e tanta bobagem, o gol magnífico de Messi seria mais comentado.

A outra imagem é a expressão de Casillas no momento da expulsão de Pepe. Rendeu a coluna abaixo:

(publicada ontem, no Lance!)

O INEVITÁVEL

Iker Casillas sabia.

Ali, aos 16 minutos do segundo tempo, o goleiro e capitão do Real Madrid sabia.

Sabia que o cartão vermelho que o árbitro alemão Wolfgang Stark tinha acabado de mostrar a Pepe significava mais do que uma expulsão. Mais do que outro jogo contra o Barcelona com um homem a menos. Muito mais.

Enquanto seus companheiros corriam para reclamar, enquanto seu técnico também era expulso, Casillas apenas abria os braços, olhava para o chão, balançava a cabeça. Não havia irritação ou revolta em seu rosto. Porque ele sabia.

Sabia que seria o principal prejudicado com a ruína do sistema de marcação que, assim como aconteceu na decisão da Copa do Rei, travava o Barcelona. Porque também sabia quem seria o principal beneficiado.

Quinze minutos se passaram entre um fato e outro. Período no qual Casillas impediu um gol de David Villa com uma defesa espetacular. O jovem holandês Affelay recebeu a bola do lado direito e ganhou de presente um escorregão de Marcelo. Foi o suficiente para superar o brasileiro e cruzar. Gol de Messi.

Décimo do artilheiro da Liga dos Campeões da Uefa. Quinquagésimo-primeiro do maior artilheiro de um time espanhol na mesma temporada. Primeiro gol de Messi em uma semifinal de Champions.

Três coisas precisavam acontecer, na mesma noite, para que a temporada do Barcelona não terminasse em frustração. A primeira era conseguir executar sua filosofia de jogo, mesmo com um time remendado e sem Andres Iniesta – um dos processadores (o outro é Xavi) que fazem o sistema operacional catalão rodar em sua plenitude. A posse de bola final de 72%, em pleno Santiago Bernabéu, é um bom indicador.

A segunda era que a arbitragem atuasse com rigor no aspecto disciplinar. O alemão Stark não teve uma boa noite, mas é muito difícil contestar o cartão vermelho de Pepe. O luso-brasileiro é um jogador que vive no limite, e o limite não é o mesmo para todos os árbitros. Na disputa com Daniel Alves, Pepe quis correr o risco de ser expulso. E foi, corretamente.

A terceira coisa que precisava acontecer era Messi. Livre do guarda-costas que não consegue pará-lo, mas contê-lo, o pequeno grande argentino decidiu. Seu segundo gol teve a habilidade, a crueldade e a assinatura do melhor jogador do mundo.

O lance começou com ele, na intermediária. Tocou para Busquets e correu para receber. O companheiro só parou a bola, como se dissesse: “vai”. E ele foi. Foi fintando na diagonal, entrou na área e concluiu com um toque ridículo de pé direito.

A velocidade, a forma como a bola gruda em seus pés, a noção de espaço… Messi é superior em tudo. Fez mais um gol de playstation.

Casillas sabia.



  • Afonso

    Um time com tantos bons jogadores que tem o seu jogo centralizado no Pepe só poderia perder. Venceu aquele que manteve seu estilo de jogo. O Real foi covarde e reconheceu a superioridade do Barcelona.

  • daniel

    Ola Andre,

    Sei que voce escreveu sobre o Pepe ja, mas voce ja viu esse video: http://www.youtube.com/watch?v=V7D9J8lTFGs&feature=related ?

    Concordo que mesmo nao tendo tocado, talvez o Pepe merecesse o vermelho por ter colocado o adversario em risco.

    Mas, independente disso, achei vergonhoso o comportamento do Barcelona durante o jogo todo. Simulacoes teatrais e reclamacoes em grupo ao juiz.

    Alguns podem dizer que isso “e’ malandragem do futebol”, mas na minha opiniao e’ lamentavel e vergonhoso. Desrespeito. Torcerei muito para o Manchester na Final.

    Abs,

    Daniel

  • Penso em que o Barcelona é um time que vale a pena pagar pra assistir, mesmo que perca. Ja o Real nao presta esse show pra seus fãs, mantem o estilo retranqueiro e covarde de jogar. Messi redefine o futebol, futebol de ser assistido, vibrado e digno de vestir a camisa. Esse aí sim faz jus ao 10 que leva nas costas.

  • Leandro Azevedo

    O Messi faz esses gols com mais facilidade que eu consigo no meu playstation… Tem que fazer um jogo um pouco mais “real”.

    Como disseram no post anterior, o Messi conseguiu “matar” o Classico 4.0, mas se o Mourinho decidir mudar o esquema (vai ser meio que obrigado), isso pode nos proporcionar, finalmente, com um jogo de futebol bem jogado e com possibilidades de gols, muitos ate quem sabe.

    Abraco

  • Lippi

    André, no lance da expulsão do Pepe, na câmera por trás (pelas costas do Pepe), dá pra ver o Xabi Alonso virando o rosto e fazendo uma cara parecida.. tipo “putz, olha o que esse cara fez, eu sabia, agora já era”…

    AK: Não vi, mas me falaram dessa imagem. É… acho que não foi uma surpresa… um abraço.

  • Anna

    Fico impressionada com a sensibilidade do Casillas. Quando o Gomes tomou aquele frangaço e ele sentiu compaixão e na cena descrita quando percebeu que Pepe tinha colocado tudo a perder. Coluna perspicaz.

  • Willian Ifanger

    Sabe o que é mais engraçado? Quem ainda acha que a entrada foi normal, argumenta que tem imagens que mostram o Pepe acertando apenas a bola. É cada uma.

    Se der voadora, tesoura, carrinho, salto no vácuo com chute no queixo, mas acertar a bola, tá valendo. Argumentos esfarrapados.

    Eu imagino o que vai ser El Clássico 4.0 no Nou Camp…..Barcelona deve estar esperando ansiosamente a sua hora de participar dessa epopéia. A pressão durante o jogo vai ser tão grande e tão intensa que não sei se o Real terá sangue frio para aguentar. Acho que vai espanar de vez.

  • leonardo atleticano

    André, não tenho dúvida alguma sobre a justiça da expulsão, foi para quebrar ao meio, só foi infeliz no golpe. Agora, o Daniel Alves cometeu umas 05 obstruções claras no primeiro tempo, uma três passíveis de cartão amararelo.
    Mas um dia em que um clássico desse porte não gerar polêmica, é porque o futebol perdeu a graça.
    André, se tem arbitragem eletrônica e na repetição se vê que não acertou na realidade, você acha que iria facilitar o lance? Acho que não. Tem casos que não tem como, você avalia por simpatia, quem gosta do Barça julga pela intenção, que gosta do Real, julga pelo teatro.

  • Fábio

    André, sei que não foi no mau sentido, mas gostaria que explicasse em sentido sentido o toque de pé direito foi “ridículo”. Sendo sincero, não entendi.

    AK: Ridículo de bom, de inesperado, de maldoso com o goleiro. Um abraço.

  • kinho

    O PEPE será o desafiante do ANDERSON SILVA, acabou a invencibilidade grandão rsrsrskkk

    e o MESSI pe melhor na vida real que no play…..

    abraços.

  • Fábio

    Era o que eu imaginava. Achei o cúmulo da simplicidade genial!
    Espetacular também seu tempo de resposta. Valeu!

  • Luiz

    Rídiculo de tão fácil que pareceu ser aquele toquinho de direita… Agora, realmente, as imagens que mostram para mim a entrada do Pepe e mostrando q ele não encostou mudam muita coisa. O cartão continua sendo merecido, mas a atuação do Daniel é ridícula no mau sentido. Se ele não faz aquela cena toda duvido que o Pepe teria levado o vermelho… Daniel merecia uma punição severa por aquilo. É deplorável agir dessa maneira…

  • Sidney

    Estava torcendo pelo Barcelona durante toda a liga por ser o melhor time do mundo, com o futebol mais bonito e objetivo além do melhor jogador do mundo… Mas vendo esse vídeo que o Daniel postou acima mudei de idéia. Que decepção vendo o teatro de Pedro, Busquets e Dani Alves… Na hora do jogo não deu pra ver em detalhes, mas vendo agora com calma, parece coisa de time pequeno e mal caráter, coisa que o Barcelona está looonge de ser. Lembrou aquelas catimbas que cansamos de ver em libertadores e jogos da seleção argentina. Inclusive um jogo em que Tevez fingiu tomar uma cotovelada e enquanto estava no chão rolando de “dor” ficou mostrando a língua pra câmera… Lamentável.

  • Alexandre Reis

    Escrevi bastante lá embaixo, aqui serei breve:

    Ainda bem que venceu o talento.

    E olha que o Madri é um time cheio de talento, mas um tecnico ridiculo, prepotente, mal educado.

    Abs

  • Alexandre Reis

    Acabei de ver o video postado acima, sinceramente 2 minutos editados em uma partida de 95 minutos.

    Eu assisti o jogo todo e vi alguns lances assim do Madri.

    Esqueci nos outros comentários:

    O mais legal é que o Marcelo pisou o Pedro no chão, o Pedro foi substituido e o holandes criou o gol nas costas dele. Castigo pelo pisão.

  • Daniel simulou. Mas foi só ele. No lance do Busquet, o braço do MArcelo acerta o rosto dele antes da trombada.

    Daniel merce punição, mas não há a mínima razão para absolver o Pepe. O cara vem com pé na altura do joelho do Daniel sem nem olhar pra bola.

    Enfim, quando um time passa a ganhar todas, passa a ficar um pouco chato, daí todo mundo começa a querer desmerecer a equipe.

    O Barça vai dominar por muito tempo e Messi ganhará tantos prêmios de melhor do mundo quanto a Marta.

    Pelo menos, é o que eu penso.

    Abraços a todos!

  • Leonardo JP

    Essas simulacoes acontecem em todo jogo.No Real Madrid ha varios jogadores que adoram simular ou valorizar faltas o Dimaria e o Ronaldo fizeram a mesma coisa que o Pedro , Daniel fizeram.E ainda ficou barato para o Real pq o A debayor e o Sergio Ramos poderiam ter sido expulsos de campo tbem. Chupa Mourinho…

  • Alexandre

    O problema do árbitro foi a falta de critério, pois a falta do Mascherano no Pepe foi tão “pesada” quanto a do Pepe no Daniel Alves.
    Quanto ao Messi, eu bem que disse num comentário anterior que o Pulga não ficaria 4 jogos seguidos sem aprontar das suas…

  • Nilton

    Sidney, vendo o video postado pelo Daniel, fico com a sensação de que o Brasil vai ter o teu lateral direito no proximo jogo, por caso de centesimo de segundo, pois se não tira a perna teria virado pó, e a Intenção do Pepe foi de ou “ele afina ou eu quebro ele no meio”, nem tem como defender o Pepe.

    MAS para quem ainda tenta defeder o Pepe vai uma comparação:
    “Se um homem tenta violenta uma criança de 6 anos, mas é impedido no momento do ataque, ele deve ser considerado “inocente” pois não consumou sua intensão?????”

    No meu ver seria melhor para o Real te sido eliminado nas oitavas pelo Lion do que passar por estas vergonhas.

  • xandeboy

    Sem desmerecer a obra prima messiana mas o chute ridículo não acaba batendo no pé do zagueiro?Acho q iria bem para fora….tive esta impressão…..aí sim seria ridículo sob todos os aspectos..hehehe

  • BASILIO77

    E o argentino tem SÓ 23 anos. Até onde ele vai?
    Essa é a melhor parte.
    VEREMOS até onde ele vai.
    Abraço.

  • Gustavo

    André,

    1) No jogo Brasil x Inglaterra da Copa de 2002 o Ronaldinho Gaucho deu solada semelhante àquela do Pepe e foi expulso sem que tenha ocorrido nenhuma celeuma;

    2) Acho que ao criar uma estratégia baseada na renúncia à posse de bola o treinador José Mourinho expõe seus jogadores a uma irritação inevitável. É difícil assistir o adversário tocar a bola interminavelmente e não perder a cabeça. É como ficar na roda de bobo mais de dois minutos, com o mundo todo assistindo;

    Depois ele fica jogando a culpa pra cima da arbitragem pra escapar da responsabilidade de não fazer um time cheio de craques jogar de uma forma menos covarde. 30% de posse de bola é coisa de time pequeno;

    3) Acho que vc foi generoso com o Pepe. Ele passa a maior parte do tempo fora do limite. Raramente disputa uma bola com lealdade.

    4) Tem uma câmera que captou vc batendo palmas na hora do segundo gol; rs

    Um abraço.

    Gustavo

  • Sidney

    Nilton,

    Não estou defendendo o Pepe, muito pelo contrário, acho que se ele parasse de jogar hoje não faria falta nenhuma ao futebol.
    Só que essa comparação que você fez não tem sentido. Quem joga bola sabe que as vezes você erra a mão e acaba chegando mais forte do que devia. Não sei se esse é o caso ou se o Pepe foi pra quebrar mesmo, por isso achei justa sua expulsão.
    Eu sou contra o teatro, a cena que os jogadores do Barça faziam a cada entrada era ridícula. Não sei se você viu, mas até o Ferdinand do Manchester criticou a atitude dos jogadores do Barça. Mas como é o Barça fica fácil defender… Mas e se fosse o Real fazendo a mesma coisa? Ou a Argentina jogando contra o Brasil? Estaria cheio de torcedores e jornalistas criticando fortemente a atitude dos jogadores, como criticaram o Tévez no exemplo que citei.
    E repetindo, torci pelo Barça a liga inteira. Só fiquei decepcionado porque o Barça não precisa disso pra vencer o Real ou qualquer time do mundo…

    Abraço

  • Daniel Lobo

    O momento decorrido entre a expulsão de Pepe, passando pelo primeiro gol de Messi e culminando com a pintura final se assemelha à um nocaute em decisões de cinturão no boxe. Uma luta equilibrada até o momento que o desafiante comete um erro tomando um duro golpe que quase o leva a lona e ao levantar fica refem no meio do ringue onde o campeão o massacra as duras penas terminando com o golpe final.

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo