MOU APERTOU MUTE



Talvez você tenha ouvido falar da “entrevista muda” de José Mourinho, nesta sexta.

Colegas espanhóis revelaram os bastidores do episódio.

Como se sabe, o relacionamento de Mourinho com a maior parte dos jornalistas que cobrem o Real Madrid não é bom.

Ele já reclamou “da imprensa” várias vezes. Na última, falando sobre seus planos de um dia voltar a trabalhar na Inglaterra, disse que o retorno pode acontecer mais cedo do que se imagina, “se a imprensa me expulsar daqui”.

O técnico não gostou da repercussão do que disse – e disse, com todas as letras – sobre os cartões amarelos que só o time dele recebe e sobre as expulsões de jogadores do Real Madrid em quatro das últimas cinco derrotas para o Barcelona.

Logo depois da vitória sobre o Tottenham, pela Liga dos Campeões, Mourinho fez a pauta do debate sobre os quatro jogos entre os rivais. Os jornais, lógico, repercutiram.

Nesta sexta, ele obviamente seria perguntado sobre esses assuntos.

Mandou avisar que não iria falar, na véspera de um clássico. Sabe o valor que tem uma entrevista coletiva do técnico do Real Madrid numa semana em que jogadores não estiveram disponíveis. Entende que suas palavras são sempre distorcidas e resolveu deixar “a imprensa” de Madri sem nada para preencher o enorme espaço dedicado ao jogo.

Quando souberam da decisão de Mourinho, os jornalistas espanhóis pressionaram a assessoria de imprensa do Real Madrid, que levou a reclamação ao técnico.

A decisão de abandonar a sala era o último recurso, usado se Mourinho insistisse em se calar.

Para mim, foi uma surpresa. Já vi esse tipo de protesto ser planejado muitas vezes no Brasil, mas nunca passou disso.

Vale dizer que não foram apenas os espanhóis que se levantaram. Os correspondentes de meios de comunicação de outros países, que vivem e trabalham na capital espanhola, também saíram.

Aitor Karanka teve de responder por seu chefe, que ficou ao seu lado, mudo. Claro que a maioria das perguntas foi sobre o que estava acontecendo ali. O auxiliar técnico respondeu com algum constrangimento.

Mourinho chegou a olhar para o assessor, com jeito de quem queria dizer algo, mas não abriu a boca.

Talvez tenha ido à sala para não deixar Karanka desamparado.

Talvez tenha ido só para desafiar “a imprensa”.

Mas tudo soou planejado. E tenho cá minhas dúvidas se foi planejado para transferir para si a atenção do jogo e aliviar a pressão sobre seu time.

Mourinho é um treinador brilhante, mas me parece o tipo de sujeito que pensa primeiro nele.



  • Anna

    Mourinho é um técnico especial, mas a sua marra incomoda demais. Isso o que ele fez hoje foi inaceitável, digno de repúdio mesmo por parte de todos os coleguinhas. Ele extrapolou todos os limites. O link com a sua entrada no BB1 é muito legal. Não pude ver, na hora, mas o link ajuda bastante.

  • Leonardo Pires

    Ah, se fosse o Muricy ou, pior, o Luxemburgo…

  • Willian Ifanger

    Eu sempre acho que em certos ambientes (Espote, Música, Cinema, etc) tem certas personalidades do meio que se julgam mais importante que o substantivo.

    Pode até ser um artifício pra tirar o foco do time, mas soa arrogante demais.

  • Daniel Lobo

    Que Mourinho é o melhor técnico do mundo não é novidade e nem que sua arrogância e prepotência são os únicos adversários que o derrotam por mais de cinco a zero na sua carreira. Luxemburgo era assim e o período de vacas magras do mesmo perdura desde que ele saiu do Real Madri em 2005. Mera semelhança?

  • Luiz

    Annn, acho q foi isso mesmo André, ele tirou a pressão do time e só. A gnt vai ficar aqui metendo a boca nele, enquanto o seus jogadores e ele tentam descobrir um jeito de parar o Barcelona.

  • Jamile

    Oi André! Mourinho com problemas com a impressa de Madri? Penso que não, o que ele diz é lei, mas parece o Rei Sol. Alias a impressa esportista (de futebol) na Espanha não faz jornalismo, não tem objetivo de informar ou apurar, são fanaticos torcedores (muitas vezes de forma absurda, ridicula e sensacionalista). Concordo com você sobre esse “discurso” sobre aliviar a pressão do time. Seus movimentos e falas são todos calculados, mas visam a autopromoção. Ele se sobrepõe e anula o time, agora ele é a expressão do madridismo. Vejo a idoladria de alguns comentaristas que empregam a “Metonimia Mourinho” para tratar do Madrid. Isso é demasiado, ainda mais para um personagem que deprecia adversarios, semeia maus sentimentos, é grosseiro…

  • Leonardo

    André, você é um comentarista muito parcial. É clara sua torcida pelo Barcelona! Estou assistindo o jogo na ESPN Brasil sem som para não ter que ouvir seu puxa-saquismo com sotaque paulistano irritante! Aprenda a ser IMPARCIAL!

    AK: Seu problema é grave. Ao tirar o som da TV, você deixou de ouvir a voz de outras duas pessoas. Não a minha. Um abraço.

  • Paulo Pinheiro

    * Cá pra nós… que joguinho chinfrim este de hoje, hein? Real Madrid recuado desde o primeiro minuto do primeiro tempo e o Barcelona jogando horizontalmente.
    Se esta foi a partida entre os dois “melhores clubes do mundo” então resta pouca esperança.
    * Parabéns ao árbitro que apitou todas as faltas. Ao contrário do que defendem por aí, lá os árbitros não “deixam o jogo correr”, não. Eles estão certos. Se você sabe jogar futebol, tome a bola do adversário limpamente. Se não sabe procure outra profissão. Trombou, puxou, bateu, tem que dar a falta mesmo! Se os jogos lá correm mais do que aqui é porque lá os JOGADORES é que colaboram jogando só futebol.
    * O Messi perdeu dois gols feitos e errou vários passes fáceis. Além disso provocou desnecessariamente a torcida merengue.
    * O David Villa é daquele tipo de jogador que some o jogo todo e só aparece no lance decisivo. Foi assim na Copa do Mundo. Foi assim hoje. Tem estrela.
    * O que o Ozil estava fazendo no banco de reservas? Se entra desde o primeiro tempo o jogo seria outro!

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo