CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

SOBRE TIMES E CLUBES

Ok, agora temos os números.

Não, não são números oficiais. Nossos dirigentes de futebol, tão empolgados na hora de anunciar patrocínios de camisa e seus valores inflados, se melindram quando o assunto é o dinheiro da televisão. Falam em cláusula de confidencialidade como se fossem gestores de um fundo suíço. Mas não resistem e o “não conte a ninguém” logo se transforma em “pode contar, mas não diga que fui eu que te falei”.

Vamos arredondar, porque o que importa mesmo é a diferença entre os andares, na nova ordem financeira dos clubes do Brasil. O novo terceiro andar (os 2 mineiros, os 2 gaúchos, Fluminense e Botafogo) receberá cerca de R$ 50 milhões. O novo andar do meio (Palmeiras, São Paulo, Santos e Vasco), será agraciado com mais ou menos 70 milhões. A cobertura (Flamengo e Corinthians) terá direito a algo em torno de R$ 110 milhões.

Atenção: o patamar intermediário é um piso escorregadio. O São Paulo, que já sofreu redução no número de transmissões em televisão aberta no primeiro turno do BR-11, ainda é uma incógnita. Talvez nem ouça a proposta.

Mas nosso ponto aqui é a distância entre o primeiro e o terceiro níveis. Estamos falando da vizinhança dos R$ 60 milhões. Sim, a diferença entre quem ganhará mais e quem ganhará menos é MAIOR do que a menor cota. Os direitos de televisão de Flamengo (ainda não fechou) e Corinthians foram negociados por mais do que o dobro do que se pagará, por exemplo, ao Botafogo.

Botafogo que, ninguém esqueça, rompeu com o Clube dos 13 porque não aceitava ficar “preso” ao sistema em que recebia 40% a menos do que a cota do Flamengo. A rebelião que levou às negociações individuais e às bravatas de seu presidente, Maurício Assunção, deu errado. Muito errado. O percentual que ele queria baixar aumentou para 55%. E argumento de ter dobrado a receita do clube com TV – verídico – empalidece diante da enorme discrepância que se criou.

Enquanto isso, como se fosse necessário mais um exemplo, a Uefa anuncia que passará a negociar as transmissões dos jogos das seleções européias (nas eliminatórias para Euro e Copa do Mundo) em um pacote único. O objetivo é “proteger o futebol de seleções” no continente. Que conceito…

Times de futebol devem ser adversários por toda a eternidade. A mais pura, mais profunda essência do esporte é a satisfação do torcedor ao comemorar uma vitória sobre um rival. Mas clubes de futebol devem estar sentados, sempre, do mesmo lado da mesa, defendendo interesses comuns, valorizando um produto que é propriedade deles.

Ao se mostrarem incapazes de negociar coletivamente e, em acordo, aumentar o bolo, os dirigentes do futebol brasileiro estão fazendo o contrário.



  • Lucas

    As televisões já deixaram claro nas negociações que o futebol não é mais esporte e sim um mero negócio. Quantidade vale mais do que qualidade. Que os clubes mais populares (Flamengo e Corinthians) podem mais dentro da ditadura vermelha (travestida de democracia) brasileira. São somente “facções” mais fortes também politicamente falando e entre os empresários que negociam os “atletas”, que estão fazendo a diferença. Só falta a imprensa dita especializada fazer o mesmo e deixar bem claro que os dois primeiros clubes são mais importantes do que Vasco da Gama, Bahia, Palmeiras, São Paulo, Grêmio e Inter, Botafogo, entre tantos outros. Pelo menos, o balcão de negócios da informação seria mais transparente e menos hipócrita. Escrever sobre futebol no Brasil é apenas conhecer bem um tipo de cartório bem peculiar! E não se esqueça de me mandar cumprir aquela velha promessa!

    AK: Exatamente como os políticos que você critica. Um abraço.

  • fabio de Andrade

    Andre,
    Parabens pelo blog.
    Gosto muito dos seus textos, penso ser jornalismo pela noticia e não jornalismo pela emoção.
    Eu tenho lido muita coisa sobre essa historia da TV e algumas duvidas ainda pairam sobre minha cabeça, se puder me esclareça:
    – Os dirigentes estão querendo a negociação fora do clube dos 13 e pelo que parece a Globo esta colocando mais dinheiro do que se fosse na Licitação. Eu sou administrador e não entendo essa conta, mas suponhamos que eles tenham aumento e a soma seja maior que o valor da RedeTV a pergunta é: Por que a Globo não foi lá na licitação e ganhou tudo de uma vez só e ponto?
    – Outra: Será que os torcedores (vou pegar seu exemplo para não melindrar ninguem) do Botafogo se consideram 55% inferiores aos do Flamengo? E se não transmitir jogos do Botafogo e do SPFC (esse exemplo ta na Folha) será que com o tempo esses torcedores não desistirão de acompanhar futebol na TV e ai cai a audiencia?
    – E por ultimo: Será que após uns anos de hegemonia dos clubes que recebem mais (Cor e Fla) não pode haver uma revolta dos outros e um novo levante? Sabe como é meu avô (uma pessoa muito inteligente apesar de analfabeto) dizia que todo mundo apoia uma revolução quando esta mal ou sofrendo, mas depois de 2 meses da tomada do poder é bom ter um plano B, pois ninguem vive de promessas e de glorias do passado!
    Obrigado,
    Fábio

    AK: Eu que agradeço. Vamos lá:

    – Os valores das negociações individuais, na maioria dos casos, não superam os da concorrência do C13 (a diferença ficaria maior ainda se lembrarmos que o bid da Rede TV – R$ 516 milhões/ano – só foi esse porque não havia outras emissoras presentes. A TV Globo não foi por dois motivos: possibilidade de ser derrotada, especialmente pela Record, e possibilidade de gastar mais do que gostaria.

    – Patamares diferentes, por exposição e audiência, são justificáveis. A distância entre os patamares é que não pode ser tão grande. Nesse caso, a culpa é exclusivamente dos clubes, que não se organizam para impor suas condições. Lembre-se: o produto é deles, dos clubes.

    – Os dirigentes não discordam dos patamares. As discordâncias são sempre políticas, e/ou inconfessáveis.

    Um abraço.

  • Péricles Durães

    Isso me lembrou uma frase de um dirigente já falecido (acho que é o Vicente Matheus) que disse, mais ou menos assim, que “o que é bom pro meu clube não deve ser bom pros meus adversários”. É o que passa na cabeça oca de quase todos os cartolas desse país (pra não dizer todos). E, como já disseram alguns outros jornalistas, estamos a caminho da “espanholização” do futebol brasileiro. E quem reclamar contra isso, perderá sua “visibilidade” na vênus platinada. É impressionante como o óbvio, o sensato e o correto passam longe das mentes da classe dirigente esportiva (e política) deste país.

  • Bernardo F. Domingues

    Boa, AK. Concordo com você. Infelizmente parece que nosso futebol continua querendo seguir o caminho da bipolarização, assim como é na Espanha. Meu único alento é que apesar de Flamengo e Corinthians terem os melhores orçamentos, as suas diretorias são tão corruptas e incompetentes que ambos não conseguiriam montar times competitivos nem com o dobro desse dinheiro. Que digam Inter, Grêmio e Cruzeiro, que ganham proporcionalmente menos, mas ano após ano são figurinhas presentes nas grandes competições, especialmente na CLA.

    Abraços

  • Nilton

    A verdade em toda esta novela vai ser, no final, que todos perderam, a Globo ganhará, e o Timão e Fla vão ficar perto de quase empatar.

    Ser não houvesse o racha, a proposta , SOMENTE, pela TV aberta ficaria entre R$ 700 a 800 milhoes, a Globo deve fecha o pacote todo por uns R$ 800 milhoes a R$ 1 bilhão, porem Fla e Timão devem ganhar igual ou um pouco menos do que ganharia negociando junto, mas negociando separadamente conseguiram fazer o São Paulo, Palmeiras, Vasco ganharem bem menos, e os demais vão continuar vivendo comendo migalhas e arrotando caviar.

    Agora os flamengueista teram que “dar o braço a torcer” e agradecer os co-irmãos por trazer mais recursos para os cofres rubro negro e ajudar a pagar o salario do R10. Se isto não acontecer o Bota, Vasco e Flu teram feito O PERFEITO PAPEL DE BOBO da Corte do reinado de Munchausen.

  • Edouard Dardenne

    Embora eu concorde plenamente com os benefícios de uma negociação conjunta, insisto a mais não poder que de nada adiantaria negociar em conjunto se houvesse uma ditadura da maioria, com a manutenção de quotas em valores iguais para os times. Aqueles times que geram maior visibilidade para o produto e, por assim dizer, ancoram o futebol na TV, têm que receber mais. Mesmo que a negociação conjunta levasse a valores maiores para o SCCP, por exemplo, é preferível receber menos mas saber que a distribuição não será ‘igualitarista’. Eu mesmo não tenho vocação para segurar a vaca para os outros mamarem.
    Um abraço.

    AK: A rebelião no C13 não se deu porque havia um movimento para cotas iguais. Seria ainda pior se fosse assim. Um abraço.

  • Fernando

    Prezado André,
    prezado André acho sua coluna em geral provida de bom senso e com certeza, com muita informação.
    A principal crítica era que os clubes que romperam com o C13 estavam indo por outros interesses (relacionados a CBF) e que a cota oferecida no acordo do C13 seria maior/melhor.
    Isto não ocorreu. Todos os clubes que fecharam com a Globo conseguiram valores maiores e vão ter uma exposição em uma emissora que possui um produto de melhor qualidade (equipe técnica, equipamentos nas transmissões) e maior visibilidade (o que atrai os patrocinadores).
    O fato de a diferença entre os clubes aumentar é um outro problema.
    Mas a pergunta é: pq Flamengo (quebrado) e Corinthians (idem, eu acho) teriam que subsidiar outros clubes? estes clubes vão ajudar o Flamengo a pagar a sua dívida?
    logo, acho que ocorreu uma melhora: os clubes estão ganhando mais, como queriam, e a TV Globo manteve a transmissão dos jogos (como queria).
    PQ tamanha gritaria?

    Abs,
    Fernando

    AK: Os valores não são maiores. E se houvesse concorrência de emissoras, a negociação coletiva valorizaria ainda mais os direitos do Campeonato Brasileiro. Não acho, e nunca escrevi, que clubes mais expostos deveriam subsidiar outros. Também não vejo gritaria, mas um debate que, a meu ver, deveria ser até mais intenso. Finalmente, discordo que o aumento da diferença entre os clubes seja “outro” problema. É O problema. Um abraço.

  • Alexandre Reis

    André, no momento que os clubes aqui do Rio anunciaram que não negociariam através do C13, confesso que achei que aquele era o momento certo.

    E postei isso aqui, achava e continuo achando que o C13 ja não dava mais.

    Mas ai eles deram o passo errado, era momento de se pensar em uma Liga e negociar no minimo em 4 clubes e não indidualmente. E o que seria ainda mais importante na minha visão:

    Usar a força do momento pra negociar em aberto com todas as midias ou cobrar muito pesado pelo contrato unico.

    Mesmo sendo Flamenguista e sendo meu clube quem mais fatura, sei que o contrato e o valor conseguido esta abaixo do que se poderia conseguir. O Campeonato Brasileiro tem mercado no mundo inteiro e em (trilhões) de midias então não por que se perder em uma bravata sozinho.

    Resumindo, a minha opinião é a seguinte: O primeiro passo foi correto e erraram nos passos seguintes.

    Abs

    AK: Concordo com você. E devo esclarecer: não cito a concorrência do C13 porque sou a favor dele. Sou a favor de uma negociação coletiva dos clubes com quem quiser exibir o campeonato. Um abraço.

  • Fernando

    AK,
    quando vc fala quie a diferença vai aumentar, vc está defendendo, mesmo sem querer, que clubes que poderiam arrecadar mais arrecadem menos.
    Na minha opinião deveríamos rever a lei dos direitos de arena e fazer com que cada clube tenha direito de transmissão ods jogos que manda.
    Neste caso, quem tivesse o melhor produto, maior exposição e desse mais lucro arrecadaria mais.
    A concorrência poderia sim elevar os valores, mas neste caso, provavelmente, como mostram as cotas de Flamengo e Corinthians no C13, os dois receberiam com certeza proporcionalmente menos do que suas audiências e, provavelmente, dados os valores atuais, menos em valor absoluto.

    se os número apresentados forem verdadeiros, a soma do contrato deveria ultrapassar R$1 bilhão para que so clubes ganhassem o mesmo. Naõ me parece razoável, acreditar que o leilão gerasse este valor.

    Abs,
    Fernando

    AK: Engano seu. Defendo que os clubes, em acordo, apresentem seu valor a quem queira exibir o campeonato. Isso tem um nome: valorização. Dar ao time mandante o direito de negociar seu jogo é o mais terrível, mais danoso erro que pode ser cometido no futebol (erro que a Uefa está corrigindo agora, entre as seleções, como está escrito na coluna). É o que acontece na Espanha. Repito, uma vez mais: se houvesse outra emissora presente à concorrência do C13, a proposta da Rede TV seria, no mínimo (de acordo com o executivo da própria), R$ 200 milhões mais alta. Numa licitação envolvento Rede TV, Globo e Record, quem sabe qual seria o bid vencedor? Isso porque o lance mínimo era de apenas R$ 500 mi, valor que dobra o contrato atual, mas que, ainda, é baixo. Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    Esse artigo no site do Lance!, diz que a Globo criou um “sistema de cotas” proprio e que a diference entre a cobertura e o 3o andar seria de no maximo 31%. A propria emissora faria a mudanca nas cotas para fazer um reajuste caso a diference fosse maior que os 31% indicados.

    http://www.lancenet.com.br/de-prima/Globo-cotas_0_449355292.html

    Claro que os valores nao foram divulgados oficialmente, mas voce acha que a Globo faria algo assim mesmo? Pq como voce mesmo falou, o Botafogo nao aceitaria negociar por menos que 40% do valor do 1o andar, e jah fechou com a Globo… seria com uma garantia desse sistema de cotas anunciado no artigo?

    E para comentar sobre as cotas, uma diferenca maior que $10 milhoes entre os andares causa uma vantagem muito grande para os clubes que estao nos andares inferiores… e mais do que nunca, praticamente elimina os outros clubes que participam da competicao, principalmente os que nao faziam parte do C13 (Ceara, Avai, Atletico-Go, America-MG e Figueirense). A Globo preferiu ir atras dos afiliados do C13 na segunda divisao, para realmente acabar de vez com o grupo, a tentar priorizar aqueles que no momento fazem parte da 1a divisao. Seria talvez uma tentativa de assegurar esses clubes para um eventual racha e a criacao de uma liga?

    Abraco

  • Leandro Azevedo

    Quanto aos valores que os clubes estao recebendo hoje (comentario do Fernando), eh claro que vao ser maiores, pq a partir do momento em que Record e Globo sairam da licitacao, a RedeTV abocanhou a licitacao por um valor “simbolico”.

    A Record, estando na licitacao para valer, nao iria oferecer menos que $800milhoes (e isso ainda eh baixo) sabedora que tinha que chutar o preco bem alto para desbancar a Globo.

    E uma pergunta se permite Andre: Os clubes, se tivessem ficado juntos, teriam alguma maneira de pedir uma mudanca no estatuto do torcedor para que o mandante (por exemplo, como acontece na Espanha se nao me engano), tivesse a opcao de negociar os direitos sem ter um comum acordo?

    Abraco

    AK: Os clubes pode fazer o que bem entenderem, porque TV aberta não pode correr o risco de ficar sem futebol. Pena não perceberem isso. Um abraço.

  • Anna

    Não concordo com o Vasco, Palmeiras, Santos e São Paulo estarem no segundo escalão, mas entendo que Flamengo e Corinthians estão na “cobertura” por terem mais torcida e mais visibilidade. Não entendi como o Roberto dinamite, presidente do Vasco, aceitou isso. Seu post é perfeito. Eu entendo muito pouco desse imbroglio dos direitos de transmissao de TV. Você tem esclarecido bastante sobre o assunto!

  • Cesar

    Também acredito que a culpa maior dessa confusão toda é a falta de inteligência e, quem sabe de outras virtudes, dos dirigentes. Os cartolas de clubes se enxergam como inimigos e não adversários… Então, para um dirigente de clube o que interessa é quanto o time dele vai levar de grana, e que se danem o Figueirense, o Coritba, o Atlético-GO….
    Esquecem que não dá para fazer um campeonato do “eu sozinho”….

    Abraço.

  • Anderson

    André,

    Em primeiro lugar, parabéns pelo post. Acho que seu penúltimo parágrafo resume toda a situação.

    Em segundo lugar, não entendi quando escreveu que “O São Paulo, que já sofreu redução no número de transmissões em televisão aberta no primeiro turno do BR-11, ainda é uma incógnita. Talvez nem ouça a proposta.”
    Esse nem ouvir a proposta quer dizer que o time aceitaria de imediato pela falta de exposição ou negaria de imediato para que as emissoras tomem medidas para que ele aceite uma proposta?

    Terceiro, se apenas 4 times, por exemplo, ficarem de acordo com o C13, a Rede TV vai continuar com a proposta e o dinheiro seria dividido entre os clubes que continuarem?

    Por último, por que o Santos receberia a mesma quantidade que São Paulo, Vasco e Palmeiras, se tem bem menos torcida?

    AK: Começando pelo final: os patamares não estão relacionandos apenas a tamanho de torcida. Números de audiência, ranking do pay-per-view… também entram na conversa. Sobre as possibilidades de acerto com outra emissora (que não a Globo), o cenário ainda é misterioso. Pode acabar na Justiça? Pode. Finalmente, sobre o São Paulo: negociar com a Globo, depois dos posicionamentos que o clube assumiu, é uma questão sensível. Um abraço.

  • Teobaldo

    Excelente post, bem como a participação de diversos blogueiros. O nível de discussão, até aqui, está muito bom. Em especial destaco os debates (argumentos/respostas) com a participação dos blogueiros Fernando e Leandro Azevedo.

    Particularmente acho que esse assunto foi muito pouco discutido/divulgado pela imprensa (não sei quem é a imprensa, Ah, Ah, Ah) esportiva do país, tanto em canais abertos quanto em canais fechado o que, em muito, empobreceu o debate. Fico aqui ruminando: Será que esse desprezo com um assunto tão importante, principalmente da principal rede de tv do país, não foi proposital para, pragmaticamente, esvaziar o debate e, como dizem os boleiros, “desviar o foco” para uma discussão meramente clubística?

    Li um texto muito bom (na minha opinião, é claro) e, sem parecer antiético, faço a indicação do endereço em seu blog: http://www.redatorbipolar.wordpress.com.

    Um abraço.

  • José Luiz Saopaulino

    O que está deixando a entender que para a GLOBO o mais importante é ter Corinthians e Flamengo.
    A minha sugestão seria quebrar a exclusividade do cameponato e dividir os times entre as emissoras de TV: 10 para Globo/Band e 10 para REDETV/Record -> (SPFC, INTER, ATL-MG, ATL-PR, BAHIA, FLUMINENSE, BOTAFOGO + 2 )
    Se continuar essa exclusividade o próximo passo da Globo será manipular arbritagem a favor dos 2 times super-heróis da nação; interferirá mais profundamente no trabalho das concorrentes rádios, internet e tvs pagas.
    Esse é o momento da revolução e tentar quebrar a exclusividade.
    Abç.

  • André Bastos

    AK, esse ano já era.
    Não adianta mais ninguém reclamar. Nem imprensa, nem cartolas, muito menos torcedores.
    A besteira foi feita e parece não haver correção.

    Acredito que isso é apenas uma pequena bola de neve, (e como elas crescem à medida que descem…) que vai causar muita destruição quando o período desses contratos terminar.
    Hoje todos pensam ter feito um bom negócio, até mesmo Flamengo e Corinthians. Mas quando esse vículo que hoje se inícia terminar o que vai ter de gente com “dor de cabeça” pra renovar não estará no gibi.

    Os clubes hoje “lucram” com o contrato proposto, já envolvendo PPV e TV fechada, o mesmo que receberiam apenas de TV aberta com o C13.
    Alguém me explica como isso faz sentido??

    Quando a ficha cair, lá pra 2014 ou 2015, acho que vão aprender a negociar juntos. Valorizando o campeonato e não apenas os clubes.
    A guerra pelos direitos de transmissão vai pegar fogo mesmo é na renovação dos contratos que hoje são assinados.

    E ainda tem uma coisa que não ouvi ninguém comentar.
    Quanto esses clubes vão receber se estiverem na segundona?? Os valores ventilado são apenas na 1ª divisão??

    Se você já tocou nesse ponto, desculpe. Não recordo.

    SRN

  • Felipe

    André

    A dúvida que fica é a seguinte: teremos uma mudança profunda naquilo que conhecemos como a essência do futebol brasileiro (e por isso entenda-se um país com 12 times considerados grandes, algo inédito no mundo)? Será que não estamos caminhando (e os pontos corridos, em 2003, foram o estopim) para um modelo em que teremos 5 times disputado títulos todos os anos com os outros meros coadjuvantes ou podendo ganhar alguma coisa em mata-matas mais imprevisíveis? Por último: será que com tanta grana (e com mais grana de TV imagino que os clubes ganhem mais em patrocínio já que a exposição será maior) os clubes terão a capacidade de montar times e mante-los por um bom tempo?

    AK: Pela ordem das suas interrogações:

    Talvez, esse é o risco.

    Também é possível (se bem que 5 com chances não é um número pequeno).

    Tomara.

    Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    P/ Andre Bastos,

    O problema, eh que essa disparidade financeira entre os clubes (se bem geridos financeiramente) pode causar um grande abismo para o 3o e outros escaloes, o que tornaria essa negociata em bloco ainda mais dificil.

    Os que se dizem os maiores, ficariam ainda mais gigantes e ai sim teriam talvez um argumento que nao cabe a eles zelar pelo restante dos clubes… Qual incentivo teria o Corinhtians e Flamengo de entrar em um grupo para negociar, sabendo que podem sozinhos aumentar ainda mais essa diferenca? Os dirigentes nao enxergam que futebol nao se faz sozinho, e com adversarios fracos, o produto deles tambem enfraquece. Os clubes Europeus ate podem fazer isso pois tem uma UCL forte, atraente para o mundo, enquanto a Libertadores que mesmo que fosse forte, nao tem esse apelo.

    Vai restar p/ Flamengo e Corinthians fazer tour pelo mundo levando a Globo junto…

  • Lucas

    … e também como os jornalistas que exibem sempre a dileta soberba quando discordam de uma opinião! Um grande abraço.

    AK: Você está falando de coisas diferentes. Mas, claro, não se deve esperar coerência em seus comentários. Um abraço.

  • Renato

    Andre, gosto muito do seu espaco, dos posts a respeito dos esportes americanos (vide Nash uns dias atras) e pelo fato que vc responde posicoes distintas as suas quando sao feitas com educacao e ponderacao. Ja comentei varias vezes aqui, principalmente quando havia referencias a Australia, pais que eu morei por varios anos.
    Eu discordo de vc, do PVC, do seu pai e de outros nesse assunto.
    1)Etica: Que etica o Fabio Koff e C13 tem? O Koff, diz a lenda, ganha comissao em cima do valor negociado, nao larga o osso do poder nunca e nao podemos esquecer que na decada de 90 fechou com o Silvio Santos pra depois dar o golpe nele. O pessoal do Jd. Leonor que tanto diz etica, faz o que? Se delicia com a Taca de Bolinhas (palavras do presidente), despeja de maneira irregular esgoto na rede de captacao e rouba atletas de outros clubes, vide o que fizeram com o CAP alguns anos atras e mais recentemente com o Lucas que era do SCCP. Isso sem falar no golpe estatutario pra se manter no poder.
    2)Botafogo que eh o exemplo que vc deu e o PVC tb. Segundo a pesquisa do IBOPE/Lance ano passado tem um universo de torcedores 8 vezes menor que do Flamengo e tem dividas superiores ao do Corinthians. Que estrutura eh essa? E querem ganhar valores parecidos ao do Flamengo? Para, isso eh surreal.
    3)Divisao de cotas – Os clubes estao choramingando lembrando de titulos e tradicao. Isso nao se discute, nao esta em jogo, porem nao atinge o mercado consumidor. O melhor exemplo eh o Palmeiras que ve a sua torcida envelhecendo, diminuindo consideravelmente de tamanho e por consequencia o seu valor de mercado. Querer ganhar o mesmo valor que o Corinthians, tendo metade do seu tamanho eh piada. Quem vive de passado eh museu.
    4)”Espanhalizacao do futebol” – Pra mim isso eh mito. La, a Folha divulgou outro dia o Real e Barca ganham 3x a mais do que o segundo grupo (Atletico e Valencia) e o terceiro grupo (Sevilla) ganha 6 vezes menos. Isso sim eh um abismo e reflete nos titulos. O que vcs estao defendendo eh a nivelacao por baixo do futebol brasileiro, recebendo valores irreais (vide oferta coletiva da Rede TV e quanto Corinthians ganharia por la). Mantem-se o equilibrio, porem tb se mantem o circulo vicioso de revelar atletas e vende-los logo em seguida pra Europa, afinal nao ha dinheiro, e trazer da Europa semi-aposentados a peso de ouro. Vai existir desnivel entre os clubes mantendo o formato da Globo? Vai, mas vai existir mto mais $$$ na mesa e os clubes terao condicoes de manter os seus jogadores e trazer reforcos de ponta. E o desnivel nao sera de 3 ou 6 vezes como eh na Espanha. Um time do bloco intermediario, bem administrado (leia-se, nao o Botafogo) tera condicoes sim de ser campeao do ano e pagar as suas dividas. Eh a lei do mercado, da oferta e da demanda. Ridiculo era modelo atual onde o Corinthians maior mercado consumidor da cidade de SP, do estado de SP, da regiao Sudeste e da Regiao Sul-Sudeste ganhar a mesma coisa que o Palmeiras que tem um valor de mercado muito menor (quase metade), da muito menos IBOPE e pior, ganhando uns poucos milhoes de reais a mais do que o Botafogo. Comparando o mercado o Corinthians eh a Coca-Cola e o Botafogo eh a Tubaina, so falta eles valerem a mesma coisa na bolsa de valores.
    Materia da folha da diferenca da Espanha:
    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/893208-espanha-tambem-vive-racha-para-transmissao-de-jogos.shtml

    Abracos!

    AK:

    1) Nossa conversa não é sobre ética. É sobre formas de negociação. O C13 é citado porque organizou uma licitação que originou o que está acontecendo. Licitação essa que dobrou o valor dos direitos de TV do Campeonato Brasileiro. Meu ponto é um só: negociação coletiva.

    2) Engano da sua parte. O Botafogo não pretende ganhar valores parecidos com os do Flamengo.

    3) Divisão de cotas deve estar ligada a exposição e audiência.

    4) Você está completamente equivocado em relação ao ponto que defendo. Nunca fui a favor de cotas iguais. Mas não sou a favor de um desnível tão grande. Principalmente, não sou a favor de um processo que perde a oportunidade de valorizar os direitos DO PRODUTO, e não desse ou daquele time.

    Obrigado pelo comentário, um abraço.

  • rodrigo

    o povo adora fazer media nesse pais.

  • Edouard Dardenne

    É verdade, a rebelião começou porque alguns times têm conchavo com a Globo e com a CBF. Mas quando se pretendeu ‘profissinalizar’ a concorrência, para se obterem maiores valores, os times que dão mais audiência se vêem no dever de bater o pé na forma de distribuição. Se a grana ia aumentar tanto, e se haveria valorização do produto muito em razão da força que tais times têm na cativação de audiência, a conversa deve, necessariamente, começar por esse ponto: como vamos dividir o bolo? Pelo que me consta, havia outros times recebendo valores iguais aos de Corinthians e Fla, de modo que a distribuição é, até 2011, ‘igualitarista’. Se sou eu o dirigente do Corinthians, sentaria à mesa de negociação com os times e começaria o debate por aqui. Se houvesse qualquer conversa na linha do “depois a gente vê”, eu me levantava e negociaria sozinho mesmo.
    Portanto, reitero: concordo plenamente com os benefícios de uma negociação conjunta, mas não daria um passo sequer neste sentido antes de definir como seria a divisão do bolo. Aí, os times que geram maior exposição sofreriam com uma ditadura da maioria, com imposição de uma partilha injusta como a que vigora até esse ano.
    Um abraço.

    AK: Não esqueça que clubes como Botafogo e Fluminense, membros do chamado “terceiro andar” financeiro, também se rebelaram. Um abraço.

  • Luciano SJC

    André, primeiro um pergunta.Estes valores são para os próximos 4 anos ? Se sim , uma conta boba.Dizem as lendas e revistas de celebridades que um apresentador da record ganha R$ 1.000.000, por mês.Se o flamengo vai ganhar 110 por 4 anos chego próximo a R$ 2.300.000 por mês.Quer dizer então que o time de maior torcida bo Brasil, cuja audiencia deva ser enorme, e o retorno que tv tem com ele consequetemente também grande, só ganha 2,15 vezes o que ganha um simples apresentador ? Não estaria baixo o que os times estão ganhando ? Abraços.

  • BASILIO77

    Acho que essa diferença de valores está sendo SUPERVALORIZADA. Os clubes tem outras receitas que não só as cotas da TV.
    Uma fatia considerável do orçamento dos clubes é a VENDA DE JOGADORES. Isso na Espanha não acontece, só aí temos uma diferença entre as realidades bastante grande.
    Por exemplo, o SFC ao vender o Ganso, verá essa diferença de 60 milhões ficar insignificante.
    Outra porção do orçamento é o faturamento com estádio. Coincidentemente, os que estão na “cobertura” nos contratos de TV não tem estádio.
    Portanto, acho que essa diferença entre os valores conseguidos não será a principal causadora de um possível DESEQUILIBRIO no futebol brasileiro.

    SE esse desequilibrio acontecer de fato, a causa principal será de carater cultural e por isso irremediável e inevitável.
    Na medida em que torcedores, mídia e clubes tem um olhar mais globalizado, ou seja, as competiçoes internacionais começam a ter uma importância MUITO(desequilibradamente) superior às nacionais, isso sim acaba por enfraquecer o futebol “interno”. É um caminho já iniciado, sem volta!

    O titulo estadual já valeu mais, hoje é diferente. O titulo nacional idem, o que vale HOJE é uma vaga na CLA. Isso é inegável e acho que inevitável.
    A partir disso, olhando o Brasil apenas como um participante do futebol Sulamericano, perde-se o olhar e o interesse para o futebol do interior do pais.

    O desequilibrio, se vier, terá uma causa mais cultural do que financeira.
    Como já disseram aqui mesmo, clubes com menor faturamento já conquistaram tantos títulos OU MAIS do que os clubes da chamada “cobertura”.
    Abraço.

  • MARCOS

    Andre

    sou muito a favor de uma negociacao de tv, como nos moldes da Inglaterra, 50% para todos, 25% levando em conta ultimo campeonato e 25% sobre o quanto o time vale na midia., mas…como conseguir que esses dirigentes (nao da para tirar absolutamente nenhum) sentem em uma mesa juntos. Para citar somente aqui em Sao Paulo, os mesmos nao tem o minimo de equilibrio e nem um pouco sensato.

    abracos

  • André Bastos

    Leandro Azevedo disse:
    25 de março de 2011 às 12:48

    Cara, a disparidade vai sempre existir. Seja pelo valor recebido da TV, seja pelo patrocínio master, PPV ou qualquer outra forma de receita.
    Não sou favorável a cotas iguais para todos, mas sim um escalonamento dentro desse modelo proposto pelo C13.

    O Botafogo ganhava 40% menos que o Flamengo, vai ganhar 55% menos. Isso é o que se comenta.
    Imagine uma “ordem de grandeza” dentro da licitação do C13 que fixe em 30% a diferença entre o 1º grupo e o 3º. Seria muito melhor do que o que existe hoje, e, infinitamente, melhor do que vai ser de agora em diante.

    Não dá pra agradar Gregos e Troianos. E não vai ser com licitação que vão conseguir isso.
    O que os cartolas precisam entender é que se alguém vai receber menos, que esse menor valor amanhã seja muito maior que hoje é pago. Simples.
    Poderiam até atrelar um coeficiente de rendimento às cotas dos clubes.

    Mas ainda não consegui uma resposta sobre os rebaixados.
    Será que eles vão ter redução no contrato, seja pelo C13, seja independente?
    Parece que quando um grande cai recebe -25% da cota de TV.
    Você tem alguma informação, AK?

    Como eu ja disse antes, esse ano já era.
    A guerra vai ser feia é na renovação dos contratos. Vai ter muito cartola arrependido.

    SRN

  • Willian Ifanger

    Acho que aqui é um dos poucos (se não for o único) espaços que a conversa sobre esse assunto não caiu na pobre e ridícula guerrinha de torcidas. Parabéns a todos.

    Eu sempre achei que a divisão de cotas de TV deveria ser dividida igualmente. Se existem clubes com maior torcida, esses têm um maior número de consumidores da marca e isso atrai receitas maiores de outras maneiras. Mas não acho errado fracionar as cotas a partir de estudos que mostrem que um clube, quando exibido, atraia maior público. Só não acho o IBOPE referência pra isso.

    Mas o problema maior, pra mim, não é nada disso.

    O que me deixa cada dia mais incomodado é como, nesse país, se insiste em não cumpri o que foi combinado. Quando foi estabelecido que teria que ser feita uma licitação para definir quem iria ganhar o novo contrato de direitos de transmissão, TODOS os clubes faziam parte do Clube dos 13. E, a príncipio, todos concordaram com o método adotado.

    Pra mim o descumprimento do processo que o CADE avalizou é uma afronta. Um desrespeito total.

    Está muito claro que a Rede Globo ficou aterrorizada com o fato de poder sofrer uma derrota monstruosa nesse processo, que seria até certo ponto humilhante, e começou a usar de todo seu poder pra sabotar o processo. E sabe-se lá o que foi prometido aos dirigentes dissidentes.

    Acho justo o argumento de que a exposição das marcas numa empresa como a Rede Globo trás mais retorno. Mas estava na hora da empresa mostrar o quanto o futebol é importante pra sua grade e só uma licitação com envelopes fechados pra isso ocorrer.

    Se a RedeTV! não tem estrutura e nem abrangência de sinal pelo Brasil, deveria ter uma cláusula contratual obrigando a emissora (ou outra qualquer) e ter um plano de expansão para que o produto seja exposto no território nacional como se deve. Se isso não for cumprido, cancela-se na hora.

    Como bem disse o André, as tvs abertas não podem ficar sem futebol em sua grade. E é incrível como ninguém percebeu isso. Ou perceberam mas isso não é levado em conta. Posso estar enganado, mas se o valor mínimo do lance fosse R$ 800mi, teria alguém oferecendo.

    Quanto a posição do São Paulo, eu acho que agora tem que ir até o fim. Ir até as últimas consequências. Mesmo que acabe ficando sem dinheiro de tv. Não que o São Paulo seja o mocinho e todos os outros os bandidas……..mas o clube chegou num ponto que não tem mais volta.

  • Renato

    Andre,
    Obrigado por responder a minha mensagem. A discordancia de ideias de maneira educada eh salutar numa democracia. Tomando com base a sua resposta 4, queria te perguntar mais uma coisa. Voce disse:

    4) Você está completamente equivocado em relação ao ponto que defendo. Nunca fui a favor de cotas iguais. Mas não sou a favor de um desnível tão grande. Principalmente, não sou a favor de um processo que perde a oportunidade de valorizar os direitos DO PRODUTO, e não desse ou daquele time.

    Pergunto, no caso de Corinthians e Flamengo. Na estrutura atual do C13 eles jamais iriam conseguir um unico centavo a mais do os outros 3 (SPFC, SEP e CRVG). Eles estao errados de irem atras de valores que julgam serem justos pela exposicao do clube na teve x numero de telespectadores? Como fazer um processo conjunto se vc nao recebe o justo por causa de picuinhas de outros clubes que nao “aceitam” receber um centavo a menos e depois fecham recebendo bem menos em contratos individuais que nem SEP e CRVG. Nao seriam esses intransigentes os errados e pior, nao foram eles os maiores prejudicados pq apesar de receberem mais dinheiro que o contrato passado, viram nascer uma diferenca de pagamento pro chamado primeiro escalao. Eu acredito que isso vai chacoalhar o mercado e 2014 quando for renegociado a nova cota, voltaremos a ver um pacote fechado dos clubes, porem com as divisoes impostas pela Globo. A diferenca monetaria entre essas divisoes so o tempo dira.

    Mais uma vez, gosto mto desse espaco!

    Grande abraco!

    AK: Não procuro culpados. Estão errados todos os que não percebem que, juntos, aumentariam o bolo da forma que seria mais interessante aos clubes e ao campeonato. Obrigado novamente. Um abraço.

  • Alexandre

    Dois pontos pouco comentados que eu gostaria de ressaltar:

    1) Muito se tem discutido sobre os 3 patamares dos clubes considerados grandes, mas poucos se tem falado sobre o quanto vão ganhar os outros 8 clubes da Série A.
    Pelas poucas informações publicadas na imprensa (por que é que nenhum jornalista ainda teve a idéia óbvia de publicar um comparativo detalhado de como são definidos os direitos de trasmissão nos principais campeonatos de futebol do mundo???) a diferença entre o clube que ganha mais (1º) e o que ganha menos (20º) na primeira divisão da Alemanha e também na da Inglaterra é de menos de 100%.
    Aqui no Brasil será de mais de 1000%!!!
    E para os times da Série B, que, lembremos todos, também têm jogos transmitidos pela TV, que merreca vão pagar???
    Em outras palavras, querem transformar 4 grandes (SP, Pal,Vas,San) em médios, 6 grandes em pequenos (Int,Gre,Cru,A-MG,Bot,Flu), e acabar de vez com a viabilidade financeira dos demais…

    2) A licitação do C13 previa o período entre 2012 e 2014.
    Já os clubes dissidentes fecharam com a Globo até 2015, ou seja, justamente no ano pós-Copa, quando haveria um grande potencial de explosão nos valores de transmissão, a Globo conseguiu travar o seu pagamento em um patamar que certamente estará muito defasado.

    AK: Bem observado, o segundo ponto. Um abraço.

  • BASILIO77

    Outra coisa:
    Fala-se agora em “espanholização” do futebol brazuca numa alusão à forma de partilha das cotas TV.
    Pois bem, e quanto à “inglezação” do nosso futebol? O que dizer dos tais “investidores”?
    BMG, TRAFFIC, TERCEIRA ESTRELA, DIS…entre outras…quem saõ elas, como é a operação financeira? Qual a origem do dinheiro? Para onde vão os lucros?
    É normal clubes que há bem pouco tempo atrás estavam a beira da falencia e agora desandam a faze contratações em valores altíssimos, incompatíveis com a renda/faturamento desses clubes?
    Gremio, Inter, AT/MG, Cruzeiro e Fluminense…são alguns exemplos atualmente. Lavagem de dinheiro PURA!!!
    Silêncio na mídia.
    Mais uma da série “ah, se fosse no SCCP…” Cadê a imprensa investigativa? Cadê Bob Fernandes do portal terra?
    Portanto, as diferenças existentes nos contratos de TV não serão tão impactantes assim.

    Voltando ao tema, o C13 ruiu carcomido pelos defeitos e vícios. Virou uma federação como outra qualquer. Inchou seu quadro para que se implantasse a ditadura dos pequenos, como é comum em todas as federações. Curiosamente o C13 foi criado pra lutar contra isso…
    Curiosamente, teve como primeiro presidente o Sr. Carlos Miguel Aidar, intimamente ligado ao SPFC. E ainda hoje a relação entre essas entidades é quase simbiótica. Teoria da conspiração…vai ver que é.

    Enfim, o momento é de ruptura total e cada um por sí. Gostemos ou não.
    Mas para quem é Corinthiano como eu, torcedor do clube mais patrulhado pela mídia e odiado pelas torcidas….ouvir argumentos conciliatórios…de divisão de verbas…isso beira o insulto.
    Talvez daqui a uns anos…quem sabe no proximo contrato de TV.
    Abraço.

  • Alexandre

    Boa lembrança, Willian.
    A Globo é muito mais dependente do futebol que o inverso.
    Sua grade é baseada em 3 pilares, em ordem alfabética: futebol, jornalismo e novelas.
    Sem o futebol ela teria sua posição de líder de audiência seriamente ameaçada, só não vê quem não quer.

  • Luiz Felipe

    Bom,

    É só ver que iniciou o levante pela negociação individual e ver que não pode ser coisa boa.

    Não adianta botar 50 milhões a mais na mão de clubes desestruturados. Virará poeira. Arrisco que essa grana vai para o bolso de dois ou três “craques” em fim de carreira que serão repatriados da Europa com uma belo plano de previdência privada.

    Não adianta nada botar dinheiro na mão de quem não saber gastá-lo.

    bom fds a todos

  • thiago

    Pro outro lá q chamou o Botafogo de Tubaína: vá catar coquinho, filho duma égua. O Botafogo é o maior time dos universos =)

    E André, já viu a classificação que o Stycer vem fazendo dos leitores que frequentam blogs? Acho q vc vai se divertir!! http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2011/03/25/tipos-de-leitor-o-muy-amigo/

    Forte Abraço
    Thiago

  • Luiz

    André. Confesso que estou preocupado com o meu time. O São Paulo tem se queimado demais nessa luta (esclareço desde já: corretíssima). O Inter e o Atlético Mineiro não sofreram nenhuma retaliação da Globo, ao contrário do SPFC, esses times já abriram possibilidade de negociar com a Globo, o SP não… Estou preocupado! Sem essa fonte de renda o time sofreria um grande baque, poderia acabar sofrendo futuramente. Não sei, eu não sou político, mas os dirigentes do São Paulo estão MUITO quietos. Qual será a postura do time? Poxa vida. Eu me indigno de ver outros time ganhando tão menos do que poderiam, me animo de ver a Record oferecendo 60mi só pela TV aberta ao Inter e ao CAM, tomara que eles aumentem esse valor (não teriam motivos para isso, mas enfim) e que esses times joguem na cara dos outros os contratos que fizeram. Mas é duro ein?!

  • Sumaré

    AK, faz muito tempo que a rivalidade entre os clubes tomou conta dos cartolas. Todos os dirigentes, TODOS, fizeram sua parte para jogar gasolina na fogueira. O dirigente que quis ficar com a taça. O dirigente que quis ganhar muito mais que o outro. O dirigente que incitou a violência entre as torcidas. TODOS!

    E o C13, na figura do seu presidente, não soube usar sua influência para corrigir a falta de profissionalismo dos seus membros. O C13 ignorou suas responsabilidades e isso levou a sua própria implosão.

    O futuro do futebol brasileiro está em risco e o “sangue” esta nas mãos de todos os cartolas do país.

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    Nao sei acompanha, maa hoje no Estadio 97, o representante do C13 (Ataide Gil Silveira se nao me engano) explicou exatamente o que esta acontecendo com detalhes. Disse que por conta da divida dos clubes que tem o C13 como avalista, a procuracao que foi dada pelos clubes ate o pagamento da divida e irrevogavel. Falou tb que a RedeTV foi com 2 propostas (a nao usada no valor de $750 milhoes, que com certeza seria facilmente coberta pelas outras emissoras). O interessante, pelo que deixou a entender, e que se o CADE resolver validar a licitacao, ficou a impressao que a oferta da RedeTV vai valer nos valores jah divulgados, o que vai destruir os clubes.

    Abraco

  • george

    Além dessa discrepância, fico muito preocupado com o poder que a Rede Globo adquiriu nessa jogada, tornando os times reféns dela. Não me impressionará se a Globo impor a votla do Brasileirão volte aos moldes antigos, com 100 times, mata-matas intermináveis, e inexistência de rebaixamento. Fora o desmande de jogos em horários e datas esdrúxulas (sábado de noite, meio de semana às 11h…). O futebol brasileiro vai perder muito ao se transformar em uma espécie de novela das 11.

  • Marcos Vinícius

    André,claro que nem tudo que vem à tona,em se falando de futebol,é verdade,como já cansamos de ver.Hoje dizem uma coisa e amanhã a atitudude sobre essa mesma coisa é o oposto do que se disse ontem.

    Mas foi veiculado que a diferença entre os clubes não poderia passar de 30%,mesmo entre o “primeiro patamar” e o “segundo patamar”.

  • Marcos Vinícius

    Corrigindo:
    Onde está escrito segundo escalão,favor entender como terceiro escalão.

  • giovanni siciliano

    26/03/2011 06h47 – Atualizado em 26/03/2011 10h29

    Em nota, clubes não reconhecem contrato firmado pelo Clube dos 13
    Fla, Vasco, Botafogo, Coritiba, Cruzeiro, Bahia, Vitória, Grêmio e Sport dizem que não delegaram poder para negociar direitos de transmissão
    Por GLOBOESPORTE.COM
    Rio de Janeiro

    imprimir
    Nove clubes publicaram neste sábado, em conjunto, uma nota afirmando que jamais deram ao Clube dos 13 poder para assinar contratos de cessão dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro para os anos de 2012 a 2014.

    No comunicado, divulgado em jornais de todo país, Botafogo, Flamengo, Vasco, Coritiba, Cruzeiro, Bahia, Vitória, Grêmio e Sport declaram também que o contrato assinado entre o Clube dos 13 e a RedeTV! não acarreta nenhuma obrigação a essas agremiações.

    Na última quarta-feira, o Clube dos 13 anunciou a assinatura de contrato com a RedeTV! e disse ter assinatura de 15 clubes. Segundo o C-13, oito agremiações deram procurações em que cediam poderes à entidade para negociar os direitos de transmissão do Brasileiro de 2012 a 2014.

    Confira abaixo, o comunicado na íntegra:

    DECLARAÇÃO AO PÚBLICO

    Os clubes Botafogo de Futebol e Regatas, Clube de Regatas do Flamengo, Clube de Regatas Vasco da Gama, Coritiba Foot Ball Club, Cruzeiro Esporte Clube, Esporte Clube Bahia, Esporte Clube Vitória, Grêmio Football Porto Alegrense e Sport Club do Recife comunicam à imprensa, ao mercado publicitário, às empresas de mídia televisiva e aos torcedores brasileiros que jamais outorgaram poder ao Clube dos Treze para assinar contratos de cessão de direitos de transmissão de seus jogos pelo Campeonato Brasileiro de Futebol, nas Temporadas de 2012, 2013 e 2014, motivo pelo qual declaram que o suposto contrato que teria sido assinado entre o Clube dos Treze e a Rede TV! não os obriga de forma alguma e, no que lhes respeita, não existe para todo e qualquer fim de direito.

    Caso sejam ameaçados direitos dos clubes, serão tomadas todas as medidas judiciais cabíveis contra os responsáveis.

    25 de março de 2011

    Botafogo de Futebol e Regatas
    Clube de Regatas do Flamengo
    Clube de Regatas Vasco da Gama
    Coritiba Foot Ball Club
    Cruzeiro Esporte Clube
    Esporte Clube Bahia
    Esporte Clube Vitória
    Grêmio Football Porto Alegrense
    Sport Club do Recife
    ………

    ATÉ O MOMENTO O LANCENET NÃO PUBLICOU A MATÉRIA, 11:46.
    PORQUE SERÁ!!!!!!!!!
    VC PODERIA FALAR A RESPEITO DA NOTA DOS CLUBES?

  • Rita

    Incrível como os JORNALISTAS da Globo/SporTV continuam amordaçados.
    Deve ser bastante difícil para eles se manterem dessa forma, nem que seja para defender a emissora.
    Como ser jornalista dessa forma?
    Direitos de transmissão? CPI? Ricardo Teixeira? Obras da Copa 2014?
    Assuntos terminantemente proibidos.
    Lamentável!

  • Rita

    Obrigada André, por ser um dos que contribuem para nos manter informados.
    E pela paciência em responder às dúvidas.

  • Marcelo

    Olha, André…está mexendo com interesses da poderosa…Não tem medo não ?

    AK: Creio que você não captou a mensagem. Um abraço.

  • Roger_Lima

    Meu amigo sua causa e perdida, Vamos dizer que o Flamengo aceite negociar em conjunto e que ganhe uma bolada, Os outros times vão ganhar o mesmo que ele, Vide Palmeiras e o resto do primeiro escalão. O flamengo tem que disputar jogadores no mercado com vários times Brasileiros, Inclusive perde jogadores para esses clubes com a desculpa que a Gávea e um lixo e que lah não tem estrutura, Vide caso do Ronaldinho, Onde o dirigentes dos times de são Paulo disseram que ele jamais viria para o Rio, Incluindo esse Palmeiras que não tem metade da nossa torcida, E mesmo assim ganha quase o mesmo que o Fla, depois de aceitar negociar em conjunto O Flamengo senta a mesa para melhorar sua cota de tv, VC Sabe o que ele vai ouvir? Não!! E Não!! Então como negociar com pessoas que querem reconhecer o seu valor? VC sabia que essa disparidade já existe? O campeonato Paulista rende 70 milhões para os times de são Paulo e o do Rio 30 Milhões, Em 10 anos o Futebol paulista vai dominar grande parte da 2ª divisão, (Já acontece), E provavelmente uma boa parte da Primeira, E ainda não existe disparidade? Com o Flamengo ganhando mas e possível que o futebol paulista domine o Futebol Brasileiro e só o Fla consiga combatê-los. Então eu acho que suas palavras seriam muito bonitas se nos tivéssemos  um ambiente de igualdade, E não do Estado de São Paulo ganhando a maioria dos Brasileiros no últimos anos.  Se existe 12 clubes grandes no Brasil eu sou Nelson Mandela. Fala serio!

    AK: Estou falando sério, mas você não está entendendo. Em várias respostas a comentários feitos neste post, deixei clara minha opinião: sou contra as cotas iguais, acho que deve haver diferença baseada em exposição e audiência. Mas essa diferença tem de ser imposta pelos clubes, juntos. Um abraço.

  • Roger_Lima

    Essa e a frase correta:

    Então como negociar com pessoas não que querem reconhecer o seu valor?

  • Roger_Lima

    Deixa eu ratificar uma coisa, Eu acho que o Flamengo tem que ganhar muito mas, e os outros muito menos, Assim poderiamos construir um ct e quem sabe um Estadio no Futuro, fazendo assim que o Futebol de São Paulo não leve tanta vantagem.

  • Roger_Lima

    Eu entendi, Desculpe não ter explicado melhor, O que quero dizer e que Mesmo que o Flamengo negocie junto com os outros clubes sua diferença nunca vai aumentar, pois os mesmo não querem ter uma disputa acirrada com o Fla, negociar junto e impossível por causa disso, Tudo que estava acontecendo para alguns era ótimo, pois suas cotas eram vinculadas a os outros e assim não fazia diferença quem compraria mas craques ou não, Mas agora que a suas cotas não são vinculadas, Os times como o São Paulo vão ter que contratar craques para ficarem expostos na mídia, ou no próximo contrato terão suas cotas diminuídas, O São Paulo e o maior exemplo, Nunca tinha ariscado nada, Tinha um time médio com o Rogério sendo seu maior ídolo, Agora que se viu numa situação difícil teve que contratar o Luiz Fabiano, e vai ter que fazer uma gestão de risco para competir com os outros, Saiu da sua zona de conforto. Eu sei que o Flamengo saiu beneficiado dessa historia, Mas o importante não e ganhar tanto assim, E sim impedir que os outros times ganhem mesmo que vc , E que dependam só deles, Pode parecer cruel mas em mundo capitalista e assim que as coisas funcionam, Se continuarmos com o sistema do c13 quem continua sendo beneficiado são os clubes paulista, Pura e simples realidade.  Vamos a o exemplo do Botafogo que vc disse que rompeu porque não agüentava ficar com 40% de diferença para o Flamengo, O botafogo vai ter que fazer que nem o Santos, Fazer um time baseado em futebol bonito para poder aumentar sua audiência, Mas se conseguir o próximo contrato pode ter um ajuste significativo igual a o Santos que agora subiu de nível. Se futebol e um negocio fazer os outros ganharem cada vez menos faz com que vc possa fazer times de massa como o Flamengo terem uma marca forte fora do país e assim mostrar para o mundo o seu Estado e país. Exemplo Espanha que e mas conhecida pelos times Real e Barça, que por suas touradas. Os Clubes não podem decidir em conjunto pq eles jamais aceitaram que o Flamengo ganhe um centavo a mas que eles, Então vc fica preso a vontade deles e sua possibilidade de ter lucro maior diminui muito. Vamos usar o Flamengo como exemplo: Nos queremos ter um estádio igual o São Paulo que da um lucro de 40 milhões por ano, Mas o Governo do Rio não quer pois acham o Flamengo tem a obrigação de sustentar o Maracanã, Mesmo assim não querem entregá-lo para o Fla, fazendo com que o Flamengo nunca venha a ter lucro com um estádio em toda sua vida. As outras torcidas jamais deixaram que isso aconteça também, Então como vamos sair dessa situação?
    Os: O Vasco também e beneficiado sem merecer!

    AK: Uma vez mais: meu ponto é a favor da negociação coletiva dos direitos, processo que aumenta o valor do produto que é propriedade dos clubes. Negociações individuais não atendem a esse propósito e são, comprovadamente, prejudiciais aos campeonatos. Um abraço.

  • Roger_Lima

    Mesmo que aumente a quantidade de dinheiro negociando junto, não vai chegar a um nível que possamos disputar como o mercado Europeu, Mesmo porque nos ainda estaríamos disputando jogadores com outros times Brasileiros, Isso inflacionária o mercado e faria existir disputas absurdas por jogadores, Igual o caso do Ronaldinho, Se o Palmeiras não ganhasse o mesmo que o Flamengo, Ele jamais poderia disputar esse jogador com a gente, e a Traffic nem o Fla teriam que ter dado 600 mil a mas para ele de salário. Igual a porcaria da lei Pelé, Que os jornalistas insistiram que iria revolucionar os times do Brasil, Mas que agora descobriram que foi a maior burrada que poderia acontecer, pois colocou os jogadores nas mãos dos empresários e quebrou os times Brasileiros de vez, Existiam que os times deveriam virar empresas mais esqueciam que no dia que virassem, quebrariam no outro, Pois suas dividas já eram altas, E essa lei abriu o mercado para uma concorrência totalmente livre e desleal a onde vc não tem como disputar jogadores com times Europeus, E os moleques sonham em jogar na Europa, E desfilarem por seus gramados. Nos não podemos nos dar a o luxo de ter 10 times grandes no Brasil, pois não temos mercado para isso se a o mesmo tempo temos que disputar com a Europa. E impossível ter um campeonato Brasileiro recheados de craques, Mesmo porque os Europeus não deixariam, Olha o caso do Neymar. Nos não podemos copiar modelos Europeus pois sairiamos prejudicados de novo.

    AK: Amigo, não se trata de copiar ou não copiar. É apenas valorizar o produto, obrigação dos clubes. Também não se trata de disputar jogadores com a Europa. Quando foi que isso aconteceu? E só dirigentes incompetentes reclamam da Lei Pelé, e nós sabemos por quê. Um abraço.

  • Roger_Lima

    O caso do Ganso e melhor!

  • Roger_Lima

    Eu sei que vc e contra cotas iquais, So que elas vão continuar iguais se os clubes negociarem juntos!

    AK: Não vão. Não eram iguais, havia patamares. Os patamares poderiam ser revistos, ajustados, desde que os clubes fizessem isso juntos e colocassem o campeonato à venda nos seus termos. Um abraço.

  • Roger_Lima

    Vlw foi uma discusão legal!!! cada um tem seu ponto de vista! Um abraço!

  • Roger_Lima

    Uma ultima coisa, Eu li em algum site que na Europa os dirigentes já pensam em fazer uma liga única, Que vai ter todos os Grandes clubes do continente, Se isso acontecer os times médios vão quebrar de vez.
    Ps: Não sei se e verdade mesmo.

    AK: Não sei disso. Mas, em tese, você está enganado. É exatamente o oposto. Um abraço.

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo