NÚMEROS E PERGUNTAS



O blog reproduz abaixo a ótima coluna do meu camarada PVC, na Folha de S. Paulo de hoje.

Faça um favor a você mesmo e leia.

Ao final, temos algumas considerações a fazer.

______

A CONTA DAS MIGALHAS

O Coritiba é um dos clubes que pretendem negociar separadamente os direitos de transmissão do Brasileirão, triênio 2012/2014. Surpreendentemente, o presidente Jair Cirino estava no Clube dos 13 na abertura do envelope da licitação, sexta-feira.

O Coritiba recebe atualmente R$ 13 milhões por ano. A Globo oferece R$ 27 milhões, mas a projeção é que arrecade R$ 34,5 milhões, pelos valores mínimos estipulados pelo Clube dos 13. A diferença é de R$ 7,5 milhões.

Um dos bons argumentos para assinar com a Globo é que ela dá mais visibilidade aos patrocinadores. Hoje, o Coritiba vende o patrocínio de sua camisa por R$ 6 milhões, menos do que a diferença entre o que a Globo se dispõe a pagar e o que o Coritiba arrecadaria negociando em conjunto.

Ainda há quem aposte que a guerra dos direitos terminará quando a Rede TV! depositar a primeira parcela, em um mês. Serão R$ 300 milhões, o equivalente a 20% do total a ser pago pelos três anos de contrato. Jair Cirino não estava na sede do Clube dos 13, na sexta, por causa da cor dos olhos de Fábio Koff. Estava pela cor do dinheiro.

Seu clube tem dívidas bancárias com vencimento na segunda-feira. Não há dinheiro em caixa, e seu avalista é o Clube dos 13.

Contas desse tipo existem em quase todos os clubes. O Botafogo deve R$ 61 milhões ao Clube dos 13 e já recebeu todo o dinheiro a que tinha direito pelo contrato de TV até outubro. O presidente Maurício Assumpção alega que decidiu sair da negociação conjunta por não conseguir se livrar de uma divisão de receitas que faz com que arrecade 40% a menos do que o Flamengo.

Hoje, o Botafogo recebe R$ 22 milhões. “Vou dobrar esse valor negociando sozinho”, diz Assumpção. Em conjunto, a projeção é que o Botafogo saltaria para R$ 53,5 milhões.

Clubes de torcida média, como Coritiba e Botafogo, podem perder negociando sozinhos. Flamengo e Corinthians podem ganhar mais.

O Botafogo também considera a visibilidade de seus parceiros na Globo. O clube avalia o patrocínio de sua camisa em R$ 10 milhões – a diferença entre negociar sozinho ou em conjunto, R$ 9,5 milhões-, mas jogou a maior parte da Taça Guanabara sem patrocinador.

Esse dinheiro faz diferença. Ou não seria necessário receber empréstimo de R$ 8 milhões da CBF, seis dias antes da eleição do Clube dos 13. Maurício Assumpção votou no candidato que agradava Ricardo Teixeira.

______

Atenção especial ao quarto parágrafo, onde há a referência ao adiantamento de 20% do contrato de 3 anos que vale mais de R$ 1,5 bi.

São R$ 300 milhões na mesa, à disposição das sólidas contas bancárias dos clubes brasileiros. Alguém está interessado?

Claro, é sabido que a vitória da Rede TV na licitação não será concreta enquanto todos os clubes (exigência da emissora, em contrato) não estiverem de acordo. Hoje há muitos dissidentes. Quantos haverá, em um mês?

Em entrevista pouco convincente (ainda que a disposição a debater o tema, ao vivo, mereça elogios) à ESPN Brasil na última sexta-feira, o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, revelou alguns detalhes preocupantes sobre o racha no Clube dos 13.

Assunção, que era membro da comissão de TV do C13, disse que um dos motivos que o levaram a discordar do processo de concorrência foi o “despreparo” de algumas emissoras participantes. “Eu vi emissoras que não tinham a menor condição de transmitir o campeonato”, disse ele. “Emissoras que nem equipe tinham”, completou.

Assunção não revelou o nome da emissora, mas suspeito que não seja necessário.

Louvável a preocupação do dirigente. Mas e o dinheiro?

Temos ouvido muitos cartolas declarando que seus clubes podem “ganhar mais” negociando sozinhos. Alguém já ouviu um dirigente dizer que pode “garantir a qualidade da transmissão” negociando sozinho?

Não é muito mais provável que as exigências dos clubes (já que parecem tão preocupados com outros aspectos), sejam elas técnicas, financeiras, de exposição de patrocinadores… sejam atendidas se eles negociarem coletivamente?

E voltando ao dinheiro, como certos cartolas explicam a desobediência à lei de mercado que diz que quanto mais gente quer comprar um produto, mais caro esse produto fica?

Ao justificar a debandada de clubes do C13 com um argumento que não leva em conta a concorrência de valores, Maurício Assumpção está depreciando os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

Não creio que esse seja seu papel.

Importante lembrar que a proposta da Rede TV foi de R$ 516 milhões por ano. A divisão desse valor pelos percentuais que, no contrato atual, são direito de cada clube, já garantiria um interessante aumento. Dinheiro só de TV aberta.

E era para ser muito mais.

O executivo da Rede TV que levou o envelope ao anúncio das ofertas disse que tinha outro guardado, com um valor entre R$ 700 e 800 milhões. Como não havia outras emissoras presentes, entregou o envelope com a menor proposta.

Não é preciso ser um analista financeiro para perceber que a cisão no C13 jogou contra a valorização dos direitos dos clubes. Uma estratégia formidável.

No caso dos clubes de maior torcida, não duvido que as negociações em separado podem levar a propostas maiores. Eles têm representatividade popular e índices de audiência que os permitem dizer “danem-se os outros”.

Não é o melhor para o futebol, para o campeonato, mas pelo menos é um raciocínio que faz sentido.

Mas e os de torcida menor, que parecem não perceber que a diferença entre eles e os que ganham mais vai aumentar? Isso, se eles realmente conseguirem ofertas melhores do que a que já se conhece.

Na mesma entrevista à ESPN Brasil, o presidente do Botafogo disse que há um grupo de executivos do mercado trabalhando para o clube. Fico curioso para saber o que eles pensam.



  • Willian Ifanger

    O mais curioso é que se a gente somar tudo o que muitos times dizem que podem ganhar da Globo, chegaremos num valor provavelmente maior do que o lance da RedeTV!.

    E aí não faz o menor sentido. Porque se a Globo está oferecendo uma quantia que individualmente seja maior na soma, porque não deu as caras no dia da licitação? Pelo que eu entendi, ela não queria gastar esse valor (R$ 500mi) todo não. Ou tem muita gente ingênua por aí ou motivos muito mais ilícitos.

    E mais uma coisa: imagine que a Globo esteja oferecendo, sei lá, R$ 80mi ao Corinthians e Flamengo e R$ 60mi a Palmeiras e Vasco. Será que isso vai ser aceito pelos dois outros clubes? E, se for aceito, porque não chegaram num acordo dentro do Clube dos 13 que Corinthians e Flamengo deveriam ganhar mais?

    O nível administrativo de todas as diretorias hoje é tão baixo que um dia encontram os fazedores de terremoto.

  • Leandro

    O Sr Manoel da padaria conseguiria acordo melhor, em todas as vias citadas. Dirigente de futebol no Brasil não serve nem para administrar a casa da mãe Joana.

  • nilton

    A verdade é que o que a Globo queria gasta uns 700 a 800 milhoes, porem se entrasse na licitação estes valores provavelmente seriam os menores apresentado e pede para a Rede Tv e Record no mesmo dia seria vergonhoso. Como o lance vencedor foi de Apenas 516 milhoes, portanto os clube que negociarem a parte conseguira um valor maior que o da licitação e os nossos cartolas revoltados poderam grita aos 4 ventos que fizeram um bom negocio negociando a aparte (sem explicar que se fica-se no C13 os valores seria bem maiores, pelo menos uns 80%).
    Agora a grande pergunta que ficar é se SP, Palmeira e Vasco vão acertar receber menos que Timão e Fla???
    E os outros times como ficar na historia principalmente os pequenos??
    E se o Santos e Flu com os atuais time aceitaram ser considerados times de terceira cartegoria???
    Será que com esta nova negociação conseguirar os antigos times medios do Brasil (Guarani, Ponte Preta, Portuguesa, Bahia, Sport, Santa Cruz, Nautico, etc..) voltar a despontar nos Campeonatos nacionais??
    Se continuar rachados o C-13 e a transmissão for por duas emissoras ou três, teremos transmissão dentro da cidade em que estara sendo transmitido os jogos???

    Minha aposto é que a Globa fecha o bolo em uns 700 milhoes, mas a pergunta que fica é será que o CADE não vai inteferir nestas negociações a parte como fez com o C-13??

    Só espero poder assistir futebol em 2012 na TV.

  • BASILIO77

    Perguntas:
    – A negociação individual também será por 3 anos, ou poderá ser por outro prazo?
    – Sendo uma negociação individual, os clubes saberão o valor assinado por cada clube? Esses valores serão conhecidos publicamente? Formas de pagamento e detalhes do contrato de cada um?
    Abraço.

    AK: Como a negociação “individual” não tem nenhuma relação com a licitação do C13, imagino que tudo é uma questão de conversa. Sobre a segunda pergunta: se os valores não forem divulgados oficialmente, serão descobertos, como sempre acontece. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Tá todo mundo perguntando se os clubes que receberão menos que os outros,de maior representatividade,vão aceitar ser “segundo escalão”.

    Mas mesmo os valores sendo menores (supondo que o Flamengo receba 60 mi e o Vasco 45 mi) esses valores são,pelo menos,o dobro do valor antigo.
    Então,amigo,dane-se quanto vai receber meu vizinho.Desde que a minha fatia do bolo me satisfaça,o que tenho eu a ver com quanto meu rival vai receber?

    A proposta da Rede TV! é de cerca de 1,5 bi.MAS ESSA PROPOSTA SÓ É VALIDA SE TODOS OS TIMES DO C13 ACEITAREM QUE SEUS JOGOS SEJAM TRANSMITIDOS POR ESSA EMISSORA.
    Gente,é o triplo,sim,O TRIPLO dos valores antigos oferecidos pela Globo,que giravam em torno de 516 mi.

    Então pq os clubes simplesmente não aceitam os valores oferecidos por esta emissora,fechando com um superávit em relação a Globo de 200%,e negociam o pay-per-view,internet e telefonia à parte?
    Pq insistem que conseguem valores maiores se o oferecido pela Rede TV!,após divido entre eles,gira em torno do que eles esperam conseguir nogociando individualmente?Detalhe:A própria Rede TV! disse que foi pronta para fazer uma proposta de 700 mi anuais,mas como viu que não havia concorrentes fez uma proposta mais baixa.

    Será que os dirigentes estão mesmo preocupados com a qualidade da transmissão?Ora,se estão,que fechem com a Globo,que é a mais preparada.Mas se querem dinheiro,que se unam,que refaçam o C13,e que cobrem da emissora vencedora uma transmissão no nível que merece o campeonato e o telespectador!

  • Alberto Pereira

    Porque é que o Flamengo, com Ronaldinho, Tiago Neves, maior torcida do mundo, tv-globo, e toda a imprensa empurrando ainda não conseguiu um patrocinador “master”,São quase 60 dias que o Ronaldinho estreou, e até agora nada?

  • Marcos Vinícius

    André,não quis colocar isso no outro comentário para separar as coisas.

    Poucos,pouquíssimos,colunistam do Lance! postam tantos assuntos como vc,e de temas diversificados,e menos colunistas ainda interagem com o leitor,como vc faz.Vc coloca o que o leitor quer ler de forma clara e (quase sempre) imparcial.Achei um parágrafo que se encaixa perfeitamente no perfil do seu blog.

    “Neste contexto é imprescindível o papel do jornalista, devendo este ser protagonista, fiel aos fatos, consciente do seu poder, e munido de ética cidadã no uso desse meio de comunicação.”

    Obrigado pelo presente que vc nos dá,com seu blog.Outras discussões,nem sempre amigáveis,virão.Mas sempre será um prazer participar do seu blog.

    Abraço.

    AK: Obrigado. O prazer sempre será meu. Um abraço.

  • Edwin Perez

    AK, o problema real é esse mesmo. Se este raciocínio imperar na negociação pelos direitos de transmissão, dentro de 10 anos teremos de 6 a 8 clubes competindo em condições de ganhar o título nacional e participar da Libertadores. Em uma projeção seriam (01 do RS, 01 de MG, 02 do RJ e 03 de SP), sendo que Flamengo e Corinthians irão aumentando esta vantagem ano a ano, pois hoje o fator audiência tem o valor absoluto em detrimento do mérito esportivo.

    As pessoas quando pensam em futebol europeu, pensam na Champions e não nos campeonatos nacionais europeus que transformaram-se no que hoje são os nossos estaduais.

    A saída são as fórmulas ou da NBA, ou da NFL ou da NHL no futebol de maneira geral?

    abraço!

    AK: Não acho que o caminho seja o que se faz nos EUA. Como já escrevi, os clubes brasileiros deveriam negociar coletivamente. Mas isso só será possível quando os dirigentes descobrirem que só precisam ser adversários dentro do campo. Um abraço.

  • brilhante observação andré, não precisa ser genio pra perceber que estes dirigentes estão vendidos, o melhor pro clube é mais dinheiro e o patrocinador vai atrás da audiencia onde ela estiver…

  • Tião # 3

    André, bom dia, acho seu blog fantástico, não só pelos comentários sobre as partidas de futebol, mas sobre quase tudo que cerca o esporte, não só o futebol, contudo, gostaria de questioná-lo, se é que tenho o direito de fazê-lo, no final do ano vc escreveu que aguardava ansiosamente o retorno do Ganso, contudo após o mesmo vc nada escreveu, pq ?

    Abraços.

    AK: Porque escrevo sobre o fim de semana na segunda-feira. O post estará aqui em breve. Obrigado e um abraço.

  • george

    Até entendo (mas não concordo) com a soberba e a ganância de Corinthians e Flamengo, que por terem maior torcida se acham mais importantes do que os outros (o que não são). Até entendo a Globo querer pagar a mais pra eles em separado.
    Mas daí os dirigentes dos times menores como Botafogo e Coritiba juram que também vão conseguir tirar mais do que o dobro da Rede Globo ou de qualquer outra emissora numa boa? Eles tem certeza?
    É esquema de pirâmide, eles pagarão a mais pro Corínthians e Flamengo e alguns outros, mas quando chegarem nos clubes menores e fora do eixo, a grana vai acabar, simples assim.
    Isso vai dar chabu, com certeza.

  • Teobaldo

    Uma coisa é obvia e, aparentemente, reflete o consenso: Agindo separadamente todos os clubes receberão menos. Se até os torcedores já perceberam esse fato (os mais esclarecidos, naturalmente) é evidente que os dirigentes dos clubes também são conhecedores desta realidade. Baseado no exposto fico à refletir:

    1) Que mistérios ou interesses impelem os dirigentes do futebol brasileiro a agirem a favor de um fato que eles têm plena consciência que será claramente prejudicial aos seus clubes?

    2) Quais justificativas esses dirigentes darão (se é que darão) aos conselhos deliberativos e torcedores de suas agremiações e à opinião pública em geral em relação ao fato de receberem menos?

    Essas são questões para as quais eu não consigo respostas. Alguém poderia ajudar-me?

    Um abraço à todos.

  • Alexandre

    É incrível escutarmos dirigentes argumentando que o que dá visibilidade ao futebol é a transmissão da Globo, quando é exatamente o inverso que acontece. Será que não se dão conta que estão desvalorizando o próprio produto ou é intencional?
    Todos temos um canal preferido, mas o essencial é o jogo, quem faz a transmissão é fator acessório, aliás, nunca vi um torcedor sequer dizer que não vai assistir a um jogo de seu time porque só está sendo televisionado pelo canal B, ao invés do canal A.

    Sobre negociações coletivas, mais um post bastante esclarecedor:

    http://negociosdoesporte.blogosfera.uol.com.br/2011/03/14/venda-individual-faz-espanha-ganhar-menos-com-tv/

  • BASILIO77

    DE PRIMA
    Publicada em 15/03/2011 às 08:33

    Andrés Sanchez usou um são-paulino para atacar Juvenal Juvêncio no Clube dos 13. O presidente do Corinthians só errou ao dizer que a dívida é trabalhista e o valor. O C13 deve R$ 10 milhões à empresa de Jaime Franco, diretor de marketing da entidade de 1997 a 2003 e atualmente na FPF. O montante corresponde a comissões pelo fechamento de contratos que seguiram vigentes mesmo após sua saída.

  • Pingback: Os clubes e os errados de televisãoOsGeraldinos | Blog OsGeraldinos()

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo