CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

NÃO CHUTARÁS

Algo verdadeiramente incrível aconteceu anteontem no Camp Nou. Não, não foi o insano percentual de posse de bola do Barcelona contra o Arsenal. Os 68% são inatingíveis para qualquer outro clube, mas relativamente comuns para os catalães. No jogo de Londres, por exemplo, os visitantes ficaram com a bola durante 61% do tempo. Não custa frisar: isso aconteceu na casa do adversário. Nos 2 x 0 sobre o Rubin Kazan, na fase de grupos, na Espanha, a posse ficou em torno dos 74%.

Também não foi o baixíssimo número de faltas cometidas pelo time que monopoliza o futebol bonito-e-competitivo no mundo atual. Foram apenas 8, contra 19 do Arsenal. Oito faltas numa partida chega a ser ridículo (só Rodrigo Souto fez 5 no último jogo do São Paulo), mas pode deixar o torcedor mais atento meio preocupado com os altos níveis de violência do time. Na já citada vitória sobre o Rubin, o Barcelona cometeu 3 faltas. Isso mesmo, três.

O jogo da terça-feira gorda foi tão unidimensional que um amigo meu achou que sua televisão estava quebrada. Ele acabou de comprar uma LCD widescreen e, ainda inexperiente nas configurações da tela, não entendeu por que via só metade do gramado. O Barcelona encaixotou seu adversário entre a linha do meio-campo e a linha de fundo. O Arsenal ficou como um lutador de boxe no corner, cabeça entre as luvas, apanhando.

Tudo bem que tentar tomar a bola do Barcelona não é um sinal de inteligência. O Arsenal não foi o primeiro e não será o último time a se fechar e apostar na saída rápida, especialmente com o empate como aliado. Só que se você não freqüentar o campo de ataque, qual é o ponto de sair do vestiário? Mas isso também não é incrível. Na verdade, é usual.

Verdadeiramente incrível foi o que se viu pela primeira vez na Liga dos Campeões da Uefa. Pelo menos, desde que uma empresa inglesa chamada Opta passou a registrar as estatísticas de todos os jogos do torneio, em 2003. O Arsenal foi o único time a sair de campo sem dar um chute a gol. Um único chute. Veja, não estamos falando de chutes que acertem o alvo. Estamos falando de qualquer chute que possa ser qualificado, ainda que com boa vontade, como “na direção do gol”. Sabe aquela batida que espana e passa perto da bandeira de escanteio? Nem isso.

No segundo jogo das semifinais do ano passado, a Internazionale de Milão deu um chute ao gol do Barcelona. O Panathinaikos, na fase de grupos, também deu um. O Zaragoza, pela última rodada da Liga Espanhola, não viu a bola (ela ficou com o Barcelona por 80,39% do tempo), mas tentou três chutes. O Arsenal, nenhum.

Se lembrarmos que o gol inglês foi contra, podemos dizer que o Barcelona superou o Arsenal até nas conclusões ao próprio gol. Provavelmente nunca vimos algo assim.



  • Emanuel

    André, olhando friamente pros números, uma coisa puxa a outra: um time sem posse de bola não tem como receber faltas, muito menos chutar no gol. É a conseqüência fria dos números. Mas o Barcelona, definitivamente, não faz matemática, faz matemágica. Abraços.

  • Sandro

    E, além disso, o único “chute a gol” do Arsenal foi o motivo da expulsão de Van Persie.
    Abraço.

  • Rodolfo

    André seria exagero afirmar que este time do Barcelona é o MELHOR TIME da história do futebol?

    AK: Sim. Essa honra pertence à Seleção Brasileira de 1970. Um abraço.

  • Alex

    pra vermos como o futebol está por baixo. O Barça é um timaço, mas o resto……é resto mesmo…. talvez o Santos consiga chegar mais ou menos perto.

  • Willian Ifanger

    O que eu acho impressionante é o preparo físico dos jogadores. Incrível como o time joga compacto demais. Sempre quando alguém tem a bola e é pressionado, tem 2 ou 3 opções pra tocar.

    Lógico que amanhã pode ter uma jornada infeliz e ser eliminado…..o tipo de competição infelizmente comete injustiças….mas sei lá se esse time precisa ganhar alguma coisa mais.

    Aliás como dói você ficar com esse jogo em mente por um bom tempo e ter que ver ontem o jogo do Morumbi de qualidade técnica sofrível. O futebol brasileiro está precisando de dinheiro e uma reciclada…..urgente.

    Só uma questão…..se um dia o Guardiola sair do comando, será que o Barcelona continua tendo o mesmo tipo de comportamento? Um Mourinho faria isso?

    AK: Se o técnico for alguém que comungue da filosofia de futebol do clube (dizem que pode ser o Luiz Enrique), não há motivo para crer que o comportamento do time mudará. Um abraço.

  • BASILIO77

    Um defeito desse time do Barça é não ter um plano B.
    E isso pode ser necessário quando se disputa um mata-mata. Veja, que nesse jogo contra o Arsenal, mesmo com toda a estatística favorável, o jogo foi longe de ser “tranquilo” pro Barça. Ou seja, num dia de azar…tudo pode vir a perder.

    Não sei porque isso me lembra Sarriá…

    Sem querer fazer nenhum tipo de comparação e seguindo a linha do W.Ifanger que pede uma reciclagem do futebol, enquanto assistia ao jogo do meu time contra o ferrolho da Ponte Preta, fiquei pensando no que se pode fazer quando seu jogo estilo de jogo “normal” não dá resultado?
    É preciso ter um plano B.

    Um time como o Barça e como uma seleção brasileira TEM QUE TER UM PLANO B.
    Afinal, dinheiro ao barça e ‘convocáveis” para a seleção brasileira não faltam.
    E uma alternativa é sempre a jogada aérea, por exemplo…ou ter no elenco um exímio cobrador de faltas.
    Me espanta como é raro ver no banco de reservas, seja lá de que equipe for, um “especialista” no cabeceio. Com estatura e impulsão de jogador de volei. Porque não?
    Ou quem sabe então, aos 35 do segundo tempo, precisando de vitoria, entra um gordinho que é excelente cobrador de falta???
    Isso é comum em outros esportes. Ter um especialista para que seja usado em uma determinada situação, em uma determinada partida.

    Não sei…parece que falta humildade aos treinadores de reconhecer que o estilo de jogo “normal” de uma equipe foi anulado e será preciso alterá-lo…e ficam naquela de “eles é que tem que se preocupar em parar com o nosso jogo”…
    O problema é que as vezes eles param…e isso pode ser num jogo decisivo.
    Parece que os treinadores querem mais a vitoria do seu “estilo de jogo” do que a vitoria do clube que ele defende…ou deveria defender prioritáriamente.

    Abraço.

  • Lucas

    Assino embaixo o seu texto. Triste, porém, foi ver no Bate Bola após o jogo, que por sinal é um dos programas que eu mais gosto na TV, os seus amigos da ESPN ficarem durante mais de uma hora esculhambando o árbitro por causa da expulsão do Van Persie ao invés de exaltar o jogo. Embora eu também tenha achado rigorosa a expulsão, o juiz simplesmente aplicou a regra. Como você disse no seu texto, foi algo verdadeiramente incrível o que o Barcelona fez, e seus colegas, em especial o Trajano, preferiram ficar falando da arbitragem, como se o Barcelona precissade disse. Volto a dizer, também acho que o juiz foi rigoroso e poderia ter deixado o lance passar batido. Mas no lance, o pior de todos não é o árbitro e sim o jogador que com toda sua experiência, finge de “égua” e faz uma irresponsabilidade daquela sabendo que já tinha um cartão amarelo. Isso ninguém da mesa comentou. Não vi nenhum deles falar mal do irresponsável do van Persie. Só mesmo o seu pai no seu blog falou da forma que eu penso. E que não me venham dizer que ele não ouviu o apito pois se vocÊ reparar no lance, os zagueiros e o goleiro já estão parados. Se ele não ouviu o apito, ele tá com um sério problema auditivo já que todos os outros jogadores ouviram. Abraço.

  • eduardo pieroni

    Boa André, a que eu vi e sem duvida alguma o melhor time do mundo seleção brasileria de 1982, pena que não ganhou.

  • JOrge

    André, como todo respeito, mas este time do Barça é bem melhor que aquele Brasil de 70. Marca tantos gols quanto, mas não leva quase nenhum, aliás, nem deixa o outro time tocar na bola. Aliás, comparar um time que leva três anos fazendo mágica com uma seleção que jogou de forma brilhante por um mês não me parece justo.

    AK: Assim como não parece justo comparar as condições de entrosamento que existem num clube e numa seleção. E como também não parece justo comparar equipes de épocas diferentes. Agora, veja os nomes que faziam parte da Seleção de 70 e o que eles representam para a História do futebol. Um abraço.

  • Lucas

    André, você disse que é exagero dizer que esse time é o melhor da história já que na sua opinião, a seleção de 70 ocupa este posto. Mas comparando com time de clubes, você acha que podemos afirmar que esse time é o melhor da história? Eu que tenho 28 anos nunca vi outro igual. Abraço

    AK: Falando em clubes, como já escrevi, é o melhor time que eu vi. Um abraço.

  • JOrge

    Perdão, André, mas que comparou o Barça com o Brasil 70 foi você, não eu, em resposta ao Rodolfo. Veja que ele te perguntou se este Barça era o melhor time da história, e foi você que concedeu esta honra a nossa seleção de 70, sabendo de todos os poréns que isto supõe, como você mesmo frisou. Não se pode considerar o melhor time da história uma seleção de um mês, por mais craques que ela tenha. É muito, mas infinitamente muito mais fácil jogar bem um mês do que por três anos. Além disso, existe outra tremenda injustiça em comparar seleções com clubes, quando a seleção supõe os melhores jogadores de um país, convocações que podem ao longo do tempo testar 50, 60 jogadores. E, apesar de tudo, vi todos os jogos da copa do mundo de 70, e, na boa, este time do Barça é bem superior àquela seleção, sem negar sua enorme qualidade. Obrigado.

    AK: Não fiz comparação entre os times. Acho impossível fazê-la.  A Seleção Brasileira de 70 é comumente, dentro e fora do Brasil, citada como o máximo quando o assunto é times de futebol. Tinha vários jogadores geniais atuando juntos… é até meio constrangedor ficar repetindo o óbvio. Evidente que você não tem obrigação de concordar. Um abraço.

  • Carlos Nazario

    Oi André,

    O incrível é que no Brasil o Barcelona na opinião do público que gosta de futebol é visto como um time de toque de bola e pouco objetivo. Não importa se joga um futebol moderno e foi a base da seleção espanhola que ganhou a última Copa e a penúltima Liga dos Campeões. O que vc acha desta cegueira por parte da torcida brasileira … será que no Brasil os técnicos estão entendendo como joga o Barcelona.

    Abraços

    Carlos Nazario

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo