GRÊMIO DERROTADO NA COLÔMBIA



Carlos Alberto fez o suficiente para ser expulso no primeiro tempo do jogo contra o Junior Barranquila (2 x 1 no Grêmio: Borges, Hernández e Viáfara).

Se, pouco antes do jogo, o árbitro mexicano Marco Rodríguez tivesse recebido um sms com a informação de que sua mulher tinha feito novo gasto no cartão de crédito, o meia brasileiro teria visto o cartão vermelho.

O que comprova, como se fosse necessário, que os declarados planos de Renato Gaúcho para “consertar Carlos Alberto” não serão executados com facilidade.

Não se deve colocar, porém, a primeira derrota brasileira na Libertadores 2011 somente na conta do jogador. O Grêmio melhorou a partir dos 35 minutos, quando Renato percebeu que ficaria com 10 homens se não fizesse a substituição.

Quando ouvimos técnicos/jogadores dizerem que o jogo “foi decidido no detalhe”, muitas vezes ficamos com a impressão de que o gol vencedor surgiu em uma única falha.

Junior x Grêmio não foi assim. Mas foi o tipo de jogo em que o resultado e o que se viu não necessariamente se encaixam.

Logo depois que Rodolfo quase fez um gol de antes do meio de campo (a bola tinha força e direção, encobriu o goleiro, quicou e subiu demais), a defesa gremista falhou e permitiu o segundo gol.

O árbitro não marcou um pênalti em Borges. Não foi a primeira vez que um pênalti para o visitante foi ignorado na Copa Libertadores.



  • kappen

    Olá, André

    Decepcionado com meu time que me fez ficar até as duas da manhã com os fones no ouvido.

    Mais triste do que isso só um estádio onde o vestiário do visitante está em reforma, não havendo nem chuveiros para um banho.

    Ou será que pior mesmo é o apedrejamento do ônibus do time visitante?

    AK: Também são coisas comuns na Libertadores. Um abraço.

  • Marcelo

    André, aproveitando sua frase “a primeira derrota brasileira na Libertadores 2011” te pergunto: o Corinthians jogou ou não a Libertadores-11? Era uma pré-competição ou já fazia parte do torneio?

    Digo isso porque, como corintiano, ouço toda hora que meu time “nem conseguiu jogar a Libertadores…” E, se jogou, a derrota do Grêmio foi a segunda, não a primeira…

    Abraços!

    AK: Dizer que o Corinthians jogou a Libertadores 2011 é o mesmo que dizer que as eliminatórias fazem parte da Copa do Mundo. Um abraço.

  • Anderson Cardoso

    Na minha opinião as partidas preliminares deveriam ser consideradas como partidas da Libertadores. Para mim, as equipes eliminadas nas preliminares disputaram a Libertadores 2011, pelo menos duas partidas. Não sei se conta, mas se os gols das preliminares contarem na tabela de artilharia, significaria um bom argumento para considerar as equipes eliminadas como participantes da edição de 2011 do torneio.

  • Sancho

    Hahahahahha! Fina ironia. O Oriente Petrolero reclamou da penalidade mal marcada em Porto Alegre.

    Porém, em defesa do árbitro Liber Prudente, o pênalti em favor do Grêmio foi cavado, e ele foi enganado. Como o jogador Boliviano TENTOU fazer o pênalti, o apitador uruguaio foi VÍTIMA. Continua NÃO sendo falta, mas na hora pareceu.

    O Grêmio jogou abaixo do que pode, por isso perdeu. Douglas estava naquelas noites perdidas, e não havia quem dividisse com ele a articulação. Como não conseguia manter a bola, o Junior pode atacar, e acabou vencendo. O Grêmio ainda se sente pouco à vontade longe do Olímpico…

    Abraço.

    P.S.: As Eliminatórias fazem parte da Copa do Mundo; por isso até são Eliminatórias (em que as seleções são eliminadas da Copa do Mundo), e não Qualificatórias. Apesar de eu estar de acordo contigo, Kfouri. Falei, mesmo, só para incomodar.

    P.P.S.: Falando em Eliminatórias, já não passou da hora da Conmebol tranformá-la na Liga Sul-Americana de Nações?! Poderia dar um troféu para o campeão, o Brasil poderia participar mesmo sendo sede da Copa de 2014, haveria ainda um maior interesse no torneio…

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo