CRUZEIRO TOTAL (e o jornalista candidato)



Os times eram bem diferentes e não pretendo fazer nenhum tipo de comparação.

Mas quando Cuca foi técnico do Botafogo (2006-2008), sua equipe mostrava uma certa desobediência tática que se repete, agora, no Cruzeiro.

Digo desobediência no melhor sentido, mesmo porque esses fenômenos só são possíveis com muito treino e disciplina.

Não consegui ver, inteira, a segunda goleada (4 x 0 no Guaraní: Wallyson-2, Farías e Thiago Ribeiro) do Cruzeiro na Libertadores. Mas vi os dois laterais no ataque ao mesmo tempo.

E achei que vi, em muitos momentos, três atacantes. Ainda que sejam apenas dois (Wallyson e Wellington Paulista) na escalação. Devo ter visto mesmo, porque o meu camarada PVC, de vasto conhecimento tático, também viu.

O Cruzeiro marcou 9 gols e não levou nenhum, contra Estudiantes e Guaraní. Cuca não está satisfeito, porque tal estado de espírito não existe na realidade dos treinadores.

Ou porque ele acredita que o time ainda vai mostrar mais futebol. Tomara.

______

Grant Wahl é um jornalista americano, da revista Sports Illustrated, que quer ser presidente da Fifa.

Ele tem motivos, ótimas ideias e, naturalmente, nenhuma chance de se eleger.

Escreverei mais sobre ele amanhã, no Lance!.

Aqui, a entrevista que Rodrigo Bueno fez com ele, na Folha de S. Paulo de hoje.

Aqui, a coluna (em inglês) em que Wahl anuncia sua candidatura.

Só por ser a favor da tecnologia na arbitragem, e contra amarelar jogadores que erguem a camisa na comemoração de gols, ele já teria o meu voto.



MaisRecentes

Cognição



Continue Lendo

Sete dias



Continue Lendo

Em voo



Continue Lendo