CLUBE DOS ?



Em comunicado conjunto, os quatro clubes grandes do Rio de Janeiro anunciam que negociarão diretamente com emissoras de TV interessadas.

A informação é do site da ESPN Brasil.

O texto, assinado pelos quatro presidentes:

Comunicado Oficial
Nota Oficial 23 / 02 / 2011 – 10:18
Os Presidentes do Botafogo de Futebol e Regatas, do Fluminense Football Club, do Clube de Regatas Flamengo e do Club de Regatas Vasco da Gama reuniram-se em 22/02/2011 para discutir os aspectos relacionados á concorrência, encaminhada pelo Clube dos 13, com o propósito de aquisição de direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro de futebol profissional.

Como resultado, restou decidido que os clubes adotarão posição conjunta, diante da questão em causa, tendo como fundamento principal a defesa intransigente dos interesses do futebol do Rio de Janeiro e, ainda, a satisfação dos interesses maiores do futebol brasileiro em geral.

Foram, em conseqüência, fixadas, pelos quatro clubes, as seguintes preliminares:

– Não reconhecer como adequada a forma pela qual, até aqui, o Clube dos 13 conduziu, perante seus associados, o projeto para o novo contrato de transmissão;

– Os clubes, em conseqüência, manifestam-se desobrigados, diante do Clube dos 13, dispondo-se os mesmos a tratar, diretamente com as empresas interessadas, todos os aspectos comerciais referentes aos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro.

Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de 2011.

Mauricio Assumpção
Botafogo de Futebol e Regatas
Presidente

Peter Siemsen
Fluminense Football Club
Presidente

Patrícia Amorim
Clube de Regatas Flamengo
Presidente

Carlos Roberto Dinamite de Oliveira
Club de Regatas Vasco da Gama
Presidente



  • Mauro Domingos

    ‘Aqui jaz o Clube dos 13’. Acabou.
    André, sempre entendi a posição do CADE na questão da clausula de preferência, que impedia uma concorrência leal. Mas o futebol não é ‘equiparado’ a uma empresa privada, no sentido de negociar e vender o ‘produto’ pra quem quiser?

  • Nilton

    Seria interessante saber se os contratos assinados pelos 4 grande do RJ vão obedecer o CADE, e na atual situação financeiras deles como iram pagar as multas se ferirem as recomendação do CADE.

  • Dan

    A soberba do futebol carioca que fez sua decadência desde os anos 90. Depois de um pouco de humildade, renascem, ganham dois brasileiros e volta a soberba… Que se afundem sozinhos então, já que se acham melhores que o resto do país. Braços dados com a carioca Globo que não está nem aí para os clubes e torcedores, nos anos 80 os horarios eram 20:30 na Bandeirantes. Depois foi para 21:30 na Globo. De dez em dez minutos chegamos no horario absurdo de 22:00. Ah é, ninguém no RJ acorda cedo para trabalhar no dia seguinte, nem jogadores, nem torcida…

  • Teobaldo

    O Clube dos Treze é uma associação que oficialmete representa os clubes que a ela são associados. Neste caso, do ponto de vista legal (de um ignorante da lei, reconheço) qualquer contrato assinado pela tal associação deverá (deveria) ser cumprido integralmente por seus membros. Partindo dessa premissa entendo que ANTES de negociarem contratos de quaisquer natureza, os clubes insatisfeitos devem SAIR do Clube dos Treze. Pelo teor do texto postado, em nenhum momento os clubes do Rio de Janeiro abandonam a associação. Logo, no meu entendimento, essa pressão é inóqua e o Clube dos Treze continua representando, oficialmente, todos os clubes que dele fazem parte. Caso meu entendimento não esteja correto, gostaria que algum blogueiro prestasse outros esclarecimentos. Um abraço.

  • BASILIO77

    A cobertura da mídia, em especial a ESPN, tem colocado isso apenas como uma briga política…quando se trata de uma questão TÉCNICA. Matemática. Financeira.
    Uma questão facilmente mensurável e, com um minimo de bonsenso, resolvida.
    Mas isso implicaria em mudanças nas divisões dos valores envolvidos…para SCCP e Flamengo ganharem mais, alguém terá de ganhar menos. Há anos que a divisão me parece desigual…sob o ponto de vista quantitavivo e qualitativo da audiencia e exposição das “marcas”.
    Sanchez tá coberto de razão nessa briga.
    Há anos que o tubarão tem dividido a comida com as rêmoras.
    Tubarão é tubarão. Rêmora é rêmora.
    Abraço.

  • Willian Ifanger

    André, você acha que desse racha pode ser criada uma nova Liga de Futebol? Por exemplo, aqueles que querem sair do Clube dos 13, continuarem disputando o Brasileirão (já que apoiam o que quer a CBF) e o que sobrar do Clube dos 13 criar uma Liga Independente?

  • Alexandre Reis

    É brincadeira, agora o Koff e o C13 viraram santos.

    Já ta acontecendo tarde demais isso ai.

    Só espero que seja seguido pelos outros grandes e que seja o inicio de algo melhor.

    Abs

  • raphael carrieri

    andre,
    gostaria de saber dos integrantes do progarama se esse racha pode gerar uma paralizaçao, cancelamnte ou ate greve no campeonato como as que ocorrem eventualmente nas ligas americanas e a exemplo das que estao parar ocorrer na nba e nfl

  • anderson

    É mesmo, tubarão é tubarão e sequer joga a libertadores… enquanto as mesmas rêmoras disputam o título do brasileiro e honram o futebol brasileiro na libertadores a vários anos…
    As rêmoras(pff…), e aí entenda-se como Cruzeiro, Grêmio, Inter, Santos e São Paulo, ganham muito menos em direitos de TV do que essas duas quadrilhas denominadas Corinthians e Flamengo, porém mesmo assim alcançam resultados muito melhores. MASSS estamos no brasil… o mérito esportivo… “meu curíntia e meu framengo são maior por que agente temos mais torcida, agente não ganhamo nada mas ganhamo dinhero mermo assim” e viva o brasil

  • Leandro Azevedo

    O Corinthians tambem entregou oficialmente agora a pouco o documento se desligando do C13.

    De acordo com o estatuto do torcedor, uma partida nao pode ser transmitida a nao ser que um acordo comum esteja em vigencia.

    Agora fica a pergunta: Com os clubes fazendo contratos individuais (ou em bloco como no RJ), como uma partida vai ser transmitida entre o clube X que tenha um acordo com a Globo e Y que decidiu fazer com a Record? E se X ainda tiver um outro acordo com o SporTV e Y com a ESPN, como fica esse engodo?

    Tem como responder Andre, ou vamos ter que esperar as cenas dos proximos capitulos?

    Abs

  • Waldemiro Junior

    O que o C13 tem a ver com a Taça das Bolinhas?
    O que a Taça tem a ver com a Globo?
    O que a Globo tem a ver com o C13?
    Quem acompanha os fatos sabe que tudo tem conexão.
    O presidente do corinthians, uma figura polêmica e questionada, se aproxima da cbf, ganha o comando da seleção na Copa e é badalado pela Globo.
    Vira de lado, e apoia o candidato de cbf dentro do clube dos 13, que representa exclusivamente os interesses dos clubes.
    A cbf, aliada da Globo, queria a vitória do seu candidato que privilegiaria a emissora aliada na continuidade dos direitos de transmissão do campeonato brasileiro.
    O candidato da globo/cbf é derrotado pelo candidato do clube dos 13, com apoio ostensivo de Flamengo e São Paulo, que querem independência do Clube dos Treze (que até então obedecia aos caprichos de Ricardo Texeira), inclusive na negociação dos direitos de tv.
    O São Paulo perde a indicação do Morumbi para a Copa, o estádio mais pronto de todos e com o projeto mais consistente para a reforma e adequação, entre todos.
    O Corinthians, sem apresentar um projeto, sem estádio e sequer com uma proposta no papel, “ganha” a indicação de seu estádio virtual para a Copa, ungido de todas as confianças pelo chefe da organização da Copa, o mesmo Ricardo Teixeira.
    A cbf que havia declarado que pretendia entregar a famosa taça das bolinhas para o São Paulo esfria o assunto e declara o Sport como único campeão de 87.
    O corinthians ganha espaço crescente na rede globo, inclusive se transmite em horário nobre a despedida de Ronaldo, num “mea culpa”, tirando o peso das pressões de seu presidente pela eliminação precoce e vergonhosa da Libertadores.
    O Flamengo passa a ter parceria com a Traffic que, parceira da cbf, ajuda o clube a repatriar o caro Ronaldinho.
    Neste interim a Caixa Economica Federal , que deseja se desonerar da posse do troféu, a referida taça das bolinhas que criou, toma a iniciativa de entregá-lo ao São Paulo, por respeito à uma decisão judicial que declarou o Sport campeão daquele ano.
    O Flamengo, que já se reaproximava da cbf, por intermédio da Traffic, esperneia mas de repente silencia.
    Os rumores de que o Flamengo vai romper com o clube dos 13 e seguir o caminho do Corinthians, ou seja, se aproximar da cbf/globo, são fortes, inclusive rachando o acordo para negociar, em conjunto com os demais clubes, os direitos de transmissão por tv com todas as emissoras.
    Em uma bela manhã deste quente mês de fevereiro, mas antes ainda do carnaval, que este ano acontece em março, a cbf se reune com o Flamengo e anuncia o que demorou 24 anos para fazer, voltando atrás em outra declaração oficial que dava o Sport como exclusivo campeão de 1987, e reparte aquele título com o clube carioca, criando uma situação inusitada, dois campeões num mesmo ano.
    Ah, antes disso, numa canetada, a mesma cbf distribui reconhecimento de títulos a vários clubes, equiparando torneios a competições nacionais e outras cositas más, um pacote generosidades que afronta a credibilidade das próprias competições que administra.
    Corre boatos que o Clube dos 13 resta enfraquecido, ele que pretendia a união de clubes, especialmente para criar a Liga Nacional de Clubes e gerenciar a competição nacional, perdendo aliados para a neosimpática CBF, que temia justamente a perda deste poder.
    Melancólico futebol brasileiro.
    O futebol brasileiro continua sendo a casa da sogra, digo, do sogro.

  • BLOG DO ERICH BETING:

    O direito de arena ainda salva o futebol brasileiro

    Em meio a toda polêmica sobre a permanência ou não de Corinthians e Flamengo no Clube dos 13, a salvação para toda a briga é a regulamentação do Direito de Arena para o esporte brasileiro. Tentando simplificar o que representa esse direito, é ele quem de fato regulamenta a venda dos direitos de transmissão de qualquer evento esportivo no Brasil.

    Por aqui, quem participa de uma competição esportiva detém os direitos sobre o evento. Ou seja, quando dois clubes jogam um contra o outro, ou então cinco atletas participam de uma corrida, todos têm de estar de acordo que aquele evento seja exibido pela televisão. Isso garante que, no caso do futebol, seja obrigatória a venda coletiva dos direitos de transmissão de um torneio. Afinal, se um clube se opuser ao acordo, todo jogo que ele participar não poderá ser mostrado pelas emissoras de TV. Por conta disso, uma negociação individual para a transmissão dos jogos não acontece no Brasil.

    Ainda bem!

    Nos últimos anos, o futebol europeu foi recomendado pela União Europeia a adotar a venda coletiva de direitos de transmissão. Em meio à discussão sobre monopólio, abuso de poder econômico, formação de cartel, etc., a UE decidiu que o melhor para os clubes do continente era justamente “adotar o modelo brasileiro”. Sim, é isso mesmo. Sem querer, o Brasil acabou virando exemplo para o futebol europeu fora das quatro linhas!

    Por lá, até então, o direito de arena é do clube mandante da partida. Isso permite, por exemplo, que Real Madrid e Barcelona façam contratos na casa das centenas de milhões de euros para ceder os direitos de suas partidas em casa, enquanto os demais times conseguem acordos com menos de 10% desse valor. O resultado se vê claramente ao olhar a tabela de um Campeonato Espanhol, por exemplo, cuja disputa se resume aos dois clubes maiores.

    Ao exigir, por lei, que a venda seja coletiva, o sistema brasileiro impede que um clube seja economicamente dominante sobre o outro. É esse o princípio, por exemplo, que dita a regra nas ligas americanas, ainda o melhor modelo a ser olhado e adaptado para a realidade nacional. Só por curiosidade, a NFL, liga de futebol americano, não produziu, em sua história, um tricampeão seguido. Sempre há rotatividade entre os campeões, o que significa que todo torcedor pode sonhar em ver seu time vencer e, assim, consumir mais o produto futebol americano.

    Enquanto uma liga com esses princípios de igualdade e pensamento no negócio não aparece em brasileiras, resguardemos o direito de arena. Só ele é capaz de evitar o egoísmo mesquinho e a politicagem vazia dos dirigentes que podem colocar, no longo prazo, o futebol num patamar desesperador de desequilíbrio financeiro que resulta em desinteresse do torcedor economicamente alijado da disputa por títulos.

    O brasileiro adora se gabar de que tem o campeonato de futebol “mais equilibrado do mundo”. Para isso continuar a acontecer, é preciso repensar o modelo que agora tenta se criar.

    Ou, então, garantir que ainda exista o direito de arena igualitário para os clubes. É ele quem impede, no atual momento, uma debandada geral que só enfraqueceria o futebol como negócio. Como falei aqui outro dia, os dirigentes têm de parar de enxergar o time rival como concorrente fora de campo e tratar de pensar coletivamente para ganhar mais.

    Deixa a decisão do campeonato para dentro de campo. É mais legal. E muito mais honesto com o torcedor.

    AK: Obrigado. Na próxima, mande o link, ok? Um abraço.

  • Gabriel

    André, você não acha que o Corinthians está certo em rachar com o clube dos 13?Eu acho, pois não é justo o Timão receber o mesmo que clubes de menor expressão.Quem sustenta a audiencia no sudeste, região que realmente importa(em termos financeiros), é o Corinthians,por isso ele tem o direito de buscar o que for melhor pra ele.Estudos no ano passado mostraram que a sua marcar é a mais valiosa do país, do mesmo jeito que possui o maior valor em patrocínio de camisa, deve receber mais da televisão.Seria até uma compensação para toda polêmica e pressão que sofre da imprensa, algo que influencia diretamente no desempenho de seus jogadores.

  • Cesar

    PERFEITO, BASÍLIO77!

    “Tubarão é tubarão, rêmora é rêmora”

    Sou flamenguista, mas achei louvável a iniciativa do Andrés, de dar um basta a essa pouca vergonha chamada C13, captneada nada mais, nada menos que por Fábio Koff e Juvenal Juvêncio, dois indivíduos com caráter daquele tipo dos quais eu jamais compraria um carro usado.

    Basta de clubes gigantes sustentarem clubes menores! Basta de cotas de TV de Flamengo e Corinthians serem “iguais” às cotas de São Paulo, Vasco, Palmeiras, Santos! Clube maior recebe cota maior, clube menor recebe cota menor, e cada um que tenha competência para obter seus rendimentos, e não ficar vivendo às custas dos clubes maiores para obterem mais dinheiro, como se fosse um Bolsa Família das cotas de TV. O que pregam Flamengo e Corinthians é que cada um que receba um valor proporcional a sua importância, o que é o correto.

    Que seja feita uma divisão justa daqui p/ frente, e não apenas política como era na época da pouca vergonha chamada Clube dos 13.

  • Cesar

    Hummmmm, sei não…. Isso tá me cheirando virada de mesa, campeonato novo com clubes convidados, sem rebaixamento (do jeito que os grandes gostam), fim dos pontos corridos…..
    Vamos esperar.

    Abraço.

  • Willian Ifanger

    Por favor, definam, “CLUBE MAIOR” e “CLUBE MENOR”….se o argumento principal for torcida, a gente para por aqui mesmo.

  • Paula

    Engraçado um monte de gente criticar a GLOBO sobre as transmissões seguindo seus interesses e os clubes quererem exatamente isso: pensar apenas em si.

  • Lokoflu

    Que bobagem é essa Teobaldo?! Esse horário é horroroso pra todo mundo com exceção da Globo, que o mantêm para passar suas ridículas novelas. Ou você acha que alguém aqui no Rio gosta de estar saindo do estádio depois da meia noite?

  • Edouard Dardenne

    Aos melindrados, quero só assinalar que torcida maior induz presunção de audiência maior. A Globo não transmite 100% dos jogos do Corinthians fora de casa por outro motivo senão por causa da maior audiência. E quem dá mais audiência tem que ganhar mais dinheiro mesmo. Foi só isso que o Basílio quis dizer. Um abraço.

  • Gabriel

    Willian Ifanger , a melhor definição de clube grande na minha opinião é: A capacidade de influenciar e mecher com a opinião publica.Depois vem torcida, tradição, exposição, valor de sua marca,títulos.Alias,quanta ignorancia senhor anderson, o Corinthians não se tornará maior ou menor ganhando a Libertadores.E mais uma vez digo:Andres está certo em rachar com o clube dos 13.Não é justo o Corinthians receber o mesmo que clubes menores.E nessa história não tem santo…Muito menos a Record,pois sabemos muito bem de onde vem todo esse dinheiro

  • O golpe já está dado, Ricardo Teixeira venceu mais uma batalha.

  • ALEX

    Um campeonato para ser interessante precisar ser tecnicamente equilibrado. Do jeito que estão conduzindo o futebol brasileiro, daqui uns anos teremos uma disputa entre Flamengo e Corinthians para saber quem leva o título.
    Sugiro a todos que observem como os americanos administram o maior campeonato deles, a NFL.
    Enquanto os interesses dos clubes estiverem acima dos interesses do campeonato, continuaremos longe do primeiro mundo. Só nossos competentes cartolas continuarão com os bolsos cheios e rindo do torcedor sofrendo nas “modernas” instalações de nossos estádios.

  • Leandro Azevedo

    Agora sera que os torcedores do Corinthians reclamaram quando passaram um ano na Serie-B, recebendo cota de Serie-A como acontece com os times que fazem parte do clube dos 13?

    Sejamos realistas, isso eh pura politicagem e nada tem a ver com tentar ganhar uma cota maior… voces acham que o Flamengo ia entrar numa de negociar direitos juntos a Botafogo, Fluminense e Vasco com os outros 3 aceitando ganhar menos? Inocencia tem limite.

  • Márcio

    O certo disso tudo é o que o cheiro dessas negociatas não é nada bom…………

  • Willian Ifanger

    Bom, pelo visto, agora o time se torna GRANDE quando ultrapassa uma certa quantidade de torcedores ou quando atinge um certo nível de audiência. É cada uma…o IBOPE é quem classifica a grandeza do clube. Mas não é essa a discussão.

    O que se faz há muito tempo e o que querem piorar é o abismo entre os clubes. Parece que querem transformar o Campeonato Brasileiro numa espécie de Campeonato Espanhol.

    Pra mim a cota da TV deveria ser divida igualmente entre todos os participantes das respectivas séries. É democrático e dá chances de clubes marginalizados terem dinheiro também para montarem elencos fortes. Com isso o Campeonato tende a fica melhor e se auto-valorizar. Até deveria ser exigido que parte desse dinheiro fosse utilizado em infra-estrutura para melhor atender aos torcedores e dar melhores condições pros jogadores se apresentarem em campo.

    “Ahhhhhhh…..mas Flamengo e Corinthians atraem mais público, dão mais audiência e deveriam receber mais por isso”.

    Eu também concordo com isso. Mas não receber mais da TV. E é aí que está a grande questão. Esses clubes deveriam ARRECADAR mais. Só que arrecadar depende do trabalho das diretorias e é aí que todos os clubes pecam vergonhosamente.

    Corinthians e Flamengo atraem mais público, alavancam a audiência, etc…então deveriam ter contratos com parceiros muito melhores. A empresa que se associar à marca do clube deveria pagar muito mais, lógico. Mas isso depende exclusivamente do trabalho das diretorias.

    Deveriam se preocupar em arrecadar com a presença de torcedores nos jogos, arrecadar com produtos licenciados, afinal são clubes que tem maior torcida e, consequentemente, um maior volume de consumidores.

    Veja bem, esse dinheiro da TV é bom, mas comparado com o de outras Ligas, é ridículo. E não é isso que mantém os clubes durante o ano. E já estava mais que na hora de abrir concorrência. A detentora dos direitos estava confortável, investindo pouco e faturando muito. E o os clubes recebendo migalhas.

    E no fundo eu gostaria mesmo que houvesse um rompimento. Ver se disso surge algo novo, uma nova mentalidade, sei lá.

  • mauro alvim

    O cara( Dan) chamou os cariocas( todos)de vagabundos e teve seu comentário aceito. Por conta deste comentário eu o chamei de , mas não fui publicado. Gostaria, caro Andre, de uma outra chance.

    AK: Não tenho tempo, e nem vontade, de ficar editando comentários (como fiz com esse). Tenho certeza de que você consegue expressar sua opinião de outra forma. Um abraço.

  • Rita

    O Juca resumiu com louvor:
    http://blogdojuca.uol.com.br/2011/02/11-esclarecimentos/

    Engraçado que a galera que exige que o clube receba mais por ser maior, deveria exigir também boa administração da grana a maior para fazer do clube verdadeiramente maior, sob todos os aspectos.

    Por que não dividir de maneira menos polarizada?
    Por que não, esses bravos dirigentes (os quais lutam tão somente pelos seus clubes, sem quaisquer outros interesses) exigem da CBF sua contribuição financeira para os clubes, pois deles saem os jogadores para Seleção?

    Mais para o “maior”, menos para o “menor”?
    Não que eu acredite numa divisão igualitária, especialmente no futebol brasileiro,
    Mas daí estufar o peito e se orgulhar de defender isso???

  • Angélica

    Quanta empáfia dos “tubarões”!!!
    E ainda repetem exaustivamente que só são-paulino é arrogante.

  • BASILIO77

    Nesses momentos surgem os “socialistas esportivos”….eu si mi divirto.
    Abraço.

  • BASILIO77

    Grande, maior, mais importante…Corinthians.
    Simples assim.
    Infelizmente não dá pra usar esse termo com o Independiente não…
    Abraço.

  • MAURO ALVIM

    Muito bem; vou refazer. O Dan é um cara muito educado, inteligente que não fala cretinices,ou segundo o dicionário AURELIO: Bbobagens, tolice profunda, idiotice, burrice…..
    Confesso que não entendi o pudor em relação a palavra. outro abraço

  • Henrique

    Willian Ifanger, vc falou tudo. Nem todos compreendem.

  • Gabriel

    Willian Ifanger, discordo de você,apesar de concordar que os dirigentes administram muito mal.O Corinthians tem sim o melhores parceiros comparado aos outro times.Tem a camisa mais valiosa(Quarta do mundo),teve a maior arrecadação com bilheteria no ano passado, segunda melhor média de publico(culpa do tamanho do Pacaembu).Por isso,tem o direito de negociar separado e buscar o que for melhor para ele.Qual o problema?dinheiro de Tv tambem é negociar um produto,neste caso,a marca do clube

  • Henrique

    hahahaha
    já tem dirigente de clube maior tendo de botar a arrogância entre as pernas.
    oligofrenias dos próximos capítulos. e ainda tem gente que compra a idéia desses caras.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo