CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

UM A MENOS, UM A ZERO

No momento em que encarnou o holandês Nigel de Jong e mostrou a Karim Benzema como é capaz de levantar o pé, Hernanes comprometeu sua primeira convocação pela “administração MM” e os planos do técnico de conseguir um resultado convincente contra um adversário respeitável.

O adjetivo fica bem para a seleção francesa, por sua história, mas é discreto se a conversa se restringir ao passado recente contra o Brasil. Duas décadas se completarão sem que o amarelo se sobreponha ao azul.

O esotérico Raymond Domenech – e suas convicções astrológicas – não comanda mais o time francês, mas talvez o atacante Guillaume Hoarau esteja certo. Na terça-feira, Hoarau disse que, depois de 98, é possível que a França tenha um “ascendente psicológico sobre o Brasil”.

O jogo no Stade de France não empolgava. Era disputado, às vezes duro. Mas limpo. Aos 38 minutos, Benzema aplicou um rascunho de lençol em Lucas e matou a bola no peito. A sola da chuteira de Hernanes chegou na sequência. Diferentemente de seu colega que apitou a final da Copa da África do Sul, o alemão Wolfgang Stark não precisou pensar no impacto que uma expulsão direta teria no jogo. De Jong ficou em campo, Hernanes não.

Uma vez mais, a postura da Seleção Brasileira era elogiável. O imortal Zinedine Zidane estava presente, mas nas tribunas. Diante dos olhos do algoz de 1998, o Brasil jogava com tranquilidade que, somada à falta de sal do adversário, permitia acreditar no fim do tabu. A defesa só tinha falhado uma vez.

Mas o cartão vermelho de Hernanes facilitou a palestra de Laurent Blanc para seu time no intervalo. Um a mais, estádio cheio… allez les bleus! Demorou só oito minutos. Robinho não conseguiu acompanhar Menez pela direita, o carrinho de Lucas não cortou o cruzamento e Benzema só completou. Treze anos depois, o Stade de France via mais um gol de seu camisa 10 contra o Brasil.

Estreia tímida de Renato Augusto, retorno providencial de Júlio César. O goleiro foi o melhor brasileiro em campo, ao impedir que a segunda derrota seguida da Seleção tivesse um placar maior. Chance para empatar, foram só duas: uma chegada de André Santos pela esquerda e uma bola mal dominada por Hulk, diante do goleiro Lloris.

O resultado incomoda menos pelo que foi e mais pelo que poderia ter sido. Perder para os franceses em Paris, com um jogador a menos durante metade do jogo é chato, e só. Mas com onze contra onze, talvez esse tabu não completasse vinte anos. Claro que a sequência não deve ser colocada na conta do time atual.

Hernanes percebeu o que fez na hora. A expressão em seu rosto foi a de quem tinha noção do estrago. Não no peito de Benzema.



  • Everton

    André,

    Favor corrigir os links para acesso dos blogs doMauro Cezar Pereira e do Paulo Calçade, pois mudaram para:
    http://espn.estadao.com.br/maurocezarpereira
    http://espn.estadao.com.br/paulocalcade

    Abraço

  • Paula

    Uma pena. Torcia por Hernanes mas acho que ele tem poucas chances, depois dessa, no meio de Anderson, Ganso, Sandro, Kaka, quem sabe Lucas, Ramires…. Só se voltar a jogar mais recuado mesmo…

    Até pq ele só foi convocado pq RAmires não foi. Mano parece não gostar muito dele…

  • Daniel Levis – Natal/RN

    É a segunda vez que o Mano Menezes me decepciona com suas substituições. Conservadorismo, por si só, não é um erro. Mas, diante das circunstância dos jogos contra França e Argentina, creio que ele errou na maioria das substituições, inclusive o momento de fazê-las.

    Não gostei nada da atuação da Avenida André Santos. Um jogador que é até razoável (até de razoável pra bom), mas que pensa que é craque. Não creio que seja bom o suficiente para estar na seleção, especialmente por sua fragilidade defensiva. Acho que o Mano não colocou o Marcelo só por conta do incidente da semana de treinamentos em Barcelona. Na próxima convocação deve insistir com o A. Santos e colocar o Marcelo pra jogar uns 15min. Depois disso, acho que o lateral mascarado do Real Madrid ganha a posição.

  • Leonardo atleticano

    André, o Brasil não criou sequer uma chance clara de gol no primeiro tempo, não vi um jogo tão definido assim. Creio que o Mano fez algumas convocações equivocadas e alterações erradas durante o jogo. A turma precisa parar de criticar o Dunga e passar a avaliar seriamente o trabalho do Dunga.
    Durante o jogo, na transmissão que eu vi, a todo momento surgiam críticas ao passado, e muito pouca observação crítica do presente, por enquanto o Mano tudo pode, mas até quando??

  • Erico

    André, Robinho não conseguiu ? Me pareceu que ele parou no meio do caminho, mas que dava pra acompanhar tive a impressão, que tava e na minha modesta opinião, apesar da bela partida da defesa, não pode deixar o Benzema,tocar a bola nas costas do Thiago Silva,tive a impressão que ele só acompanhou a bola, e não se preocupou com esse detelha, o que pensa ?

    Abraços,

    Erico.

  • Leandro Azevedo

    Sem falar na derrota da camisa horrivel do Brasil para a bela camisa Francesa…

    Abs

  • O Hernanes e um craque. Eu ainda nao consigo acreditar q o pe no peito foi proposital. Eu acredito q foi uma grande imprudencia dele levantar o pe daquele jeito, e uma certa falta de nocao por nao retirar o pe na sequencia.

    Acho q Hernanes e fundamental pra selecao e o Mano tem q continuar a convoca-lo. Ele tem credito pelo que tem feito nos clubes, joga com raca e coracao. Merece mais chances.

    Ja o Robinho… ta na hora de alguem acordar e parar de convoca-lo. Ha muito tempo ele nao atua em nivel de selecao.

    Abracos.

  • Nilton

    Leonardo atleticano

    Pelo historico recente da seleção, acredito que o Mano só será questionado se passar muita vergonha na torcida (tipo Manzembe, Tolima ou uma Hondura) ou se for eliminado na Olimpiada com 2 jogadores a mais ou perder a proxima copa do Mundo em pleno Maracanã lotado. Já que não teremos nenhuma competição que realmente vá testar de verdade a seleção até a 2014.

    P.S. sempre pode aparecer uma manicure, ou a Receita Federal também.

    E você AK o que acha que tem que ocorrer para temos uma visão mais criticas sobre o trabalho do Mano.

  • Gostei do seu olhar sobre o acontecimento.

    Mas acho que o Hernanes, mesmo com esse revés, ainda será convocado pelo MM. Não há o que discutir sobre sua capacidade técnica.

    Alberto Helena Jr. também ponderou que o Hernanes deveria ser convocado para jogar em sua posição de origem, e não na posição que vem ocupando na Lazio. Lá, historicamente, os jogadores brasileiros, devidas as caracteristicas do futebol italiano, jogam mais adiantados. Deu o exemplo do Dunga para ilustrar essa situação. Eu concordo com ele. E você?

    Abs!

    AK: Também o acho bom jogador. Não acredito que tenha se queimado. Um abraço.

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo