JOGOS E PALAVRAS



O que você achou quando ouviu/leu a declaração de Luiz Felipe Scolari (“eu gostaria até de perder esse jogo”), sexta-feira passada, sobre o risco de Tite ser demitido conforme o resultado de Palmeiras x Corinthians?

Respondo primeiro: lembro de ter ficado surpreso pela originalidade da frase, e de ter aplaudido internamente a manifestação do técnico do Palmeiras.

As palavras foram tão claras, num contexto tão fácil de entender, que não me passou pela cabeça que poderiam ser mal interpretadas.

O destaque dado a elas na imprensa (mesmo que não se tenha repercutido que Scolari disse a mesma coisa a respeito de Fernando Diniz, demitido no dia anterior pelo Paulista) confirma que, felizmente, não foram. Fernando Fernandes, repórter da TV Bandeirantes, quis ouvir o que Tite tinha a dizer sobre o gesto do colega.

Tite foi seco. Disse algo como “não preciso da ajuda de ninguém”.

No intervalo do jogo, a resposta do técnico corintiano gerou outras perguntas entre os repórteres que estavam no Pacaembu. Afinal, Felipão e ele não são amigos?

Se não fossem, seria fácil entender a reação de Tite. Entre duas pessoas que não se dão bem, uma frase como aquela só pode ser entendida como ironia.

Mas eles são amigos. Sempre foram. Tite foi jogador de Luiz Felipe, já se aconselhou com ele sobre a carreira de treinador. Até o último domingo, eles jamais tiveram uma rusga sequer.

Na coletiva após o clássico, Felipão foi informado sobre a maneira como Tite respondeu. Dessa vez, com a irritação de que se sente vítima de uma descortesia, quis encerrar o assunto na base do “cada um cuida da sua casa”.

Houve quem conseguisse enxergar (é tarefa dificílima, mas parece que tem gente com poderes sobrenaturais) uma relação entre a frase de Luiz Felipe e a vitória do Corinthians. Como se um treinador do gabarito dele, e com a experiência dele, fosse ingênuo a ponto de “amolecer” seu próprio time com uma declaração pré-jogo.

De qualquer forma, Tite não se aborreceu por qualquer coisa ligada ao jogo de domingo passado. E sim a um jogo do ano passado.

Palmeiras x Fluminense. Algo no sentido de “se quisesse mesmo me ajudar…”

São situações distintas, complexas. Como as relações entre pessoas.

Insisto: no momento em que disse o que disse, acredito que Felipão foi sincero. Mas só Tite tem as informações (e as sensações) para processar a declaração como fez.



MaisRecentes

O início



Continue Lendo

Desconforto



Continue Lendo

Irmãos



Continue Lendo