O SUPER BOWL XLV



Chequei os palpites dos especialistas em NFL, no site da ESPN, domingo à tarde: a vantagem para o Green Bay Packers era massacrante.

Aí lembrei de um artigo que li no mesmo site, em que o colunista avisava que o quarterback Aaron Rodgers estava a caminho de uma noite inesquecível, por causa das deficiências da defesa dos Steelers no jogo aéreo. Especialmente nos passes verticais.

E eu apostava na experiência de Pittsburgh…

Na redação da ESPN, em São Paulo, enquanto eu terminava de escrever uma matéria, Green Bay iniciava o Super Bowl XLV de modo a transformar o autor do texto num visionário.

E eu não conseguia entender por que os Steelers, tão bons no jogo corrido, só começaram a empurrar a bola goela abaixo da defesa dos Packers depois que os Black Eyed Peas já tinham deixado o gramado.

A reação dos “metaleiros” no segundo tempo veio sob encomenda para quem queria um SB disputado até o final (algo que parecia pouco provável no intervalo).

Não tenho time favorito na NFL. Comecei a gostar de futebol americano nos anos 80, por causa de Joe Montana e Jerry Rice. Continuei gostando do San Francisco 49ers nos anos de Steve Young, do próprio Rice e do começo da trajetória de Terell Owens.

Mas não “torço” para ninguém. O que gosto muito de ver são times que encaram seus adversários primordialmente pelo ar.

Lógico que é legal ver QBs que passam com ousadia e precisão. Mas o que mais me impressiona é o duelo particular entre os wide receivers e os defensive backs.

Por trás dessa relação de talento, velocidade, habilidade e atleticismo, existe arte. E dos dois lados.

As rotas, as fintas de corpo, a dança que determina um passe completo ou uma interceptação são sensacionais.

Aaaron Rodgers e seus recebedores foram responsáveis por um jogo muito bom de ver. Mas, mesmo assim, Ben Roethlisberger teve 2 minutos para arquitetar um drive que daria mais um troféu aos Steelers.

Não há como pedir mais do que isso.

Pena que o Big Ben ( Troy Polamalu, também) parecia estar jogando machucado.

Nada disso arranha a vitória dos Packers, que chegaram a Dallas absolutamente convictos (tiraram as medidas dos anéis no sábado) de que ganhariam o título.

Como se diz nos EUA, Rodgers “é elite”.

E futebol americano é legal pra caramba.

ATUALIZAÇÃO, 13H48 – Faltou mencionar a melhor manchete que li sobre a vitória dos Packers, do jornal Green Bay Press-Gazette. Algo como:

“O período sabático de 14 anos do troféu fora de Wisconsin chegou ao fim”



  • Anna

    Além da arte das jogadas, há plasticidade, beleza. Eu torço pelo New England Patriots, mas tive uma intuição de torcer pelo Green Bay Packers e não me arrependi, ainda mais depois de saber que o nome do troféu, Vince Lombardi, homenageia um ex-treinador do time. Adoro futebol americano!

  • Pela primeira vez assisti ao Super Bowl do início ao fim. E gostei.

    Um amigo meu disse que o futebol americano é o único esporte além do nosso futebol onde a melhor equipe e a lógica nem sempre vencem…

    Vc concorda?

    Abs!

    AK: É, eu acho que dá pra dizer isso. Um abraço.

  • alex

    Everaldo Marques tá sorrindo pouco????

  • Leandro Azevedo

    O duelo entre WRs e DBs eh realmente sensacional… uma pena que hoje em dia qualquer coisa eh considerado pass interference, mas “deixaram jogar” no SB.

    Polamalu nos playoffs nao foi nem a sombra do jogador que ganhou o defensive player of the year award. Ele estava claramente com a sua mobilidade comprometida, e sem isso nao consegue ser o grande jogador que eh.

    A diferenca do jogo na minha opiniao foi a OL do Packers conseguindo manter o Rogers em pe na maioria do jogo… e principalmente praticamente anulando James Harrison que teve um misero sack no 3rd qtr.

    E se nao fossem todos aqueles passes dropped dos WRs do Packers, o Rogers poderia ter facilmente ter passado para mais de 400yds e no minimo uns 4TDs.

    Agora resta saber se esse foi o ultimo jogo da NFL que veremos por um bom tempo.

    Abraco

  • Diego Brandão

    André,

    Escrevo aqui dos EUA (e sou fã de NFL e NBA).

    Respondendo a um dos seus questionamentos, o Steelers não correu com a bola porque seu center (um dos melhores da NFL), Maurkice Pouncey, estava machucado e fora do jogo. Veja o 2nd half contra os Jets, no qual ele estava fora, e as limitações que o Steelers teve.

    Outra coisa, o Rodgers demonstrou que a decisão em relação ao Favre foi acertada. Mas ele ainda tem que jogar muito pra chegar ao nivel do Manning e do Brady.

    Finalmente, por aqui está incerto quando teremos o próximo jogo de NFL. O lock out está mais evidente que nunca e, aparentemente, os meses que separam essa temporada da próxima não serão suficientes para resolver o assunto entre os times, a NFL e os jogadores…

    Abração!

  • Rafael Wuthrich

    E o Everaldo hein? Não pude ver devido a uma viagem, mas lendo os relatos vi que foi uma bela vitória do maior vitorioso do futebol americano.

  • Lucas

    As seguidas desilusões com o futebol brasileiro e a forma com que as coisas acontecem por aqui, transformando o esporte que sempre amei desde pequeno em apenas uma outra forma de negócio, me fizeram interessar pelo futebol americano, suas variações e altíssima competitividade. Um esporte realmente moderno gerenciado por gente capaz e que também ganha dinheiro em função disso! Concordo com você, filho do Juca… O futebol americano é realmente legal pra caramba! Devia ser mais difundido por aqui! Abraços…

  • Luiz Felipe

    Cara, eu pensei que tu não gostava! Porque dificilmente tu escreves algo fora da semana do super bowl!!

    Também comecei a gostar do esporte por causa do Joe Montana. Ainda mais que ele jogava num time de camisa veremelha; daí é covardia né… rsrsrs

    E também sou fã do jogo aéreo e, em razão disso, tenho torcido sempre por Tom Brady e Cia nos últimos tempos.

    Aliás, na minha hulmide opinião, ele não tem um prestígio do tamanho do seu talento, mais ou menos como o Alex do Fenerbache.

    Amplexos

  • felipe

    a pergunta q nao quer calar eh : pq a espn nao passou o super nem em HD ?
    fui obrigado a assistir na internet pela espn americana… 🙁

    AK: Essa questão foi explicada na semana passada, na ESPN. Também toquei no assunto na última Caixa-Postal. É uma questão contratual, relativa aos anos em que os direitos de transmissão do SB nos EUA são da Fox. Nos próximos 3 anos, a ESPN transmitirá o jogo. Agora, você está enganado num ponto: é impossível você ter acompanhado a transmissão da ESPN americana. A ESPN não transmitiu o jogo nos EUA. Um abraço.

  • Anna

    Adorei a manchete. Bacana!

  • flavio froes

    Andre,

    tambem comecei a gostar de futebol americano por causa do Joe Montana e Jery Rice. Hoje torço pelos quater backs, os fora de série. Depois de Joe, tivemos Steve Young, Troy Aikman, Brett Favre, Tom Brady, Peyton Manning, john elway e dan marino. Aaron rodgers entrou pro grupo, muito bom.

  • Rafael

    André, sei que você não deve acompanhar nem ser muito fã do negócio, mas você viu o embate entre os brasileiros no UFC 126? O que achou? Podem falar o que quiserem, mas o “Aranha” é fora de série! Quem diria que o famoso “quebra -cotovelos” Steven Seagal é um mestre formidável…

    Ainda sobre o UFC, veja você como o boxe anda decadente: enquanto no UFC os melhores lutam entre si, até por questões contratuais, levantando milhões e o espetáculo (a entrevista pós pesagem foi digna dos tempos de Don King em matéria de promoção da luta) no boxe ficam discutindo bolsas e lutando contra ninguém para manter seus cinturões. Saudades de tyson x Holyfield, Ali, Foreman…

    ***RESPOSTA A UM COMENTÁRIO EM “COLUNA DOMINICAL”***AK: Eu vi todos os UFCs daquela época em que algum Gracie ganhava de uns caras com 3 metros e 250 quilos. Era sensacional, inacreditável. Depois, achei que o nivelamento por peso fez a coisa perder a graça. Mas é lógico que essa é a opinião de alguém que não pretende entender do assunto. Se você quer saber se eu vi Silva x Belfort, não vi ao vivo, mas vi. Incrível o chute. Lembrei do Daniel San. Um abraço.

  • rodrigo

    moro na nova zelandia e o jogo passou na espn daqui.

    AK: Na Austrália, também.

  • Hellboy

    É meu amigo o negócio é apelar para outros esportes mesmo, pq para comentarista de futebol vc é péssimo.
    Desde o ano passado tento ler uma linha de seus comentários, mas não dá.
    Agora você vem apelar para futebol americano, que lixo.
    Não tem jeito mesmo.
    Como eu já havia dito anteriormente.
    Tal pai, tal filho, ambos muitos ruins.

    Fui…

    AK: “Desde o ano passado tento ler uma linha de seus comentários”. Realmente, seu aproveitamento não é satisfatório. Talvez seja interessante tentar uma linha alternativa de alfabetização. Um abraço.

  • Ed

    André, não querendo fazer jabá mas já fazendo, no meu blog falo do pré (http://edtoday.wordpress.com/2011/02/03/superbowl-week-os-duelos-de-steelers-x-packers/) e do jogo (http://edtoday.wordpress.com/2011/02/07/superbowl-week-o-grande-jogo/).

    Em ambos textos, mas mais no do pré- jogo, estão as razões pra apontar o Packers como ligeiro favorito, mas bem ligeiro mesmo: a secundária do Steelers é a parte “menos excelente” de sua defesa, enquanto o ataque aéreo de Rodgers é a base do ataque (até porque Ryan Grant, seu RB titular, se machucou no primeiro jogo da temporada).

    E sobre Polamalu, na transmissão da NFL Network (coloco em inglês porque os espanhóis que narram no Canal +, por mais legais que sejam, não possuem o conhecimento do jogo dos yankees) disseram que ele gosta muito de adivinhar, e nessas deixa os receivers adversários sem cobertura, o que é fatal. O último TD do Packers saiu assim, com Rodgers olhando pra um lado e Polamalu caindo na dele. Se já gosta de adivinhar, com ele machucado então a dificuldade é ainda maior…

    Abs

  • João Vitor

    O Everaldo Marques deve estar indo para a redação, com um sorriso de orelha a orelha. Esse Superbowl deve ter sido fenomenal!

    http://esporteeesportistas.blogspot.com/. Acessem meu blog sobre esportes. Basquete, com a NBA e o NBB, Fórmula 1, Moto GP, Tênis, Natação, Vôlei, Handebol, NFL, Rugby, MLB, NHL, MMA, Judô e muito Futebol. Principais campeonatos nacionais, Champions League, Europa League. Acessem, divulguem e comentem.

  • felipe

    poxa posso estar enganado mais o narador disse varias vezes, “here in espn america”…

    AK: “ESPN America” é um canal de televisão baseado na Inglaterra, que foi adquirido pela ESPN. Antes, se chamava NASN. O canal é especializado na transmissão dos chamados “esportes americanos” ao redor do mundo. Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    Seria quase impossivel a ESPN transmitir o Super Bowl aqui nos EUA por ser uma emissora de TV a cabo… se a ESPN tivesse os direitos de transmissao, seria feito aqui pela ABC que eh parte do mesmo grupo (+/- uma Globo / SporTV)

    Quando a ESPN adquiriu os direitos para transmitir o Monday Night Football, choveu criticas pq muitos nao tem acesso a tv a cabo etc, e agora o Sunday Night Game “virou” o MNF pq passa na TV aberta.

    Esse ano o jogo passou na FOX e 2012 o direito de transmissao eh da NBC.

  • Willian Ifanger

    (Fazia 13 anos que o GB não ganhava um SB? Nossa, estou ficando velho!)

    Eu também comecei a gostar de NFL nos anos 80, na época do Show do Esporte da TV Bandeirantes. Eu não conseguia deixar de assistir nas tarde e noites. Vício. Grandes jogos entre Redskins, Broncos, Cowboys e 49ers (time que mais peguei simpatia).

    Como os 49ers “sumiram”, nunca mais torci pra ninguém no Superbowl. Mas, nunca deixei de assistir.

    Foi um grande jogo. Também prefiro o jogo aéreo de lançamentos e mergulhos impossíveis para pegar a oval. Só que nesses playoffs eu nunca tinha visto um jogo terrestre tão eficiente quandto o dos Steelers. Desculpe, não consigo guardar nome dos jogadores, mas os Running Backs atravessavam o bloqueio no peito e levavam dois ou três juntos, e só paravam quando todo mundo se jogava pra cima. Uma coisa bonita de se ver.

    Achei que Pittsburg ganharia até com certa facilidade, mas cometou dois erros que mudaram todo o rumo do jogo. O que mostrou o quanto é bom esse time do GB e a categoria do QB A.Rodgers. Parece ser realmente um cara diferenciado.

    André, sabemos que a noite do Superbowl é a de maior audiência na TV americana e que é transmitido para muitos países. Já foi feito alguma pesquisa de audiência nesses outros países? E esse ano não teve, na hora do show, a galera perto do palco?

  • Bruno – Palu

    Eu torci pros Packers que bom que ganharam..a cada temporada eu torço pra um time e ainda mudo no decorrer da mesma começei a assistir FA quando o 49 está no auge ..até hoje tenho uma “queda” por esse time, mais gosto muito dos Jets e Eagles, mais ano q vem vou torce pro 49.

    Impressionante com a atmosfera do jogo é diferenciada..ainda nao consegui ver ao vivo algum jogo..mais ainda vou..vc ja foi?:

    Abrs

    AK: Trabalhei nos 3 anteriores, transmitidos pela ESPN. Um abraço.

  • Luiz Felipe

    Essa galera simpatizando com os 49’s mostra bem de onde vem grande parte da torcida do flamengo.

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo