O SEGUNDO SINAL TOCOU, O PORTÃO FECHOU…



… e eu estou atrasado, eu sei.

Quando o segundo dia de fevereiro é o seu primeiro dia de trabalho no ano, não há como não estar atrasado.

As férias foram espetaculares, obrigado. Agora é hora de recomeçar.

É humanamente impossível tratar aqui de tudo o que foi notícia nos últimos 30 e tantos dias, por isso escolherei um fato (além do mais, a estreia é hoje à noite): a volta de Ronaldinho Gaúcho ao futebol brasileiro.

Quando escrevi minha última coluna no Lance! no ano passado (publicada dois posts abaixo), tratei do assunto num “top 11” do futebol em 2011. Ronaldinho estava mais perto do Grêmio, pelo menos pelo que li, e eu torcia para a negociação vingar.

Não vingou com o Grêmio, nem com o Palmeiras, e Ronaldinho desembarcou no Flamengo.

Não discuto com quem acha que, em algum momento do ano de 2006, ele perdeu a paixão pela vida de um jogador de futebol profissional. Foi exatamente isso que aconteceu. A questão é por quê.

Há quem pense que chegou um momento em que Ronaldinho não aguentava mais ser Ronaldinho. Há quem fale numa depressão pós-fracasso na Copa da Alemanha. Há quem aponte para a absoluta falta de objetivos. Pode ser uma coisa, podem ser todas.

Mas ninguém vai me convencer de que o talento não está mais lá. Aliás, só o talento de Ronaldinho Gaúcho explica por que ele continua sendo valorizado como um jogador de futebol de elite mundial.

Defendi sua convocação para a Copa de 2010, como opção. Não achava que havia lugar para ele no time, mas sim no banco. Estou ansioso para ver o que acontecerá no retorno ao Brasil.

A presença de um jogador desse pedigree por aqui é interessante, incomum, instigante. Lógico que as questões sobre o comportamento fora do campo são muitas. Dá para apostar que Ronaldinho recuperará o profissionalismo e voltará, depois de tudo o que viveu, a ser um jogador com fome de espetáculos e conquistas?

Não.

Mas dá para dizer que, aqui no Brasil, ele tem chances muito maiores de se destacar.

A América do Sul é a Série C do futebol mundial, abaixo da Europa tradicional e da Europa que gosta de se sentir emergente. Quem joga futebol por aqui não está lá porque ainda não foi, jamais irá, ou já voltou.

Não morro de amores por vários campeonatos de centros europeus menos importantes, mas é inegável que a diferença de investimento comanda a transferência de talento.

É muito mais difícil ser Ronaldinho no Campeonato Italiano, na Champions League, do que em nossas competições. Incluindo o Campeonato Brasileiro.

Com a quantidade de futebol que possui, não duvido que ele seja um sucesso.

______

Ficaram muito feias as novas camisas da Seleção Brasileira, apresentadas oficialmente ontem.

Muito feias.

Para mim, que sempre elogiei os uniformes dos últimos anos, foi um choque.

Parece uma coisa amadora. Transformaram a camisa mais importante do futebol mundial numa camiseta de treino.

E uma camiseta de treino feia. Ok, camisetas de treino normalmente não são bonitas. Mas estamos falando da camisa oficial da Seleção…

A faixa no peito ficou parecendo uma medida emergencial para cobrir o nome do “patrocinador antigo”. Várzea. E a referência às pinturas de guerra indígenas, homenagem aos nossos ancestrais, terá de ser explicada incessantemente.

O novo uniforme estreia no amistoso contra a França, na quarta-feira que vem..

Que o próximo modelo não demore.

______

Finalmente, uma “novidade”: chegamos ao Twitter.

Nossa, mas só agora?!

É, só agora.

Quer dizer, mais ou menos.

A explicação está aqui.

Você pode me seguir em @KfouriAndre



  • Willian Ifanger

    Até que enfim, hein? Seja bem vindo de volta.

    Sobre o Ronaldinho, espero que hoje ele tenha uma estréia a altura da expectativa. Mas, mesmo assim, convenhamos, só vai dar pra falar bem ou mal, numa fase final de Copa do Brasil ou no Campeonato Brasileiro. Os estaduais não servem de base pra nada. No máximo pra um tira gosto.

    As camisas novas da Seleção são feias, um insulto à liturgia desse símbolo. Pra mim, olhando de frente, parece o rosto de uma pessoa espancada. Deve ser uma homenagem às torcidas organizadas brasileiras.

    Twitter comento no Mais gelo.

  • Renato

    Até que enfim vc voltou…..

    Bom retorno André….

    Abraço

  • brandao

    Bem vindo,André

  • Sarah

    Que bom que voltou! As camisas ficaram horrorosas mesmo. E nesse amistoso com a França isso vai ficar bem nítido, já que a francesa ficou linda.
    Quanto ao Ronaldinho, vamos aguardar um pouquinho. Acho que o time do Flamengo pode ficar bem interessante. Mas ainda precisa de um bom zagueiro e um lateral esquerdo.
    Não poderei te seguir no twitter porque, assim como vc há algum tempo, ainda não me convenci… hahaha
    Abraços

  • Marcel Souza

    Bem vindo de volta! Já não aguentava mais a espera, ehehe!

    As camisas da Seleção ficaram horrorosas. E é tão fácil fazer direito…

    Bem vindo ao Twitter também, já vou começar a te seguir.

  • Beto

    Boa!

    Já estou te seguindo, meu caro.

    Grande abraço e ótimo retorno.

    Abs,
    Beto
    @betopetroni

  • Eric

    Série C do futebol mundial?? Acho que vc tá sendo um tanto injusto! Não vejo tanta diferença dos times europeus pros times daqui em termos de técnica e tática. Se fosse assim, os times europeus seriam sempre campeões do mundo. E a gente sabe que não é assim. Uma pena que a participação dos brasileiros nos torneios de verão na Europa esteja prejudicada por causa do calendário. Teríamos uma noção mais clara disso.

    AK: Se os times europeus disputassem os mundiais como disputam a UCL, os números seriam outros. Os melhores jogadores do mundo, brasileiros incluídos obviamente, estão lá. Não aqui. Um abraço.

  • Klaus

    Acho que você já leu isso acima, mas… Ah, que saudades desses posts. Bom tê-los (a você e ao seu texto) de volta! E obrigado por ter retornado com um texto longo, para matar a vontade… O Twitter às vezes fala de mais, mas para certos craques da escrita deveria ter mais de 140 caracteres… Um abraço!

  • João Vitor

    Demorou mais voltou. Não sei o que esperar de Ronaldinho no Fla.

    http://esporteeesportistas.blogspot.com/. Acessem meu blog sobre esportes. Basquete, com a NBA e o NBB, Fórmula 1, Moto GP, Tênis, Natação, Vôlei, Handebol, NFL, Rugby, MLB, MMA, Judô e muito Futebol. Principais campeonatos nacionais, Champions League, Europa League. Acessem, divulguem e comentem.

  • Marcelo David Macedo

    Fez falta por aqui, André. Que as férias tenham sido tão incríveis quanto o seu talento.

    Bom retorno, abraço.

  • M. Silva

    Prezado André,

    também achei as camisas da seleção pavorosas. E a suposta – suposta não porque ela não tenha sido declarada, mas porque concretamente não é capaz de fazer o que pretende – referência às pinturas de guerra é inacreditavelmente mal concebida. As camisas não ficaram só feias; parecem ter sido o resultado de um trabalho indulgente, preguiçoso e inábil.

    Um abraço,

    M. Silva

  • Mister Andréson, welcome back… We missed you!

    Há quem tente comparar RG10 com Messi, ou até com R9! Por D10S, não tem nem por onde começarem as tais comparações… RG10, ao meu ver, foi um Rivaldo que despontou mais cedo para o futebol. Teve seu bom momento durante 2 anos e só. Não o vejo muito diferente de outros ganhadores do Prêmio de Melhor do Mundo da FIFA, como FIGO e Weah. E tantos outros premiados foram (são) muito superiores (Kaká, Cristiano Ronaldo, Baggio). Messi, Ronaldo, Zidane e Romário então… nem se fala!

    O que mais me incomoda nesse sujeito é o que justamente SOBRA no Messi (e, diga-se de passagem, no Neymar): tesão por jogar bola, a qualquer hora, em qualquer lugar!

    Que o torcedor não se iluda com as jogadinhas de efeito/acrobacias, único atributo que resta daquele BOM jogador de anos atrás…

    (Agora, pagar 1 milhão e cacetada para ter um acrobata da bola, melhor trazer o Falcão, do futsal. Melhor custo-benefício!)

  • Felipe Valverde

    Seja bem vindo de volta, André!

    Sobre as camisas da seleção, colocar uma tira no peito como símbolo de um time de guerreiros – coisa que a seleção nunca foi, exceto na cabeça de Dunga- é péssimo, mas mudar o tom do azul da camisa reserva é pavoroso !!

    A CBF conseguiu acabar (também) com a camisa da seleção…

  • Leandro Azevedo

    A camisa foi uma bela (mais feia) sacada de marketing da Nike…

    Gostando ou nao da camisa (e eu achei feia tb) a camisa chama a atencao e a Nike ainda colocou o seu simbolo da mesma cor da faixa, para chamar ainda mais atencao a sua marca. Eh impossivel ignorar a faixa, e quase impossivel nao ver o simbolo da mesma cor na hora de ver a camisa.

    A Nike conseguiu o que queria… agora os brasileiros ficaram com essa coisa ai.

    Welcome back, Andre… e vai ter post palpite pro Super Bowl?

    Abraco

    AK: Post? Não sei. Palpite? PIT. Um abraço.

  • Sobre a horripilante camisa, já tinha me manifestado nessa charge:

    http://felldesign.files.wordpress.com/2011/01/nova-camisa-selecao-jk.jpg

    No conjunto da obra ficou legalzinha, não? Eu compraria! Principalmente a última!

    ADIDAS>>>>>>>>>>>>>>>>>>PUMA>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>NIKE, quando o assunto é uniformes de seleções.

  • Rodrigo Arduine

    Seja bem vindo!

    Existe alguma possibilidade de você escrever menos aqui, ou no “Mais Gelo” por causa do Twitter?

    AK: Não. O plano é escrever mais. Um abraço.

  • Rafael Wuthrich

    Também contesto essa sua afirmação de série C mundial, André. Tirando os 20 clubes mais ricos da Europa (os 4 grandes da Inglaterra, os 2 de Portugal, 4 da Itália, 3 da Espanha (dependendo da fase, Sevilla ou Valencia), 3 da Alemanha e 2 da Holanda, mais Manchester City e um Shaktar ou outro endinheirado do leste europeu), o resto é tão ruim ou pior que aqui. Pode-se contestar a estrutura (até um clube feminino europeu tem mais estrutura que os grandes daqui), mas não qualidade técnica. Todos os demais são horrorosos ou de nível médio (Sunderland, Brescia, Heereeven, Racing Santander, e muitos outros, etc.). Daí, acho um exagero, para não se falar em endeusamento europeu (ou será o “complexo de vira-latas”?), que não posso concordar com essa afirmativa. Os grandes europeus, em sua maioria, são realmente melhores tecnicamente. Mas daí, afimar que são muito melhores que os principais sulamericanos vai enorme, para não dizer gigantesca, distância. Tanto é assim que, fora o campeonato alemão, os times dessas ligas que vencem os campeonatos são sempre os mesmos – e não me venha dizer alto nível, porque o nivelamento dos “não-grandes” europeus é por baixo mesmo. Sobre o mundial, você diz que se os europeus se preocupassem com ele, teriam vencido muito mais. Tenho lá minhas dúvidas, até porque muitos times sulamericanos eram tão bons ou até melhores que os campeões europeus (e nem falo do Santos de Pelé ou do Flamengo de Zico) – basta lembrarmos do Boca de 2000.

    AK: Repetindo: os melhores jogadores do mundo, brasileiros incluídos, estão lá. Quem não consegue jogar lá, joga aqui. Um abraço.

  • Marcio

    Cara, que uniformezinho horroroso!!!! Parabens dona CBF, uma pena aquele time horroroso do Dunga não ter usado esse uniforme na Africa do Sul!!!

  • Marcos Vinícius

    Cara,seja bem vindo.É bom ter vc por aqui de volta pra gente continuar discordando de um monte de coisas.Férias sempre renovam nossas energias,voltamos melhor,e torço,sinceramente,que isso tenha acontecido com vc.

    Sobre R10:

    Alguém lembra onde o rapaz passou suas férias de início de ano em 2010?
    Lembram do roteiro social do homem?
    Lembram da quantidade de vezes que ele saiu nas colunas sociais dos jornais?
    E de quantas vezes ele foi visto com uma latinha na mão,alguém lembra?

    Mas o que isso tem a ver?

    Ronaldinho Gaúcho é um extra classe.Aliás,um mega-super-hiper-extra-classe quando se fala de talento com a redonda.Ele nunca deixou de ter todo aquele talento a que nos acostumamos a ver,nunca deixou de saber bater na bola como ninguém,de dar passes magníficos,daqueles dribles desconcertantes e objetivos,em direção ao gol,que nos encheu os olhos.Ele nunca desaprendeu a jogar bola.

    Mas voltou ao Brasil,pra desfilar todo seu lindo futebol e sua enorme simpatia pelos campos brasileiros.Vai jogar num dos maiores e mais desorganizados times do Brasil,que viveu recentemente alegrias e frustrações que equivalem ao tamanho de sua torcida.

    Ronaldinho Gaúcho escolheu o Flamengo quando poderia escolher a maioria dos times europeus,recusou proposta pra jogar no timaço da Inter de Milão,poderia ganhar mais (e em dia) em outro grande centro europeu.Mas escolheu o Rio,seu tipico calor escaldante e a grande desorganização do futebol brasileiro,principalmente o carioca.

    Então por que?

    Simples.

    Ronaldinho escolheu a noite do Rio e a fragilidade da maioria dos defensores brasileiros.

  • Renato Assis

    Ué, André! Esse ano vc nao vai para o Super Bowl??

    AK: Não, nesse ano a ESPN não mostra o SB (você pode ver pela Band Sports). O Paulo Antunes foi para fazer reportagens. Um abraço.

  • Paulo sp

    Finalmente!!! Atemporada vai começar…

    Se bem que para o timão…

    Cara, quanto a qualidade tecnica dos campeonatos europeus, eu também discordo.Ser rico é uma coisa ser bom é outra. Exemplo: se vc ou qualquer um aqui, tivesse a missão de comprar um zagueiro para time A, quem escolheria, tendo como opção Miranda(que nem é da seleção),  Puyol, Matterazzi ou Sergio Ramos?

    Acredito que as alternativas 2,3 e 4 são bem mais fracas então procure alternativas no Osasuna,Getafe, Betis …

    Isso explica a facilidade de se jogar na Espanha por exemplo.Qualquer cabeça de bagre se tiver um pouco de profissionalismo se da bem na Europa…Amauri teria dificuldades por aqui, Pepe não seria famoso e o que dizer Kurany?

    Lá é tudo organizado, o cara pode comprar ingresso e estadio cheio da outro aspecto.No entanto, o talento é sulamericano ou até africano.
    vlw.

    AK: O que é inegável: os melhores estão lá. Um abraço.

  • Alexandre

    André,

    Série B ainda vá lá, mas série C? Não seja tão azedo, acabas de voltar de férias…

    E por falar em sinal, portão, e tal, e o teu time, hein? Cem anos e ainda continuam no “pré” !

  • Felippe

    “AK: Se os times europeus disputassem os mundiais como disputam a UCL, os números seriam outros. Os melhores jogadores do mundo, brasileiros incluídos obviamente, estão lá. Não aqui.”

    Se os times brasileiros dos anos 60, 70 e até 80 disputassem a Libertadores como disputavam os Estaduais, se classificariam mais vezes para o Mundial e os números também seriam outros, mas com ampla vantagem para o nosso continente. Os melhores jogadores do mundo, brasileiros em sua maioria, estavam aqui. Não lá.

    AK: Obrigado por concordar comigo. Se naquela época os melhores estavam aqui, e talvez até se possa dizer que estavam, a América do Sul não era a Série C. Já hoje… um abraço.

  • Anna

    Achei as camisas novas da seleção horrorosas, o ó! E as da França, lindas, apesar do azul total… Eu sempre achei azul clássico demais, mas são realmente lindas! O código de barras na camisa brasileira é um dos símbolos de pior gosto que eu já vi e olha que sou muito observadora quanto a trajes. Boa quinta a todos!

  • Ivan Lima

    Vejo aqui o tradicional exagero do pessoal da ESPN ao comparar o futebol da Europa com o da América do Sul. Europa 10, América do Sul 0.
    Não posso perder Wigan Athletic FC vs Blackburn Rovers, neste sábado. Vai ser sensacional. Palmeiras e Corinthians? Que joguinho de terceira divisão…

    AK: Exagero seu. E que esperteza comparar um jogo qualquer de um campeonato com um clássico de outro. Um abraço.

  • Gustavo Xavier de Almeida

    André, parabéns pelas merecidas férias, torço para q 2011 seja um ano repleto de trabalho, sucesso e familia.

    Eu, assim como vc, viajo diversas vezes ao ano á trabalho, se vc recebesse uma oferta pra recomeçar sua vida profissional sem viagens e noites longe da familia, q peso teria?

    obrigado pelos excelentes textos, seja feliz, sempre!!!

    do seu fã, Gustavo

    AK: Ficar longe de casa, às vezes por períodos insanamente longos, faz parte da profissão. Uma coisa não existe sem a outra. Obrigado e um abraço.

  • alex

    AK, bom retorno….. e já percebi que você voltou muito mole… falar que a camisa da seleção é feia não dá…..

  • alex

    desculpa, eu não completei

    A CAMISA NOVA DA SELEÇÃO É UM VERDADEIRO PANO DE CHÃO !!!!! UM LIXO !!!!

    TEMOS QUE PROCESSAR A NIKE !!!!!!

  • kappen

    Bom retorno.

    Camisa de treino bonita? Existe:

    http://www.gremiomania.com.br/upload/referenceAttribute/363x319_1278360264_cam_ofic10_treino1_C5059M_frente.jpg

    AK: Essa aí poderia até ser a de jogo. Um abraço.

  • felipe

    bom retorno.

    a camisa da selecao azul q ja era horrivel no modelo anterior (soh com as bolinhas amarelas) ficou pavorosa.

    juro q c fosse pra fazer isso meu subrinho de 4 anos faz.

  • Nilton

    Acho que o pessoal não entendeu a Serie C que vc falou, uma comparação é quantos aqui acompanha a Serie B do Brasileirão (já que a C não passa em Tv aberta), acho que deve ser bem maior do que o pessoal que acompanha o Brasileirão na Europa (tirando os brasileiros que lá estão). Se pegamos os 5 melhores times da America do Sul eles serão superior as mais de 30% dos times europeus, jogaria de igual para igual contra uns 50% e levaria pau de 20% em outras palavras dificilmente disputaria a Liga dos Campeões. Ou alguem acha que o futebol apresentado pelo FLA em 2010 não rebaixaria ele nos grande centros da Europa???

  • Christian Suelzle

    Oi, André!
    Feliz 2011 e seja bem-vindo de volta. Eu também já estava ficando com crise de abstinência rs.
    Tenho uma dúvida: a ESPN ou a ESPN Brasil vai transmitir o Pro Bowl, o Jogo das Estrelas da NFL? Se sim, quando?
    Grato.
    Abs.

    AK: Impossível. O Pro Bowl aconteceu no domingo passado. NFC ganhou por 55 a 41. Um abraço.

  • Luiz Felipe

    Andre,

    Quanto à sua resposta ao Eric, eu também pensava assim.

    Eu fui a Abu Dhabi e vi cerca de três mil torcedores da inter de milano por lá, que foram quase que exclusivamente para ver o jogo. Conversando com eles, ele diziam que o título era sim muito importante, e que queriam muito ganhar, ainda mais que o Milan já tinha o caneco (aqui dá pra ver que eles também distinguem mundial e copa intercontinental).

    Óbvio que nós valorizamos mais, tanto que éramos 15 mil torcedores colorados por lá.

    Mas três mil italianos no oriente médio é bastante coisa. Fiquei com a impressão de que eles valorizam muito.

    Outro fato que mostra o quanto valorizam a competição é que esperaram passar o mundial para demitir o técnico; ou seja, nâo quiseram arriscar iniciar um trabalho as vésperas do mundial.

    Lembro da festa do barça e do choro do seu técnico em 2009 tb.

    Um abraço

    AK: Por parte dos europeus, a valorização depende da situação. Concordo com seus dois exemplos. Mas o próprio Barcelona não tratou o Mundial de 2006 como deveria. A derrota para o Inter serviu de lição. Já os clubes sul-americanos sempre vão com tudo. Um abraço.

  • Infelizmente eu concordo, mesmo que seja uma opinião tendenciosamente capitalista sobre o nível do nosso futebol.

    AK: Não é a opinião que é capitalista. É o futebol. Um abraço.

  • Caio

    Aeeeeee mulek, até q enfim voltou!!!

    Gostou do Ronaldinho? Ele e Fred na seleção esse ano. Futebol carioca em alta!!!

    🙂

    Abraço cara, boa volta!!

  • marcio

    Tudo bem, André?
    Comentário atrasado. Mas fico em dúvida só ali naquela parte sobre o futebol europeu. Jogar a Champions é mesmo difícil. Mas um campeonato italiano e espanhol, quando não é clássico, é bisonho.
    A defesa do Goiás é bem mais forte do que a do Almeria…

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo