ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL



Apenas uma interrupção neste começo de férias, porque o assunto merece.

Estimulado por um link enviado pelo leitor Guilherme (a quem agradeço imensamente), passei os últimos dois dias assistindo ao programa “Informe Robinson – El año en que fuimos campeones del Mundo”, produzido pela AS TV e levado ao ar pelo Canal Plus espanhol.

Que programa.

Que trabalho de entrevista, de edição, de jornalismo.

Em seis partes, (a primeira está aqui, tenho certeza de que você saberá encontrar as demais), a história da primeira conquista de uma Copa do Mundo pela Espanha é contada pelos principais envolvidos, de maneira sempre interessante e, por vezes, emocionante. O esforço feito por Andres Iniesta para jogar o Mundial – e a forma como os fisioterapeutas o estimularam a acreditar que conseguiria – é um dos temas principais do especial.

O melhor está na sexta e última parte, que trata da final contra a Holanda.

Sem querer estragar, destaco algumas frases dos depoimentos:

Villa, sobre o gol de Robben que Casillas impediu: “Foi o momento mais demorado que vivi num campo de futebol.”

Xavi, em conversa com um dos médicos, no intervalo da prorrogação: “Isto se ganha.”

Pepe Reina, falando sobre o mesmo momento: “Eu estava cagado, essa é a verdade.”

Iniesta, sobre o gol decisivo: “Não sei se é possível escutar o silêncio, mas naquela hora eu escutei o silêncio e sabia que a bola ia entrar.”

O mesmo Iniesta, sobre a homenagem que fez a Dani Jarque: “O que as pessoas veem é o que meus pais me ensinaram.”

A declaração de Casillas sobre o gesto de levantar a Copa do Mundo também é marcante, assim como a imagem do abraço entre ele e Carles Puyol (dois símbolos completamente antagônicos), logo depois do apito final.

É o tipo do programa imperdível, e um alerta para quem pensa que a Copa do Mundo de futebol está perdendo seu significado.

Faça um favor a você mesmo e não deixe de ver.



MaisRecentes

Terceirão



Continue Lendo

“Algumas tapas”



Continue Lendo

Humanos



Continue Lendo