A NOITE INTERNACIONAL DO MAZEMBE



Quando o goleiro do Mazembe pegou um chute de Rafael Sóbis (em jogada de D’Alessandro e Alecsandro, pela direita, aos 10 minutos), dentro da área e de frente para o gol, ninguém poderia afirmar que o lance seria uma das lamentações do Internacional.

Afinal, o roteiro imaginado para o confronto entre um dos melhores times brasileiros e o melhor time africano era esse mesmo.

Tanto que o gol desperdiçado por Sóbis foi apenas um entre tantos que o Inter não fez, com e sem a intervenção do goleiro Kidiaba, aquele das comemorações “rastejantes” que jamais serão esquecidas pela torcida colorada.

E é engraçado como a leitura de um jogo muda conforme chances são criadas, mas não concluídas. O sinal claro de superioridade se transforma em prenúncio de problemas. Não sabemos exatamente quando o “volume de jogo” vira “falta de eficiência”, mas é o que acontece.

Aí a sensação de que “deveríamos estar ganhando” passa a ser um aflito interesse em “quanto tempo falta?”, porque o 0 x 0 já seria péssimo e perigoso.

Mas nada explica a quantidade de tempo e liberdade que Kabangu (?) teve para dominar, na área, uma bola que lhe escapava, e bater sem ser incomodado.

Assim como nenhum colorado entenderá como o segundo gol saiu depois de uma pedalada de Kaluyituka (?!) em Guiñazu, que não conseguiu cortar o chute.

Incrível? Sim, pois o Inter não perdeu porque entrou em campo já pensando na final, sem a devida concentração. O Inter perdeu porque falhou.

Vexatório? Sim, porque em nenhuma circunstância pode se achar normal a eliminação de um representante do futebol brasileiro por um representante do futebol do Congo.

Com todo o respeito que os congoleses merecem.

Hoje, o Todo Poderoso Mazembe (as duas primeiras palavras fazem parte, oficialmente, do nome do clube) não apenas chocou o mundo do futebol. Não apenas se classificou para a final do Mundial de Clubes da Fifa.

O time que se ajoelha, se abraça e reza sobre a linha do gol legitimou o formato do torneio. E a participação de quem era considerado o componente exótico de uma festa reservada a europeus e sul-americanos.



  • Willian Ifanger

    Um dia alguém teria que passar por esse mico…

    Só falta agora o outro Inter agraciar a zebra e teremos uma final de Mundial surreal.

    Por isso que, desde que a Fifa inventou aquele Mundial estranho no Brasil, pra mim a Libertadores se tornou a Taça mais importante a ser conquistada por aqui.

    Se é pra ter participação de mais clubes, a fórmula com grupos é mais interessante.

  • Leandro Azevedo

    Foi uma tremenda Mazembada…

  • Ricardo

    Segura o choro senão o Guaiba transborda, gauchada…kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

  • pedro

    chocou o mundo do futebol? o inter conseguiu perder pra um time que não troca mais de cinco passes sem errar. o time gaúcho não jogou nada, e diante uma equipe muito simpática, mas fraca, fraquíssima.

  • Vinicius

    muuuito legal esse blog Eskuadra. Ótimos blogueiros, ótimos textos, deem uma olhada, vale a pena

  • Anna

    O nome é Kaluyituka, mesmo. Foi o maior king kong colorado. Não acredito em soberba. O time não jogou bem, mesmo, e não entendo como Giuliano é reserva desse time. Achei que Roth mexeu mal nas substituições e que Renan falhou nos dois gols. Foi uma pena. Agora é torcer pro time coreano para ter uma final surreal no Mundial de Clubes.

  • kafepaulo

    André e galera,

    Parabéns ao Todo Poderoso Mazembe, que São Jorge, o santo guerreiro de sempre os proteja no confronto final contra o vencedor de Inter Milão x Seongram, eh saia vencedor, para o bem do futebol mundial, pois as fronteiras do futebol solidário, com garra, determinação, sem frescuras das firulas sem nexo, enfeites, simulações dos nossos craques, que sejam vencedores, com o goleiraço do Kidiaba, uma linha de 4 zagueiros determinados a primeiro, cortar de qualquer maneira, segundo de sair jogando em triangulações muito rápidas, tanto na direita como na esquerda, com 2 de volantes bem definidos a frente da zaga e com a cobertura dos 3 um pouco mais a frente, com saidas rápidas pelas laterais, para a definição das jogadas ou cruzamentos para o matador o Kabangu…um belo time, limitado tecnicamente, más objetivo nos finalmente…
    Ninguem ganha por antecipação, no oba-oba…sempre será assim…

  • Anna, o Giuliano é reserva nesse time porque, sempre que começou como titular, não correspondeu. No mais, e baixar a cabeça e seguir trabalhando.

  • Alexandre*

    A eliminação do Inter não é tão absurda assim.
    Zebras em mata-matas de futebol acontecem desde tempos imemoriais. Desde a criação do mundial da FIFA, este jogo do Inter foi o 11º confronto direto entre “sulamericanos-ou-europeus”X”times-de-outros-continentes”. Até que demorou…
    Ótimo texto, André, em especial o trecho:”E é engraçado como a leitura de um jogo muda conforme chances são criadas, mas não concluídas. O sinal claro de superioridade se transforma em prenúncio de problemas. Não sabemos exatamente quando o “volume de jogo” vira “falta de eficiência”, mas é o que acontece.
    Aí a sensação de que “deveríamos estar ganhando” passa a ser um aflito interesse em “quanto tempo falta?””

  • Willian Ifanger

    Aliás, num dia em que o Giuliano perde um gol daqueles a coisa não vai acabar bem mesmo.

    Incrível que, quando a bola sobrou pra ele eu pensei: “Meu Deus como esse muleque tem estrela”…..sequei!

  • Sancho

    Se for para valorizar o torneio, o Internazionale NÃO pode ser campeão. Caso contrário, apenas parecerá que o futebol sul-americano foi alcançado pelo resto do mundo, mas o europeu segue lá no topo. Uma conquista milanesa só desvalorizará o campeonato em favor da UCL…

    AK: Não acho. Conquista é conquista. Um abraço.

  • Jorge

    Que me desculpe quem comentou, mas os representantes da UCL há muito estão a frente dos sulamericanos.
    Nas duas últimas copas do mundo 7 dos 8 semi-finalistas eram europeus.
    A última conquista sulamericana no mundial de clubes foi em 2006, quando o Inter prá lá de retrancado e jogando contra um desfalcado barça ganhou no único chute que deu entre as trêrs traves.
    No ano anterior o São Paulo ganhou de uma forma que a lógica e o jogo não explicam.
    No resto, os europeus sempre levam o peso dos jogos, e os sulamericanos são correria, raça, sistema meio caótico, retranca, mais retranca e…….. sorte.

  • Rita

    Ontem mesmo eu falava “puxa! esse mundial criado pela Fifa nem parece que se trata de um torneio de futebol, porque sempre os favoritos fazem a final…”

    Que não duvidemos do futebol…

    Quando acessei a internet e li a notícia, não acreditei.

    Vi o jogo agora há pouco e realmente, a comemoração do goleiro vai ficar para sempre nas recordações coloradas.

  • Álvaro

    Pela primeira vez na história, o Brasil participa do Mundial de Clubes e não se sagra campeão.

    O autor da “façanha” foi o Internacional, nesta sétima edição do torneio organizado pela FIFA.

    Até então, o Brasil havia participado de três das edições do torneio, em 2000, 2005 e 2006, e vencido com, respectivamente, o Corinthians, o São Paulo e o próprio Internacional.

    Antes do vexame protagonizado pelo colorado gaúcho frente ao congolês Mazemba, a única equipe brasileira a participar e não se sagrar campeã do Mundial havia sido o Vasco, em 2000.

    Mas o Vasco, no 1° Mundial de Clubes, só foi derrotado na final verde-amarela contra o Corinthians (na decisão por pênaltis, após empate no tempo regulamentar e na prorrogação com “morte súbita”), e depois de uma campanha brilhante na primeira fase, com três vitórias em três jogos, incluindo um 3×0 no Manchester Utd.

    O Internacional é, portanto, o primeiro clube brasileiro a disputar e sequer chegar à final do Mundial de Clubes.

  • André Kfouri,

    Venha conferir a análise da partida histórica para o futebol mundial (entre os clubes) em meu blog – Global Esportes – http://global-esportes.blogspot.com/

    Grato,

    Leonardo “PATCH” Garcia

  • alex

    Não admito!!!! Foi roubado!!!! eles fizeram “vudú é pra jacú” pra ganhar esse jogo!!!! Põe no DVD e manda pro Blater!!!!!

    Eu não vou admitir essa comemoração ridícula daquele goleiro, bem em cima do maior time de toda a crosta terrestre!!!!!!

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

  • kappen

    sou gremista e posso falar, porque fui obrigado a viver o mundial nos últimos dias:

    a culpa é da direção colorada, que sabe há mais de ano que não tem um ataque matador e que ontem foi obrigada a dizer que faltou “sorte” nas finalizações. sorte deve significar competência lá no congo…

    e outra: que papagaiada essa de contratar o (laranja-podre) rodrigo pra jogar exclusivamente o mundial e chegar lá e descobrir que há um impedimento legal para sua inscrição. essa direção foi amadora. ‘bóra fazer outro dvd?

    ps: sei como é triste. era criança quando foi moda pixar nos muros “ajax tira mancha azul”.

  • BASILIO77

    O último paragrafo deu o recado que devia ser dado.
    Um cala a boca nos donos da verdade do futebol que achavam o mundial FIFA “estranho”, sempre na tentativa de desqualificar o que é do outro. Tá aí! Nada contra os anteriores, afinal era o que tinha. Mas é preciso jogar…e ganhar pra se concretizar o favoritismo.
    Não ganhar “na teoria” como estamos prestes a presenciar por aqui no futebol brazuca, onde vamos inaugurar a “vitoria por hipótese”.
    Abraço.

  • Willian Ifanger

    Basilio77, o “estranho” o qual me referi foi a concepção do torneio e não o mérito do ganhador. O Corinthians foi campeão, tem sua estrela na camisa e ponto final. Não se discute isso.

    Fórmula por fórmula, o de 2000 é bem mais interessante quando se tem mais times disputando. E acho que deveria ser repensado.

  • Vitor

    André , estão crucificando o Celso Roth , mas voce nao acha que o que faltou foi competencia dos atacantes do inter? Sobis , Giuliano e Alecsandro que pipocaram na cara do gol ?

  • Anna

    Rubens, eu acho o Giuliano muito bom, pra sair jogando. Quanto ao Mundial de 2000, é legítimo. Tinham mais clubes de expressão disputando, como Real Madrid, Manchester, Vasco e o campeão Corinthians. Assim como, vejo como legítimos, os títulos mundiais de Fla, em 81, e do Grêmio, em 83.

  • Luciano

    Anna, respeito tua opinião, mas a meu ver não há como considerar Campeão “Mundial” um vencedor de um confronto entre campeão sulamericano e campeão europeu. É simples: O MUNDO não se resume a Europa e América do Sul. Do contrário, a “Copa do Mundo” não deveria ter times de outros continentes, sendo disputada apenas entre estes dois…

    Com todo o respeito, não me parece racionalmente lógico o raciocínio que considera “legítimos” os supostos “mundiais” de Flamengo e grêmio…

    Quanto ao mais, sou Colorado, tenho orgulho de sê-lo, e continuarei sendo por razões que quem é torcedor de verdade conhece muito bem.

    Admito que está doendo muito esta derrota, mas ainda somos os Campeões da Libertadores da América, somos o único clube a trazer uma taça internacional pro Brasil desde 2006, e ano que vem teremos a busca pelo Tri da Libertadores de novo, pelo Bi da Recopa, e mais chances de novos títulos, inclusive de um novo Mundial “de verdade”, com retorno ao Japão onde tivemos a maior de nossas glórias.

    Tenho certeza, por outro lado, que nossa dor não se compara à de um rebaixamento para a 2ª Divisão, que felizmente meu clube desconhece em seus 101 anos de história. Um abraço.

  • David

    Idéia de negócios, de graça, pra quem quiser aproveitar: vender camisas do Mazembe na frente do Olímpico em POA.

  • Anna

    Luciano, também respeito a sua opinião. O seu time, o Santos e o Flamengo desconhecem a segunda divisão. O meu time, não. Já caiu, doeu, voltamos e estamos tentando retomar o passado de glórias. Meu time é o Vasco, tem quatro títulos brasileiros. Poderia não ter nenhum, eu o amaria da mesma forma. Os vascaínos não amam o time pelos títulos, mas pela história do clube, uma das mais belas e democráticas que existem. Mesmo quando caiu, permaneceu o sentimento. O que vale é a discussão de ideias e por isso gosto de blogs porque eles são uma das maiores expressões de democracia. Obrigada por me citar. Em 2011, o Inter, com certeza, com a estrutura que tem, vai brigar por mais títulos. Abraço!

  • Pac-Man

    “Com todo o respeito, não me parece racionalmente lógico o raciocínio que considera “legítimos” os supostos “mundiais” de Flamengo e grêmio…”

    É… De fato. Porque em 81 e 83, tanto o Flamengo de Zico e O Grêmio de Renato, caso tal sistema de torneio estivesse vigente, poderiam perder para o JE Tizi-Ouzou da Argélia ou para o Asante Kotoko, de Gana; respectivamente. É… de fato tal argumento ganha força diante do fiasco de ontem. Fiasco pela empáfia, pela soberba, pela falta de humildade e hombridade.

    Aqui no sul o Grêmio é o único campeão e vice-campeão do mundo. E nem me falem de Série B. Que essa é tão fácil que ganhamos com um time de bola7.

    Que antes dum fiasco daqueles, prefereria rebaixar para a Série D. Porque o nível do adversário era de Série D.

    Mas, hey, o Inter ainda tem chance de pegar a Inter. O Sonho não acabou! hahahahahaha

    Chora colorado!!!!!!11!!!!!!!!!!!!11onze!

  • Mundial é assim mesmo. Apareceu a oportunidade tem que matar o jogo.

    É só rever os jogos: Palmeiras x Manchester e São Paulo x Liverpool.

    Mesmo com o domínio do jogo e criando as melhores chances, Palmeiras e Liverpool saíram derrotados.

    Manchester e São Paulo foram os “Mazembes” da época.

    Abração.

  • Fred Ferreira

    Os caras querem ser campeões do mundo com Renan no gol e Alecssandro no ataque ? Fica bem difícil….

  • M. Silva

    Prezado Luciano,

    acho que o que legitima os títulos mundiais anteriores à chancela da Fifa e à participação dos times Africanos, Asiáticos e da Oceania é que naquela época a diferença de nível técnico era tão gigante que ninguém – ou quase ninguém – sequer se perguntava por que times de outros continentes não estavam na disputa. Simplesmente não fazia sentido. E, desde que me entendo por gente, torcedores – inclusive os rivais dos vencedores – e imprensa sempre reconheceram o vencedor da Copa Toyota como campeão mundial.

    Um abraço,

    M. Silva

  • Daniel

    André,

    Kidiaba aconteceu?

    O melhor time geralmente ganha, Mazembe pode acontecer uma zebra.

    Kabangu o Mundial, saberemos melhor Congo explicar o ocorrido.

    AK: Excelente. Um abraço.

  • PÉROLA : ” A estréia é sempre nervosa, mas tenho certeza que no segundo jogo o time já vai estar mais solto.” Celso Roth http://t.co/0RjioVs

  • porisso que digo….tecnico,camisa, dinheiro, nome, fama, midia….não ganha jogo!!!!
    quem ganha são os jogadores la dentro de campo, no 11 contra 11….isso é prova que no futebol , não existe bobo há muito tempo,brasileiro precisa parar com essa mania de se achar o melhor do mundo, o imbatível,…não somos melhores que ninguem, temos hoje um bando de jogadores mercenários e uma imprensa torcedora , totalmente parcial…um exemplo rapido, o sr. Roberto Carlos, um cara mascarado, que enterrou nossa seleção em 2 copas do mundo, só pq veio pro clube da maioria da imprensa, virou craque, simpatico, gente fina…..infelizmente um clube ia pagar o pato, e foi o Inter,que deixou de jogar bola 1 semestre inteiro, pra no fim do ano jogar 2 partidas, o que pra mim é um absurdo, tendo em vista o salario milionario que os jogadores ganham…ta ai…vão jogar só 2 jogos mesmo……agora falam e repatriar Adiano, Ronaldinho Gaucho????isso é brincadeira, pagar salarios absurdos pra dois caras que não jogam bola há anos….só querem saber de fama, balada, mulher e cachaça….e otras cocitas mas…..estamos caminhando na contra-mão do futebol….dessa vez foi um clube que perdeu pros africanos…..cuidado seleção a copa de 2014 esta ai….camarões, nigéria, costa do marfim, togo, mali, congo….xiiiiiiii

  • Lops

    Bando de picaretas !!!!!
    Não paguem os salários desses salafrários !!!!

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo