COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

O W.O. DA RAZÃO

Duvido que algum dirigente do Corinthians tenha se surpreendido com uma declaração recente de Wlademir Pescarmona, diretor de futebol do Palmeiras. São raros, afinal, os cartolas brasileiros que não se expressam como fanáticos, que se preocupam em pensar por um ou dois segundos antes de falar em nome de seus clubes. Seja qual for a pérola, haverá similares.

Na noite de quarta-feira passada, pouco depois que o Goiás tirou o ar do Pacaembu, Pescarmona tratou de recuperar a frequência cardíaca de seu time: “Nossa folha salarial é de time europeu, mas o futebol é de time de segunda divisão”, declarou. Uau. Não se discute que a) ele pode estar certo, e b) tem direito à crítica. Mas os efeitos da chicotada são duvidosos por causa da exposição pública de um time que (surpresa!) tem jogo neste domingo. E no outro também. Há uma explicação, porém: o referido dirigente não está nem aí para as duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. E certamente não está sozinho.

O que nos leva à declaração mencionada (sim, tem outra) no início da coluna, mudando a conversa para outro DDD. Imagine que você é um dirigente do Cruzeiro. Seu time está na luta pelo título, apesar de todas as controvérsias do apito que, a seu ver, o prejudicaram tragicamente. A duas rodadas do final, a chance existe, mas depende de outras pernas. Dois times que estão acima precisam perder pontos. O próximo jogo de um deles é contra o Palmeiras. E aí você ouve um diretor palmeirense dizer o seguinte: “Por mim, o time nem entrava em campo, a gente dava W.O.”.

“Eu assisti ao jogo de quarta-feira e acompanhei essa declaração ao vivo”, conta Valdir Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro, por telefone. “É uma irresponsabilidade. Não podemos desmoralizar um campeonato que ganhou credibilidade. Um dirigente não pode dizer uma coisa dessas”, completa. Barbosa entende que esse tipo de devaneio não pode passar despercebido. “É passível de punição pelo tribunal da CBF. Foi uma declaração pública, as pessoas responsáveis precisam estar atentas”, pondera.

Ele está absolutamente certo. Leviandades de outra natureza, como por exemplo as assinadas pelo presidente cruzeirense, Zezé Perrella, sobre a comissão de arbitragem, podem ser resolvidas na Justiça. Sugestões de fraude em jogos do principal campeonato de futebol do país acabam justificadas pela emoção do torcedor. “Mas um dirigente dizer isso é decepcionante e revoltante”, afirma Barbosa, que deve imaginar como as palavras de Pescarmona repercutiram mal dentro do próprio Palmeiras. Além de castigar o time publicamente, o dirigente deixou os jogadores que enfrentarão o Fluminense em situação constrangedora. “Digamos que ele não foi muito inteligente”, diz uma fonte bem informada.

A rivalidade no futebol brasileiro tem sido usada para legitimar diferentes níveis de barbaridades. Há muito tempo deixou de ser produto de admiração, respeito, e da sensação de derrotar alguém que nos obriga a ser cada vez melhor. Dane-se o rival. E dane-se também quem não tem nada com isso, como o Cruzeiro.



  • Naco/SP

    As organizadas e seus representantes nas diretorias dos grandes clubes säo a ESCÓRIA do futebol brasileiro, além de intimidarem os jogadores; agora querem também mudar o rumo normal do que seria um campeonato por pontos corridos; um campeonato em que a arbirtagem é duramente e inconsequentemente criticada pelos dirigentes fanáticos (e nao profissionais) dos clubes, ou seja, é muita gente desvalorizando um mesmo produto, que é o principal ganha pao das receitas dos clubes, principalmente pelas cotas de TV.

  • Willian Ifanger

    Esses ano em especial revelou claramente o nível dos nossos dirigentes e cartolas. Todos eles se acham dono das entidades que dirigem. Não entendem o papel da cada um. E ninguém dentro dos clubes, nenhuma oposição, é capaz de lidar com isso. Só querem tomar o poder pra si.

    Não sei se a comparação cabe, porque não entendo profundamente do assunto, mas todo grande time americano da NBA, NFL e MLB tem dirigentes que são ex-jogadores, ídolos e mitos. Pessoas que entendem mais do que ninguém da alma do time e o que representa pra torcida. Pessoas que tem uma reputação diante da torcida enorme e não vão se queimar com politicagem barata.

    Seria um sonho ver pessoas como Raí, Sócrates, Evair, Zico, etc, etc, dirigindo os clubes que os elevaram a ídolos. Imagine uma reunião entre eles pra decidir sobre os rumos do Futebol? Seria muito mais interessante e esperançoso do que uma reunião entre Juvenal, Andres, Palaia, Perrela, e outras almas gêmeas.

    Tudo bem que a experiência com Roberto Dinamite não está sendo das melhores, mas pra mim esse é o caminho.

  • Marcel Souza

    Pô Willian, acho que a questão dos times americanos é que eles são franquias mesmo, empresas… Acho que não é bem por aí com relação a ex-jogadores e tal. Se eles estivessem realmente preocupados com a torcida, não iria acontecer de times mudarem de cidade, por exemplo.

    O que tem mesmo nos times americanos é a diferença da sociedade como um todo, como já foi dito aqui antes em outra coluna. Não digo que não haja maracutaia nos Estados Unidos, porque pode até existir, mas a repercução seria muito diferente daqui…

    1 abraço!

  • Willian Ifanger

    Mas hoje os times, pelo menos as franquias mais famosas, mudam bem menos de cidade.

    Só acho que a estrutura de poder de um clube de futebol hoje elimina qualquer tipo de corrente alternativa de pensamento.

    O departamento de futebol ser administrado por executivos seria o cenário correto. Mas ex-atletas (capacitados) poderiam sim contribuir, a meu ver.

  • Alexandre

    Engracado que a imprensa so fala do jogo do fluminense x palmeiras, mas ninguem menciona o jogo do corinthians x vasco, porque sera em andre?????

    AK: Quem é “a imprensa”?

  • Pedro

    André,

    Boa noite.

    Esse assunto além de chato pra burro (e pra nós, humanos tbm) é um labirinto sem saída.
    Não estamos tratando de seres robóticos ou programáveis, mas sim de pessoas com erros e acertos, virtudes e fraquezas.
    Eu não conseguiria torcer contra o meu time, e não o fiz ainda, mas não ficaria tão triste (como de fato não fiquei) quando derrotas em momentos que não significam nada em termos de tabela, acontecem.
    Sim, eu sei, há a desportividade, o respeito pelo colega do terceiro time que tem interesse em determinado resultado etc.
    O problema está na essência.
    Se admitirmos que a essência do futebol é o torcedor e que é por ele que os times jogam, vivem e sobrevivem e que os milhões de reais que anualmente circulam nessa “conta corrente” é por causa do torcedor (que “ao final do dia” é quem compra o produto que vai aparecer no intervalo do jogo de domingo na emissora que paga para transmitir o jogo…), encontramos um paradoxo.
    Se o torcedor (vamos ignorar o nível de células acinzentadas que cada um tem) que vai ao estádio pedir para que seu time perca? Se a felicidade do torcedor estiver na derrota do seu time naquela tarde só porque o outro time foi mais competente durante o campeonato e uma vitória do seu time beneficiar o terrível rival?
    Como o jogador deve reagir? Atende aos apelos do seu “cliente” final ou passa recibo de profissional e joga como se fosse brigar pelo título?
    Quem viu o Rogério Ceni e o Deola nos dois jogos contra o Fluminense sabe que eles assinaram a carteira profissional (no cado do primeiro, não é de hoje). Mas o time é composto por 11 em campo e se dois ou três desses entender que o importante é fazer a torcida feliz e que nesse caso a felicidade venha de uma derrota?
    Fica difícil classificar a instituição SPFC, SEP etc como “entreguistas”. Se não aceitaram dinheiro para entregar o jogo, o crime deles foi “jogar para a torcida”….
    Claro que essa torcida pode não significar a maioria….Como eu disse no começo, eu não torci contra meu time, mas tbm não fui ao estádio todos os jogos do campeonato….
    Complicado….

  • Elidio

    Andre,
    Sou corinthiano e nao havia pensado nas declaracoes sob a otica do cruzeiro. De fato eh revoltante. Parabens pela analise. Mais um vez vc veio com um analise que foge ao senso comum. Abs.

  • Carlos Yomuri

    Isso ai Andre
    Vamos continuar a defender esse “Maravilhoso”, “Emocionante”, “Justo” e “Honesto” campeonato por pontos corridos no Brasil
    Vamos la. Rumo a um replay de 2009, 2010 em 2011
    E viva a opiniao da cronica esportiva especializada

    AK: Não, viva a sua opinião, que não consegue perceber que outras fórmulas permitem os mesmos comportamentos. Um abraço.

  • Alexandre

    No mata-mata ninguem e campeao com uma entregada, agora nos pontos corridos…

    A imprensa são todos vocês, ou estou errado?

    AK: Está errado. Porque “a imprensa” não pensa da mesma forma, não tem a mesma opinião. Cada jornalista é responsável pelo que diz/escreve. No mata-mata, times são rebaixados com entregadas, e times são classificados com entregadas.

  • Jose carlos

    Anrdré, gostaria do fundo do meu coração que todos os jornalistas esportivos fossem tão imparciais como você e seu Pai. JC.

  • alex

    como foi dito anteriormente, não há remédio contra desvio de caráter. são todos canalhas, será que é tão difícil perceber isso?!?!?

    AK: Pois é. É tão evidente… um abraço.

  • Lucas

    Faz muito tempo que o futebol virou um negócio, repleto de cinismos e hipocrisias, aqui no Brasil, no mundo inteiro e também nas Copas do Mundo. Você Kfouri, como bom corintiano que é, não reclamou tanto quando o penalti em cima de Thiago Ribeiro não foi marcado, dias atrás. Em 1988, o Palmeiras venceu o São Paulo, jogou como manda o seu cinismo e colocou o Timão na final contra o Guarani, vencida com um gol de Viola. Mais uma vez, na época, foi tratado em tom de chacota como hoje. Mas, fique tranquilo… Dependendo o árbitro escalado, muitas coisas estranhas podem acontecer ainda lá na partida do Engenhão e o Timão ainda ficar com o caneco. Se fosse o Palmeiras, para ser campeão na última rodada, será que a imprensa estaria tão preocupada com esta possibilidade de jogo de cena? Acredito que não. Mas, sempre existe a alternativa do Presidente Lula declarar o Corinthians campeão por decreto! Vai ou racha no ano do Centenário! Fica sossegado, tanto você quanto o resto do Bando de Loucos no País do Socialismo do Lula e da Dilma. Continuo com a certeza de que o Timão dos Maloqueiros convictos e assumidos será campeão! Um título com importância social…

    AK: Você é o mesmo comentarista que pregava que a Libertadores estava comprada. De modo que não dá para levá-lo a sério. Se tivesse lido o que escrevi sobre Corinthians x Cruzeiro, teria se poupado do mico. Um abraço.

  • Teobaldo

    Atleticanismos à parte (tudo bem, eu seu que isso é impossível) cabem duas ressalvas. (1) Eu não li e não ouvi nenhuma declaração do Sr. Valdir Barbosa repudiando as asneiras ditas pelos Srs. Zezé Perrela e Cuca após o jogo contra o Corinthians; (2) Quando o time X é prejudicado pelas arbitragens os dirigentes do time Y (maior rival do time X)apenas dão risadas e fazem provocações que apenas acirram ainda mais as rivalidades (como se fosse preciso), se esquecendo que na próxima rodada os prejudicados serão eles.

    Concluindo, nenhum dirigente de clube quer tratar a arbitragem com a seriedade que ela merece, porque qualquer erro serve de desculpa para “tirar o foco” (eita expressão babaca essa!) dos próprios erros. Quando ouviremos algum dirigente declarar: “Perdemos porque contratamos mal e não conseguimos montar um elenco vencedor; perdemos porque o nosso planejamento foi falho, porque não percebemos as deficiências dos nosso elenco, porque os atletas estão desmotivados deviso ao atraso dos salários, etc? Quando ouviremos os treinadores dizerem nas entrevistas: “Perdemos porque eu errei na escalação, porque eu errei nas substituições”? Quando ouviremos os jogadores dizendo: “Perdemos porque eu perdi um gol feito, porque não treinei convenientemente, porque o nosso goleiro falhou”?

    Enfim, quando “cada parte envolvida” assumirá as próprias falhas, os próprios erros?

    Um grande abraço à todos!

  • Prezado André;
    Conforme já disse em um comentário anterior, não existe fórmula contra a falta de caráter, mas talvez a punição funcione. Acho que a crônica poderia lançar uma campanha em favor da criação de um código de ética (pode ser até sonho mas, afinal, estamos ainda no embalo da vitória da lei ontem, no Rio). A coisa funcionaria assim; uma declaração de um membro de diretoria ou a atitude ostensiva de uma torcida (como aconteceu com a do Palmeiras, ontem) em favor de uma fraude (entrega de jogo), seria considerda como comportamento anti-desportivo, e sujeitaria o clube a perder mandos de campo ou parte da cota de televisão para o ano seguinte. Quando não funciona a educação, o jeito é punir.
    De qualquer forma, não consigo entender o que leva um sujeito sair de casa para ir ao estádio, pagar ingresso e ficar na arquibancada igual a um panaca xingando os jogadores que ele mesmo vai aplaudir no ano que vem. A única explicação pe a xingar os jogadores do próprio time. Não quer torcer a favor? Fica em casa. Provavelmente deve ser aquele tipo casado com mulher feia e que tem raiva dos filhos. Freud explica.

  • Prezado;
    A segunda parte do comentário anterior ficou sem sentido, porque apertei o “Enter” sem querer. Problemas de “hardware” com quase sessenta anos entre o teclado e a cadeira. Peço desculpas. Mas a sugestão feita no primeiro parágrafo continua valendo.
    Um abraço

  • André Luis

    Engraçado ver como cartolas e torcedors, pra não falar de uma parte da imprensa, passam recibo de moralidade, justiça e honestidade quando se fala de time A não se esforçar contra B.
    Tudo vira roubalheira, injustiça, armação e complô. Todos os ético saem em defesa de uma postura ilibada no esporte.

    Mais curioso ainda quando nossa sociedade, sim, estamos todos juntos nessa, se orgulha do famoso “jeitinho brasileiro” tanto para o bem quanto para o mal.
    Não acredito em choro de dirigente que se sente prejudicado hoje e da gargalhada no dia seguinte quando se beneficia de erros da arbitragem. Hipocrisia não faz meu gênero.

    Imagine uma situação onde uma vitória do Cruzeiro livraria o CAM do rebaixamento.
    Esse senhor faria o que?
    Diria que entrega de W.O.?

    Não existem santos no futebol.
    Todos sabem, mas quando é conveniente preferem canonizar alguém. Não que esta tenha sido sua intenção do seu texto, AK.

  • Fernando Lippi

    Concordo com tudo que foi dito na coluna, mas ainda acho muito simples creditar a perda do título do Corinthians (se acontecer) simplesmente às “entregas” de SP e Palmeiras. Para mim é simples, o Flu será campeão pq foi o melhor time. Simples.

    – No início do campeonato o Inter jogou com time reserva contra o Corinthians na sexta rodada, e perdeu. O Inter estava querendo prejudicar alguém ou estava preocupado com a Libertadores? Foram 3 pontos do mesmo jeito, certo? Pontos corridos = todos os jogos têm exatamente o mesmo valor.

    – Quem pode afirmar que se o SP ou Palmeiras jogassem com os times completos, e cheios de vontade, iriam ganhar do Flu? Pela classificação e pelos últimos jogos, provavelmente perderiam.

    – O Corinthians perdeu DUAS vezes para o Atlético Goianiense. Se tivesse ganho esses dois jogos (é a obrigação de um time que quer ser campeão, não é?), já estaria comemorando o título nesta rodada.

    Não adianta criticar o formato. Neste formato, assim como em qualquer outro, um time só depende DELE MESMO para ser campeão. É (só) ganhar todos os seus jogos, ponto, simples. Quer justiça maior do que essa?

    Abraço

    AK: Não há a menor dúvida sobre isso. Um abraço.

  • Alexandre

    Nos pontos corridos também, ou você esqueceu que o Corinthians foi rebaixado e disse que o inter fez corpo mole, a grande diferença é que nunca haverá um campeão (que ao meu ver é o grande objetivo do campeonato) com essa dúvida.

    Grande abraço.

    AK: Haverá a dúvida no emparceiramento, que decide quem pode ser campeão. Para muita gente, é menos grave. Para mim, não. Um abraço.

  • kleber

    Hoje o futebol brasileiro vive dias de “faço o q digo mas não faça o q faço”…….

    lamentável e oportunista hipocrisia de alguns atletas do elenco corinthiano……………….

  • Edison

    André, considero vc hoje um dos melhores comentaristas esportivos, não se preocupa em criar polemicas para aparecer.
    o que eu posso dizer como palmeirense neste momento? VERGONHA, muita VERGONHA.
    do time, da torcida, enfim, ver os “torcedores” ofendendo o próprio goleiro por estar fazendo a sua obrigação é demais.
    estes caras não são torcedores do Palmeiras, são criminosos.
    agora, também não posso deixar de lado a nossa diretoria AMADORA. como conseguem ser tão incompetentes?
    agora, na minha opinião, abandonar o sistema de pontos corridos seria um retrocesso. acho que o sistema tem que ser mantido sim, mau-caratismo e incompetencia não é culpa do sistema de disputa. prefiro acreditar que o Palmeiras perdeu por incompetencia (o que convenhamos é absolutamente normal).
    não acho que iria mudar muita coisa, mas acho injusto que os times que tem vaga na libertadores não se classifiquem para a sul-americana. considerando que estes campeonatos não são disputados simultaneamente, os melhores times deveriam ir também para CSA. assim pelo menos não teriamos esta situação em que vários times não estão disputando mais nada no campeonato (não chegam mais na libertadores, não caem, e já estão garantidos na CSA).
    do jeito que está hoje a incompetencia está sendo premiada (o time escapa do rebaixamento na última rodada e ainda ganha de brinde uma vaga em uma competição internacional).

  • Andre Takebayashi

    André,

    Nenhum comentário sobre a “motivação” do Vasco no jogo contra o Corinthians ontem? E por que todo este estardalhaço com a apatia de Palmeiras e São Paulo nos jogos contra o Fluminense neste ano enquanto que no ano passado o Corinthians fez o mesmo contra o Flamengo, prejudicando o São Paulo, e não houve qualquer alarde? Se está acontecendo tudo isto neste ano, o grande culpado foi o Corinthians que começou com essa onda no ano passado (ou já se esqueceu da capa do jornal da torcida do Corinthians com o título “Doce Derrota”?).

    AK: Você leu o que eu ainda não escrevi sobre os jogos de ontem? E sobre o ano passado, dê uma voltinha pelos posts anteriores e os respectivos comentários. Um abraço.

  • kleber

    Excepcional a coluna de Juca Kfouri hj na Folha!!!!!!!!

  • Lucas

    A crônica esportiva corintiana do Lance, feita de censores da ditadura do Lula e da Dilma sempre tratou de forma desigual aqueles que em teoria deveriam ser apresentados e respeitados como iguais. O Palmeiras é constantemente “vendido” para o público como Patinho Feio e o Corinthians é o Queridinho da Mídia. Não pode entregar jogo, mas todos podem celebrar o diferente critério de um árbitro que marca um penalti (segundo sua livre interpretação) aos 43 minutos do segundo tempo de um jogo e tira todas as chances de título de uma equipe que também não teve marcado um penalti a seu favor. Os interesses são comerciais, sociais e políticos, já que o Corinthians campeão vende mais do que o Fluminense ou o Cruzeiro campeões! O Presidente da República deveria receber todos os times campeões nacionais na rampa do Planalto (Corinthians – campeão da Copa do Brasil 2009), mas como é populista, só olha para o próprio umbigo e para o Time do Povo e da Maloqueragem que precisa ser cultuada no país do jeitinho. Puxa, ele teve lá no Anhangabaú lotado, né? E depois não existe política misturada ao esporte, né? Fiquem sossegados que a balança da CBF contrária ao clube dos 13, vai celebrar o Timão na última rodada. O árbitro escalado e seus bandeiras farão o serviço para o Coringão. Depois é só sumir do Brasil como o Sandro Meira Ricci… E vocês não vão falar nada do autogol marcado pelo zagueiro Dedé? Duvido que vocês censores do Partido Vermelho dos Trabalhadores publiquem isso… A forçação de barra vai dar resultado na última rodada. Viva o Timão, campeão brasileiro de pontos corridos no ano do Centenário. Pena que o Inter não possa ter tido a mesma força quando vivia seu centenário!

    Obrigado por me desqualificar lá em cima… Não esperava nada mais íntegro da sua parte!

    AK: Não foi uma desqualificação. Suas peças de ficção são “indesqualificáveis”. Um abraço.

  • Jorge Luiz Tourinho

    André,
    Parabéns pela coragem e coerência que, infelizmente, andam um pouco em baixa nos canais do SPORTV.
    Não consigo entender que o comentarista Maurício Noriega não tenha visto o corpo mole do Palmeiras e do São Paulo na semana passada. Pareceu que alguns jogadores receberam ordens para “amaciar”.
    O que precisa ser feito não é mudar a fórmula do campeonato. É levar ao STJD os dirigentes que proclamaram as entregadas e alguns atletas, tais como Richarlyson, Assumpção, Kleber e Fernandão. Poderão dizer: “Cadê as provas?”. Certo, mas e a colocação deles diante da opinião pública poderá inibir outros a fazer o mesmo ou levá-los a denunciar as pressões imorais.
    Receba meu fraterno abraço.

  • William

    AK, procurei exaustivamente pelos seus posts do ano passado referente ao mesmo periodo do campeonato brasileiro, não encontrei nada em relação ao jogo de Corinthians e Flamengo! Vc pode repostar ou disponibilizar algum link, pois não quero ser precipitado em critícá-lo por sua postura este ano, grande abraço!

    AK: Você não vai encontrar. Eu estava trabalhando na Europa nessa época do ano passado. E também não fiz nenhum post específico sobre esse ano. Minha postura é relativa ao que se vê nos últimos anos, como está na escrito na coluna. Um abraço.

  • marcos

    ANDRE

    o grande problema para mim e que nada e feito para acabar com os problemas. Desde ano passado(Os outros anos nao tivemos problemas porque o SP abriu uma vantagem grande para todos) e uma vergonha o que esta se passando e nada e feito. Como comparar, como algumas pessoas estao falando acima de um jogo no comeco do campeonato onde foi colocado um time reserva, neste caso ninguem entrou para perder(Inter, Corinthians, Sao Paulo, Santos e outros) havia naqueles jogos compretimento , totalmente diferente nos jogos do final agora, para mim (sou apaixonado por futebol e meu time, acabou. Meu time foi prejudicado e ajudado, e simplesmente da nojo. Nem o campeao do ano passado e justo e nem o deste ano sera, HOUVE ENTREGA DE JOGOS)

    abracos

  • Carlos

    Cruzeiro XPalmeiras domingo que vem…….

    Será que o tal Valdir Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro manterá seu discurso????

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo