COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

A COPA É DE POUCOS

“Soccernomics”, dos britânicos Simon Kuper e Stefan Szymanski, é um dos melhores livros já escritos sobre futebol. Provoca no leitor o conflito entre o ímpeto de varar a noite virando as páginas e a vontade de ler só uma por dia, para que o final demore a chegar.

Kuper, jornalista esportivo, e Szymanski, economista, têm respostas para tudo e os números e evidências para sustentá-las. O livro deles diverte com assuntos “sem importância”, como uma fórmula matemática para prever resultados de jogos entre seleções nacionais. E educa com análises brilhantes sobre o futebol inglês e a história dos vencedores da Liga dos Campeões da Uefa. Também destrói mitos sobre a forma como clubes de futebol são administrados e sobre a importância econômica de grandes eventos esportivos para os países que os organizam.

Poucas mentiras são mais cabeludas do que as contadas por políticos e “autoridades” esportivas, em todas as partes do mundo, ao tentarem vender a ideia de que uma Copa do Mundo (ou uma Olimpíada) será “boa para o país”. Um evento dessa magnitude não se paga, não cria empregos, não estimula o turismo. O dinheiro que se gasta com arenas e infraestrutura é sempre maior do que o estimado, os postos de trabalho são específicos e temporários, a quantidade de visitantes é praticamente a mesma de anos anteriores. Os números jogados para a torcida no período que precede o evento são virtuais, inflados pela mesma bolha de negócios que pretende lucrar com eles. Nenhum argumento resiste, por cinco minutos, aos números reais verificados depois que a festa termina

É lógico que fazer uma Copa é interessante. Por aspectos sociais como o aumento da “taxa de felicidade” no país, por exemplo. Imagine um Mundial por aqui, onde se gosta tanto de futebol. Será um mês de diversão, um acontecimento.

Também é lógico que a Copa do Mundo é uma operação extremamente lucrativa, mas para setores específicos do mercado que se associam no que se chama de “indústria do futebol”. Construção civil, telecomunicações, agências de marketing esportivo, clubes que tiverem seus patrimônios valorizados pela competição. E como revelaram as recentes reportagens assinadas por Michel Castellar, neste Lance!, a Copa pode ser rentável para pessoas físicas que estão em posições privilegiadas.

O fato de o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, aparecer em contrato social registrado na Junta Comercial do Rio de Janeiro, como a pessoa que pode determinar o destino dos lucros obtidos pelo Comitê Organizador Local da Copa de 2014 é, por si só, um escândalo. A explicação de que o nome do dirigente sairá do contrato tão logo a lei brasileira permita que uma empresa tenha apenas um sócio não deveria encerrar o assunto. E a outra explicação, de que não entra dinheiro público (só da FIFA) no COL, não alivia.

O que assusta é o silêncio do Ministério do Esporte. O Governo brasileiro é o principal financiador do Mundial. Parece um perdulário despreocupado.



  • Willian Ifanger

    O livro tem tradução, André?

    AK: Sim, está nas livrarias. Um abraço.

  • Edouard Dardenne

    É uma vergonha o que aconteceu nesse domingo. Eu quis me atencipar às suas notinhas pós-rodadas porque não voltarei aqui nem em qualquer outra página da internet de conteúdo esportivo. Vou tirar um período sabático. Até o final do ano que vem. Um abraço.

  • rafael borges

    na veia, como de costume.

    abraço, andré!

  • João Carlos

    E os Deuses do futebol reservaram um lance MUITO PARECIDO hoje em Salvador, contra o Corinthians, dentro da área… e adivinhem?

    Óbvio que Carlso Eugênio Simon NÃO MARCOU NADA!!!

    O lance aconece quando o atacante rubro-negor espera pela bola, de costas e quase na linha de fundo, quando recebe uma “carga com o ombro nas costas”…

    E por favor, só não comparem a bola na mão com os referidos lances.

  • Penso que os grandes eventos geram muita renda sim, mas por um período minúsculo de tempo! Porém, não deveríamos considerar o capital moral que a organização de um grande evento traz?

    Querendo ou não, o Brasil terá mais divulgação na mídia, o que pode ser uma oportunidade para derrubar mitos negativos sobre o país.

    Abraço!

    AK: Isso realmente acontece, se tudo der certo. Na África do Sul não deu tudo certo e a impressão que ficou foi ruim. Um abraço.

  • Igor Vinicius

    Sinceramente, eu penso, penso; analiso e a única solução que encontro é arrumar as malas e ir embora viver em outro país. A máfia é forte demais aqui. As raposas vigiam o galinheiro e roubam o máximo de ovos que podem e fica por isso mesmo. Besta é quem não rouba. E essas filosófias de vida daqui do Brasil. Pena.

  • Luis

    Ontem tive a confirmação do que eu disse aqui na semana passada.
    Se acontecesse aquele lance do Ronaldo na área do Corinthians, o árbitro não marcaria o penalti.
    Não tem nada a ver com o fato de ter sido ou não penalti. Foi penalti lá..e foi tambem penalti para o Vitória.
    É muita coincidencia, ne nao?

  • kleber

    André,

    Acredito que um evento como a copa do mundo é interessante para países como EUA e Austrália que não tem tradição no futebol e utilizam o evento para criação de um “legado esportivo”.

    Para nós não acrescentará em nada.

    AK: Países ricos como esses, ou “pós-materialistas” como a Inglaterra, por exemplo, podem ser dar ao luxo de fazer essas coisas. Um abraço.

  • Teobaldo

    Isenção de impostos é dinheiro público. Ou não?

  • Marcello

    Tite falou muito bonito semana passada sobre a “autonomia perante a bola, na jogada” que ROnaldo tinha quando daquele penalti.
    Por que ele num fala agora da autonomia do Adailton, sofrendo a carga do goleiro corintiano?

    Ou eu que sonhei que teve um lance igualzinho????

    AK: Sonhou. Um abraço.

  • Marcel Souza

    André, sou muito fã do “Freakonomics” (já leu?) e não sabia da existência desse “Soccernomics”. Vou atrás! 1 abraço,

  • Guto

    Muito obrigado pela indicação do livro, sem dúvida alguma lerei! Acho que você deveria indicar mais livros aqui no blog, sem dúvida seria muito útil para nós leitores. Lembro-me de uma vez em que você comentou sobre um livro que contava os bastidores do Chicago Bulls de Jordan, acredito que era um livro sobre o Phil Jackson (ou será que era sobre o próprio Jordan?), você se lembra disso? Pode dizer o nome do livro novamente? Abraço!

    AK: Chama-se “The Jordan Rules”, é sobre MJ e os Bulls. Um abraço.

  • luisa

    “”””Marsiglia acrescentou que marcaria um dos pênaltis sobre Thiago Ribeiro, que o Cruzeiro reclama. Mas disse que o lance em questão é de interpretação. “Mas no pênalti no Ronaldo não cabe interpretação, é aplicação da regra”””””

    Cade os corinthianos q afirmaram q foi penalti no jogo anterior pra falar do lance identico no jogo contra o vitoria so q seria penalti contra…sumiram, esqueceram da polemica… fora outras lances

    outro jornalista famoso, juca kfouri, nunca acha q tem evidencia de beneficiamento para o corinthians (99,02,05,10), mas nao titubeia em afirmar q o sao paulo entregou o jogo no seu blog, sem ter evidencia nenhuma pra isso a nao ser a situação em si. PATÈTICO!

    compra essa imprensa quem quer, compra quem precisa

    AK: Prezada, seus problemas se agravaram em uma semana. O lance não é idêntico. No de ontem, há disputa de bola. Você também está completamente equivocada na interpretação do que foi escrito no outro blog citado em seu comentário. No mais, nosso debate não vai a lugar nenhum. Seu “fundamentalismo” sempre encontrará as devidas correções por aqui, pois, apesar do nonsense, eu me divirto ao respondê-la. Mas perco meu tempo, devo confessar. Participações como a sua são o efeito colateral de um blog esportivo. Um abraço.

  • luisa

    “””FORA OUTROS LANCES”””!!

    quem discorda da sua postura e sua visão é fundametalista!?! Revelador. o citado blog nem teve coragem de publicar minhas considerações.

    Nao vai a lugar nenhum pq vc prefere. nao quero te convencer de nada, mas quero q fique registrado para o seu público q suas posições são contestáveis.,

    eu tambem te acho nonsense, acho q a postura impavida e colossal da imprensa paulista, nonsense, acho o nepotismo no jornalismo nonsense. Tem muita coisa nonsense.

    AK: Você já me convenceu de uma coisa: precisa de ajuda. E altamente qualificada. Um abraço.

  • luisa

    vc como comentarista de futebol é um belo psicanalista!

  • Simone

    Andre
    eu fico impressionada com sua paciência com gente persistente como a Luisa. Sempre passo por aqui, mas raramente comento. Mas eu penso que a copa não traz benefícios nem para o turismo, minha aérea. Em Brasília, por exemplo, temos uma rede hoteleira pequena, quando todos os politicos resolvem aparecer por aqui, como essa semana, não encontramos um quarto para os turista e ninguém quer investir em hotelaria por aqui, sabendo que depois não terão nem 50% de ocupação semanal. Acho que vendem errado demais e todo mundo aceita que copa é ótima para um país. Longe disso. Talvez para espalhar alegria como você disse, mas ai já temos o carnaval, não precisávamos de uma copa.

    AK: Pois é. Só acredita que “a Copa vai ser boa para o Brasil” quem quer. Um abraço.

  • M Silva

    André,

    o goleiro do Corinthians tenta passar por dentro do jogador do Vitória no lance que, para mim, foi pênalti. Eu não vejo em que dizer que há disputa de bola argumente sustentar que não foi pênalti, o que me pareceu ter ficado subentendido na sua resposta para a Luisa. Há disputa nessa jogada tanto quanto houve na do Gil com o Ronaldo.

    Um abraço,

    M. Silva

    AK: Os lances são completamente diferentes. No Pacaembu, a bola está no peito do Ronaldo quando o Gil dá o tranco. No Barradão, a bola está no ar e o Adaílton estica o braço para entrar na frente do Julio César. Concordo com essa análise:

    http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1379497-7824-CAIO+RIBEIRO+ANALISA+OS+LANCES+DO+EMPATE+ENTRE+CORINTHIANS+E+VITORIA,00.html

    Um abraço.

  • M Silva

    Caro André,

    revi o lance após ler suas considerações e a análise do Caio, mas continuo discordando da sua opinião. A diferença que você aponta não me parece relevante, até porque o que salta mais aos meus olhos é o fato do goleiro do Corinthians estar atrás do jogador do Vitória, e tentar chegar na bola da única maneira que lhe seria possível: atropelando este último. Além disso, eu recuperaria, mutatis mutandi, seu argumento acerca do pênalti a favor do Corinthians contra o Cruzeiro: não consta da regra 12 nenhuma menção à bola estar ou não em disputa, o jogador poder ou não dar prosseguimento ao lance, olhar para o goleiro antes, deixar o corpo. Se esse tipo de consideração não valia para a análise do lance do Ronaldo (que eu também acho que foi pênalti, para deixar claro), também não deve valer para a análise do lance no Adaílton. Diga-se de passagem, a observação do Tiago Leifert – “é como se fosse uma obstrução, […] olha o cotovelo” – me parece absolutamente despropositada.

    Um abraço,

    M. Silva

    AK: Pois é, discordamos. Um abraço.

  • João Carlos

    Desculpe André, mas você é o CAMPEÃO em SOFISMAR… 

    Já virou piada de botequim (de boleiros) seus comentários e interpretações. 

    Sua certeza quase psicótica diante de alguns lances e as incríveis interpretações ao próprio gosto, beiram um personagem. 

    E acredite, este não é um comentário de alguem exaltado, buscando uma ofensa gratuita. Juro que virou PIADA na minha turma de futebol da Universidade onde dou aulas… 

    Abraço e continue assim.

    AK: Ótimo. Rir é muito melhor do que babar de raiva, como tem sido comum. E é mais fácil do que apresentar argumentos. Mas se eu escrevesse o que você quer ler, você me elogiaria pela “imparcialidade”. Um abraço.

  • João Carlos

    Isso é o que você supõe e parece desejar. 

    Tanto que agradece cada “recadinho do coração” e rejeita de maneira grosseira os demais.

    Mas realmente, faz-me rir quando me pede argumentos. Afinal, você trata os argumentos alheios como de gente débil e desinteressante.

    Você me lembra um “personagem” do Veríssimo, paciente do famoso analista de Bagé, que dizia:

     – “Dizem que sou Megalomaníaco, Doutor. Mas eu não acredito neles”.
     – “E porque você não acredita neles?”
     – “Porque é tudo gente inferior!”

    Saudações.

    AK: Que maravilha! Veríssimo num blog esportivo… Sobre minhas respostas, como já te disse, elas têm o mesmo tom do comentário. Sua insistência não vai mudar isso. Ah, claro, faltou o argumento, professor. Um abraço.

  • JC

    A coisa mais ridicula que existe atualmente no futebol é este regulamento dos pontos corridos, o brasileiro precisa parar com este sentimento de pequenez, que tudo que vem de fora é melhor… os idiotas que fazem a defesa do estrangeirismo, deviam dizer que prefere um jovem gringo que fala inglês que seu filho como um estagiário a ser contratado em uma grande empresa. Idiotas que buscam justiça na sociedade através de uma atividade considerada jogo…onde a grande maioria são de pessoas falsas,mentirosas,invejosas,falta de cultura, etc… Procurem lutar por justiça em outros lugares: que tal começar pelo congresso, tribunais,etc… Ridículo o entrega-entrega…

    AK: Controle seus dedos. Seu tom está um pouco acima do permitido. No mais, não conheço ninguém que defenda os pontos corridos “porque vem de fora”. E o formato do campeonato não é o culpado. Sua tese está equivocada. Um abraço.

  • luisa

    “”Mas se eu escrevesse o que você quer ler, você me elogiaria pela “imparcialidade”””

    hahaha vc acaba de admitir do q é feito seu jornalismo, receber elogios de “imparcialidade”, vc espertamente sabe agradar a maioria,

    AK: Só no mundo em que você “vive”. Seu nível de “incompreensão proposital” do que está escrito é assustador. Como já disse, é patológico. Um abraço.

  • luisa

    Assutador é a desfassatez e o clubismo da imprensa!

    O vitória foi usurpado mas nao tem torcedor baiano na imprensa pra lembrar a gente disso ou dar a versão deles da história. Ninguem receberia ‘elogios de imparcialidade”.

    Como já disse, vc como jornalista é um ótimo psicanalista

    ps.editou meu texto por que?

    AK: É “desfaÇatez”, ok? O fato de você reconhecer que psicanalistas existem já é um começo, prezada. Um passo a cada dia. Torço por você. Um abraço.

  • Já que a vantagem financeira não se faz tão clara assim com a Copa, torçamos para que as demais vantagens o façam.
    Espero que esse aumento na “taxa de felicidade” seja o suficiente (:

  • luisa

    Vc conseguiu me rebater…no erro de português.

    eu já dei um, quando vc vai dar o seu passinho e sair das trevas dessa velha imprensa. ou seria a nova-velha imprensa.

    No mundo em q eu vivo, eu lamento pelo time e torcedores do Vitória, não é fácil ficar na série A,sem publicidade nenhuma e com o silêncio da imprensa, é desolador.

    AK: O quê? Ah, sim…

  • luisa

    Eu não me engano, a polêmica do último jogo só se deu pq era o fluminense também prejudicado, time do rio, e não apenas o cruzeiro.

    é a minha opinião, sei q só a sua vale a sua aqui, o resto é gente com problema hahaha

    AK: Pois é, tem cada uma…

  • luisa

    “Pois é, tem cada uma…”

    triste é quando uma dessas opiniões tem poder pra ganhar amplitude nacional. Mais triste ainda é notar q há um consenso lucrativo em torno dela

    FRASE DO TOSTÂO:

    “Os árbitros entendem muito de regras, mas entendem pouco de futebol. Não são só eles.”

    fica minha dúvida, qual o pior? o arbitro q deveria impor a lei e a desvirtua, ou o jornalista q deveria denunciar e acata?

    AK: Claro, isso é óbvio…

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo