CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

É FALTA. DE CRITÉRIO

O padrão de arbitragem tido como o melhor do mundo, hoje, é o inglês. Na Inglaterra, não há “faltinhas” e o jogo corre. Jogador-mergulhador, ou ator, não se cria por lá, onde os apitadores não decidem partidas como acontece com freqüência aqui no Brasil.

Não se deve confundir o padrão inglês com “arbitragem europeia”. Na Espanha, por exemplo, o nível é tecnicamente fraco. Na Itália e na Alemanha, é um pouco melhor. Não somos os únicos que sofrem.

Muitos colegas que respeito e admiro entendem que o pênalti marcado em Ronaldo, no sábado passado, exemplifica o que há de mais errado na arbitragem brasileira. Um pênalti eletrônico, confirmado (para muitos, desmentido) apenas depois do replay da televisão. Um pênalti que não respeita a natureza do futebol, esporte de contato. Há quem argumente, também, que os árbitros têm a obrigação de distinguir faltas conforme o local do campo. Dentro da área, por causa do impacto potencial no resultado, só se for falta com F maiúsculo. Dizem que na Inglaterra é assim.

Respeitosamente, discordo. Penso que para marcar um pênalti, o árbitro tem de estar convicto. Não basta parecer falta, tem de ser flagrante. Mas é evidente que o “tamanho” da falta importa menos do que a condição do árbitro de identificá-la. A distinção entre uma falta fora e dentro da área já existe na regra do jogo. É a marca do pênalti.

A vida dos juízes era mais fácil antigamente. Um par de olhos humanos era capaz de acompanhar um jogo mais lento. A televisão não dissecava os lances, erros não ficavam escancarados nas telas. Hoje o replay quase sempre crucifica o árbitro. No sábado, o inocentou.

Gil chegou atrasado, jamais disputou a bola que estava no peito de Ronaldo. Carga com o ombro nas costas, falta. Aqui ou na Inglaterra, desde que o árbitro veja. Classificar o lance como “pênalti de replay” é partir da premissa de que o juiz não o viu, ou não poderia ver. Alguém pode afirmar isso?

A arbitragem brasileira tem muitos problemas. Cada árbitro apita de um jeito. Há árbitros que apitam cada jogo de um jeito. Os critérios não são uniformes e os responsáveis vivem em silêncio. Se não conseguimos nem garantir que a regra seja aplicada da mesma forma ao longo de um campeonato, como pedir a um árbitro que “classifique” faltas? Vê-las já não é fácil. E por causa dos múltiplos juízos, árbitros, jornalistas e o público em geral podem ter conceitos diferentes do que é uma falta. Essa é a principal diferença em relação ao que se passa na Inglaterra.

É inegável que há regras não-escritas no futebol. Jogador folgado sabe que vai apanhar, por exemplo. Aplicar tais códigos ao trabalho da arbitragem é aceitar que o árbitro o deixe apanhar, porque ele merece.

Se é para ser assim, o futebol não precisa do apito.



  • Paulo Henrique

    Concordo com seus argumentos e concordo tbm com argumentos do Tostão que são contrários aos seus.

    Assim concordando com todo mundo, fica fácil de avaliar que penalti tem que ser BEM claro, com F maiúsculo, como vc disse.

    Aquele penalti, aos 42 do segundo tempo, entre 2 candidatos ao título, com Ronaldo de costas para o gol, não pode ser marcado nunca.

    Sou seu fãn

    Abraçooo

    AK: Tem que ser claro para a pessoa que o marca. E a posição do atacante não importa. Obrigado, um abraço.

  • Bruno

    Tostão jogou bola e você?

    AK: Argumento pueril. E não é a primeira vez.

  • André,
    minha idéia de modernização paralela à International Board (leia-se, sem depender da boa vontade dos ‘velhinhos’) é usar a tecnologia que a TV já tem hoje para analisar a qualidade de cada arbitragem. Explico-me.

    A Globo de vez em quando mostra um tira-teima com a visão do goleiro ou do atacante no lance. Por que não fazer uma visão do juiz e do bandeira em TODOS os lances relevantes do jogo? Aí sim podemos dizer se o cara viu ou não, se foi má fé, interferência externa ou erro humano. A partir desses tira-teimas, poder-se-ia criar um ranking meritocrático dos árbitros e a seleção natural ajudaria a melhorar um pouco esse quadro. Além disso, poder-se-ia investigar um pouco mais a fundo as pérolas da sabedoria popular relativas aos homens de preto: eles realmente são influenciados pela torcida mandante lotando o estádio? Eles realmente ‘marcam’ alguns jogadores e os deixam apanhar?

    No mais, concordo com você e discordo do Tostão: falta no meio de campo e na área devem ser marcadas igualmente. Se tem alguém que deve fazer a distinção é o marcador, evitando as faltinhas bestas dentro da própria área.

    AK: O que digo é que se o árbitro viu, tem de marcar. Digamos que o “nível de certeza” (sei que não é a melhor expressão, mas não achei outra) para marcar um pênalti precisa ser maior. Um erro de julgamento que resulta numa falta no meio do campo é menos grave. Um abraço.

  • kleber

    Andre,

    Continuo com minha posição anterior e reservo o direito de discordar de vc…

    O zagueiro só teve condições de saber que não tinha condições de alcançar a bola quando estava no ar, mas já era tarde…….

    O posicionamento dos braços foi para chegar firme e se proteger como toda dipusta de bola aerea, não houve empurrão…..mas sim força na disputa….

    O fato de o atacante estar de costas por si só não caracteriza a falta se não houver o empurrão….assisti o jogo Palmeiras e Goiás na quarta e vi muitas disputas de bolas aereas em que um dos jogadores estava de costas e perdia a disputa no tranco, sem empurrão ou braço esticado………

    Como disse anteriormente, neste caso não acredito em esquema, mas apenas em erro de arbitragem……

    Abraços

    AK: Novamente: não houve disputa de bola. Se o Gil se atrasou, paciência. Ombro nas costas é falta. Se não for, é só dar um tranco no goleiro no ar e esperar que ele solte a bola. Um abraço.

  • E poooonto para André Kfouri.

    E quanto a esse negócio de “contato”, estão confundindo futebol com football.

    Abraço!

  • Edouard Dardenne

    “Goleiro na pequena área não pode ser tocado”. “Não há impedimento quando a bola é tocada para trás”. “Falta cometida pelo último homem é para expulsão”. “Pênalti é sempre, pelo menos, para cartão amarelo”. Há uma série de equívocos cometidos por quem jamais se preocupou em conhecer as leis do jogo. O futebol é tão enraizado em nossa cultura que o domínio das leis do jogo se passam conhecimentos gerais. No direito, isso também ocorre. “No trânsito, quem bate atrás tem que pagar”. Essa história de que o pênalti, para ser marcado, precisa ser uma baita Falta, que impede o jogador de prosseguir com a jogada, impede o gol, etc., é mais uma desse folclore. Folclore. Não passa disso.
    Você invocou uma conhecida técnica de interpretação: onde o legislador não distingue, não cabe ao interprete fazer a distinção.
    Falta é falta em qualquer lugar do campo. O que varia é a forma de cobrança. Em geral, tiro livre direto. Excepcionalmente, tiro livre da marca do pênalti.
    Futebol justo é aquele em que o zagueiro pode pensar que dar um forte tranco com o ombro nas costas, na área, é válido porque pênalti é diferente de falta.
    Um abraço.

  • Luiz Fernando Paes

    é fato que se aos 40 e poucos, o corinthians com 1×0 no placar, e fosse prum time adversário, tipo Atlético Goianiense, e o centroavante do Atlético matasse a bola no peito e o Chicão chegasse como chegou o Gil, esse lance além de não ser pênalti, não estaria nem nos melhores momentos dos jogos, não estaria falado nas tvs, rádios, jornais, nada, como se não houvesse existido e passaria batido ..

    óbvio que houve um choque e no ar a tendência é você perder o equilíbrio e cair, mas a ponto de isso ser pênalti, não foi nem aqui nem na China, muito menos na Inglaterra ..

    abs

  • kleber

    Pois é Alejjandro e vc no caso parece confundir futebol com tênis ou volei, o que é muito pior.

  • Edouard Dardenne

    Digo: Futebol justo é aquele em que o zagueiro pode pensar que dar um forte tranco com o ombro nas costas, na área, é válido porque pênalti é diferente de falta?

  • Eduardo

    Aos amigos tudo. Aos inimigos a lei. Para mim esta máxima define a sensação deixada na mencionada falta de critérios na arbitragem, a mesma que deixou tanta gente revoltada na partida entre Cruzeiro e Corinthians. Deixo claro aqui que é a sensação, ligada a um instinto. Meu lado racional se recusa a acreditar que haja “amigos” e “inimigos”, ou a tal armação defendida por alguns membros do time mineiro.

    Tendo a discordar da opinião do Birner, que me parece a quem se refere este texto: falta é falta. Mas sou obrigado a concordar que há certas faltas que só se marcam no Brasil e que acabam tornando o jogo menos prazeroso, pois os próprios jogadores utilizam estas faltas como forma de parar a partida em certas ocasiões. Há faltas que parecem um ritual, como aquela do jogador que domina a bola perto da linha lateral, na zona defensiva, a espera da chegada do atacante. Muitas vezes os defensores caem antes de serem tocados, e o ritual está tão enraizado que o juiz marca a falta e mesmo o atacante não parece se importar. O problema é agravado pela falta de critério durante a própria partida.

    Agora sobre o Corinthians x Cruzeiro polêmico e minha análise. Vi os 20 minutos iniciais e o jogo parecia tranquilo, com algumas faltas bobas. Até que o árbitro marcou uma falta no meio-campo em cima de Ronaldo, em um lance como tantos outros até ali, em um jogo com o clima tranquilo até então, e de repente… um amarelo. Estava acompanhado e comentei na hora: este árbitro está nervoso e deu o amarelo por que era o Ronaldo (que no lance pareceu até sem graça). Mudei de canal e vi apenas uns pedaços do resto da partida. Vi o lance de Thiago Ribeiro e achei pênalti. Se um defensor desse um carrinho daquele ninguém questionaria (fui goleiro e sempre questionei a tal regra “escondida” de imunidade do goleiro). Vi o pênalti em Ronaldo e achei ridícula a marcação. Na minha opinião Gil não atropela Ronaldo, que salta para trás, e até tenta evitar um pouco o choque. Depois concordo que seja um caso que possa gerar dúvidas, mas continuo com minha opinião. Me deixou um pouco revoltado a expulsão: também não há regras dizendo que se deve dar amarelos sempre que há pênaltis, e foi uma falta muito da comum em um lance que estava longe de ser uma oportunidade clara de gol. Mas a impressão que tive, e acredito que tenha sido forte para os torcedores do Cruzeiro, é que o árbitro estava claramente se sentindo pressionado. Talvez pelo renome de Ronaldo, talvez por ser no Pacaembu, talvez por estar no fim do jogo, um pouco de tudo, não sei. Sei que o árbitro conseguiu ser a lembrança em um jogo decisivo entre duas boas equipes.

    AK: Sem dúvida há um certo tipo de falta que só é marcada no Brasil. Esse é um dos problemas mais sérios e a grande diferença, voltando ao texto, em relação ao padrão inglês. Um abraço.

  • carlos

    Critérios subjetivos, só não podem ser analisados de maneira objetiva.

    Caso contrário, senhores como Tostão, Zico, Rivelino, Jorginho(ex-seleção), Dirceu Lopes, Luizinho, Mauro César Pereira ou Jair Bala, não saberiam interpetar regras. Todos compreendem que o juiz foi MUITO MAL durante TODO o jogo, errando no lance do penalty em favor do Cruzeiro e que NÃO FOI PENALTI no jogador Redondo, quer dizer, Ronaldo.

    Jornais importantes pelo mundo, como Olé, Marca e Gazzeta del Sport deram destaque ao NÃO PENAL em favorecimento do time Centenário.

    E para finalizar: Não adianta. Roubou e tá roubado legalmente.

    Quanto aos clubes fora do eixo, estes reclamam sem razão. O campeonato é feito para paulistas e cariocas. Os outros servem para gerar renda. Até as televisões evitam reprisar lances polêmicos que beneficiam o eixo do mal. Agora, que os nossos dirigentes, principalmente das federações, são uns bananas, isso todo mundo sabe. Gritam, são punidos e não fazem nada. União parece que nunca vai existir. E tome campeonatos nacionais prá eles. Campeões do roubo

    Leia mais: http://www.cruzeiro.org/noticia.php?id=41234#ixzz15lEBBFEL

  • BASILIO77

    AK, respeito seu trabalho, mas esse assunto já cansou.
    Insisto que toda essa celeuma não é por conta do lance em sí, e sim por “favorecer” ao SCCP.
    “É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito”.
    Portanto, pra continuar usando frases feitas:
    “Cada cachorro que lamba sua
    Abraço.

  • Devo estar confundindo mesmo, porque todo mundo quer que o juiz marque falta somente quando um dá uma raquetada no outro…

    Tsc, tsc, tsc…

  • Luiz Felipe

    Pois é Basílio. Relmente é sempre a mesa coisa!

    Quer dizer… quase a mesma coisa né, já q mudam os adversários.

    Claro que vocês não tem culpa. E não acredito em (grandes) armações. Mas, como bem falou o Fernando Carvalho, quando exibiu o DVD, existe um inconsciente coletivo de, na dúvida, é pra vocês.

    Aquele DVD, que muito criticaram sem vê-lo (como o próprio AK), era CONSTRANGEDOR quanto aos favorecimendos na copa do brasil 2009. Inclusive tinha o áudio do nosso amigo PVC comentando “Esse é o quarto pênalti inexistente a favor do corinthians nesta copa do brasil”. Não lembro bem agora se era o quarto ou quinto. Enfim…

    O fato é que, como diz outro colegado de ESPN do AK, é muito pênalti à moda pacaembu a favor do mandante. Já os seus zagueiros e goleiros, que geralmente são medianos, se consagram distribuindo carrinhos dentro da grande área.

    Não é corneta, mas acredito que esse favorecimento cobra a conta em competições internacionais, em que a ausência de condescendência (eu não disse ajuda) da arbitragem implica campanhas pífias. Se não me engano, nunca jogou uma final.

    Mais ou menos como o guri mimado que sai de casa e se quebra no mercado de trabalho…

    Certamente a celeuma se dá pelo conjunto da obra, que é vasto.

    Bom fim-de-semana a todos.

    AK: Correção: não critiquei o DVD. Critiquei a estratégia de usá-lo antes da decisão da Copa do Brasil. Um abraço.

  • Rogério

    Pouco importa, mas nessa concordo com o Birner!
    Abraço

  • FabioN

    Basquete também tem muito contato.
    Por que não vejo esse tipo de discussão também no Basquete ?

  • Marcos Vinícius

    André,é o seguinte:

    Vc colocou,com toda a razão,que os árbitros brasileiros têm critérios diferentes.Isso é fato.Eu,por exemplo,não concordo com a forma que o Heber Roberto Lopes conduz uma partida.Mas isso é opnião de cada um.Pra mim,hoje,um dos melhores árbitros da nova “safra” se chama Marcelo de Lima Henriques,aquele mesmo que deu vermelho direto pro Nílton e marcou o pênalti que sacramentou a vitória do Botafogo sobre o Vasco na decisão do segundo primeiro turno do Carioca.Bem,mas deixando isso de lado…

    Na sua “proposta” sobe o apito eletrônico,um ou mais árbitros ficariam numa cabine orientando o árbitro principal em relação aos lances mais complicados.Bem,pelo menos foi isso que entendi.

    Mas e se o critério de quem estiver na cabine for diferente de quem está em campo,já que o nosso futebol dá margem para a “livre interpretação” dos árbitros?

    Quem resolveria a parada?

    AK: Revisão de lances usando o replay tem menos a ver com critério de arbitragem, e mais com a correta análise do que aconteceu. O trio que estaria na cabine teria a função de corrigir eventuais erros do árbitro. Um abraço.

  • FabioN

    Nunca entendi essa de corpo-a-corpo, ombro com ombro.
    Se um zaqueiro empurra o atacante que está em alta velocidade, com o ombro, claramente para tirar o equilibrio do outro, é falta ou não ?

    “Futebol é Esporte de contato”
    “Futebol é coisa pra macho”
    É esse tipo de pensamento que faz o Futebol ser um mundo de brutamontes, com cada vez menos talentos.

    Semanas atrás, em Barcelona x A. Madrid, o zagueiro foi para quebrar o Messi.
    youtube.com/watch?v=4j3XUrCvPHk
    O narrador e o comentarista se preocuparam mais com o fato de o criminoso ser punido.
    Nenhuma indignação com a situação do melhor jogador do mundo.

  • João Carlos

    Parabéns aos comentaristas Eduardo e Luis Felipe.

    Muito lúcido e inteligente o comentário de vocês.

    “O fato é que, como diz outro colegado de ESPN do AK, é muito pênalti à moda pacaembu a favor do mandante. Já os seus zagueiros e goleiros, que geralmente são medianos, se consagram distribuindo carrinhos dentro da grande área.” – CLAP CLAP CLAP (de pé)!!!!

  • Paulo sp

    Ombro nas costas é falta!(deveria ser para todos)
    Então como disputar bolas alçadas na área?
    É só “proteger” a bola e esperar um toque?
    No lance do Ronaldo, acho que ele cavou o pênalti.
    Mesmo com recurso eletrônico cada um tem uma opinão…coitado dos arbitros
    Nos lances em que o Cruzeiro reclama pênalti, no entanto, eu não marcaria.
    Agora os “impedimentos” foram escandalosos nem na várzea aqui, o bandeira bêbado erraria…

  • BASILIO77

    “Os que não quiserem bater palmas, podem chacoalhar as jóias.”
    Abraço.

  • daniel

    Tranco no Ronaldo aos 42min do segundo tempo: penalti claro!

    Tranco no Wellington Paulista aos 40min do primeiro tempo: jogada de ombro, normal.

    Fabio Costa da carrinho com os dois pes no Tinga aos 30 do segundo tempo: vermelho por simulacao!

    2 jogadas na area da Portuguesa: Penalti claros para o Castrilla.

    Abertura da copa? Morumbi e Palestra nao satisfazem os criterios da Fifa, mas o estadio fantasma satisfaz, claro!

    Esquema de corrupcao no Brasileiro com Edilson? Anularemos todos os jogos! Beneficiam o Corinthians? Paciencia, coincidencia desagradavel, so isso.

    Andre, o penalti no Ronaldo irrita por varios motivos, faz parte de um contexto em jogos decisivos, infelizmente e’ isso que irrita a todoso.

    Isso que a gente queria que fosse discutido, o contexto esta na nossa cabeca ou nao? Somos todos anti-corinthianos que acreditam em conspiracao? Tudo acima foi apenas coincidencia, e tambem acontece com todos os clubes? O fato de tecnicamente ter sido ou nao penalti, sinceramente, e’ o de menos nessa historia toda.

    Abracos,

    Daniel

  • xandeboy

    Bom dia….acompanho sempre seu blog…..gostaria de explanar minha opinião sobre o fato.Jogo futebol(razoavelmente) e apito também,vejo que o jogador dentro da área ou próximo dela tem um comportamento muuuito diferente de quando está no meio do ampo por exemplo,se…..este tranco do Gil fosse após tiro de meta,a bola estivesse no meio de campo,Ronaldo cairia????E se caísse ,o árbitro daria falta? Essa ” malandragem ” do brasileiro que antes era seu grande trunfo agora parece q está o prejudicando…..Messi poderia ter caído no gol q fez contrao Brasil? O juiz daria falta naquela chegada do Lucas, acredito q não….se fosse no camp.brasileiro o cara cairia pois o juiz daria a falta…. ..Parece q o Simon falou algo a respeito….

  • Eduardo

    Na verdade, se o penalti fosse a favor de qualquer outro time, ninguem estaria sequer comentando.

    Domingo passado teve um penalti polemico a favor do Fluminense. E não foi dedicado nem uma palavra sobre o fato.

    Juizes são subjetivos e torcedores também. Tem torcedor que acha que Julio Cesar cometeu penalti sobre o jogador do Cruzeiro, e que o lance sobre o Acosta em 2008, na final da Copa do Brasil de 2008, não foi.

    E não tem essa de time x ter 100 penaltis marcados a favor. Quer dizer que se um time sofre 99 penaltis, o juiz não pode marcar o centésimo penalti só por causa dos outros 99?

    Que argumento absurdo.

  • gaviao

    luiz felipe, avise quando tu conseguires superar a derrota na copa do brasil, tá? não houve nada de errado nos dois jogos da final e tu prossegues reclamando de penaltis em outros jogos e falando do dvd. tu deves achar que o inter ganharia o título se tivesse outro adversário e tens razao!! mas com o todo poderoso a parada acabou com 20 do 1o tempo 2o jogo irmao….poe no dvd!!!!!

  • BASILIO77

    Cuidado Eduardo, a bába escorre pelo canto da boca dos antis.
    Não ouse nem tentar relativisar as coisas.
    Eles amam odiar.
    Só nos resta agradecer a preferência.
    Abraço.

  • Rita

    Esse assunto já deu… mas, vamo lá…

    É incrível como os corinthianos só se sustentam na afirmação de que foi pênalti, desconsiderando todo o jogo de futebol, onde em vários lances, o Cruzeiro foi prejudicado.
    Mas tudo é intriga, tudo é choro, tudo é ódio ao time alvi-negro.
    Todo o absurdo, abmudo e abcego a favor deles é relativizado.

    Enfim, não adianta ficarmos esperneando, outras penalidades serão bem assinaladas, principalmente se tiver um 0 x 0, aos 45 do segundo tempo.

  • Gustavo Xavier de Almeida

    André, sou muito teu fã, parabens pelas colunas.

    Sou SPFC e acho q foi penalty no Ronaldo, mas em todos os outros lances capitais a favor do Cruzeiro o juiz não marcou nada.
    Na minha opiniao ele daria o penalty em Tiago Ribeiro caso fosse a favor do Corinthians, mas isso é uma suposição, por favor, não leve em consideração.

    Agora ele errou ao não marcar a falta no mesmo Tiago bem perto da area e no lance seguinte surgiu o penalty.

    Porque eles só reclamam do penalty contra o Corinthians, sendo q eles (Cruzeiro) foram prejudicados contra Botafogo e SPFC….

    O Corinthians é o melhor time, melhor padrão, melhor ataque, merece o titulo.

    abraço

  • alex gebara

    Caro André,
    concordo com a sua posição quanto à questão mencionada.
    O que me impressiona neste episódio são os argumentos contrários à marcação da falta no Ronaldo dentro da área.
    A proposta de utilização de critérios diferentes para faltas dentro e fora da área é um absurdo!! Contraria a coerência, não tem suporte em nenhuma argumentação lógica. São argumentos passionais e irracionalistas, baseiam-se em supostas tradições históricas de interpretação e não em raciocínios lógicos.
    Mais do que isto, favorece a retranca, o time que luta para não tomar gols. (e se pensarmos bem, as regras tem uma filosofia básica de ajudar a marcação dos gols, com exceção talvez da regra de impedimento… mas mesmo essa tem sua interpretação sugerida para favorecer o atacante, ou seja, na dúvida, pró ataque.)
    Mas o que me chama ainda mais atenção não é a dúvida sobre a falta, mas o espaço que tal tema assumiu na imprensa repercutindo a reação desproporcional da diretoria, técnico e jogadores do cruzeiro.
    A discussão do tema é importante, mas corre o risco de manchar com irracionalismos e argumentos passionais um campeonato altamente equilibrado, embora com nível técnico inferior ao de anos anteriores.
    Enfim, torcedores tem o direito de ser passionais (quase o dever…), mas a imprensa deveria agir ponderadamente… (o que vimos na última eleição, por exemplo, e as repercussões racistas e homofóbicas pós pleito demonstram o perigo da veiculação descuidada e irrefletida de conteúdos).

  • Eduardo

    Na verdade, os árbitros sabem que é um péssimo negócio marcar qualquer falta a favor do Corinthians.

  • Neilor

    “Gil chegou atrasado, jamais disputou a bola que estava no peito de Ronaldo. Carga com o ombro nas costas, falta. Aqui ou na Inglaterra, desde que o árbitro veja.”.
    É um lance um tanto óbvio, que você descreveu com perfeição. Não dá pra entender tamanha histeria a respeito deste lance.

  • Nilton

    André, concordo com os argumentos do Eduardo, o que disparou a furia dos Cruzerense não foi apenas o penalty, e sim o conjunto da obra e o penalty foi apenas a cereja do bolo. A furia não é um sentimento que nasce do nada ela geralmente é fermentada por diversos fatores.

    Com relação ao penalty fico com a opiniâo do Tostão que diz:

    “Foi mais um pênalti virtual. No momento do lance, raríssimas pessoas acharam que foi pênalti. Depois de assistir ao lance mil vezes, comentaristas, ex-árbitros ou não, e seus milhões de seguidores passaram a valorizar o que não tem nenhuma importância. A câmera lenta, nesses casos, atrapalha mais que ajuda.”

    O Juiz se encontra de frente com o Ronaldo e é impossivel ele ver que o Ronaldo foi empurado. E estes tipo de lance em que o zagueiro sobre junto dentro da grande area ocorre em todos os escanteios sendo que o Juizão só marca quando ver que foi empurado e com os braços do zagueiros esticados.

    Vendo pela camara que fica em cima do Gol, ver claramente que o Ronaldo esta correndo de lado e nos ultimos passo ele corre de costa e na minha opinião totalmente desequilibrado o que explica bem o motivo dele aparecer que foi atropelado por uma scania.

    E outro coisa que não vi ninguem comentando, é que o zagueiro quando divide a jogada ele sai rodando para trás e o Ronaldo cai no mesmo lugar da dividida.

  • João Carlos

    E os Deuses do futebol reservaram um lance MUITO PARECIDO hoje em Salvador, contra o Corinthians, dentro da área… e adivinhem?

    Óbvio que Carlso Eugênio Simon NÃO MARCOU NADA!!!

    O lance aconece quando o atacante rubro-negor espera pela bola, de costas e quase na linha de fundo, quando recebe uma “carga com o ombro nas costas”…

    E por favor, só não comparem a bola na mão com os referidos lances.

  • Rheubert neri de souza

    André, me fale de qual jogo decisivo o corinthians foi prejudicado pela arbitragem, não me lembro, e se eu te perguntar, em quais jogos o corinthians foi beneficiado, se você for um jornalista sério e imparcial vai me listar mais de 5 jogos em que o corinthians foi claramente ajudado pelo apito amigo, ta se tornando um absurdo o que acontece com o corinthians no Brasil, depois de você ver o cruzeiro mandar no jogo dentro do pacaembu lotado e calado, com um futebol infinitamente superior, o juiz vem e ignora vários lances muito mais rispídos, impedimentos escandalosos e marca um penalt daqueles, não da pra aceitar meu caro, por isso o corinthians ta se tornando o time mais antipatizado do Brasil, saudações celestes!!!!!!!!

  • Junior

    E viva o Tostão, que dá um banho nessa turma toda de zé regrinhas!!! E caro AK, vc está voltando tanto nesse assunto porque naquele lamentável dia vc só sublinhou o lance entre o ronaldo e o gil, o que claramente não era o motivo principal da reclamação, e sim todo o jogo, que no dia vc nem tinha visto por inteiro. Deve ter se arrependido. Inclusive isso foi assunto extenso de discussão aqui, com vc desrespeitando todos que argumentavam que o jogo teve diversos impedimentos incrivelmente mal marcados, faltas absurdas (principalmente no ronaldo), cartões bizarros, pênalti no Thiago e que resumi-lo ao lance do penalti era uma forma pueril de resumir a discussão e conseguir a razão para o seu “argumento”. Forçou a barra. E virou zé regrinha…

    AK: O que te levou a relacionar uma coisa com outra é algo extremamente preocupante. Sensacional. Um abraço.

MaisRecentes

Vá estudar



Continue Lendo

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo