UMA HISTÓRIA CORINTIANA



(ATENÇÃO: conteúdo exclusivo para corintianos. O que TAMBÉM VALE PARA OS COMENTÁRIOS deste post)

O menino de 6 anos chegou em casa e perguntou:

– Pai, para que time eu torço?

O pai imediatamente detectou o problema. Não ligava muito para futebol, nunca tinha conversado com o filho sobre o assunto. Percebeu que o menino tinha chegado a uma idade em que é obrigatório ser torcedor. Decidiu que se esforçaria para reparar o erro.

Prometeu ao filho que o levaria a jogos de todos os clubes grandes de São Paulo, para que o garoto tivesse todas as oportunidades para escolher seu time do coração. Fez a devida lição de casa. Aprendeu os fatos, os nomes, os momentos e lugares importantes na História de cada clube.

A primeira visita foi ao Morumbi, numa tarde de jogo do São Paulo. Chegaram cedo, passaram no Memorial, viram os troféus da Copa Libertadores, da Copa Intercontinental.

– Filho, o São Paulo é o mais bem sucedido clube brasileiro no cenário internacional. Ganhou a Libertadores 3 vezes, foi a Tóquio duas vezes para conquistar a Copa Intercontinental, também tem um Mundial de Clubes da Fifa. Além disso, foi o primeiro clube da cidade a ter o seu Centro de Treinamento. E claro, é o dono desse estádio, o Morumbi, o maior de São Paulo.

O jogo foi ótimo, o São Paulo venceu, o menino ficou impressionado com o tamanho do Morumbi.

– E aí, quer comprar uma camisa? – perguntou o pai.

– Ainda faltam três times, né? Prefiro esperar.

A segunda visita foi ao Palestra Itália. Passearam pela sede do clube. Viram os bustos de Ademir da Guia, de Junqueira, de Waldemar Fiúme. Também conheceram a sala de troféus. Sentaram-se nas numeradas do estádio do Palmeiras.

– Filho, esse time é diferente dos outros, por causa da conexão com a origem dos torcedores. O Palmeiras tem uma ligação sanguínea com a Itália, se chamava Palestra Itália. Claro, ninguém precisa ser italiano para torcer pelo Palmeiras, mas é bonito ver essa relação familiar com o time. Os palmeirenses são apaixonados por essa camisa. Grandes craques passaram por aqui ao longo dos tempos. Tanto que o time tem o apelido de “Academia”. – contou o pai.

O Palmeiras ganhou, o menino vibrou. Gostou do ambiente no Palestra, da proximidade do gramado.

– Vamos comprar a camisa? – o pai perguntou.

– Mas ainda faltam dois times…

Próxima parada, Vila Belmiro. No carro, indo para Santos, o pai começou a falar sobre as glórias do time.

– Meu filho, esse time que você vai conhecer hoje é um patrimônio do futebol. É o time em que jogou o Pelé, o maior jogador da História. Teve o melhor time de todos os tempos, no começo da década de 60, quando não havia adversário neste planeta que pudesse vencê-lo. Você vai ver a quantidade de taças que eles têm.

Visitaram o Memorial das Conquistas e sua impressionante coleção de troféus. As fotos do timaço que conqusitou o mundo duas vezes, do Rei Pelé e de tantos e tantos jogadores lendários.

O Santos ganhou o jogo, o menino ficou empolgado. Na Vila, dá para ficar ainda mais perto do campo.

Na saída, a mesma pergunta.

– Vamos comprar a camisa?

– Calma pai, ainda tem um jogo para a gente ir, não tem?

E foram ao Pacaembu, num domingo à tarde. Não conseguiram sair cedo de casa, estavam um pouco atrasados. O pai foi falando sobre o Corinthians no carro.

– Filho, estamos indo ao Pacaembu, mas o Pacaembu não é o estádio do Corinthians. É da prefeitura, porque o Corinthians não possui um estádio próprio. Mas a torcida se sente muito bem lá. Outra coisa: o Corinthians é o único time de São Paulo que ainda não ganhou a Copa Libertadores. Mas tem um detalhe interessante: é a maior torcida de São Paulo, e a segunda maior do Brasil. É uma torcida tão apaixonada que é chamada de “Fiel”.

Por causa do atraso, pai e filho entraram no Pacaembu pelo portão principal, quase na hora em que o Corinthians subiu ao gramado. Sentaram-se nas numeradas, e logo tiveram de se levantar, porque o time foi para o campo.

De repente, o pai percebeu algo assustador. O menino estava chorando.

– O que aconteceu, meu filho?

– Não sei, pai.

– Por que você está chorando?

– Não sei…

– Quer ir embora?

– Não, quero ficar.

O jogo estava para começar quando o menino pegou o braço do pai.

– Pai, quero uma camisa.

– Como assim?

– Escolhi, pai.

– Mas o jogo ainda nem começou…

– Não importa.

______

Homenagem do blog aos 100 anos de um sentimento.

Parabéns ao Corinthians e aos corintianos.



  • Carlos Santos

    André, quase chorei no fim. Lembrei instantaneamente do dia, lá pelos meus 9 anos de idade, em que resolvi ser corinthiano. Não porque tenha visto o Corinthians ser campeão, ou vencer um jogo, mas por ver a força e paixão dessa torcida maravilhosa.

    Salve o Corinthians! Salve o Time do Povo! Feliz Aniversário Timão!

  • eduardo pieroni

    Boa Andre, estou com o lenco nos olhos, minha vida , minha historia, meu amor.

    parabens timão ( so que è sabe o que è ser corinthians )

  • Guilherme Novais

    Caro André,

    apesar de não ter ido a um estádio para decidir ser corinthiano, tenho esse mesmo sentimento, que é de todos os corinthianos, qual seja: Não importa o resultado, não importa o campeonato, importa é a sensação de ser corinthiano!

    A propósito, restou uma dúvida, quem é esse menino da história?^

    Se não puder divulgar a todos, mande ao menos no meu e-mail, ok?

    Grande abraço,

    Guilherme

  • http://blogdomhc.webnode.com Marcio Henrique Claudino

    Cara,

    na boa.

    Esse foi um dos seus piores textos…

    Coisa mais nada a ver…

    Nenhum menino normal escolheria um time assim…

    Sempre bem escrito, por ser você, e com uma vontade absurdo de saber o final logo.

    Mas o final, sinceramente, foi decepcionante.

    Abraços

  • Cesar

    Não foi só o menino da história que chorou, muita gente, lendo o texto vai chorar também….
    Não sou torcedor fanático, quase não vou ao estádio (nos últimos três anos fui ao estádio três vezes, justamente por causa dos meus filhos, com 11 e 8 anos), mas é impossível não se emocionar lendo o seu texto. É claro, que vai ter gente que vai debochar, vai falar mal, vai repetir a mesma ladainha de sempre, de que não temos passaporte, não temos Libertadores, não temos Mundial. Tomando emprestado frase do Calazans: azar da Libertadores e do Mundial…

    Abraço.

  • Andreia

    Só corinthiano entende…
    Um time que provoca emoções que são dificeis de serem relatadas com palavras.
    Amamos o nosso time!
    Parabéns Timão!!!
    100 anos de história, amor e alegria!

  • Paulo sp

    – O que aconteceu, meu filho?

    – Não sei, pai.

    – Por que você está chorando? Pode falar.
    Roubaram meu relógio…
    brincadeiras a parte
    parabéns a todos os corintianos!

  • Flavio Pereira

    Absolutamente sensacional. Lágrimas nos olhos….

  • Thiago

    André, sou São Paulino e fanático pelo meu time. Porém gosto muito de futebol e já fui assistir jogo do corinthians, do santos e do palmeiras. Eu digo, se o São Paulo tivesse a torcida do Corinthians teríamos hoje o melhor time do Mundo….pois 99% dos corinthianos tem amor pelo seu time, não só qndo está ganhando, o impressionante é que eles amam mais seu time quando estão perdendo, isso que me deixa mais impressionado. O post era exclusivo do Corinthians, só que hj, sendo um são paulino com vôs corinthianos, me sinto feliz com o aniversário desse time.

  • Charlie

    Muito bom, Andre.
    Mesmo sendo torcedor do Atletico Paranaense, nao pude conter a emocao de lembrar do dia que virei Atleticano. Foi algo parecido com teu texto, pois ao ver o Furacao entrando em campo e a energia de torcida, na hora meu coracao foi conquistado.
    Parabens ao Corinthians pelo seu centenario e aos corinthianos por sua paixao.

  • Marcelo

    Andre, boa tarde!!

    Lembrei da minha historia cara, tinha 7 anos de idade amava brincar de jogar bola e era interessante pois nao tinhamos time quando estavamos no gol falamos que era leao, filiol, etc, quando estavamos na linha, eramos craques como zico, socrates… Mas aconteceu algo diferente em 1977 vi algo como nunca tinha visto na minha vida, um time ser campeao paulista o corinthians, parou o bairro de sao miguel paulista fogos alegria nas ruas, incrivel fascinante, maravilhoso, espetacular, disse para mim mesmo e para os outros amigos do campo do helena(antigo bosque) sou corinthians, pedi ao meu pai um uniforme e ele me deu, perguntei para ele que time que ele torcia e ele me disse palmeiras, meu irmao mais velho tambem palmeirense, me tornei corinthiano filho do melhor pai do mundo palmeirense me deixou ser feliz e nunca disse nada ao contrario, depois minha irmã se tornou corinthiana comigo, posso falar ser corinthiano não tem palavras neste mundo que explique tal sensação de vida de alegria e as vezes de tristeza, andar na rua como o dia de hoje no onibus no metro na calçada da av. paulista e ver pessoas com a camisa do timão e passar ao seu lado e te dar o parabens e um sorriso não tem nada neste mundo que pague…. tenho um filho de 10 corinthiano convicto e um 7 que depois da minha separação por parte da manha acha que e sao paulino mas deixo ele como meu pai deixou eu escolher, voltei para casa algum tempo e ontem olhando na tv ele falou papai posso ser corinthiano tambem… cara o melhor presente de 100 anos… Corinthians minha vida meu mundo meu grande e unico amor….

  • BASILIO77

    Nasci em Santos em 1965, auge da era Pelé.
    Em 1970 lembro da alegria na final da copa, com o show do rei da bola.
    Na minha família, só palmeirenses e sampaulinos. E eu até então não tinha time. Hoje, penso que JÁ tinha, só não tinha me encontrado com ele.
    Lá por 1972, com 7 anos, ví pela TV com aquela tela arredondada que parecia uma bolha, jogadas e gols de um tal Rivellino. A vibração após os gols, dele e da torcida nas arquibancadas foi marcante….Rivellino socando o ar, correndo com os punhos fechados, ensandecido.
    Uma imagem que guardo até hoje. Foi amor a primeira vista.
    Chorei demais em 1974 na final contra a SEP.
    Até os 12 anos não tinha visto meu time ser campeão…
    Tava quase acreditando naquilo que me diziam: “voce nunca verá seu time ser campeão”. Claro que não gostava de ouvir isso, mas quando eu ia ver, já estava colado no radinho.
    Aí veio o Basilio, o resto todo mundo já sabe.
    Abraço e parabéns pelo texto.

  • Marcelinho

    Obrigado, André.

    “Só quem é sabe o que é”.

    Parabéns, para o grande amor de nossas vidas. Obrigado, Corinthians. Obrigado por fazer minha vida ter sentido. Te amo. E jamais vou te abandonar.

  • Guilherme

    Adorei o texto…

    Mas sabe, eu não consigo me lembrar de não ser corinthiano, ou de escolher ser…Lembro do primeiro jogo no estádio, com 7 anos, com meu pai e meu tio, um empate com chuva contra a Inter de Limeira…e eu já era muito corinthiano…

    Curioso que não existe “meio-corinthiano”…todo corinthiano tem a alma inchada, inflamada, irresistivelmente dominada…

    André…parabéns ao nosso time…parabéns à nossa nação…e mande um acalorado abraço ao seu pai, um corinthiano lutador que às vezes precisa esconder sua paixão sob a ótica da razão e acaba muito criticado por isso…

    Parabéns a quem sabe que o Corinthiano não torce pelo curriculum do clube, mas pela entidade…

    Nos vemos nas arquibancadas da vida…

  • eduardo pieroni

    Cara virei corinthiano, pois quando tinha sete anos em 1979 meu pai todos os domingos lavava o carro para ir trabalhar na segunda feira e sempre ligava o radio para ouvir OSMAR SANTOS e ele tinha um fascinio pela torcida do corinthians e falava DOCE MISTERIO DA VIDA ESTE CORINTHIANS INEXPLICAVEL CORINTHIANS.

    so isso

    abracos nacão

  • Neilor

    Boa, André!! Parabéns a todos nós!

  • http://felldesign.wordpress.com felldesign

    Emocionante o texto, André… me senti na pele do menino… meu pai, são-paulino, até tentou (de forma bem light, diga-se de passagem) me converter para o lado tricolor da força… mas já sabia que a batalha estava perdida, graças ao BI de 82/83…

    Mesmo assim foi meu ‘companheiraço’ de idas aos estádios… sempre para ver o Corinthians, fazia tudo pelo filho, até ficar na torcida corinthiana… amo-o por isso e por tudo mais que me ensinou, participando de cada momento de minha vida…

    Sou de 1974, fui tarde assistir meu 1º jogo, no Morumbi, quase com 10 anos, em 1984… Corinthians 2 x 2 São Paulo…

    Depois disso, voltei centenas de vezes… assisti jogos memoráveis, conquistas maravilhosas… curti muito as fases TEVEZ e RONALDO, vibrava com o JOGADOR Marcelinho…

    Mas a conquista de 1990 será, para sempre, a maior de todas! Neto foi meu maior ídolo, o anti-herói, o craque que marcou minha vida como torcedor…

    Saudações alvinegras!

    http://felldesign.wordpress.com/2010/09/01/parabens-corinthians-100-anos-de-amor-incondicional/

    http://felldesign.wordpress.com/2010/09/01/acdc/

    http://felldesign.wordpress.com/2010/09/01/meu-corinthians-de-todos-os-tempos/

  • http://www.quatarama.blogspot.com Nelson Bigeschi Junior

    Grande André

    Me perdoe por quebrar a regra, afinal sou um são-paulino apaixonado.
    Mas achei sensacional o seu texto.
    Tenho muitos amigos corintianos e acho que a rivalidade deve ficar apenas no campo.
    Tomei a liberdade de postar no meu blog um link para esse seu post.
    Parabéns pelos 100 anos e pelo belo texto.

    Abraço

  • Rodrigo

    Belo texto! Meu primeiro jogo foi aqui no Brinco, quando o Corinthians perdeu por 3×0 pro Guarani, em 1989 (Brinco lotado, saindo gente pelo ladrão, e anunciaram 22mil pagantes).

    O Corinthians, em 1983, quando eu tinha seis anos, me proporcionou a primeira emoção relacionada ao futebol: na final do Paulistão, o toque de calcanhar do Zenon para o Sócrates me emocionou. Com um nó na garganta eu pensava algo do tipo “quanta gentileza do Zenon, esperar o Sócrates passar e tocar de calcanhar, como quem dizendo ‘toma, faz aí'”. Me lembro que fiquei mais de mês pensando naquele lance… Ainda vou trombar com o Zenon aqui em Campinas e agradecê-lo pessoalmente…

  • alex

    Marcio H Claudio, esse texto não lhe diz respeito… por favor retire-se!!!!

  • Willian Ifanger

    Boa tarde André.

    Não sou daqueles que acha que uma torcida é mais especial que a outra…..acho que cada torcida tem seu jeito de ser. Não me vejo crescendo sem ser são-paulino, assim como qualquer outro torcedor apaixonado. Lógico que sou São Paulino por causa de meu falecido pai. Então me emocionei também ao ler a história (se bem que ele teria comprado a camisa já na primeira parada….hehehehe).

    Respeito muito os torcedores dos outros clubes……os torcedores apaixonados, mas racionais, que também sabem respeitar. E são pra esse Corinthianos que deixo meus parabéns.

  • http://www.carapuceiro.zip.net xico sá

    Andre,meu velho,belo texto,grande fábula. abraçao,xico

  • http://www.clebersouza.com/ Cleber

    Andre, que belissimo texto. Apenas os corinthianos conseguem entende-lo, porque essa massa nao depende de titulos ou do sucesso apenas. Torcemos por times maravilhosos como os da democracia corinthiana em 82/83 e o do bi brasileiro em 98/99.

    Torcemos por times horriveis como o de 1996 e o fatidico time que foi rebaixado em 2007.

    Tivemos jogadores brilhantes (Socrates – o maior de todos, Rivellino, Marcelinho, Belangero, Claudio, Luizinho, Tevez, Ronaldo) e jogadores horrorosos (Didi, Gralak) e jogadores que nos conquistaram muito mais pela vontade e raca do que pela habilidade (Ezequiel, Wilson Mano, Tupazinho, Biro Biro).

    Por todos esses torcemos igualmente. Sorrimos, vibramos, pulamos, sofremos, choramos. Tivemos nosso coracao quebrado.

    Mas NUNCA abandonamos.

    OBRIGADO CORINTHIANS! Tu es paixao de janeiro a janeiro!

    Apenas quem e sabe o que e.

    Que venham os proximos 100 anos de glorias!

  • MaTGO

    Choro fácil…
    Vaaaiii Corinthians!!!
    Pouco a pouco minha noiva começa a entender essa linda magia e energia…
    Corinthians para sempre!!!

  • Edouard Dardenne

    AK, eu sei que você não costuma declarar para qual time torce, embora não costume mentir a respeito.
    Precisa ser coringão no peito para entender o texto, isto é, sentir a mesma emoção inexplicável.
    Igualmente, precisa ser muito corintiano para conseguir escrevê-lo.

    Um forte abraço.

  • Fernando (pai do Jorge)

    Chorei…
    Obrigado André!

  • Alessandro Bortman

    Caro André kfouri,
    Parabéns pelo texto. Tomei a liberdade de postá-lo para alguns amigos, com o devido crédito, claro.
    Incrível como todos nós corintianos nos vemos nesse texto.
    Conseguir exprimir algo tão complexo com tamanha exatidão creio ser um dos grandes desafios de sua profissão. Mais uma vez, parabéns. Objetivo cumprido.

  • http://blogdomussini.blogspot.com Roberto Mussini Aguiar

    Obrigado, André!!!

    Tenho que agradecê-lo pelas lágrimas que vc provocou…hehehe

    – OBRIGADO DE VERDADE!!!

    Grande Abraço

  • Sheila

    Muito bacana a história. E tem a ver com essa sensação do corintiano que vai muito além de vitórias e derrotas. É o nosso dia!

  • http://kemeniel.wordpress.com Mary Farah

    André,
    Obrigada pela homenagem tão bonita. Não importa se é verdade ou não.
    O importante é o que ela representa e o que você quis transparecer nas palavras.
    Eu me lembrei da primeira vez em que fui ao estádio ver o Corinthians, ao contrário de muitos, eu já era adulta e casada. Não tinha a idade do menino, mas a descrição no texto me trouxe as imagens daquele dia, a bandeira descendo enorme cobrindo a arquibancada e a Fiel calando a torcida adversária cantando o hino do Timão. Mal conseguia cantar junto de tantas lágrimas. Foi uma emoção única e jamais consegui encontrar algo que se equiparasse a isso. :)
    Você pôs em palavras. Obrigada!
    []s e parabéns para todos nós!

  • Valdir

    André,

    Eu nasci corinthiano, pois não me lembro de ter decidido ser corinthiano. Na minha casa ninguém gostava de futebol, ninguém tinha um time. Meus vizinhos pelo que me lembro, eram palestrinos ou tricolores. Acho que a gente não escolhe ser corinthiano, não é uma decisão. A gente é corinthiano pronto e acabou.
    Corinthiano quando fala do Corinthians, sente o coração acelerado, a respiração mais curta, é assim.
    Tudo muito simples, só isso.

  • Ana

    Sem dúvida a magia corinthiana é emocionante, arrepia e é bonito ver tantos fiéis apaixonados. Sou noiva de um corinthiano (Matgo), no começo foi dificil entender todo fanatismo, mas depois comecamos a compreender que realmente não tem explicaçao, como o menininho da historia, é uma paixao incondicionada, algo que vem de dentro sem razão, um sentimento que nao pode ser traduzido por palavras, apenas sentido… é um sentimento lindo que todos os corinthianos tem pelo seu time!!! Parabéns aos corinthianos por essa fidelidade e amor por todos esses anos!!!!

  • Gustavo Xavier Almeida

    PARABÉNS CORINTHIANS, PARABÉNS FIEL TORCIDA…SOU SPFC,amo meu tricolor, tenho as cores branco-preto-vermelho em meu sangue mas sei reverenciar uma nação de apaixonados.

    Parabens pelos 100 anos de glórias, pelo inumeros titulos, craques e principalmente milhões de apaixonados.

    Vamos acabar com a guerra, torcer é o melhor esporte.

    Viva o Brasil e o futebol Brasileiro, somos os melhores do mundo.

    Uma homenagem sincera de:
    Gustavo SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE
    Franca, sp

  • Marcos Vinícius

    Linda história.Acredito que nascemos predestinados a torcer para tal time.E ao primeiro contato esse amor inexplicável se revela.Parabéns ao Corinthians e aos corinthianos.

    Desculpe,sou vascaíno.

  • Claudio

    Não tenho vergonha de dizer: chorei um pouquinho sim. E por algum motivo a reação do menino me lembrou um pouco o desenho Ratatouille (estou “viajando?” – este bombom é de ontem…)

  • Thiago Mariz

    Eu não sou corinthiano, eu não gosto do Corinthians. Mas me arrepiei com a história.

    Como não há referência a autor, imagino que seja de sua autoria. Belíssimo texto.

  • Klaus

    Bom, desrespeitando a indicação do início, apenas uma constatação: estou consternado por não ter me emocionado com o final… Deve ser algo mágico e inexplicável torcer e amar desta forma o Timão. Parabéns pelo Centenário, Corinthians! E nem vou desejar títulos a mais ou menos; para essa torcida, isso é “apenas” uma parte do espetáculo do corintianismo.
    Um abraço e parabéns pelo texto – espero que continue assim até o Centenário do São Paulo, e além!

  • Anna

    Eu não ia comentar porque você pediu que os comentários partissem de corintianos, visto a exclusividade do conteúdo, mas o centenário do Corinthians pertence a todos aqueles que amam o futebol porque o time é do povo, não vejo um que tenha mais a feição do brasileiro que ele, com todo o respeito ao Flamengo. É só olhar a História. Quebrei o protocolo. Espero que me perdoe. Somos todos satélites da festa da Fiel e do clube. E também desfrutamos um pouco dela. Grande abraço, Anna

  • Regina

    André,
    parabéns pelo texto.
    Nunca fui a um estádio, mas cresci com meu irmão assistindo aos jogos pela TV com os amigos em casa. Acho que a partir daí descobri a paixão de ser corintiana. Me senti como o menininho do texto, uma emoção que não dá para explicar. Chorei muito, só agora consegui escrever estas palavras. Obrigado!

    Parabéns Timão, Corinthians do meu coração!!!

  • Brian

    Olá André.

    O texto lembra um pouco o depoimento do Nick Hornby de como ele transformou-se em torcedor do Arsenal, sendo levado pelo pai dele para conhecer os time de futebol de Londres, no livro “Febre de Bola”. A semelhança não se dá a toa.

    Sou torcedor do Corinthians e do Arsenal e sei que há semelhanças nessas duas paixões. Coisas que extrapolam o campo de futebol. Coisas inexplicáveis que nos fazem sentir parte vital do time, como células de um organismo que se renovam e trazem consigo a memória de outros tempos que inexplicavelmente parece fazer parte do passado da nossa própria história. Essa sensação de “célula” sempre me ocorre quando vejo imagens do título de 1977, principalmente do gol do Basílio. Eu nasci em 1981 e me descobri corinthiano (pois ninguém “vira” corinthiano, já nasce e com o tempo se descobre) em 1988 quando campeão paulista, com gol de Viola contra o Guarani. Não era nascido, portanto, quando o Timão saiu do jejum, mas pela memória biológica desse ser mítico chamado Corinthians, parece que eu carregava essa informação no meu DNA e o sentimento de fazer parte daquele momento é real e forte em mim. Assim como o título do IV centenário em 1954, a invasão corinthiana no maracanã em 1976, e todos os outros momentos da sua história pulsam junto com meu sangue como se fosse minha história também.

    Não vivo sem o Corinthians. E tenho muito orgulho de fazer parte da sua história como uma célula emotiva, com muitas estórias para contar como torcedor e deixar essa energia também para as próximas gerações de alvinegros.

    Todos vamos embora um dia. O Corinthians é eterno.

  • Rodolfo

    Que coisa linda, chorei no final. Isso é Corinthians demais!!!

  • Kaddu

    andré,chorei junto com o guri, e ri ao mesmo tempo, tomado por esse sentimento que só a gente que é corintiano entende.

    nao tem como descrever.

    parabéns pelo texto. sou teu leitor assíduo, assim como de teu pai.

    abraço.

  • Roberto

    André
    Apesar de não ser corinthiano, meus olhos se encheram de lágrimas no final do texto! Isso sim é traduzir a paixão do futebol sem precisar explicar nada! Torço pelo Grêmio, que tem uma torcida tão apaixonada quanto a Fiel. Então me sinto muito bem representado nesse centenário do Corinthians, e com todo respeito ao Flamengo, como assim disseram ali em cima, o Corinthians representa o futebol brasileiro como um todo! E é por isso que transmite tanta emoção! Parabens a todos os corintianos!

  • Mauro Cunha

    André!
    Com seis anos eu já “achava” que era Corinthiano, fruto de hereditariedade do meu avô e pai Corinthianos até que, no inicio da década de 60 quando eu ainda morava em Marília, o Timão foi fazer um amistoso com o São Bento. Fui com meu pai esperar o Timão no aeroporto e um sentimento maluco tomou conta de mim ao ver que o caminho estava tomado por carros estacionados e o pequeno aeroporto abarrotado e seus gramados lotado. Aquele momento eu tenho vivo na minha memória como o Marco Zero da minha Corinthianisse. Teu texto nos inspira a dizer que a Fiel tem um time e não o contrário. Parabéns! VAI CORINTHIANS!!!!!!!!

  • david pimentel

    Sem palavras, sua homenagem e a do PVC no blog dele foram as melhores.
    Parabéns pelo texto, e parabéns ao maior de todos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Ricardo Trevisan

    Desculpe, mas o comentário sobre o roubo do relógio me fez rir!
    Como sempre admiro teus textos, e entendo que é uma homenagem. Mas o morumbi não é simples assim, e penso que os torcedores dos outros times também se emocionam com os seus.
    Espero que quando o centenário do meu time chegar (e está muito longe) também sinta que deve fazer uma homenagem, e a faça. Será bom ler um texto teu falando (de certa forma) bem sobre o meu time.

    AK: Se eu tiver um blog em 2035, obviamente farei. Um abraço.

  • http://fabio fabio gonçalves de almeida

    nem sei porque sou corinthiano,morava em minas (Brasilia de minas) só sei que quando o corinthians joga paro tudo, nao gosto de futebol,mas o corinthians é tudo para mim é diferente paro 90 minutos em frente a tv vou para minha casa mais cedo, ja estive no pacaembu so para ver o timao as vezes me pergunto de onde sai tanto amor, comparo ao do meu filho amo o corinthians,gostaria de gostar da seleção brasileira do mesmo jeito que gosto do timao.isto é amor nao temos estadio,libertadores,mas temos amor, te amo corinthians….

  • http://andre fabio gonçalves de almeida

    nem sei porque sou corinthiano,morava em minas (Brasilia de minas) só sei que quando o corinthians joga paro tudo, nao gosto de futebol,mas o corinthians é tudo para mim é diferente paro 90 minutos em frente a tv vou para minha casa mais cedo, ja estive no pacaembu so para ver o timao as vezes me pergunto de onde sai tanto amor, comparo ao do meu filho amo o corinthians,gostaria de gostar da seleção brasileira do mesmo jeito que gosto do timao.isto é amor nao temos estadio,libertadores,mas temos amor, te amo corinthians

  • Geraldo

    Não é a minha história … mas é a de um grande amigo corintiano … ele me contou como começou a torcer pelo Corinthians … não foi vendo o time, mas foi vendo a torcida … tal qual seu texto …

  • Fernando Aprigio

    André,

    parabéns pelo texto, fiquei emocionado, o final foi de tocar o coração. Só que torce por este time sabe o que essas linhas significam.

    Obrigado,

    Fernando Aprigio

  • Daniel

    Olá André, esta é a primeira vez que visito seu blog e cheguei até aqui através desta história que recebi por email… Sou corinthiano fanático, assisto a todos os jogos (a maioria pela tv, mas sempre que posso vou ao estádio) mas não sou aqueles doentes que se matam por causa do time.

    Quando comecei a ler o texto, achei que era tiração de sarro com o timão, mas quando cheguei ao final… rapaz… foi uma mistura de emoções que as lágrimas começaram a rolar, e o pior, aqui no meu trabalho…rs… voltei no tempo, lembrando do meu pai e da primeira vez que tive consciência do que era ser corinthiano… gol do viola… de carrinho… tv de 14 polegadas preto e branco… preto e branco… pura magia!!! Obrigado pelo texto rapaz!

  • Fernando

    Muito bonito teu texto, apesar de palmeirense, não há como não se emocionar.

  • Bruno

    Sou cearense mas morei em São Vicente, ali pertinho de Santos, durante 2 anos, em 91 e 92. Até então eu sequer gostava de futebol. Logo que cheguei na cidade fui bombardeado com algumas das informações que o garoto do texto (claro, levando em conta a ordem cronológica dos acontecimentos). Comecei a jogar futebol e logo fui sendo cobrado pelos coleguinhas sobre qual time eu iria torcer. E comecei a observar, meio que de longe, sobre os quatro grandes de São Paulo. Foi quando aconteceu aquela final do campeonato paulista entre São Paulo x Corinthians, o famoso jogo em que o Raí fez 3 gols. Assisti tudo pela tv, e não pude deixar de reparar na torcida do Corinthians, no sentimento que ela expressava, mesmo com o time sendo goleado e os malucos lá no estádio gritando, vibrando, apoiando. Em 92 o time também não foi bem, em 93 sofreu outra goleada em outra final de campeonato paulista, em 94 perdeu um título brasileiro e um rio-sp para o maior rival e o que eu podia sentir era que a paixão pelo Corínthians apenas aumentava. Quanto mais o time sofria, mais a torcida se aproxima, apoia, cobra, ama. Em 95 vieram os 2 primeiros títulos de muitos que eu vi até hoje. Nasci em 77, talvez isso tenha alguma conexão com o fim do jejum. Difícil explicar. Mas o texto reflete bem o que sentimos quando vemos o Corinthians. O maior presente do centenário não seria uma Libertadores e não foi o anúncio do estádio, o maior presente é ser corinthiano.

  • http://emcontrução moacir alves de oliveira

    É a primeira vez que visito se blog.
    Sendo filho de quem é, voce não poderia escrever nada melhor!!!
    Que texto magnifico.
    Pura emoção.

  • Ricardo Tomassis

    Sou jornalista e corinthiano. Confesso que fiquei emocionado com o texto. Você conseguiu relatar, à risca, o sentimento de um verdadeiro corinthiano, que não se apega no que o time pode te proporcionar em relação às glórias e reconhecimento, pois, nós corinthianos, nos deixamos levar a força maior de um sentimento. É como explicar o inexplicável.

    Não é a toa que você é um dos melhores jornalistas esportivos do Brasil.

    Parabéns André!

  • Fábio Bruxel

    Esse post não é para corintianos, somente. É para todos aqueles que amam e entendem o que é o futebol, o que deveria representar.

    Sou paranista, time fundado em 1989 quando eu tinha apenas 4 anos de idade, e me descobri torcedor do Paraná Clube em uma história muito parecida com essa.

    Me arrepiou.

    Parabéns, Timão. Dem demagogia, sem hipocrisia, o futebol brasileiro não seria o mesmo sem você.

  • Rafael

    Õrra meu, eu tava esperando algo assiim um dia no blog. Parabéns.

  • Mayara Leão

    Recebi esse link através de um amigo Palmerense, achei q era brincadeira, mas quando cheguei ao final, me emocionei, pois o texto retrata exatamente o que é ser Corinthiano!!! Nenhum outro time, jamais vai entender o que é torcer para o Corinthians, o que é a Nação Corinthiana. Para nós títulos são importantes sim, mas ver o time jogando com raça, com vontade, é a melhor coisa do mundo, mostrando vontade até o fim!! Como já diria uma velha senhora corinthiana, torcer para o Corinthians quando ele ganha, é fácil, quero ver torcer quando ele perde. Isso sim é Corinthiano.

    Parabéns pela matéria, sensacional.

    Parabéns Corinthians, pelos 100 de anos de história.

  • Jair Cardoso do Nascimento (Itu/SP)

    Não temos Anfiteatro Esportivo (advir) e também não temos Libertadores (advir). Mas então que amor é “esse teu” ou “este meu”? Será que somos um bando de loucos. Não sei, só sei que temos 100 anos de Corinthians.

    Parabéns pelo Texto André.

  • http://www.intelectuaisdabola-idb.blogspot.com ThiagoFC

    Belo texto, André. Belíssimo texto. Eu não esperava menos de você.

    Ganhar é muito bom, mas só o corinthiano entende que a paixão pelo futebol está além dos títulos, glórias, conquistas e craques. Nosso patrimônio, que engloba tudo isso, é ainda maior: somos o que somos porque temos a nós mesmos, a torcida. Emociona mais que qualquer coisa. Quando ganhamos, sempre queremos outro corinthiano por perto, para comemorar junto. Isso é o que fez muita gente chorar lendo seu texto (inclusive eu).

    Parabéns ao Corinthians e aos corinthianos, pelos próximos 100 anos de glórias!

  • Tiago Kouki

    Boa tarde Andre,

    Belíssimo conto. Traduz, perfeitamente, a alma corinthiana. Ao ler seu texto, me lembrei do meu velho. Ele, japonês autentico que imigrou para o Brasil ainda criança, dizia que não ligava para futebol. Mas, em 5 de Dezembro de 1976, dizia ele, renasceu ao se identificar com aquela imensa massa humana se deslocar pela “Av. Corinthians” e dividir o Maracanã ao meio com a torcida tricolor, empurrando o Timão às finais do Brasileiro daquele ano.

    Infelizmente, não tive o prazer de ir ao Pacaembu com meu velho. As merdas da vida nos privou de sua companhia repentinamente há pouco menos de um ano… O que não impediu que comemorássemos as grandes conquistas do Timão ao longo dos últimos 30 anos. Lamento apenas que ele não esteja mais aqui para ver a festa do centenário, nossa primeira ida juntos ao “Fielzão” e, quem sabe, a Libertadores que ainda há de chegar.

    Parabéns pelo grande texto e um abraço,
    Tiago

  • Fernando Vasconcelos

    de arrepiar! AQUI É CORINTHIANS!

  • Paulo Henrique

    arrepiado , emocionado , me sentindo muito mais corintiano ainda , como é bom ser corintiano.
    vai corinthians!!!

  • Fernando

    Sendo corinthiano, filho, irmão e pai de corinthianos é praticamente impossível ler esse texto e não ficar emocionado. Talvez eu conseguisse descrever o que é torcer para o Corinthians escrevendo um livro do tamanho da Bíblia mas mas meus olhos cheios de lágrimas após ler essa estória expressam muito melhor um pouco do muito que é ser corinthiano.

    Pai e filho Kfouri com baita sorte dupla: corinthianos e excelentes jornalistas!

  • http://www.comunic.com.br/xadrez Mauro Amaral

    Li o texto, e comecei a chorar, minha esposa, ao lado, que não entende nada de futebol, e não deve entender o tamanho do meu amor pelo Corinthians, ficou brava “como pode alguém chorar ao ler um texto sobre futebol?!”

    Corinthians !
    Só quem é, sabe o que é !

  • Ricardo Trevisan

    André, boa resposta. Sinceramente não a esperava, mesmo com tamanha obviedade.

  • Cesar Pires

    André ,

    Parabens pelo texto , você destacou muito bem o verdadeiro espirito de ser um torcedor Corinthiano , fazer parte da Fiel Torcida você não escolhe e sim é escolhido no momento em que entra no Estádio do Pacaembu….Parabens Timão !!!!!!

  • Rosana B Santiago

    André,

    Só uma curiosidade, por acaso este menino era você?

    AK: Não. Um abraço.

  • Renato Salgado Teixeira

    André,
    Sou fã do seu pai há muito tempo, desde a Placar quando eu ainda era menino, tive muita sorte vi 13/10/1977, 14/01/2000 e outros tantos títulos, craques, lendas, e li muito o velho e polêmico Juca, muitas vezes emocionante, hoje meu filho já com 14 anos e usando sempre uma camisa do Timão, lembra o outro menino que lia a Placar antiga, meu orgulho é enorme, imagino o orgulho do seu Juca ao ler esse texto, chorei aqui pois amanhã vou pela primeira vez ao Pacaembu acompanhado do meu filho e do meu Pai, será mais uma foto para a galeria de fotos imortais, mas mais que isso serão lágrimas de emoção de nascer Corinthiano e saber que essa emoção há 100 anos não tem explicação.
    Mais uma vez obrigado pelo precioso texto

  • Ana Rocha

    Muito emocionante, não tem como não chorar!!!!

  • http://www.meteleco.com Galego

    Realmente nao tem como nao chorar! Maravilhoso!!!

  • Amanda Lacerda

    Olá, André!

    Esse fim de semana tava chateada por só ter conseguido acompanhar as comemorações do centenário pela televisão e internet, mas quando li esse texto hoje me senti reconfortada com a certeza de que essa sensação de ser corinthiano é única e não tem (ou melhor, não precisa) explicação.

    Obrigada!

    Um abraço,
    Amanda

  • Robson Pelé

    É tarde mas parabéns André. O Palomino falou hoje no Linha de Passe e eu corri para ler o blog. Vou mandar para os amigos Fieis.

  • Ricardo

    Uma palavra só: Chorei

  • Caio

    Andre,

    Parabens pelo texto! de arrepiar!!!

  • João Neto

    Estava assistindo Linha de Passe quando comentaram sobre o seu texto no blog sobre o Centenátio do Timão e fui atrás de ler. Valeu cada palavra pois tu conseguiu resumir nossa paixão com uma história simples e bonita. Como já disseram antes as outras torcidas amam o títulos, a Fiel ama o Corinthians.

  • Wladimir Sposito Cereia

    sou norte-paranaense e meus pais de origem paulista, aprendi com meu falecido pai a sofrer/torcer/viver corinthians. estava assistindo ao linha de passe da ESPN e ouvi o comentario sobre o texto do blog; fiquei curioso vim conferir. Nao consegui chegar ao fim do texto sem estar com lagrimas escorrendo pelo rosto. O garoto da historia ainda que foi ao estadio, eu nem isso pude, mas, sempre respondo aos que me perguntam: SOU CORINTHIANO DE NASCIMENTO, MEUS GLOBULOS BRANCOS TEM BOLINHAS VERMELHAS QUE VISTAS DE PERTO …….
    Hoje moro em curitiba e quarta-feira 08/09, estarei la na baixada, no meio da torcida atleticana, pois foi o ingresso possivel de ser comprado, mas com o coraçao a 1000, por ver de novo o MELHOR DE TODOS, MESMO QUANDO NAO E O MELHOR.

  • Alexandre Castellano

    Olá André!

    Só mesmo um Corinthiano para expressar tamanha emoção eu um texto.

    Além disso, esse texto servirá de explicação para aqueles que não conseguem entender a razão de sermos Corinthianos. Agora eu vou dizer: “Leia esse texto que vc vai entender.”

    Ah… e só a título de curiosidade, eu terminei o seu texto com lágrimas nos olhos.

    Grande abraço,

    Alexandre Castellano

  • http://@hotmail.com Luiz Carlos

    André, que texto véio!!! Diria meu filho…Tenho 46 anos, não tenho noção de quando me descobri corinthiano…O que me lembro é da decisão de 77, tinha treze, assisti sentado no chão, sem camisa e descalço, apenas um calção velho…Era uma TV em preto e branco(é claro!)…Que sofrimento foi aquele? Basílio estufa o barbante ponte pretano e um sapo cururu sai da minha garganta, acho que não tinha ninguém em casa…Eu sofria em carreira “solo”. Quando o jogo acabou, saí pelas ruas a fim de dividir minha alegria com outros, estava tão cego pela alegria que nem ouvia o foguetório. Pensei que era o único!! Ledo engano!! havia loucos, roxos e doentes por todos os lados, ensandecidos, possuídos. Subi numa camionete lotada deles! Desfilei até altas horas(não havia Serginho Groissman, ainda!) Gente chorava, gritava, andava de joelhos. Eu pensava: O que é isso, meu? Nunca tinha visto nada igual e nunca vi!! Meu pa(palmeirense). foi me buscar. Ameaçou até me bater. A polícia mandou os corithianos pra casa. Já era por volta das 4 da manhã, afinal os outros(palmeirenses, santistas, etc..) não conseguiam dormir. Tio Rafa é o responsável pelo meu corinthianismo, minha mãe tbém é. Salve tio Rafa. Obrigado por me repassar esse extraordinário sentimento. Vinda longa a minha mãe e ao tio Rafa. Saude e paz a todo esse bando de loucos. Parabéns!!! OBs. Tudo isso aconteceu em São João do Ivaí, pequena cidade do interior do Paraná.

  • Sérgio Freitas

    André,
    Maravilhoso o texto, meus parabéns.
    Faço apenas um comentário. Este caso do garoto de seis anos acontece, mas é excepcional.
    Na verdade, o corinthiano mais do que escolher é escolhido. No momento da fecundação, algo extraordinário acontece e, mesmo sem aquele feto saber, ele já recebe a marca de uma paixão eterna. Sou uma destas testemunhas.
    Um abraço André e continue sendo este jornalista sério e diferenciado.
    abraços,
    Sérgio Freitas

  • Daniel

    Animal…. isso é corinthians… to divulgando seu texto.. parabens

    Vai corinthians

  • Fabio Ferraresi

    Interessante que muitos torcedores de outros times vão ler continuar se perguntando sem entender: por que esses caras torcem para esse time?
    Esses caras não vão entender nunca.

    Mas o menininho do texto entende… como eu entendo.

    … e mais 30 milhões de loucos entendem.

    Pobre dos que não tem a felicidade de entender esta falta de razão.
    Pobre dos que não tem a felicidade de sentir este sentimento chamado Corinthians.

  • Giovani Caproni

    André, vc realmente descreveu muito bem o que e como é ser corinthiano, como somos. parabéns. Concordo muito com seu pai quando ele diz que se o filho torce por time diferente do pai houve falha na criação, que bom que sua criação foi boa…

  • Junior

    Sensacional. Simplesmente sensacional. O mais maravilhoso é ver refletido nos sentimentos do “recém-descoberto” corinthiano aquilo que cada um de nós sentimos: viver cada jogo. Saborear cada segundo. Comemorar e sofrer num jogo que aparentemente não vale nada, mas que para nós , naquele momento, vale tudo. Parabéns André Kfouri ! A família tem o talento ( e o bom gosto) cravado nos genes.
    Agora, com licença. Estou me preparando para comemorar os 100 anos e 1 mês do nosso amado Timão.
    abraço!
    Junior

  • http://360.zinios.net Thiago Barata

    Parabéns e obrigado.

  • Gerson Santa Cruz

    Parabéns André, lindo conto sobre a alma Corinthiana.
    Sou paraibano e morei até meus 13 anos no interior do estado, onde só tinha rede globo, passando na TV Fla, Flu, Vasco e Botafogo que representavam a esmagadora maioria das torcidas. Na minha família imperavam Flu e Vasco, e eu, por imposição, torcia para ambas alternadamente e desconfiadamente.
    Em 88, aos 9 anos de idade estava na casa de um amigo onde a TV sintonizou com péssimo sinal, chiado e em preto e branco (Band ou Manchete – sei lá), o jogo de “um tal” Corinhthians contra o Guarani (Final do Paulistão daquele ano). Alucinado com aquela vibração voltei para casa e anunciei para meus pais e tios, primos etc…, sou Corinthiano!!! FUI REPRIMIDO. O máximo de Corinthians que consumi nos anos seguintes foram fotos antigas de revistas Placar e um pôster do time campeão brasileiro em 90 (escondido).
    Até que em 93, aos 14 anos fui morar em João Pessoa e consegui juntar um dinheiro. Comprei (escondido) uma camisa do Corinthians, na empolgação da bela campanha do time do Mário Sérgio e por já conseguir acompanhar mais jogos do Timão. As decepções de 93 e 94 pelos Brasileiros perdidos só me fizeram gostar mais desse time, do alto das ofensas de amigos e familiares pela “má escolha”.
    Apartir de 95 vieram vários títulos e alegrias. Hoje moro em São Paulo e vou ao Pacaembu com frequência sentir ao vivo e a cores aquilo que, 22 anos atrás, senti no sinal ruim, chiado e preto e branco – ALMA CORINTHIANA!!

  • Angela Lourenço

    Como explicar o que é ser corinthiano? vai além de torcer e ter amor por uma camisa… é dificil explicar para uma pessoa que não sente o que sentimos, mas inexplicável é explicar a nós mesmos porque sentimos tamanho amor…O importante é que a resposta sempre vem quando a gente se depara com histórias como esta, e com depoimentos riquícimos que nossos amigos corinthianos colocaram aqui também, Ser corinthiano é ter tudo, é ter o sonho, a alegria e a paz no coração, quem ainda não descobriu isto, vá no estádio, mas não vá na cadeirinha não… vá na massa com o povão pra ver que delicia que é ser Corinthiano… e a coisa mais deliciosa é a entrada no pacaembu pelo portão principal, é demais, é muita emoção…esta torcida é mil… uma observação… que texto lindo e maravilhoso André, entrei nele porque recebi por email, vc escreve com sentimentos este é um diferencial Parabéns…

  • gabriela

    Filha e irmã de santistas fanáticos, me tornei CORINTHIANA aos 10 anos…Hoje aos 23, vejo que foi a melhor escolha da minha vida, mesmo que ela vá contra as pessoas que eu mais amo na vida!!! Ser corinthiana é maior que titulos, glorias, estadios e vitorias! Aprendi que ser corinthiana, é amar o time acima de qualquer coisa!!!
    Seu texto é MARAVILHOSO, e esses 100 anos de história do CORINTHIANS não poderia ser melhor relatado…
    A torcida faz o CORINTHIANS ser diferente de tudo e de todos…

  • cristina mara pereira

    MENINO ANDRÉ
    Seu texto transportou-me para distantes tardes de domingo, a família toda reunida na casa de
    minha avó, a mesa do lanche posta para todos nos deliciarmos com seus pastéis e bolinhos de chuva e ela, sorrateiramente nos deixando para fechar-se no seu quarto e poder, então, radinho
    grudado ao ouvido, deleitar-se com um simples jogo do seu adorado CORINTHIANS. Dessa forma,
    tornei-me tão corinthiana como ela, vibrando e sofrendo,nunca deiXando de acompanhar meu
    TIMÃO. Você, menino talentoso, filho de quem já acompanho há muito, foi capaz, com seu texto, de levar-me às lagrimas, e a doces recordações, como só a boa literatura e o amor ilimitado, são
    capazer de fazer.
    OBRIGADA, ANDRÉ, MIUTO OBRIGADA, CORINTHIANS!

  • Ali Ghandour

    Real e simplesmente maravilhoso!Parabens!!Vai coringao!!!

  • Jorge R Valle

    André

    Obrigado por me proporcionar tão linda história, parabens!

    Jorge

  • Ana

    A emoção que o Corinthians passa realmente não tem explicação! é tão forte que contagia torcedores de outros times. Não foi a toa que um dos jogadores considerado o melhor do mundo por mais de uma vez sentiu-se em casa ao jogar no timão. Como diz o Hino, ETERNAMENTE EM NOSSOS CORAÇÕES!! SALVE O CORINTHIANS…

  • Alberto

    André, você focou demais na privilegiada galeria de troféus do São Paulo e na sua estrutura. Achei uma análise meio fria. E os grandes craques, como atesta a estátua do lendário Leônidas da Silva no Memorial, dando uma bicicleta? E as luvas do Éder Jofre e os sapatos do bicampeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva, o que prova a grandeza do São Paulo também fora das 4 linhas. E a ligação histórica com o maior time da era amadora: Club Atlético Paulistano, do qual o São Paulo orgulhosamente carrega o seu “DNA” vencedor? Pensei que você tivesse uma visão mais abrangente do SPFC. No mais, parabéns pelo texto.

    AK: Eu tenho, e de todos os clubes. Mas acho que dá para perceber a questão do tamanho e, principalmente, do foco da história. Um abraço.

  • Pedro Venezuela

    Parabens Andre,
    Emocionante!
    Eu só vi meu pai chorar uma vez. Foi em 1974 (voce nem tinha nascido, né, rs) quando o Timão perdeu o título paulista pro Palmeiras. Eu nasci corintiano, mas naquele dia percebi que iria ser corintiano toda a minha vida, mesmo se aquela interminável fila nunca tivesse terminado.

  • chopeta

    Cojudisimo que seu pai não tenha re-publicado esse texto no blog dele, quase que não o li… parece que tenho que visitar seu blog mais frequentemente :)

    Excelente texto!

    É nóis! Vai Corinthians!!!

  • Rafael Penteado

    é..no final eu chorei..lindo texto, e extemamente verdadeiro!
    Parabéns!

  • Osvaldo Amador

    Leio sempre o Lance. Por isso estranhei o comentário na Linha de Passe. Com eu não vi?? Procurei na Internet, um pouco tardiamente concordo. Porém, valeu a pena. Está sensacional e emocionante. A mais fiel história Corinthiana. Você superou os ancestrais.

    Parabéns

  • Alexandre Varela

    Tenho dois tios absolutamente loucos pelo Palmeiras, quando criança morei no interior, e a primeira vez que fui a um estádio, foi no morumbi( estádio do SP) assistir a um jogo do Palmeiras e adivinha com quem?logo contra o Corinhtians, não tem como explicar, mais na hora me deu uma enorme vontade de estar do lado de lá, assim que sai do estádio, tinha a certeza de que sabia para que time meu coração tinha escolhido, claro, O Corinthians, dai em diante, fiquei cada vez mais doente pelo meu time , foram muitas alegris , algumas tristezas, mais sempre, sempre apaixonado pelo time do povo, por esse time que não se expressa em palavras, apenas se diz, ¨EU SOU CURINTIA”

    OBS:naquele jogo o corinthians ganhou de 2×1 do palmeiras

  • VAGNER DA SUL

    MTO obrigado andré…
    proporcionou mais uma vez entre mil, essa emoção que é ser corinthians!!!
    é um texto que começa despretenciosa e termina da melhor forma possível…o final mais corintiano de todos!!!
    eu resumo em lagrimas o que vc escreveu!!!

  • Moreira

    Simplesmente Brilhante o Texto !!!
    Eu aos 60 anos de idade, tendo acompanhado e sofrido os 23 anos, visto ao vivo a quebra do tabu me emocionei com o texto.
    Hoje longe do Pacaembu em virtude de mudança para o Interior, estou morando em Tupã terra do talismã da fiel, tendo a oportunidade dias atrás de estar em Sampa num domingo fui assistir a Corinthians e Vitória o retorno de Ronaldo.
    É indescritível a sensação de estar num Pacaembu lotado em dia de jogo, só quem é corinthiano entende o que estou falando !!!
    Por essas e outras acho que a melhor definição para nos torcedores do Corinthians é a da musica de Toquinho que diz: “Ser corinthiano é ir além de ser ou não ser o primeiro”
    SAUDAÇÕES ALVINEGRAS !!!

  • Fábio

    André, este é pra chorar, né ? Lembrei-me de 77, 13/10, eu, reco do Tiro de Guerra, vibrando na arquibancada do Morumbi, e depois na Av. Paulista. Cheguei em casa às 7 da manhã e, claro, perdi a Instrução de sexta, 14/10, que começava às 6. No domingo, 16/10, o Subtenente Instrutor chamou quem tinha faltado na Instrução anterior e foi perguntando o porque: cada um dos faltosos inventando um motivo e nem sei porque resolvi falar a verdade; ao final o Subtenente decretou: ” Trabalhos forçados a todos no dia de hoje. E prisão de hoje até a próxima Instrução (que seria na terça, 18/10), MENOS para o Atirador Corinthiano, que como EU teve todo o direito deste mundo para comemorar até o sol raiar. Parabéns pela sinceridade e pelo corinthianismo !
    André, esta história é verídica, é o maior orgulho deste corinthiano apaixonado. Como bem falaram acima,: para as outras torcidas, o importante são títulos, para nós é ser corinthiano !
    Fábio

  • Nicholas Stefanovitz

    Andre. Muito obrigado, mas muito obrigado mesmo – nenhuma celebracao do centenario (festas, filmes, reportagens) foi capaz de me emocionar tanto quanto seu texto – chorei quando o li pela manha num hotelzinho na Croacia…e, ja de volta a casa/Londres, voltei a chorar ao jantar com minha namorada e compartilhar esta estoria com ela (pobre coitada, francesa, mal sabe pronunciar ‘Corinthians’ e tem que aguentar um namorado chorao).
    Sou fa do seu pai ha 30 anos e seu fa a partir de hoje. Forte abraco.

    AK: Eu que agradeço pelo comentário. Um abraço.

  • Walter Neto

    Olha…eu gosto muito de falar de uma data que todos corinthianos odeiam…porem..para mim..marcou mais do que algo inedito e inacreditavel.
    02/12/2007…estava completando 16 anos…vi meu time…O NOSSO TODO PODEROSO cair para serie B considerada A (pq aonde o CORINGÃO esta é a ELITE).
    eu fiquei distruido…sem chão.
    Parecia que um familiar mto proximo tinha morrido ou algo assim.
    Naquele dia eu percebi…O CORINTHIANS É MAIOR DO QUE ISSO.
    É amor…mas do que isso…é religião…mas do que isso…É CORINTHIANS.
    sim, naquele dia eu completei 16 anos e vi a queda do maior de todos. Porém, como todo FIEL fez, faz e sempre fará, gritei mais alto. EU NUNCA VOU TE ABANDONAR…PORQUE EU TE AMO.
    CORINTHIANS, VOCÊ FEZ MINHA VIDA TER SENTIDO, O SENTIDO DE SER CORINTHIANO.
    OBRIGADO DEUS POR ME DEIXAR SER PARTE DESSE BANDO DE LOUCOS, IRRACIONAIS, AS VEZES ATÉ ANIMALESCOS; POREM SEMPRE FIEIS E APAIXONADOS PELO CORINGÃO.
    Este texto sobre o garoto que sentiu o CORINTHIANS mostra como um CORINTHIANO sente ao ver o escudo, o time, a torcida.
    No filme FIEL teve um depoimento que esclareceu um pouco de como é o CORINTHIANS pra gente.
    É como se cada um de nós…cada um da MASSA FIEL fossemos uma celula de um corpo chamado CORINTHIANS.
    CORINTHIANS, que DEUS (que é FIEL) sempre te ilumine, e, sobre a espada de SÃO JORGE, nós sempre seremos indestrutiveis.

  • Nicola Paixão

    oi andré!!

    este é o resumo de um sonho oposto! eu levando meu pai no pacaembu,homem do interior, fanático pelo nosso timão, fã de fiori giglioti, ( narrador da torcida brasileira…é fogo é gol!!!!!rsrsrs) entrando pelo portão principal do pacaembu e sentindo tudo aquilo, pq vamos lá não para ver o time ganhar, isto é consequência, mas vamos para ver o corinthians.

    Não tive esta chance,a de entrar com meu pai pelo portão de entrada do pacaembu, pois meu pai já nao esta entre nós.

    MAS AO LER ESTE ARTIGO, TE AGRADEÇO, POIS SINTO ELE ( MEU PAI )AQUI DO MEU LADO, COMO SE ESTIVÉSSEMOS LÁ NO PORTÃO DE ENTRADA DO PACAEMBU, SENTIDO O CORAÇÃO DELE PULSANDO DE NOVO DO MEU LADO E GRITANDO CORINTHIANS, MINHA HISTÓRIA, MEU AMOR!!

    JAMAIS ESQUECEREI ESTE ARTIGO!!

    OBRIGADO!!!

  • Bruno – SP

    Faz tempo que não chorava…fiquei emocionado…texto que retrata com sapiência o sentimento do corinthiano…

  • http://blogs.lancenet.com.br/andrekfouri/2010/09/01/uma-historia-corintiana/comment-page-2/ Mário Gennari

    Acho que explicar o que é ser corinthains é algo impossível. So quem é, sabe o que é. Essa massa corinthiana me impressiona cada vez mais, essa massa que sempre empurra o time pra frente, sempre acredita. outros torcedores eu acho que nos invejam. Acho que isso acontece porque eles não amam seu time tanto como corinthianos amam o seu time. Pode ser na vitória, ou na derrota, mas baterei no peito tres vezes e direi que sou corinthians, até a morte.

    Muito bom o texto, expressa direitinho o que é ser Corinthians, é uma emoção que vem la de dentro. Mas como todo corinthiano sabe, titulos, glórias, palavras não conseguem explicar esse sentimento louco, do qual, 30 milhôes têm a sorte de desfrutar.

    abraço kfouri

  • Eduardo

    Emocionante… Lindo Texto, só quem é Corinthiano sabe o q isso significa!!!!!
    Parabéns pelo Texto!!!

  • http://amigosdoesporte.wordpress.com Marcelo Coutinho

    Porra André…

    o q q eu digo pros ‘tira sarro’ do trampo?

    os olhos cheios d’agua aqui…vc captou a essência, mas assim…na lata!

    parabéns pelo texto
    Marcelo Coutinho
    II Centenário

  • monalisa

    Meu Deus que texto lindo,emocionante…me lembrei da primeira vez que fui assistir um jogo do Corinthians e quando aquele time entrou em campo eu não sabia mas descrever as emoções que eu tava sentindo naquele momento,só tinha uma certeza o CORINTHIANS é meu amor ETERNO,o que sinto por ele é um amor incondicional e indescritível,e pra mim não importa títulos,importa a existência desse time! TE AMO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA DA MINHA VIDA.

  • Stephany

    Uma coisa só a dizer: CHOREI!

  • Steffany Carrilho

    Parabéns André, me emociono toda vez que menciona o CORINTHIANS em algo!
    Eu aiiiinda não tive a oportunidade de ir a um jogo, sou tão louca tão loucaa e apaixonada pelo TIMÃO. E a minha fé que um dia estarei muito perto dos jogadores e aplaudindo de pé a entrada deles em campo NUNCA VAI MORRER, essa fé é mais forte que eu e esse sonho ainda vai ser REALIZADO. Muito linda a historia do menino, tenho apenas 19 anos e o meu sonho não vai morrer comigo Irei com fé em Deus realiza-lo e me emocionar como o menino do depoimento!

    CORINTHIANS EU TE AMO (L)’

  • Juan

    QUE ISSO ME ARREPIEI COM ESSE TEXTO!!! ME LEMBRO DA PRIMEIRA VEZ QUE EU E MEU PAI FOMOS NUM ESTADIO!!! POOOOO foi naquela final do brasileirão Corinthians x Santos em 2002 e me lembro de termos perdido mas o que jamais esquecerei foi aquela sensação inexplicávelllllllllllllllll de quando olhei o gramado olhei pra arquibancada e tava aquela torcida maravilhosa que so nos corinthiamos sabemos o que é e me lembro principalmente da minha maior emoção naquele jogo, não foi nenhum gol que o Corinthians marcou e sim quando viiiiiiiiiii aquele enorme bandeirão descendo sobre mim !! INEXPLICÁVELLL ATÉ HOJE AQUELA SENSAÇÃOOOOO!!!VAIIIIIIIIIII CORINTHIANS!!

  • Fernando Homem de Melo

    Andre,

    Acabei de ler o texto para a minha familia aqui em Miami , nos arrepiamos e choramos . Esta e a essencia do amor Corinthiano , um amor puro e sem limites . O unico time do mundo que toma um gol e a torcida respira fundo e grita como um verdadeiro bando de loucos apoiando o TIMAO . E a torcida que acredita em milagres , nas viradas historicas . CORINTHIANS EU TE AMO!!!

  • Alba Penteado

    André

    Eu me vi nesse menino… Eu, com 47 anos de idade, sempre me soube corinthiana (acho estranho escrever “corintiana” sem o “th”). Desde que idade, não sei. Sei que sempre fui. Hoje, voltando os olhos da memória para trás, mais e mais para trás, só vejo Corinthians. Desde sempre Corinthians. E nem sei se foi influência de alguém, pois não me lembro de alguém me ensinar, me falar, me empurrar para algum lado. Seu texto me fez ver que, em mim também, sempre houve o Corinthians. Obrigada pelo lindo texto… Só quem é sabe o que é ser Corinthians.

  • EDUARDO MAUAD

    Parabéns André ! Que texto emocionante ! CLARO QUE CHOREI NO FIM DO TEXTO … Só tive a oportunidade de ler essa ” história ” ontem, através de um compartilhamento do facebook. É de arrepiar. Mostra de maneira perfeita esse sentimento que só nós podemos definir e entender !
    PARABÉNS !

  • http://uol Nelson Santana

    Não tenho um momento específico para delimitar que me tornei CORINTHIANO. Mas, uma das minhas primeiras lembranças, apesar de ser filho único à época de pai sãopaulino, é me ver pedindo uma camisa do “COINTIANS”. Isto há quase quatro décadas e meia. Portanto, em identifico com o jovem torcedor do texto e com os demais que aqui postaram (além dos outros 30 milhões espalhados por este mundão) porque a paixão não teve uma explicação. Ela simplesmente se instalou. E a cada dia aumenta….

  • http://www.cachorrosolitario.com Diogo Lima

    E de repente, numa manhã chuvosa de quarta-feira, me pego com os olhos cheios de lágrimas em frente ao computador muito emocionado com uma sensação de alegria e de saudade. Belíssimo texto.

  • Drika Mazzarino

    E é por ser assim que bato no peito e grito para o mundo inteiro ouvir: Aqui é Corinthians!

  • Alexandre Machado Rosa

    André, que texto emocionante. Há textos que são imortais e serão capazes de emocionar por toda a vida. Impressionante, mas é isto que as outras torcidas não entendem. Não é um título, não é uma vitória que nos fazem torcer pelo Timão: é o Corinthians que nos faz sermos e nos sentirmos diferentes de todas as outras.
    Parabéns com dois anos de atraso.
    Alexandre machado

  • Alessandro Bortman

    Mais um aniversário do Corinthians e mais uma vez eu venho ler esse texto(virou regra desde 2010) e mais uma vez choro de emoção. Nesses dois anos nosso time ganhou a libertadores, ano que vem, teremos um estádio, e esse ano, nasceu minha filha que, sem perceber, virou corinthiana de coração poisgraças a ela ganhamos esse título invícto tão esperado(licença poética). Portanto, em pouco tempo tudo mudou, mas nada mudou!!! Os filhos continuarão a virar corinthianos sem explicação!!!! É isso que somos: um bando de loucos, sem motivo, sem razão… somente o amor ao CORINTHIANS !!!

  • Paloma

    Linda historia amei demais….
    Escutei ontem na band e tive de procura e ler novamente.
    Sou corintiana apaixonadíssima pelo meu timão, e é desta forma mesmo,
    pra ser corintiano ou você nasce ou tem que sentir, pq na verdade quem escolher não somos nos e sim é o time que nos escolher.
    Paixão eterna pelo meu CORINTHIANS.

  • Abigail

    Isso é CORINTHIANS…. não precisa dizer nada…. VAI CORINTHIANS….. tamu junto sempreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

  • isabela

    Nossa essa história é bem legal !! E é claro que o corinthias é o melhor time do mundãoooooooooooo!

  • Ailton Borges

    Toda vez que leio esse texto eu choro, acredito que também pelo fato de meu pai não ser um fanático por futebol, e as vezes até acabou me reprimindo, pelo meu amor pelo Corinthians. Me emociono demais, é sem explicação.

  • Bruno

    Ja li umas 100 vezes. Deveria ser feito um filme em cima desse texto. Parabens!

  • Paulo

    Tudo bem que agora o Corinthians ganhou a Libertadores e o Mundial (e eu e meu pai estavamos lá no Japao!). Precisa ajustar um pouco a historia, mas acho nao fica menos emocionante. Na verdade, vendo tudo que eu vi no Japao (em especial dos torcedores fora de campo), só torna a historia ainda mais verdadeira.

    Eu conhecia uma versao desta em que o menino se decidia pelo Corinthians durante a partida, com o time perdendo e a torcida apoiando (algo que outras torcidas tambem fazem, mas nao tanto quanto o Corinthians). Acho que fica até mais impactante.

  • iranildo lima

    Ja li essa historia varias vezes e sempre fico com os olhos cheios de lagrimas.
    Isso é setir como é bom ser corinthiano.

  • Francisco Ferreira

    Tenho uma história muito parecida com essa pois meu pai é são paulino e tentou de todas as maneiras que eu o seguisse, aí um dia ele perguntou qual era o meu sonho e respondi que era uma camisa do timão e percebi que ele saiu do quarto triste e eu tbm fiquei pois tinha apenas 8 anos e não queria magoa lo, ele foi trabalhar sem me dá tchau e no dia seguinte quando acordei tinha a camisa do timão, logo a dez do Neto e ingressos para ver o jogo do Corinthians, tenho essa camisa até hoje e meu pai continua são paulino rosa, más respeita demais o Corinthians

MaisRecentes

No LANCE! de hoje



Continue Lendo

COLUNA DOMINICAL



Continue Lendo

BAUZA E A SIMPLICIDADE



Continue Lendo