MAIS NOTINHAS PÓS-RODADA (e PHG de molho)



Fechando a décima-sexta:

* O Palmeiras não deveria ter convidado Elias para a festa dos seus 96 anos. O meia do Atlético Goianiense (3 x 0: os 3 dele – 13.522 pagantes no Pacaembu) foi a principal estrela da noite.

* Felipão: “Levamos um banho de bola”.

* No Maracanã quase fechado, Flamengo e Atlético Mineiro nem abriram o placar (9.566 pagantes). Na chance mais clara, Fábio Costa evitou um gol quase feito de Leandro Amaral.

* Foi apenas o segundo empate dos mineiros no BR-10.

* O Vitória (1 x 1 com o Guarani: Júnior e Rômulo – 6.338 pagantes no Barradão) ficaria em distância de ataque ao G-4, se tivesse vencido em casa.

* Um sapo passeou pelo gramado, durante o primeiro tempo. É sério.

______

Desgraçadamente triste a lesão no joelho esquerdo de PHG.

Lógico que não existe “hora boa” para algo assim, mas o momento nos leva a lamentar ainda mais.

Ganso é o jogador fundamental do sistema que a Seleção Brasileira pretende utilizar nos próximos anos, um estilo de mais apreço pela bola.

Com a carreira em espera por 6 meses, a nova Seleção terá de andar sem ele. Menos mal que serão apenas 3 jogos, sem nenhuma competição no caminho.

Para o Santos, claro, o baque é muito pior.

Lembro de uma frase de Muricy Ramalho sobre Ronaldo, quando Corinthians e São Paulo se enfrentaram nas semifinais do Campeonato Paulista do ano passado. MR falava sobre a sensação estranha de ter Ronaldo como adversário. “Ronaldo é um jogador de todos nós”, disse.

Tenho essa sensação em relação a PHG. Acho que não estou sozinho.

Como escrevi na atualização das Notinhas de ontem, que ele volte bem.

E igual.



MaisRecentes

Em voo



Continue Lendo

Não estamos prontos



Continue Lendo

Ferido



Continue Lendo