NOTINHAS PÓS-RODADA



Abrindo a décima-sexta:

* Com um gol de Índio, o zagueiro mais artilheiro da História colorada (27), o Internacional (1 x 0 no Avaí – 10.501 pagantes na Ressacada) voltou .

* Se tratar o BR-10 com a seriedade de um candidato ao título, o Inter pode ter uma temporada única. Time, não falta.

* Lembra de quando o Botafogo (1 x 0 no Ceará: Jobson – 16.460 pagantes no Engenhão) não conseguia vencer um jogo? Já são 5 vitórias seguidas, e o segundo lugar na tabela está perto.

* No lance do gol, pareceu que Jobson adiantou demais a bola no penúltimo toque. Mas ele chegou muito bem para tirar do goleiro.

* O Fluminense (3 x 0 no Goiás: Washington, Emerson e Marquinho – 10.147 pagantes no Serra Dourada) está impossível.

* E para deixar a concorrência ainda mais preocupada, Deco jogou bem.

* O Atlético Paranaense, que até outro dia fazia companhia aos xarás no calabouço, ganhou (1 x 0 no Grêmio Prudente: Branquinho – 2.419 pagantes no Prudentão) a segunda seguida.

* E como acontece com quem faz isso, subiu 4 posições (pode ser ultrapassado por Palmeiras, Flamengo, Vitória ou Guarani, que jogam logo mais).

* Sabe quem chegou à área-vip? O Santos (2 x 1 no Grêmio: Borges, Neymar e Rodriguinho – 13.801 pagantes no Olímpico).

* PHG deixou o campo com dores no joelho esquerdo. Não é o mesmo que ele operou em junho. Que não seja nada sério.

ATUALIZAÇÃO, 20h11 – É sério. Ganso rompeu os ligamentos cruzados do joelho esquerdo. Seis meses parado. Terrível para ele, para o Santos, para a Seleção, para todo mundo que gosta de futebol. Que volte bem.

* O Vasco (0 x 0 – 10.802 pagantes no Morumbi) perdeu uma chance de vencer o São Paulo no Morumbi. Não porque criou e perdeu gols, mas porque simplesmente se defendeu.

* O São Paulo não ganhou, mas não jogou mal. Especialmente em comparação com a última rodada.

* O Cruzeiro (1 x o no Corinthians: Montillo – público ND no Parque do Sabiá) fez um gol cedo e se pôs a marcar. Deu certo.

* No primeiro tempo, o Corinthians chegou a ter 80% de posse de bola (terminou o jogo com 57,3%), mas não foi o time criativo que bateu o São Paulo.



MaisRecentes

Porte



Continue Lendo

Segunda vez



Continue Lendo

Paralelos



Continue Lendo