“ERA MM” COMEÇOU DOCE



Bom… foi só um amistoso, não há motivo para ir para a Avenida Paulista comemorar.

Mas vimos muitas coisas estimulantes na estreia de Mano Menezes na Seleção Brasileira (2 x 0 nos Estados Unidos: Neymar e Pato).

Primeiro, um time de garotos que não sentiu nada além de vontade de jogar bola. A camisa não pesou para ninguém.

Depois, uma atuação segura e, ao mesmo tempo, alegre. Ofensividade, toque de bola, momentos de bom futebol mesmo. Tudo aquilo que normalmente se diz que “não dá para fazer com tão pouco tempo de treinamento”.

E olha que estamos falando de um grupo que se reuniu pela primeira vez.

A zaga foi bem. Neymar foi bem. Pato foi bem.

PHG jogou o de sempre: muito.

Enfim, se tivéssemos visto um 0 x 0 chato, seria necessário dizer o óbvio. Que é um começo de trabalho, que evidentemente é muito cedo para apontar o dedo.

Mas vimos bem mais do que um 0 x 0 chato. Vimos uma atuação interessante da Seleção, e uma vitória que fez o novo trabalho começar da melhor maneira.

Agora, você vai ouvir/ler muita gente (até mesmo quem não cobrou nada – ao contrário, elogiu tudo – nos últimos 4 anos) aplaudindo a “nova forma de jogar” do Brasil. Gente que vai falar em “futebol arte”. Prepare-se para ser tratado como se você não tivesse memória.

Aqui, falaremos em “nosso futebol”. É mais adequado.

E é o que a Seleção Brasileira mostrou nesta noite, em Nova Jérsei.

Que bom.



MaisRecentes

Plano B?



Continue Lendo

Pendurado



Continue Lendo

Porte



Continue Lendo