COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

MARIDOS TRAÍDOS

O futebol italiano tirou o sofá da sala.

Na temporada que está para começar, quem estiver na frente de uma televisão sintonizada na Rai não verá repetições de lances polêmicos de jogos de futebol. A medida, acredite, tem o objetivo de “pensar em um jogo com menos reclamação e mais discussão”. A frase está no texto do comunicado divulgado pela emissora de TV estatal da Itália.

A novidade entrará em vigor no próximo dia 29, quando começa o Campeonato Italiano. Dia em que os torcedores do país viajarão algumas décadas, e passarão a ver futebol como se fazia muito tempo atrás. Seria interessante, por exemplo, que as transmissões voltassem a ser feitas em preto e branco. Ou que as potentes câmeras atuais, capazes de uma aproximação quase pornográfica dos lances, fossem abandonadas. Que tal apenas uma imagem central, distante, mostrando todo o campo e transformando os jogadores em formigas?

Imagine a última Copa do Mundo mostrada pelo novo padrão de transmissão da Rai. O chute do inglês Frank Lampard, contra a Alemanha, entrou? Desculpe, não sei, foi tudo tão rápido que nem deu para ver (pouco importa que entrou um pé, de homem, inteiro). Luis Fabiano tocou com a mão na bola no lance de seu golaço contra a Costa do Marfim? Acho que sim, essa foi a impressão que me deu (deixa pra lá que foram dois toques com o braço, não apenas um). Peraí, Carlitos Tévez não estava totalmente impedido no primeiro gol da Argentina contra o México? Não, não estava, tenho quase certeza de que havia um zagueiro lhe dando condições (quase um metro na banheira, mas tudo bem). E poderíamos seguir por essa página inteira, lembrando de coisas que só sabemos porque os replays mostraram, erros de arbitragem que mexeram no placar de jogos de futebol em seu nível mais alto.

Mas os italianos tiveram a grande ideia. Fala-se mais dos erros, especialmente aqueles que corrompem os resultados de jogos e campeonatos, do que de futebol. Os árbitros já entram em campo em desumana desvantagem em relação ao olho eletrônico. Então, em vez de agir para diminuir os erros, vamos simplesmente negar a existência deles. Em vez de esclarecer a dúvida, vamos aumentá-la. E em vez de trabalhar para que os jogadores decidam as partidas conforme o que fazem em campo, vamos estimular as teorias conspiratórias, dar razão aos que pensam que a arbitragem de futebol está, sempre, a serviço de alguém. Pois, afinal, se o público não saberá se a bola entrou ou não, sempre poderá se perguntar por que o árbitro tomou a decisão que tomou.

O que a Rai pretende é o equivalente, na medicina, à proibição dos exames de imagem por causa do aumento dos erros de diagnóstico baseados em exames clínicos. Uma genialidade.

A questão é muito maior do que “um jogo com menos reclamação e mais discussão”. O uso da arbitragem eletrônica é a única maneira de garantir a limpeza do jogo, a legitimidade dos resultados. Gol é gol, mão na bola é mão na bola, ganha quem foi melhor.

Acabar com o replay de lances polêmicos é fingir que o casamento vai bem. O que os olhos não veem…

______

A todos os pais, e todos os filhos, um ótimo domingo.



  • Roberto Carlos

    André
    Se a moda pega teremos de volta os reporteres atras dos gols sendo chamado pelo narrador para dar a opinião após a jogadas? como ficarão os comentaristas de arbitragens que esperam o replay para dar a opinião geralmente condenando o trio de arbitragem?
    Abraços

  • Anna

    Inventam cada uma. Não sei sobre o que os programas italianos esportivos inflamados vão discorrer! Muito legal vocÊ lembrar dos filhos. Não tenho mais o meu pai, lembro dele todos os dias, mas esse dia, lógico, mais. Se os filhos existem, são os pedacinhos dos pais, né? Nada mais natural que esse dia seja um pouquinho deles, também! Sempre sensível, né, André! Aproveite com seu pai e com suas filhas!!!

  • David

    Ainda estou perplexo!
    Palhaçada, ridículo… revoltante!
    E o mais impressionante é que isso se dá no país onde recentemente foi exposta toda aquela podridão de fabricação de resultados!!! Como isso? Se as autoridades do futebol já se mostraram corrompidas. E a população agora não tem os meios de julgar. Exatamente porque justamente a imprensa, resolveu ser o veículo que vai esconder os fatos????
    Isso tudo é muito grave. Sinto muito. A não ser que entendi mal e a Rai não é a única transmitindo futebol no país, ou os lances polêmicos vão ser mostrados posteriormente ao jogo de alguma outra forma… caso contrário, pra mim, o futebol na Itália acabou.

  • Marcio

    A RAI é uma televisão estatal -> cujo primeiro ministro é o Berlusconi -> Que é dono do AC Milão -> que já esteve envolvido em escandalos com compra de árbitros.

    Não duvido nada que essa “proteção” as juizes tem a ver com a relação acima. Afinal se não vermos os erros, fica mais dificil provar que um juiz foi comprado para alterar um resultado.

    AK: O Berlusconi é dono da Mediaset, que também transmite o Campeonato Italiano com mais jogos do que a Rai. A exemplo da Sky (também detentora dos direitos), a Mediaset não terá a restrição dos replays polêmicos. Um abraço.

  • Marcel Souza

    André, feliz dia dos pais!

    Que idéia sensacional essa da RAI. Daqui a pouco algum gênio aqui do Brasil também vai concordar e passar a transmitir assim também (modo irônico on).

    1 abraço!

  • Rejane

    Enquanto várias emissoras estão transmitindo os jogos em HDTV a Rai resolveu dá dois passos pra trás! Jogos transmitidos em HD é uma maravilha! Essa Rai é avessa ao mundo eletrônico!
    André, o seu livro e do PVC já chegou às livrarias da minha cidade! Gostei muito das ilustrações e das frases citadas no livro. Parabéns!
    Aqui não é o post sobre filmes mas recomendo assistir o filme “A Origem” com Leonardo Di Caprio. O Filme é ótimo! Feliz Dia dos Pais!
    Frase: “Eu me especializei em um tipo bem específico de segurança: Segurança do Subconsciente.” Dom Cobb, em A Origem.

  • BASILIO77

    A medida é realmente ridícula.
    Mas que há um exagero na exploração das imagens nas diversas “mesas redondas” pós rodadas, isso há. Cria-se um placar paralelo ao real, levando-se em conta lances capitais a favor deste ou daquele. E aí, as teorias da conspiração entram em cena com força total. Isso tá muito chato.
    Não se discute mais a tatica ou as jogadas…mas unicamente as marcações do arbitro.
    Parte da mídia esportiva tem coo objetivo a polemica. Isso não há dúvida, a palavra “polemica” está nas chamadas dos programas, ou até no nome do programa. “Esporte em discussão”…um exemplo. E haja discussão. Deve ter quem goste, afinal o que manda é a audiência…
    Eu detesto. Que venha a tecnologia na arbitragem.
    Abraço.

  • Pior que eu fiz exatamente essa piada durante a copa do mundo. Todo mundo falando sobre erros de arbitragem, e eu falei que o mais simples era simplesmente não mostrar os replays. Ai ningúem ia reclamar.

    É triste ver a piada se tornando realidade, pior que isso não é nem no Brasil; É no primeiro mundo. Se bem que é na Itália, então faz mais sentido. Mas ainda é triste.

  • Guilherme

    André, que artigo maravilhoso! Normalmente não sou de “babar ovo” do blogueiro, mas está aí um texto que eu realmente gostaria de ter escrito. Parabéns!!

  • Edouard Dardenne

    Que coisa mais irritante. Para quem defende o uso da tecnologia no auxílio à árbitragem isso é revoltante. Não há nada mais irritante para um santo do que encontrar um pecador feliz…
    Um Abraço.

  • Achei interessante a medida adotada pela RAI, afinal já encheu o saco ter que ficar vendo programas de tv questionando a validade de algum lance da partida. Cria-se uma polêmica, colocando em cheque a arbitragem, que não tem tira-teima para saber se agiu corretamente em um jogo, como eu mesmo já falei: “falar que a arbitragem errou, usando slow-motion é fácil, quero ver à olho nú”, assim nem Arnaldo César Coelho faz mais.

  • Leonardo Pires

    André, só para, ainda que tardiamente, dar-lhe os parabéns pelo Dia dos Pais! Muitas vezes nos seus textos reconheço a mesma felicidade que encontro quando carrego a minha pequena nos braços.

    AK: Obrigado! Um abraço.

  • Gregório

    André, acho que você não entendeu a ideia.
    Atualmente, os programas da RAI vinham esquecendo o futebol e falando apenas de erros de arbitragem. A proposta é voltar a discutir o jogo em si e não ficar polemizando em cima dos erros.
    Traduzindo para o Brasil, eles querem que os programas sejam menos “Milton Neves” e virem mais “ESPN”. Mais tática, futebol e menos polêmicas e discussões inúteis.
    Se você procurar a opinião de jornalistas especializados em futebol italiano, como Gian Oddi, Leonardo Bertozzi e Cassiano Ricardo Goblet, verá que todos concordam com a medida da RAI, pois seus programas ficaram insuportáveis.

    AK: Eu respeito a opinião de todos, mas não acho que seja necessário ser “especializado” para tratar do tema. Entendi bem a ideia, e sou contra, por conceito. Se os programas estão infestados de “polêmicas inúteis”, que modifiquem os programas. Por favor… um abraço.

  • Rodrigo

    As transmissões dos canais ESPN também estarão privadas dos replays polêmicos? (E um atrasado parabéns pelo dia de ontem!).

    AK: Obrigado. Sobre as transmissões da ESPN, por que estariam? Um abraço.

  • Rodrigo

    Se não me engano, as imagens dos jogos do Italiano é gerada pela RAI (salvo engano). Fiquei na dúvida se, caso seja isso mesmo, a RAI liberaria os replays para essas transmissões também. Menos mal se não é esse o caso…

  • Gregório

    André, tem outra coisa. A RAI não vai “acabar” com os replays dos lances polêmicos. Eles só vão reduzir o tempo dedicado a isso para 15 minutos. Ninguém vai entrar em negação das falhas de arbitragem. Só vão reduzir e controlar o tempo dedicado a isso, justamente para modificar os programas e não tornar a discussão de arbitragem o principal assunto das mesas redondas.
    A ideia é diminuir o “time x perdeu por causa do juiz”, que domina a programação esportiva da RAI de forma absurda, e aumentar o “time x perdeu porque o time y era melhor nesse e naquele aspecto”.
    Nenhum programa daqui do Brasil chega perto do festival de discussões sobre “foi penalti ou não” ou “ele merecia ser expulso” que existe na Itália. Isso são discussões inúteis para mim, pois não ajudam em nada a entender o que aconteceu no campo.
    E desculpe se você não gostou do “especializados”. Gosto muito do teu trabalho, mas fiquei com a impressão que você não se inteirou completamente de todos os aspectos do assunto, antes de emitir opinião. Se não foi o caso, mais uma vez peço desculpas.

  • Bruno

    A medida não me surpreende já que na Itália está a nata da máfia do futebol. Don Corleone era quase um padre perto desses atuais mafiosos hehe

  • Andre Luis

    Mais inusitado que essa medida da Rai é o desprezo contínuo que os árbitros e ex árbitros têm em relação ao auxílio eletrônico.
    Logo os caras mais cobrados pelos erros são os que mais se posicionam contrários.
    Alguém compreende?

  • Esta é a Itália do Berlusconi. Já tem censura na imprensa, agora até em transmissão de jogo. Fazer o quê, né? Jogar outra estatueta no homem? Infelizmente a Itália ainda vive em tempos antigos.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo