CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

A GARANTIA É O TIME

Ainda não estão no papel os termos do contrato de Mano Menezes com a CBF. Uma reunião para tratar desse assunto deve acontecer hoje, agora que os problemas “mais urgentes” da Confederação foram resolvidos. Lembre-se: Mano foi convidado no começo da noite de sexta-feira passada, por telefone. Treinou o Corinthians no sábado, dirigiu o time pela última vez no domingo, apresentou-se e convocou a Seleção Brasileira na segunda-feira.

A conversa telefônica serviu para que o técnico ouvisse as linhas gerais da proposta e recebesse a confiança, verbal, de seu novo patrão. Foi o suficiente para que MM colocasse o cinto de segurança e acelerasse para aceitar o convite mais importante de sua carreira, decisão muito mais fácil do que a que ele tomou quando percebeu, aos 26 anos, que não tinha futuro como jogador de futebol. O salário não era essas coisas, mas, como ponderou sua mulher, dava para pagar as contas da família. A resposta foi um “fique tranquila”, fruto da certeza de que a vida de técnico seria melhor. Os altos riscos, à época, não o amedrontaram. Por que a chance de dirigir a Seleção faria isso, agora?

Mano foi convidado para ser o técnico do Brasil até a Copa de 2014, mas não tem a garantia de que será. Não a tinha na sexta-feira passada, não a tem hoje, não a terá em nenhum momento anterior à apresentação do hino nacional, no jogo de abertura do Mundial, num estádio ainda desconhecido. Não é por outro motivo que ele costuma fazer contratos de 1 ano. Se os resultados não acontecem, o papel não vale. Se acontecem, o papel acompanha. Ser técnico no futebol brasileiro é dormir e acordar com essa verdade.

Portanto, independentemente das letras, datas e assinaturas que constarem do compromisso entre MM e a CBF, a única garantia que ele terá é o que o time dele fizer. E se Mano receber o mesmo tratamento dispensado a seu antecessor, apesar de todos os percalços, sombras e nomes que estarão no caminho, não é um exagero imaginá-lo ouvindo o hino em 2014. Duas perguntas oportunas: durante a Copa América de 2007, você acreditava que Dunga seria o técnico na Copa de 2010? E no dia em que o Brasil foi desclassificado pela Argentina na Olimpíada de Pequim?

A ausência da Seleção nas Eliminatórias ajuda o novo técnico. As datas podem ser usadas para amistosos que contribuam para a formação de um time, e o mundo não acabará a cada derrota para o Paraguai ou empate com a Bolívia. Sim, a Copa América de 2011 (na Argentina) é uma pegadinha. Seria interessante chegar à final. E a Olimpíada de 2012 também é perigosa, apesar de ser um título que nenhum técnico brasileiro tem.

Já pensou no que acontecerá com o primeiro? Aposto que MM já.



  • Alexandre

    André, não acho que a falta de Eliminatórias vá fazer tanta diferença para a permanência do Mano. Se a intenção do Ricardo Teixeira for apenas dar uma enrolada até poder contratar o Felipão, lá por 2012, basta uma mau (ou nem tão mau) resultado na Copa América 2011 (que, lembremos, será na Argentina) para que o RT tenha a sua desculpa. Até mesmo a sempre zicada Olímpiada pode servir, pois se até o Luxemburgo já caiu depois de uma, por que não o Mano. “Ah, mas e o Dunga, que foi ficando, foi ficando, e chegou na Copa?”. Mais uma desculpa para o RT: “Não vou repetir os mesmos erros do passado, blá, blá, blá”. Acho que só um trabalho excelente mantém o Mano até a Copa.

  • André,

    Aposto muito no trabalho do Mano, por onde passou fez grandes trabalhos. Comandar a seleção será mais um deles.

    Abraço.

  • Só um detalhe que me esqueci, e todos esqueceram:

    Por onde passou, Mano Menezes sempre trabalhou com revelações, garotos da categoria de base do clube que dirigiu, mesclando-os com jogadores de sua confiança. Desta vez vejo um treinador que possa sim, trazer o tão sonhado título olímpico.

    Abraço

  • João Goncalves

    Acho que Mano concorda com vc André. Inicia o trabalho apostando num time que vai dar a ele a garantia histórica do futebol brasileiro. A garantia do improviso e do talento, aliada a conceitos que vão muito além do famoso “”vamos lá” ou, da “pátria de chuteiras”.

  • Rejane

    Mudando de assunto: gostei que a ESPN Brasil convidou o pivô Tiago Splitter para participar do programa Bola da Vez. Ótima escolha para entrar no clima do Mundial de Basquete da Turquia!

  • Paulo sp

    As olimpíadas na minha opinão é uma sul americana!(das importantes a mais sem graça)
    O que vale são as competições oficiais, aquelas que separam os homens dos meninos e não o contrario
    E acho que Dunga não foi ficando e sim vencendo, vencendo!
    Um exemplo: Dunga venceu tudo, menos a copa, Mano no corinthians(como em toda sua curta carreira), venceu tudo menos as competições mais importantes …
    Então se um é ruim o outro também deveria ser não acham?
    Acho que Mano não pode ser demitido caso não ganhe as olimpíadas, porém caso fracasse na copa América deve entrgar o cargo imediatamente!
    Afinal até Dunga(Muitos ‘especialistas’ dizem que Dunga foi mal na seleção)venceu !
    Caso perca pra Argentina também deve ser demitido no ato,até porque Messi, Teves e Cia são nossos fregeueses a anos. Se Dunga venceu , Mano tera que fazer o mesmo …
    Se Dunga é ruim Mano tem que no minimo ser um pouco melhor e o unico jeito de ser melhor nesse caso é vencendo tudo e dando show!!!
    Missão impossível!

  • Edouard Dardenne

    A falta das eliminatórias pode se tornar um problema. Estou de pleno acordo quanto aos benefícios de não haver uma pressão anormal pelos resultados. MM não precisará se confrontar, por exemplo, com a Tabela de classificação ao final de cada jogo. Não precisará se preocupar, como Felipão ou Maradona, em vencer o último jogo, na bacia das almas.
    Por outro lado, com quem o time nacinal jogará? Que seleções estarão disponíveis para amistosos nas datas em que a Fifa separa para jogos de eliminatória? Esperemos que a CBF não sustente aquele espírito caça-níquelque a moveu quando o Brasil não precisou disputar as eliminatórias para França-98.
    Um abraço.

  • pinto loco

    Não concordo com o paulo sp. O dunga venceu com a seleção, mas não fez mais que a obrigação, pois tinha os melhores jogadores, ou pelo menos deveria te-los (convoca-los). O mano ganhou o campeonato gaucho com o guarani de não sei onde, levou o corinthians de volta a primeira divisão, e logo em seguida ganhou o paulista invicto e a copa do brasil, sem contar que deixou o timão em primeiro no brasileiro. Além de ter trabalhado, ser querido e respeitado pos dois dos maiores astros do futebol mundial, que são o ronaldo e o roberto carlos. Isto num time como o corinthians que como todo mundo sabe, é um barril de polvora. O dunga ao contrario nunca tinha sido tecnico de nada, e sempre foi um arremedo de jogador, um sujeito ignorante e rancoroso, com este titulo de ser patriota, guerreiro, raçudo … Tudo bobagem. Como todo brasileiro logico que torci para o brasil, mas não fiquei tão triste com a eliminação para holanda, pois se tivessemos ganhado, teria um monte de imbecil falando que aquele era o jeito certo do brasil jogar, que futebol arte não leva a nada etc e tal… Enfim acho que tivemos sorte. Senão teriamos que nos contentar com times como este do são paulo, com um futebolzinho burocratico (ECA), e terrivelmente entediante, e olha que estão na seminifinal da libertadores. Mas pra mim isto não basta, como ja diz o Scank “eu quero ver gol, eu quero ver gol, não precisa ser de placa, eu quero ver gol!!!!”
    Espero que o mano tenha assistido bastante jogos do santos, e olha que sou corintiano. Fui

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo