NOTINHAS PÓS-RODADAS



CLA e CB, na ordem:

* Só um time entrou em campo para ganhar a primeira semifinal da Libertadores. O que ganhou, por um placar (Internacional 1 x 0 São Paulo: Giuliano – 48.166 pagantes no Beira-Rio) menor do que o jogo mostrou.

* O São Paulo deu 2 chutes a gol, viu seu goleiro ser seu melhor jogador em campo, numa atuação medrosa que não honra seu passado.

* O jogo confirmou totalmente o que se esperava dos dois times. Por isso, 1 x 0 não é uma vantagem pequena para o Internacional, que poderá planejar sua atuação no Morumbi.

* O São Paulo terá de se transformar em uma semana.

* O Peixão voltou? Pareceu que sim. Com um futebol parecido com o dos (não tão) velhos tempos, o Santos se aproximou (2 x 0 no Vitória: Neymar e Marquinhos – 14.060 pagantes na Vila Belmiro) do título da Copa do Brasil.

* 2 x 0 é um placar clássico para o mandante do primeiro jogo de um mata-mata. Dificílimo de ser revertido. Ainda mais para quem vai enfrentar um time com a capacidade ofensiva do Santos.

* Ok, ok, a cavadinha… se achei Neymar arrogante, displicente? Não.

* Isso mesmo: não. Ele sempre bateu pênaltis com ousadia (ver os dois últimos contra o São Paulo, no Campeonato Paulista). O que vimos ontem, um goleiro apostar que a bola virá no meio e ficar esperando, era questão de tempo.

* Quinta nota, sobre o tema: pênaltis batidos no meio do gol, sejam eles a tradicional pancada de olhos fechados ou a ousada cavadinha, significam a mesma coisa: uma aposta que o goleiro cairá para um dos lados e a bola entrará. Toda aposta envolve um risco.



  • Anna

    André, eu achei que o Neymar exagerou na cavadinha num jogo decisivo. Achei a atitude dele extremamente arriscada. Se acertasse, a fatura estaria quase liquidada. É minha opinião, mas respeito a sua, afinal vocÊ entende mais do que eu. Grande abraço, Anna

  • Faala, André! Vamos discordar um pouco…

    ————-

    Sobre a CLA:

    O mais importante foi que o SP conseguiu, pela primeira vez após a Copa, cumprir o que foi proposto no vestiário, conforme falou o Hernanes ao final do primeiro tempo. E, como a proposta não era atacar… quando foi preciso fazê-lo, o SP parecia uma vaca louca, desordenado, sem velocidade.

    Mas já é um passo. Veremos quinta.

    Como falaram RC e Renato Marsiglia, respectivamente, mérito do Inter por ter feito o gol, e do árbitro por ter deixado a jogada seguir.

    E lembrando: o Inter foi medroso contra o Barça no Camp Nou, e acabou campeão da UCL (guardadas as devidas proporções, logicamente).

    ————-

    Sobre a CdB:

    A diferença entre “pancada de olhos fechados” e “a ousada cavadinha” é que, na primeira, o batedor não tenta enganar o goleiro, mas apenas fazer com que a bola entre no gol. Por isso, achei o Neymar arrogante e displicente, sim.

    E só esclarecendo: acho o Neymar um ótimo jogador, com um futuro brilhante pela frente, e torço para que ele e o Ganso levem o Brasil ao Octa (isso mesmo, sejam tricampeões!); mas espero que, toda vez que ele resolver bater pênalti desse jeito, erre vergonhosamente.

    ————-

    Enfim, a vida é feita para discordarmos, não é mesmo?! 😀

    Grande abraço!

  • André

    Olá André!

    Finalmente achei alguém da imprensa que analisou o lance do Neymar como deveria! Se tivesse convertido a cobrança a imprensa em coro o chamaria de gênio, ousado…mas como errou, chamam o garoto de displicente, irresponsável até.

    Concordo plenamente com você! Parabéns pela imparcialidade!

    Abraço!

  • Vinícius

    Boa tarde André!

    O São Paulo Futebol Clube sempre joga como time pequeno fora de casa, sobretudo quando se trata de Libertadores. No segundo jogo, agora no Morumbi, o SPFC será derrotado novamente, em que pese tenha a melhor defesa da competição, ao sair para o jogo a equipe de Ricardo Gomes mostrará suas fragilidades e será facilmente vencido pelo colorado.

  • Allejo

    andré, acho que o Neymar exagerou na cavadinha sim, até porque, penso eu, (que não sou craque e não consigo fazer uma jogada dessas), é necessário o batedor do penalti primeiro olhar o goleiro e só depois que o goleiro fazer o movimento p/ o lado, aí sim dar a cavadinha. Dar a cavadinha sem esperar goleiro cair é temerário, ainda mais em uma final de copa do brasil. Abraço !

  • Bem, acho que o pênalti bem batido no meio do gol, é aquele em que o cobrador percebe o posicionamento do goleiro. Geralmente o goleiro se movimenta um pouco antes para o lado que vai se jogar. Ao perceber isso, o cobrador pode tocar no meio. Agora, caminhar lentamente para a bola e dar um toque no meio, foi displicente. Nos pênaltis do Loco Abreu e do Zidane os goleiros já estavam se movimentando para o lado antes de ele tocar na bola.

  • Paulo sp

    É, cada um cada um, mas ja pensou ?
    Brasil e Holanda, semi final de copa do mundo a torcida vai a loucura quando o jovem talento finalmente entra em campo aos 30 minutos do segundo tempo´. óóóó
    Quando faltava 5 pra acabar uma linda jogada e o juizão da penalti pra nós…
    A chance do empate, e ele, o ousado rapaz, pega a bola com autoridade agarra e não solta.
    Ao bater o penal joga fora a chance de uma virada na prorrogação de maneira bizarra!
    Que rapaz talentoso! isso é futebol arte! perdemos bonito! Dizem as manchetes dos jornais .

    sorte que ele não foi pra copa e Marquinhos fez um de falta se não…
    Ahh sim claro se o vitoria devolver 2 x 0 na volta não sera nenhum absurdo
    Sobre o rascunho do SPFC sem comentários

  • Paulo sp

    Só pra efeito de curiosidade o R.Ceni perdeu se não me engano 9 penaltis na carreira toda!
    Quantos perde Neymar em 10 cobranças?
    Um aproveitamento pra la de discutivel…

  • Edouard Dardenne

    Bons jogos os de ontem. Acho que o placar de ambos não reflete a superioridade do time que, afinal, saiu com a vitória.
    Uma derrota por 2 x 1, por exemplo, teria sido ‘menos ruim’ para o tricolor do Morumbi, o que mostra não ser justificável a postura do time ontem.
    Estou de acordo com a leitura que você fez das partidas.
    Quanto ao pênalti perdido pelo Neymar: não posso deixar de criticar o atacante. Perder pênalti é, por natureza, ruim. Mas quando bem batido, com força no canto, ou deslocando o goleiro, entende-se que é do jogo. O goleiro está lá para pegar mesmo.
    Agora, uma cavadinha sem nem mesmo observar se o goleiro vai se deslocar? Critico do mesmo modo que entendo merecer críticas o atacante que prefere o drible ineficaz à jogada para o gol, a firula sem sentido ao passe “feijão com arroz” que deixa o companheiro na cara do gol. A beleza nos lances de ousadia, classe, categoria, etc., está justamente na capacidade de quem os executa de superar a marcação, o obstáculo, enfim, de forma não convencional.
    Você tem razão quando diz que esse tipo de cobrança envolve o risco. Mas é assim. O jogar que inventa tem que topar ser responsabilizado e criticado caso não funcione.
    Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Pois é!

    Concordo plenamente com vc em relação à quinta nota.Isso é a mais absoluta verdade.

    O problema é que sempre que o Neymar vai bater pênaltis os goleiros já se acostumaram a esperar algum tipo de gracinha da parte do rapaz.

    Arrogante?Não acho.Displicente?Acho sim.

    Mas ele foi,acima dessas duas coisas,irresponsável.Talvez ele tenha colocado em risco o título da CB,pois o Vitória é forte jogando no Barradão.Tudo isso por mero preciosismo.

    Quem viver verá.

  • kappen

    Fico imaginando o Vitória fazendo 3 a 0. O pênalti do Neymar.

    Também imagino ele fazendo uma dessas na Copa do Mundo. Provavelmente jamais seria perdoado se resultasse em eliminação.

  • Pedro Valadares

    Valeu, André! Sabia que você ia ser uma voz sensata! O Neymar sempre bateu penâlti assim e ninguém reclamava. Foi só perder um pra todo mundo cair matando.

    Vale lembrar que na final da Copa de 2006, Zizou bateu da mesma forma e a bola quase não entrou. Naquele dia, ninguém falou que ele tinha batido de forma irresponsável!

    Abraços!

  • Thiago Escobar

    O Djalminha disse uma vez que não interessa se o goleiro sabe que o atacante faz a cavadinha, ficar no meio do gol é sempre a ÚLTIMA opção dele, ou seja, se o Neymar tivesse “vendido” melhor a cobrança, ele com certeza teria feito o gol…mas ele foi andando devagar, tranquilo…se ele tivesse pego uma distância maior e corrido mais decidido para bola, o goleiro com certeza cairia no truque…o que o Neymar fez não foi nada demais, ele apenas fez ERRADO!!

  • WFurlani

    Concordo com você, André. O Neymar sempre bateu assim, neste caso foi mérito do goleiro q esperou. O Chicão bateu “sério” e perdeu dois em seguida, não foi??

  • Thiago Mariz

    Eu concordo com você. Não o achei displicente. Se tivesse feito o gol, todo mundo teria exaltado sua coragem. Agora, eu estou começando a me perguntar se ele sabe bater penalti de outra forma, porque, de tanto ele fazer isso, os goleiros vão todos começar a esperar. Será que ele sabe bater um penalti normal?

  • Alexandre

    Concordo contigo André. O Neymar bateu muito mal e perdeu. Isso não tem nada a ver com irresponsabilidade, e sim com competência. É tão difícil admitir que simplesmente ele (ainda) não seja um bom batedor? O técnico é quem tem a responsabilidade de definir o batedor oficial.
    O Neymar é abusado, um tanto arrogante (como muitos outros grandes jogadores do futebol brasileiro), mas esta patrulha moralista faminta atrás de cada deslize de um jogador de 18 anos é absurda.
    Seria este o grande legado da filosofia dunguista no futebol brasileiro? Mais vale um santinho medíocre do que um craque de temperamento difícil?

  • alex

    Acho que falta alguém orientar o Neymar a raciocinar mais nesses momentos: bater penalty, aquele lançe a mais etc. É muito bom que ele faça, mas com mais consciência e preparo. Até craques precisam treinar os malabarismos…

    até para que ele não seja um Robinho, que só joga no Santos e porque o nível dos zagueiros aqui é de dar dó!!! Robinho pra mim é o novo Denilson.

  • Alexandre Boechat

    O Neymar foi displicente sim. Não por ter batido com cavadinha, mas por ter sido previsível. Ele contou aos quatro ventos que só treinava bater pênalti com paradinha, era o jeito dele, “futebol-moleque”, etc. Proibiram. Todo mundo esperava uma molecagem. Inclusive o goleiro Lee. Ser óbvio, como ele foi, é sinal de displicência. Ou de burrice, o que é pior.

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo