CADEIA DE COMANDO



Atualizando as informações sobre a sucessão dos professores Dunga e Jorginho na Seleção Brasileira:

Mano Menezes tem 90% de um acerto com a CBF. Quatro fontes diferentes confirmaram a informação, em conversas com o nosso camarada PVC.

Uma das questões pendentes é financeira. Como é o caso em quase todos os países onde o futebol é importante como no Brasil, o que se paga ao técnico da seleção nacional é muito menos do que se paga em clubes.

O salário de Dunga girava em torno de R$ 180 mil. Não me entenda mal: é um valor altíssimo, sob qualquer ótica.

Mas é pouco perto do que ganham os técnicos mais bem pagos do futebol brasileiro.

Para ter MM, ou Muricy Ramalho (que segue em pauta, e é ainda mais bem pago do que Mano), a CBF terá de melhorar a oferta.

Digamos que, em se tratando de CBF, isso não deve ser um problema.

Para o caso de Mano acertar, o Corinthians procurou Adílson Batista, e com ele já tem um acordo apalavrado.

Disse isso ao Lance! de hoje: Adílson é a melhor opção.

A dívida trabalhista que o clube tem com ele (está na Justiça) não deve ser um entrave.

As conversas estão acontecendo enquanto você lê este post.



  • Leandro Azevedo

    Espero que nao seja Abel Braga como alguns veiculos de comunicacao especularam hoje.

    MM eh um bom tecnico, mas nao seria o meu treinador ideal para levar o tal “projeto” de 6 anos culminando na Olimpiada do RJ que o “Dr.” Ricardo Texeira tanto menciona. Muricy eh melhor e Felipao “o cara”.

    Abraco

  • Paula

    Acho que um técnico de clube brasileiro tem muito mais trabalho. O da seleção precisa conhecer os jogadores mas isso se resume a assistir partidas. Muitas vezes viajando.
    Pode ficar analisando e pensando nos esquemas com mais tempo.

    Acho que deve receber menos pelo trabalho que desempenha massss a responsabilidade talvez seja maior.

  • José Rodrigues de Almeida

    Meu caro André, comento sobre um post passado sobre a tecnologia no futebol, a qual vc defende. O futebol é um esporte democrático. O Brasil é um dos poucos países onde há um enorme contingente de jornalistas esportivos e programas todos os dias em todos os horários em tvs. rádios e grande espaço na mídia impressa. Se a tecnologia tirar o contraditório no futebol prá que as discussões antes das rodadas e depois delas com as discussões dos lances polêmicos. Veja os Estados Unidos. Os jogos de basquete, futebol (não soccer), baisebol são tão certinhos que não permitem discussão. E lá não há tantos programas nas TVs. porque não há o que discutir. Além disso, como é que os estádios de São Paulo, por exemplo, o estado mais desenvolvido, iriam colocar seis cameras em cada gol. E os times de torneios regionais, séries inferiores iriam usar bolas com chips para passar em gols que nem linha têm, quanto mais com sensores. E o nosso futebolzinho em clubes sociais. O futebol é democrático e contraditório, porisso o enorme sucesso. Não vamos tirar o que ele tem de bom, que é o sarro nas segundas. Se ele ficar muito certinho, cadê Nós? um grande abraço e ao enorme JUCA

    AK: Discordarei. Nos EUA, a mídia esportiva é muito, mas muito maior do que no Brasil. Esportes como futebol americano, basquete e tênis comprovam que mais acertos nas decisões da arbitragem não diminuem a emoção ou a possibilidade de discussão sobre os jogos. Um abraço.

  • José Rodrigues de Almeida

    Caro André, sempre que se fala em tecnologia no futebol se usa o exemplo do futebol americano. Mas se esquecem as características de cada um. O futebol americano para nós é muito monótono. Ele já para por si. Se trocam as equipes todas, tira os defesas colocam-se os atacantes. Os juízes já fazem “convenções” a cada jogada. Os expectadores já vão aos estádios para ficarem 4, 5 horas em convescote. É tudo marketing da Coca-Cola e dos MacDonalds, Frangos qualquer coisa, hamburgueres, etc. O nosso futebol não se compara a isso. Imagine parar um ataque para se tirar dúvida se a bola foi lançada antes ou depois do atacante tocar nela.
    E aquele gol da copa dos 33 cm não precisava de tecnologia nenhuma. Era só questão do bandeira estar com os óculos e não ter esquecido a bengala branca.
    Um abraço

    Zé Rodrigues

    AK: Discordo, novamente. Não acho o futebol americano monótono. Agradeço por seus comentários, mas lembro que eles estão no post errado. Um abraço.

  • Thadeo Pinhão

    André,

    Sei que o assunto não tem nada a ver com o post. E não sei se você já falou sobre isso na ESPN Brasil.

    Eu queria saber qual a sua opinião sobre a ida do LeBron pro Miami Heat?

    Um abraço.

    AK: Achei um erro, algo que compromete o legado do LBJ. O Miami Heat sempre será o time do Dwayne Wade. Ganhar um título em Cleveland representaria mais do que ganhar três em Miami. Mas obviamente ele tem o direito de fazer o que achar melhor. Um abraço.

  • Dioniso

    O melhor dessa história toda é que o Corintians vai sentir o tranco. Dificilmente vai continuar ganhando com toda essa turbulência.

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    Um pouco fora de topico, mas tem a ver com o MM (ou nao)…

    Vc tem mais detalhes sobre o que esta acontecendo entre o Corinthians e o Felipe? O atleta acaba de lancar uma “nota oficial” em que menciona “pessoa (s)” dentro do clube que querem deliberadamente o prejudicar. O MM estaria de alguma forma envolvido nisso (seja pedindo o afastamento ou tentando a volta do atleta)?

    Abraco

  • Alexandre

    Mas que o time de Miami passou a ser favorito disparado para o título isso não se questiona, não é mesmo André?

    Abraço

    Alexandre

    Obs: e olha que eu gosto dos lakers.

    AK: Sem dúvida. Um abraço.

  • Rejane

    Na minha opinião já está tudo acertado Mano Menezes será técnico da seleção e o técnico Adílson Batista irá substituí-lo no comando do Corinthians. Isso não irá ocorrer se a CBF convencer o Felipão. Agora está faltando alguém no cargo de coordenador técnico da seleção. Espero que não seja o técnico Parreira. A fila dele já andou faz tempo.
    A abertura da Copa de 2014 será em São Paulo. Cadê o local para o estádio? Parece uma piada!

  • Anna

    Eu aposto no MM. Muricy seria uma ótima pedida tb por mais um belo trabalho, agora à frente do Flu. Mas confesso que também preferia o Felipão. MM merece e muito! Que bom que o Corinthians já em outro nome em mente. Adilson Batista é um ótimo nome! Veremos, André, como tudo se desenrola.

  • Rodrigo

    Só para lembrar: Seleção de Zagallo fracassa em 1998 e a CBF chama Luxemburgo, então no Corinthians. Deu no que deu. Família Scollari prospera em 2002, mas Felipão não continua. CBF recorre a Parreira, então no Corinthians. Deu no que deu – Parte II. Em 2010, Dunga fracassa. Tudo leva a crer que a CBF vai chamar o Mano Menezes… coincidências, coincidências…

  • Pedro Valadares

    André,sei que não é esse o assunto do post, mas discordo da sua opinião quanto ao caso Lebrom e Miami. Creio que um jogador do nível dele sempre será o principal jogador de uma equipe. Acho que se o Miami ganhar a liga e Lebrom for MVP, poucos lembrarão que o Miami era o time do Wade.

    Aliás, esse assunto vale um post, não?

    Abraços!

  • Nilton

    André, o que o José Rodrigues de Almeida não entende é que se houver o apito 2.0, as discurções deixaram de ser, se o jogador estava ou não em impedimento e sim se o amador sabe fazer o lançamento no momento certo e se o atacante sabe se posicionar para receber a Bola como o Ronaldo fez no ano passado. Assim teriamos uma discursão voltada para a qualidade do jogo e não para os erros de abritagem. O que na minha opnião seria uma revolução no modo de jogar dos times pois não haveria mais o “culpado” pelo resultado negativo.

  • Marcel

    Ricardo Teixeira a respeito de Mano Menezes: “I’m gonna make him a offer he can’t refuse”.

    [Música instrumental italiana ao fundo]

  • Marcos Vinícius

    Cara,leva a mal não,mas se vc acha que 180 mil é um salário altíssimo em se falando de futebol,o que dizer do salário de Muricy no Fluminense,em torno de 450 mil?e o de Dorival no Santos,em torno de 300 mil?

    Pelos padrões financeiros atuais do nosso futebol,onde 50 mil é salário de jogador de segunda linha,acho até pouco,em se falando de seleção,que um treinador ganhe 180 mil.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo