LIQUID PAPER



A antecipação do período de inscrição na CBF de jogadores que estavam fora do Brasil, em si, não machuca ninguém.

Fosse ela anunciada antes do início da temporada, estaria tudo certo.

Durante, é errado, assim como são erradas tantas coisas no futebol brasileiro.

E (atenção, para que depois não haja reclamações quando o blogueiro pedir para que se leia o que está escrito): não interessa quem é, momentaneamente, beneficiado ou prejudicado. Isso é o que menos importa.

Mudança de regra durante o jogo é molecagem, em qualquer nível.

No nível mais alto do futebol brasileiro, é mais uma dessas manobras que (assim como viradas de mesa, punições diferentes para ofensas iguais…) fazem os cafajestes que se julgam espertos rirem dos outros.

Não me refiro a ninguém em especial. Mas à situação.

Avançamos em muita coisa, nos últimos anos. Mas a calada da noite ainda continua sendo fértil para quem (de novo, momentaneamente) “tem entrada” no poder. O erro maior, claro, é de quem tem o poder de decidir.

Só mais uma coisa (escreverei sobre esse assunto no Lance! de quinta-feira, e já estou quase antecipando minha coluna inteira): a reclamação do São Paulo é formalidade.

O clube sabia que seria prejudicado em qualquer “dividida” na CBF, desde que se posicionou contra o candidato da entidade na última eleição no Clube dos 13.

“Ganhou um inimigo para sempre”, foi a frase de uma pessoa muito bem posicionada no quartel general do nosso futebol.



  • Rodrigo

    André, apague o comentário anterior, por favor. Saiu só “O pior é q”, mas vamos lá:

    O pior é que tudo que acontecer com o time do Morumbi vai ser culpa da CBF. Eles já tem a desculpa na ponta da língua.

  • eduardo pieroni

    Boa Andre, sera que vai entrar para o DVD ?????

  • Thiago Mendes

    André,

    Eu acho bem feito para o São Paulo. Vendeu a alma ao diabo por conta da Taça das Bolinhas e do Morumbi como sede da Copa e vai terminar sem nada…

    O São Paulo perdeu uma grande oportunidade de mostrar que sua diretoria é realmente diferente das demais ao não reconhecer o hexacampeonato do Flamengo, então pentacampeão. Foi uma atitude pequena, de pessoas sem a grandeza que os dirigentes sã- paulinos julgam possuir.

    No mais, o São Paulo já tem virado mestre em ficar de chororô…

  • Marcel Souza

    Taí mais uma motivo porque o futebol nacional anda tão desanimador. É duro voltar de uma Copa do Mundo tão interessante e ver que as coisas em casa continuam na mesma…

    E eu não sei proque o São Paulo comprou essa briga eterna. O time que se vangloriava que era diferente, que tinha sucesso nos bastidores… Como são-paulino eu acho que essa diretoria pisou na bola feio.

  • Marcos

    Charles de Gaulle já disse uma vez “O Brasil não é um país sério” alguna duvida?

  • Leandro Azevedo

    OFF-Topic:

    O Socrates foi entrevistado pela BBC Sports e ai segue o link da entrevista:

    http://news.bbc.co.uk/sport2/hi/football/8840141.stm

    Abraco

  • BASILIO77

    Mudar a regra durante o jogo é molecagem…ponto.
    Mas o que me espanta é como o SPFC consegue emplacar suas opiniões com tanta facilidade. E não me refiro ao AK , não é o caso…mas como as teses levantadas pelo time do morumbi são aceitas com tanta naturalidade.
    Bastou o clube começar a passar pelos primeiros insucessos, dentro e fora dos campos, para que esses fossem justificados sempre por “culpa da CBF”…”calendário direcionado”…”o rival entregou o jogo”…e não por conta de sua propria incompetencia.

    Ora, enquanto o clube conseguia titulo atrás de título, via seus jogadores medianos sendo convocados por Dunga, vencia tudo no STJD, via seu projeto de reforma do estádio sendo aprovado pela FIFA e era o clube que dava as cartas no futebol brasileiro dentro e fora dos bastidores…tudo bem….as conquistas foram todas legitimadas pelo mérito do proprio clube, afinal, o mais organizado do pais….bla…bla..bla…
    Força nos bastidores? Não…isso NUNCA era sequer mencionado.

    Vamos deixar claro: os titulos conseguidos pelo SPFC de 2005 até 2009 NÃO serão igualados por outro clube nem nos próximos 30 anos. São feitos historicos conseguidos somente por quem andava de braços dados com o poder. Sem tirar os meritos técnicos dessas conquistas, havia um casamento harmonioso entre o clube e a CBF naquele periodo.
    Nada de mais nisso tudo, é assim mesmo. De tempos em tempos há um(s) clube(s) casado com a CBF. É e continuará sendo normal.

    Desfeito o casamento, todos os problemas do tricolor já tem explicação e culpado: CBF. Por conta de o clube não ter votado no “candidato do Homem”. Como se apenas o SPFC tivesse se posicionado dessa maneira e não a maioria dos clubes, afinal o “candidato do Homem” perdeu aquela eleição…
    Inclusive o Internacional, outro clube que adora justificar seus insucessos pelas “forças ocultas” do futebol, teve o mesmo posicionamento.

    Pois é, o futebol só é um meio sujo quando meu time levanta a taça, quando são os outros aí é a meritocracia que impera.
    Não é o caso dessa coluna mas o SPFC coloca seu exercito midiático em defesa propria assim que vê seus interesses ameaçados. Que força!!!

    SPFC é o clube mais forte, politicamente falando, do país. Sempre foi mais forte que os clubes de massa, Flamengo e SCCP…outra mentira que os cardeais tricolores e seus soldados da mídia conseguiram emplacar durante decadas.
    Desculpe o desabafo.
    Abraço.

    AK: Não é por outro motivo que a palavra “momentaneamente” aparece duas vezes no post. Obrigado pelo comentário. Um abraço.

  • luiz

    juca, parabens pelo posicionamento certo e corajoso. parece que vc eh mais corintiano q sao paulino, mas eh legal ver pessoas terem posicoes corretas independentes de interesse proprio. ainda q o interesse soh pelo futebol nao seja uma coisa de vida ou morte. mto bem articulada sua posicao, parabens, esperando pelo seu artigo no lance…qdo vamos ter uma cbf descente? outro assunto, a qto tempo temos viver com tecnicos na selecao q nao sao os melhores do pais? coutinho, zagalo, lazaroni, dunga… pq os jogadores tem q ser os melhores, mas nao eh usado o mesmo criterio para os tecnicos? Deus nos ajude a termos um negocio mais limpo num futuro proximo nessa imunda cbf…ateh a fifa esta sendo envolvida por esses calhordas…

    AK: Você escreveu para o blog certo? Um abraço.

  • Edouard Dardenne

    Basilio77, do meu ponto de vista, você esgotou o assunto. Disse tudo o que eu penso sobre o assunto. Um abraço.

  • Basilio,
    não vejo essa influência toda do SPFC nos bastidores, pelo menos não num passado recente, quando essa banda assumiu novamente o poder. Quando a atual oposição estava no poder, o SPFC nem influência tinha (lembra do caso Sandro Hiroshi?), mas quando esses caras de hoje voltaram, a influência passou a ser negativa. Foram brigas seguidas com a FPF e a CBF, todas em nome de uma moralidade que eles só apresentavam em benefício próprio, que culminaram com o rompimento de relações com a Federação Paulista e com a guerra fria atual com a CBF.

    Acho que a imagem do SPFC está sendo diuturnamente arranhada pelo grupo que está no poder agora. Se os anteriores eram bananas, esses são da turma dos cafajestes que se acham espertos – e ainda têm o arrogante do MAC como porta-voz. O SPFC está virando (ou já virou) um time antipático por causa disso, assim como aconteceu com o Corinthians por causa do Citadini e com o Vasco por causa do Eurico. Daí aparecem as teorias da conspiração usuais de favorecimento por estar ‘de bem com os homi’, mesmo que o 3º título da sequência tenha vindo no auge da rusga com o Ricardo Teixeira e tirando 11 pontos de diferença em 1 turno.

    Essa diretoria do SPFC é tudo, menos diferenciada. Em 2005, ela perdeu Mineiro e Amoroso de graça. Em 2006, perdeu o Ricardo Oliveira na final da Libertadores. Depois disso, passou a usar a fórmula ideal para perder dinheiro na bolsa: trouxe seguidamente jogadores que foram bem contra a gente (ou seja, comprou na alta) e os liberou ou encostou quando não renderam o mesmo por aqui (vendeu na baixa). Ela também teve acertos, como a contratação cirúrgica do Amoroso antes da semi de 2005, mas nada diferente dos seus pares.

    Em apenas uma coisa essa diretoria do SPFC nada de braçada no Brasil: ela não permite a mínima ingerência da torcida junto ao time. O Muricy não ficaria nem até o fim de 2006 em outro clube depois de perder a final do torneio mais importante para o time e para a torcida. Esse foi o maior diferencial do time de 2005 para cá: a tranquilidade para trabalhar. Cuca, Leão, Autuori, Muricy e Ricardo Gomes souberam se aproveitar disso.

    O que me incomoda nessa história é o fato do SPFC só reclamar de moralidade quando é prejudicado. É igual ao Mano, que só reclama da arbitragem quando erra contra, quando erra a favor é fatalidade. Está errado mudar a regra da janela agora, ou você acha que não? Premiou quem não se planejou e prejudicou quem antecipou suas contratações achando que o regulamento seria cumprido. Como o André falou, independe de quem é o prejudicado e o beneficiado, mas duvido que o SPFC fosse falar alguma coisa se não estivesse envolvido.

    E só acho que você acabou fazendo o exato oposto do que a diretoria do SPFC faz, nesse seu comentário: eles dizem que quando o time ganha é mérito, quando perde é conspiração. Você diz que quando ganha é conspiração, quando perde é (de)mérito. Eu já acho que conspiração é bobagem e que ganhar ou perder depende apenas e tão somente do mérito de cada um.

  • BASILIO77

    Eduardo, em momento algum disse que as conquistas recentes do SPFC foram fruto de conspiração. Disse que time que está em litigio com “os homi” não ganha nada, o que é bem diferente.
    Resumindo, a banca paga…e a banca cobra.
    Esse é o jogo.
    Gosta? Continue acompanhando. Não gosta?
    Que comece a acompanhar campeonatos de xadrez, lá não tem STJD nem CBF.
    O que é chato é um clube com a força de mídia que tem o SPFC ficar jogando sujeira no ventilador do futebol brasileiro só quando não é o vencedor.
    Abraço.

  • Paula

    BASILIO77, verifique as votações da CBF e veja a quanto tempo a Sao paulo é oposição. Vc dá a entender que se o são paulo fosse brigado com os homi de verdade não teria ganho nada! Mas o são paulo vota contra teixeira há tempos e ganhou 2006 e 2007 antes de iniciar a luta do Morumbi para ser sede (momento em que o sao paulo passou a babar ovo da cbf).

  • Basilio,
    essa é a sua visão do jogo. Pra mim, existe um monte de cafajeste de fora tentando levar vantagem em tudo, mas quando começa o jogo, o que acontece é exatamente o que vemos. Não acredito em esquema pra beneficiar um time ou outro e não acredito que um árbitro consiga alterar o placar de um mísero jogo, que dirá de um campeonato.

    Como a Paula falou, o SPFC tem uma oposição histórica à CBF, mas não ficou de 1992 a 2004 sem nem classificar pra Libertadores por isso – foi falta de competência mesmo. Da mesma forma, quando conseguiu foi por competência – o armistício com a CBF é de 2009 pra cá e o time foi campeão da Libertadores, do Mundial e tri do Brasileiro no período.

    E o xadrez não é nenhum exemplo de ética e lisura. Sabia que na época da Guerra Fria os grandes mestres da URSS se revezavam para entregar as partidas entre eles afim de que o campeão sempre fosse soviético? Ou que o Bob Fischer se recusou a jogar um match porque achou que a poltrona dele era desconfortável e a sala era muito clara? Ou que o Kasparov, o maior ícone do xadrez moderno, já foi preso por envolvimento em negociatas e pretende ser político?

    Mas em uma coisa eu concordo: é um saco essa história de defender a moral e os bons costumes apenas quando ela está alinhada com o benefício próprio.

  • Marcos Vinícius

    André,vc disse sua opinião a respeito do fato,mas tem uma coisa muito importante que vc esqueceu(?) de mencionar:

    Na sua opinião,qual foi a intenção da CBF ao antecipar a abertura da janela?

    AK: Atender o pedido de uma filiada e, no processo, cutucar o São Paulo. Um abraço.

  • BASILO77

    Paula, é isso mesmo.
    Nao acredito em hipotese alguma que o SPFC fosse oposiçao de fato no periodo citado.
    Nao vou listar aqui a quantidade de fatos e decisões que apontam para essa minha opinião, dentro e fora dos gramados….a discussão não teria fim. Respeito sua opinião.

    Eduardo, também nao acredito num nivel de manipulaçao de resultados absoluto, determinando qual clube será o campeão. Acho que existem um grupo de agremiações que estão mais alinhadas com o poder num determinado momento historico e os campeões saem dessa “panela”. Há merito nisso, afinal, o campeão é o melhor da “panela” que é formada sempre por grandes clubes do pais.
    Realmente não dá para opuvir calado o clube mais vitorioso do pais cuspir no “sistema”, isso soa mal…mas há quem engula e acredite que o SPFC conquistou o que conquistou, dentro e fora de campo contra tudo e contra todos sempre defendendo “o bem”.

    E é assim aqui…e na Europa a coisa é muito menos “limpa”…a panela é formada pelos mesmo há anos e não há “zebra” por lá. Como dizia Chico Science..”o de cima sobe e o de baixo desce”…simples assim…
    Só que a imprensa é muito…mas muito mais benevolente com o futebol europeu do que com o nosso…os criterios são muito mais frouxos.

    Abraço.

  • Marcos Vinícius

    Desculpe a insistência,mas a filiada em questão seria o Internacional-RS?

    AK: A Federação Gaúcha de Futebol, que trabalhou pelos interesses do Inter. Um abraço.

  • Luciano

    Caro André:

    Com todo o respeito, sou um grande admirador do seu trabalho e acompanho o blog quase diariamente, mas parece-me que, desta vez, vc está equivocado.

    Não creio que a este caso se aplique a máxima de que “mudar as regras no meio do jogo é errado”. É claro que uma frase destas, fora de contexto, sempre dará aparência de que as coisas foram mal feitas. Entretanto, também é verdade que situações excepcionais ensejam medidas excepcionais.

    A pergunta do Ricardo Gomes querendo saber se “alguma vez já tinha acontecido isso?” é, com todo o respeito, muito rasa. Explico: O fato de terem sido cometidas eventuais injustiças em épocas passadas não faz com que, mecanicamente, nós tenhamos que ficar de braços cruzados para sempre diante de situações que faça com que estas injustiças se repitam. A meu juízo, o fato de “nunca ter sido feito algo a respeito de alguma coisa” não justifica que jamais se faça. Do contrário, os assassinos jamais seriam condenados, já que uma vez foi necessária a primeira condenação do primeiro assassino e por aí vai… (Tudo bem, o exemplo é bem rudimentar, mas é pra facilitar o entendimento…)

    A decisão seria casuísta caso atendesse ao interesse de um ou de apenas alguns clubes. Não é o caso. Ele se aplica para todos. O argumento no sentido de que houve mudança de regras no meio do jogo, esclarecido o contexto, é muito fraco, por uma simples razão:

    “É simplesmente impossível que algum clube tenha DEIXADO DE CONTRATAR por saber que não haveria tempo hábil para eventuais inscrições por conta da alteração de calendário provocada pela Copa do Mundo.”

    A meu ver, pois, com todo o respeito àqueles que entendem diferentemente, a decisão foi sensata.

    Um abraço.

    AK: A questão não é essa. A questão é que a medida só foi tomada por causa dos interesses do Internacional. E talvez só tenha sido aceita por causa do adversário do Internacional na Libertadores. Aí está o casuísmo. Repito que os beneficiados/prejudicados do momento não importam tanto quanto a regra ter sido alterada no meio do jogo. Foi o que aconteceu e é errado. Em tese, estou de acordo com você em relação a algo que acontece pela primeira vez não ser necessariamente errado. Ocorre que não há nenhum problema com o modelo anterior. E, se há, que seja discutido e alterado antes do jogo começar. Não durante. Um abraço.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo