HÁ UMA ESPERANÇA



Duas declarações de Joseph Blatter, presidente da Fifa.

Primeiro, a que não resolve nada:

“Naturalmente lamentamos quando vemos a evidência de erros de arbitragem. Estou angustiado pelos erros evidentes dos árbitros. Manifestei o meu pedido de desculpas.”

Depois, a que pode resolver:

“É óbvio que após as experiências até agora na Copa do Mundo, seria um absurdo não reabrir o arquivo sobre a tecnologia na linha de gol.



  • leonardo atleticano

    André, acho que a tecnologia deve ser usada, com limitações. duas ou três consultas por equipe ao longo dos noventa minutos. Parar a todo momento quebraria a dinâmica do jogo. Mas lances como o da Inglaterra matam o espírito esportivo, é muito injusto.

  • Douglas

    Ohhhhhhhhhhhhh Será que agora vai?

  • O Maldito

    Seria bom se houvesse, mas primeiro duvido que saia, e ainda que seja utilizada, duvido que de forma realmente efetiva.

  • Teobaldo

    O uso da tecnologia terminará (minimizará) a manipulação de resultados. Em função do exposto entendo que nunca veremos sua dissiminação no futebol.

  • Como eu previa, esse assunto so iria acontecer quando um grande time fosse clamorosamente prejudicado. A Inglaterra foi, e ira fazer uma pressao enorme na UEFA. O Mexico nao e uma grande potencia do esporte, mas tem enorme influencia na CONCACAF.

    Apenas por isso eu acredito que as coisas vao pra frente.

    Pra pressao ser ainda mais efetiva,, so se Inglaterra e Mexico tivessem perdido para selecoes nanicas.

  • Filipe Reis

    Vejo muita gente comparando o apito eletrônico do futebol americano com o futebol. Acredito que a melhor comparação seja com rugby, o rugby é um esporte para muito menos que os dois futebois e teve o apito eletrônico incorporado sem maiores problemas. Nós esperamos tiros de meta, cobranças de pênalti, ceras mil…esperar uma decisão justa nao incomodará.

  • Mauro Domingos

    André, quando vc retornar da copa, relaxar e descansar, volte ao tema. Juro q quando vi o erro no gol da Inglaterra, lembrei de vc na hora…
    O meu comentário a respeito desse assunto polêmico…. Bom, vejo muitas opiniões sobre a questão de ‘parar o jogo e vê o lance numa tv’… Acho q não é necessário parar o jogo…
    1° – O chip dentro da bola acionaria um alarme vibratório no pulso, no braço dos árbitros e assistentes. Se a bola ultrapassou a linha, aciona-se o alarme e todos correm pro meio do campo. Não tem q parar o jogo…
    2° – Adicionar mais assistentes. Dois em cada lateral do campo e um atras de cada gol. Total de 6 assistentes. Todos com bandeiras e o sistema de alarme do chip da bola.
    Em situações como o impedimento do Tevez, se um bandeira de um lado do campo não viu, o outro poderia ver e marcar. Simples.
    Ha varias formas de se melhorar a ‘fiscalização’ dos lances sem ter q ‘empurrar tecnologia’ no futebol e ‘parar pra analisar os lances’…
    Quando puder, volte ao tema…
    Abraços…

  • Dioniso

    Não precisa chip na bola nem tecnologia nenhuma. Como disse hoje o Marcos no Lance, é só o quarto árbitro ter um monitor ligado na ESPN, e pronto.

  • David

    Gostaria muito de ter esperança, mas, pelo retrospecto, não vejo motivos. E nem culpo mais os velhinhos da (do?) International Board, e sim a falta de interesse no assunto por parte dos dirigentes menores, que são as únicas pessoas a quem os dirigentes maiores procuram agradar.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo