MAIS DO MESMO



A Seleção Brasileira precisou de 34 minutos para fazer o mais difícil: o primeiro gol.

Vítima serial do Brasil, o Chile tentou algo novo. Obedeceu as palavras de seu técnico (“é difícil marcar o Brasil. Uma forma de marcar menos é atacar”) e foi à frente.

Pacientemente, e sem correr riscos, a Seleção aproveitou o espaço.

O gol de Juan foi a chave. Ávidos pelo empate, os chilenos convidaram o time brasileiro ao que ele mais gosta de fazer.

Interessante que a jogada do segundo gol começou com uma disputa no alto que foi vencida por Luis Fabiano. Depois de Robinho e Kaká (belo passe), a bola voltou ao artilheiro.

Lance para reafirmar que o contra-ataque da Seleção Brasileira é um dos melhores do mundo.

No segundo tempo, Ramires criou o gol de Robinho, que sempre marca contra o Chile (7 em 5 jogos). Foi o primeiro gol do atacante do Santos em Copas do Mundo.

No restante do jogo, os chilenos devem ter pensando que, seja qual for a estratégia contra o Brasil, o resultado é o mesmo.

Bela partida de Gilberto Silva. Para mim, o melhor em campo.

Sexta-feira, em Port Elizabeth, encontro com a Holanda.

Jogo de Copa do Mundo.



MaisRecentes

Vitória com bônus



Continue Lendo

Anormal



Continue Lendo

Saída



Continue Lendo