COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

UM EMPATEZINHO

No jogo das palavras na véspera, ficou claro o confronto (teórico) de estilos. Carlos Queiroz, sorridente, falou que Portugal tinha a “obrigação de dar espetáculo, eleger o futebol e colocá-lo no trono que merece durante o Campeonato do Mundo”. Dunga, sisudo, disse que o Brasil precisava “jogar para ganhar, senão a metralhadora vai disparar”.

Queiroz é hábil ao microfone. Capaz de citar o técnico brasileiro Gentil Cardoso, que trabalhou nas décadas de 40 e 50, ao comentar o estado preocupante do gramado do estádio Moses Mabhida. “A vaca come a relva, o couro da bola vem da vaca, então o couro tem de rolar na relva”, disse. Também mencionou a ausência de Kaká com uma ponta de tristeza, lembrando que nos jogos do Brasil que estudou, sempre aparecia “o trio d’ouro: Kaká, Fabiano (sem o Luis) e Robinho”.

Dunga foi gentil com os patrícios, ao comparar a qualidade do futebol praticado pelas duas seleções. No dia em que a semelhança for real, alguma coisa muito séria terá acontecido em Portugal. Ou no Brasil.

Do que se falou nos últimos dias, a maior verdade é a que parecia menos provável. A “rivalidade” que surgiu entre os dois times no passado recente, talvez por causa dos brasileiros que assumiram o passaporte português, talvez pelos 4 amistosos em 8 anos, com duas vitórias de Portugal.

Num primeiro tempo em que o time de Queiroz trocou a fantasia pela sobrevivência, fechadinho atrás para aumentar a possibilidade do empate que lhe interessava, Pepe e Felipe Mello criaram um “octagon” particular. Felipe, sabe-se, não se preocupa em fazer amigos do outro lado, mas a pisada no tornozelo que levou de Pepe foi tão involuntária quanto um soco no nariz. O luso-brasileiro ainda fez um sinal de 1 x 1 com as mãos, lembrando de uma entrada que levou. Sem demora, foi abalroado por Felipe, na falta que lhe valeu o cartão amarelo e fez Dunga chamar Josué. A explicação oficial para a substituição foi a lesão no tornozelo esquerdo que Pepe provocou. Sei.

Os sete cartões amarelos do primeiro tempo (3 para o Brasil, sendo que um foi o de Juan, por mão na bola) são um recorde desta Copa do Mundo. Marcas de um jogo com pouca emoção, entre dois times que podem mais. Principalmente Portugal, que precisava jogar por alguma coisa e se limitou a apostar nos erros brasileiros.

No segundo tempo, em que o árbitro mexicano Benito Archundia não tirou nenhum cartão do bolso, Cristiano Ronaldo foi jogar nas costas de Maicon. Apareceu mais, mas não fez nada que justificasse sua escolha como o melhor em campo. Talvez não tenha sido “uma vergonha”, como disse Lucio. Mas, entre os dois, eu (que acho que Cristiano é craque) ficaria com o brasileiro.

Queiroz saiu do jogo orgulhoso pela invencibilidade de sua defesa na primeira fase. Nos últimos 26 jogos que fez, Portugal não tomou gol em 22. O técnico usou outra frase de efeito para resumir a atuação de seu time. “Nós vestimos o terno, mas também sabemos usar o smoking”.

Mas não houve festa em Durban. Só um empatezinho bom para todo mundo.



  • Ailton

    Caro André

    Como o seu pai você nunca jogou bola, então não sabe o que é uma pisada no tornozelo e parece que não entende de futebol, pois deixar um jogador em campo lesionado, chegando atrasado em todas as jogadas é um risco de levar um cartão amarelo ou um vermelho. Analisem o jogo e não o treinador. O Dunga demorou tirar o Felipe quando ele começou a chegar atrasado nas jogadas por causa da contusão, pode ser que este fato só tenha sido notado quando ele levou o cartão. Você é novo pode ser e deve ser imparcial, mas acho que pedir imparcialidade de um jornalista é o mesmo que pedir que um advogado não tire proveito das brechas da lei em benefício próprio, isto é inerente a vocês.
    Façam como o Prezado Garambone PEÇAM DESCULPAS MUTUAMENTE

    A sua atitude de nós incutir ao pedido de desculpas é de tirar o chapéu e seria mais louvável se você conseguisse incutir este pensamento em todos os seus colegas de profissão, dos que fazem a crítica pela crítica aos que tentam adivinhar o que passa pela cabeça do nosso técnico. podemos não gostar de algumas convocações do Dunga, mas não podemos deixar de achar que o futebol não é um jogo coletivo. Os nossos preteridos Ronaldinho Gaúcho esteve nas olímpiadas e não jogou nada, sempre criticamos que ele jogava no Barcelona e não na seleção, Ganso amarelou na seleção dos jogadores da idade dele, a sub20, o nome daquela seleção foi o Giuliano. Jogar o campeonato paulista é uma coisa, até porque eles não eram nem o franco favorito, jogar um mundial pela seleção brasileira é outra, você tem que levar jogadores que você tem ceteza que não vai decepcionar e isto não é garantia, vide Raí em 1994. Acredito na nossa seleção, temos esquema tático que dar certo, mesmo que isso contrarie alguns comentaristas, temos jogadores e principalmente temos um grupo que quer ser campeão, por eles, por nós e para calar a boca de alguns comentaristas, que criticam um time vencedor, os números provam isso, por puro preconceito em relação ao seu treinador. Temos que para com saudosismo, 58 e 62, futebol era diversão, não havia globalização, profissionalização, nem preparo físico. Em 1970. Depois do fiasco de 1966 a seleção brasileira fez uma preparação caprichada para a Copa do Mundo 1970. Enquanto os europeus chegaram ao México pouco antes da Copa do Mundo, os brasileiros foram bem antes para se preparar e aclimatar. A boa preparação do Brasil foi decisiva, com a seleção brasileira decidindo todos jogos no segundo tempo, mas isso ninguém fala. Vamos deixar a nossa seleção ser campeã em paz. Garambone peça trégua aos seus companheiros. perde uma copa para nós mesmo é sacanagem. Jogador nenhum vai a Copa do Mundo para tomar café jornalistas, ir para bordel e encher a cara de cachaça. Vamos deixar o Dunga trabalhar em paz.

    AK: Não sei se você jogou futebol, mas isso não faz diferença e não me importa, como não deveria importar a você. Dunga tirou Felipe Melo do jogo porque ele estava machucado e porque também estava irritado, correndo o risco de ser expulso. Talvez você acredite que no lance em que Felipe deu um encontrão em Pepe (e tomou amarelo), ele chegou atrasado. Da forma como vejo, ele chegou exatamente no momento que queria, e já estava com o tornozelo machucado. Ocorre que, na coletiva, o técnico só mencionou a lesão. E eu entendo perfeitamente por que um treinador não pode dizer que tirou um jogador de campo porque ele estava irritado. Ainda mais esse jogador sendo o Felipe, sobre quem paira a questão da irritabilidade.

    Quanto a pedir desculpas, creio que se você lesse o que já escrevi sobre Dunga e esta Seleção, não concluiria que eu devo pedi-las. Elogiei, e muitas vezes, a formação do grupo que Dunga conduziu nos últimos 3 anos e meio. Elogiei, e muitas vezes, o ambiente “de clube” que ele conseguiu criar na Seleção. Elogiei, e muitas vezes, os resultados obtidos. E quando comentei a convocação, observei que, na minha opinião, o grupo poderia ter mais algumas opções no meio de campo. Também na minha opinião, a falta dessas opções ficou evidente no jogo contra Portugal. Mas não toco nesse ponto porque, em minha primeira coluna após a convocação final, prometi não mais falar em jogadores que não iriam ao Mundial.

    Antes de ser irônico no que diz respeito à imparcialidade de um jornalista, procure ler o que ele escreve.

    Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    Vou esperar o post sobre o chip na bola pelo gol anulado da Inglaterra… hehehe

    Abraco

  • Anna

    Um empate ao estilo de jogo de compadres porque era um resultado bom pros dois e duvido que Dunga fizesse força pra ganhar porque a vitória daria a vaga à Costa do Marfim que foi violenta e de certa forma um dos jogadores “forçou” a expulsão de Kaka. Quanto ao jogo de Inglaterra e Alemanha, após o gol que não foi dado ao English Team também lembrei de você, como o Leandro Azevedo, e penso que o chip mais a tecnologia eletrônica são para ontem na Copa do Mundo.

  • Rodrigo

    A frase do Queirós foi: “Nós entramos de fato-macaco (macacão) mas acabamos de smoking”

    AK: Na coletiva, em inglês: “we wear the working suit, but also know how to wear the tuxedo”. Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    O que faz um jornalista perguntar para o Dunga, na vespera de um jogo de mata-mata de Copa se ele jah pensou em ser treinador de um clube??

    Eh apenas querer perguntar algo msm??

    Abraco

  • Leandro Azevedo

    E a transmissao aqui cortou com o Dunga saindo e falando, “Tem que pensar hein, tem que pensar”… a que ele se referia??

    Abraco

    AK: Pelo que percebi, à pergunta sobre o uso da eletrônica no futebol. Dunga acha que com o fim da discussão sobre os lances e resultados, a imprensa não teria o que escrever. Engano dele. Um abraço.

  • Edmo de Oliveira

    Lances e resultados devem ser comentados sim, e a imprensa sempre terá o que escrever, mas que ela está superdimensionada na Copa, ahh isso tá. Pô, a Globo, por exemplo, manda cerca de 300 pessoas para a cobertura da Copa e os caras só falam e escrevem sobre fofoquinhas, tipo jogador que faz cara feia pro outro em decorrência de uma entrada mais dura no treino, coisa absolutamente normal até em peladas de escriturários em final de expediente, então algo está errado, creio que o gigantismo da imprensa. Agora estão cobrando até sorriso do Dunga. Tem mesmo gente demais, pelo menos na imprensa esportiva. Talvez Dunga estivesse até pensando nisso quando deu aquela resposta, mas pra que polemizar quando se tem mais o que fazer né? ele só deu uma (boa) dica.

    AK: Curioso: os exemplos que você deu comprovam que o fim da discussão não teria tanto impacto assim no trabalho da imprensa. Um abraço.

  • David

    A resposta do Dunga sobre o uso de recursos eletrônicos é definitiva: ele não tem a mínima idéia sobre qual é o papel da imprensa, porque ela existe ou pra que ela serve. E o pior, não tem a mínima idéia sobre qual é o papel de um técnico, já que disse que, com o fim dos casos polêmicos, ele também não precisaria estar ali, poderia estar em casa.

  • David

    Embora seja off-topic, concordo com a afirmação de que há um exagero no número de pessoas da Globo na África do Sul. Até porque a maior parte do tempo destinado a Copa é preenchido pela Central da Copa, a partir do estúdio aqui no Brasil, quase sempre repetindo como convidados os próprios comentaristas e narradores que ficaram por aqui e que participam das narrações off tube. Com mais de 300 pessoas lá, seria de se esperar que todos os jogos fossem feitos no estádio e que fosse produzido mais conteúdo do que somente as matérias burocráticas para os telejornais. Eles mesmo foram fazendo ajustes, primeiro o William Waack entrava ao vivo no Jornal da Globo, as 5, 6 horas da manhã (pra ele). Totalmente desnecessário, as olheiras eram gritantes. Logo a entrada dele passou a ser gravada. A Sandra Annenberg foi, ficou uma semana, e voltou. Porque sua presença lá também era totalmente desnecessária, assim como é a da Fátima Bernandes.

    Não que você tenha alguma coisa a ver com isso, ou isso tenha alguma coisa a ver com o assunto do post, ou do blog. Mas enfim, quando você for dono da Globo, se precisar de ajuda, é só me ligar.

  • Boa noite André…
    Cara,não sei vc,mas fiquei com a clara ideia de que o Dunga não tem qualquer opção pra suprir a ausência do unico meia de ligação que ele tem no time titular(Kaká).
    Deu pena ver o meio-campo do Brasil jogar contra a forte e bem estruturada defesa(retranca?) de Portugal. Jogar uma copa sem alguns recursos sôa meio que arriscado,embora ele jogue com dois “wingers”(jogadores abertos nas pontas,como no futebol inglês) na maior parte do tempo,e neste caso possa improvisar alas ofensivos como Michel Bastos(Horror de copa,que tá jogando) ou o Dani Alves.
    Mas não sei cara,eu ainda não sinto o Brasil com cara de campeão de copa do mundo,por mais consistente e seguro que seja o time em vários aspectos.
    Sei que chute não é coisa de jornalista imparcial,mas o que vc tá sentindo André? Vc vê o Brasil com cara de campeão desta copa?
    Grande abraço.

    AK: Vejo o caminho aberto até a final. Um abraço.

  • Lucio Ferreira

    O cartão do Juan não foi vermelho?

    AK: Não.

  • Bom dia André…
    Pois é cara,agora que vc disse que fui notar…totalmente desigual o chaveamento do Brasil para a Argentina e Alemanha por exemplo!!
    O Brasil só pega a Holanda(se passar hoje) de seleção Grande!!!
    Realmente,até a final,o caminho tá aberto mesmo…
    Grande abraço.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo