CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

A OUTRA TAÇA DE LUCIO

Às vezes, as cenas mais bonitas de uma decisão acontecem depois que ela terminou. São vistas por poucos sortudos, os que estavam no lugar certo e no momento preciso, premiados pelo acaso com imagens que não se apagam. Aconteceu no sábado, em Madri.

A final da Liga dos Campeões da Uefa já era parte da história. A festa dos torcedores da Internazionale de Milão, 45 anos depois da última conquista da Europa, enchia o Santiago Bernabéu do tipo de emoção que só o futebol proporciona.

A região perto das traves defendidas pelo alemão Butt no segundo tempo, onde “o príncipe” Diego Milito marcou seu fantástico segundo gol, era o epicentro da comemoração. Ali estavam concentrados mais de 20 mil italianos, ensandecidos pela realidade tão sensacional que parecia ficção. Por ali, o capitão Javier Zanetti passou chorando como criança, com os braços estendidos, querendo envolver um setor inteiro do estádio. Por ali, Samuel Eto’o, carregando a bola do jogo e “vestido” com a bandeira de Camarões, distribuiu beijos e sorrisos que eram a síntese da felicidade genuína. Por ali, o técnico José Mourinho passeou com a “orelhuda” em uma das mãos, balançando a outra num emocionado adeus.

A poucos metros, Julio César abraçou as dezenas de amigos que saíram do Rio de Janeiro para vê-lo encerrar a temporada com pelo menos uma defesa tão importante quanto um gol. E Maicon, bandeira brasileira amarrada na cintura, andou de um lado para o outro, sem destino, sem tocar o chão.

Mais de uma hora depois do fim do jogo, aquele pedaço de grama já estava vazio. Assim como o palco armado para a entrega da taça, onde os jogadores da Inter formaram um corredor para os do Bayern passarem. E os vencedores aplaudiram os vencidos. Onde Louis Van Gaal, o técnico responsável pelo fim da carreira de Lucio no clube alemão, cumprimentou o zagueiro brasileiro com um abraço.

Mais de uma hora depois do fim, não havia mais nenhum jogador no campo. Ou melhor, havia um: Lucio. Ainda de uniforme, ele caminhava com os filhos pelo gramado. De repente, ouve-se a torcida do Bayern. O ídolo de quatro temporadas, adversário naquela noite, se aproximava lentamente. Ele carregava uma de suas filhas no colo, ela também usava a camisa da Inter.

Os torcedores que estavam mais próximos do campo apontavam, gesticulavam. Aquele era o primeiro encontro entre Lucio e os bávaros desde que o Bayern decidiu que o brasileiro não estava nos planos, há um ano. Mistura de sentimentos de ambas as partes.

Um cachecol vermelho e branco voou das cadeiras e caiu na grama. Lucio o pegou, o enrolou no pescoço da garotinha em seus braços, e um urro gutural ecoou no Bernabéu.

Lindo. Sorte de quem viu.



  • jairo

    Isso é lindo.
    Muitos jogadores de hj deveriam ler essa sua coluna.Hj em dia até pelo poder do dinheiro, não dá para ficar jurando amor eterno, pos vc pode acabar parando na equipe rival.
    Mas o exemplo do Lúcio, me dá a exata dimensão como o jogador deve se portar, respeitar a camisa q veste e principalmente a torcida q vai ao estádio apoiar os jogadores.Assim como Zico, Falcão, Sócrates,Raí, Reinaldo, Júnior fizeram em suas equipes:Honraram as camisas q vestiram e principalmente a torcida, com disposição e carinho, por isso e tenho hj o maior respeito pelo Lúcio, pois poucos jogadores no mundo atualmente tem essa adimiração.
    Ps:Eu queria ser uma mosquinha para ver a cara de taxo do Van Gaal no Bernabéu, ao ver o Lúcio dando a volta olímpica.

  • alex

    o que conhecemos do Lúcio é apenas dentro das 4 linhas, mas me parece ser uma pessoa séria e honesta.

    pelo relato temos 2 exemplos a seguir:
    1º – o da torcida, que não quis matar o seu ex-jogador como se faz aqui no “bresiu”
    2º – o do Lúcio, que mesmo defendendo outro clube demonstrou num simples gesto seu carinho, gratidão e até saudade do time que o projetou a um dos melhores zagueiros do mundo.

    abraços,

  • Nelson Bigeschi Junior

    Muito bacana André

    Tudo certo na viagem e na chegada à Africa?
    Boa cobertura e, se puder, nos brinde com muitas outras histórias como essa.

    Abraço

  • Henrique

    Parabéns pela coluna. Tenha certeza, que consegui transmitir com detalhes, tudo que se passou depois do jogo. Cada dia que passa, tenho prazer em te acompanhar. Você esta cada dia melhor!!

    Abraço.

  • Gestos espetaculares de ambas as partes. Deve ter sido realmente uma cena digna de cinema. Me dá muita satisfação saber que existe esse tipo de respeito e admiração intermináveis entre fãs e atleta. Principalmente quando me lembro de relacionamentos torcida-jogador que só funcionam quando tudo é um mar de rosas, e desmontam com qualquer mínima adversidade.

  • Thiago Luiz

    Eu imagino que tenha sido de arrepiar. Não há nenhum registro em vídeo?

    AK: É muito difícil que não tenha, mas ainda não consegui achar. O site da ESPN tem uma foto:

    http://espnbrasil.terra.com.br/lucio/noticia/122769_APOS+A+FINAL+LUCIO+RECEBE+CACHECOL+DO+BAYERN+E+E+APLAUDIDO+PELA+TORCIDA+ALEMA

    Um abraço.

  • André

    André,

    Estas suas observações, um outro “olhar” sobre o jogo são fantásticas.

    Poderia nos presentear com outras histórias dessas, aqui no mesmo no blog, de vez em quando publicar alguma passagem que julgue interessante, sempre nos mostrando um outro olhar de um jogo ou de um momento do esporte.

    Repito, essa visão eu acho fantástica, e não é a primeira vez que me emociono quando leio um texto seu, esse foi mais um, me emociono porque imagino a cena acontecendo, de novo FANTÁSTICO.

    Abraço,
    André

  • Willian Ifanger

    Ô loco…..sem palavras para o que eu senti aqui. Arrepiei.

    Nós, que amamos o Futebol (com F maiúsculo) vivemos para ver momentos como esses. São eternos.

  • kappen

    Uau!

  • Iran Né

    Caro André, para quem ama o futebol esse esporte maravilhoso deve ter sido uma sensação fantástica. Principalmente para um cara bacana igual o Lúcio.
    Boa viajem. E muita sorte para nós brasileiros.
    Um grande abraço !
    Iran Né

  • Anna

    E sorte de nós, que não vimos, mas você viu por nós, nos representou de certa forma(esse é o papel de todo jornalista, representar os espectadores, de alguma maneira) e nos contou nesse belo texto. Maneiríssimo, André. Grande abraço, Anna

  • Doge

    Excelente texto André, parabéns !!!

  • Edinho Felício

    Tenho orgulho em ter o Lúcio como capitão da seleção. Espero que ele tenha o prazer de levantar o caneco na África. Linda história André, parabéns!

  • Leonardo Pires

    Que texto, André!

  • Muito bom o texto andré!

  • Douglas

    Emocionante!

  • kappen

    na foto linkada o lúcio ta com uma cara de choro. emocionado.

  • Luiz Felipe

    Eu sou fã incondicional do Lúcio. Tanto como jogador quanto como pessoa.

    O maior jogador que já surgir no Beira-rio.

  • ana-Ctba

    Que belissimo profissional!! Um gigante do futebol!

  • Anna

    Não estou conseguindo colecionar essas colunas de quinta, só as de sábado. Sorry! Adoro seu texto, André! Concordo com o Juca quando ele diz humildemente que você é a evolução da espécie, exemplifica Darwin! 😉

  • Pedro

    O Lúcio para mim hoje é o melhor jogador da seleção brasileira. É profissional, um baita zagueiro, dedicado e uma ótima pessoa.

  • Relato emocionante! Pra que imagem? André narrou a cena de tal forma que me senti no gramado, presenciando tudo!

    36 anos nesse nível? O céu é o limite!

    Continue proporcionando para nós, seus fãs, momentos como este!

    Abraços!

  • Você fez poesia, igual ao mestre Armando Nogueira (a Globo mandou ele embora, fritou ele e, depois de sua morte, foi colocar flores no túmulo dele – quanta falsidade!).
    Concordo com leitor aí de cima: você poderia inaugurar uma coluna permanente de crônicas, no gênero desta sobre o Lúcio. De toda maneira, obrigado pelo presente.

  • Pedro Valadares

    Espetacular! Arrepiei ao ler o seu relato! Fantástica cena e fantástico também também!

    parabéns!

  • Felipe Oliveira

    Futebol é uma coisa sensacional!
    Pena que não pude presenciar cena como essa.
    Mas fiquei arrepiado com o texto (de excelente qualidade, como sempre).

  • Rita

    Lembrei-me de qd vc registrou a belíssima cena do Belletti pós final em 2006.

    Belo texto, bela atitude da torcida e do Lúcio.

    Boa cobertura e boa Copa, André.

  • Roberto Carlos

    André
    Na Copa de 2014 os jogos serão nos nossos horários tradicionais ou serão mais cedo para atender a Europa?

    AK: O horário nobre é sempre o europeu.

  • Marcos Vinícius

    Certa vez postei algo sobre o Lúcio aqui,mostrando o quanto admiro o jogador,outrora questionado e injustiçado por parte da nossa torcida,que não conseguia enxergar o defensor cheio de recursos que ele é.Acho Luciomar o melhor do mundo em sua posição,além de que é um cara muito respeitado por seus adversários.
    Pela sua história dentro do Bayern,e da forma como saiu do clube alemão,tenho certeza que a decisão do dia 22 teve sabor especial para o nosso becão.O cachecol atirado ao gramado por algum bávaro mostra que reconhecimento,gratidão e brio ainda entram em campo,ou ficam nas arquibancadas.

    Lúcio merece.

  • Marcel Souza

    Que história bacana! Como sempre é uma pena que a torcida aqui no Brasil (e muitos de nossos “ídolos”) não sabe se portar assim.

    Bom trabalho aí na Copa André! Com certeza a saudade da família vai pesar um pouco, mas rapidinho você está de volta.

    1 abraço,

  • Luciano Colorado

    Muito obrigado pelo relato, André.

    Obrigado por dividir conosco este momento deveras memorável, especialmente nos dias de hoje, em que as pessoas acham que o fundamentalismo futebolístico é mais importante do que respeito aos seres humanos que torcem por outros times ou tem convicções diferente das suas.

    Dou um exemplo disso: Como dito no nick, sou Colorado e há notícias de que o próximo técnico do Inter provavelmente será o Felipão. Como jamais deixei de admirar o trabalho do Felipão, muito embora ele tenha feito história no nosso adversário, não tenho o menor problema em acolhê-lo, caso venha para o Internacional. Acredito que ainda haja profissionais que fazem jus a este termo. E torço pra que todos tenham êxito em suas carreiras…

    Espero que a atitude de Lúcio sirva de exemplo àqueles que já abandonaram a razão há muito tempo.

    Um abraço.

  • Raphael Silva

    Sensacional!

  • Gallo

    Fala Dedé !! ( Era assim que te chamava antigamente )
    Gostei muito de ler esta sua coluna ,de saber o reconhecimento da torcida e do abraço amargo deste técnico que faz qualquer coisa para afastar os brasileiros dos times que ele comanda .
    Por acaso , durante as últimas férias de janeiro , fui com a familia para comandatuba e quem estava lá ? O Lucio ! E com toda a família . Sempre muito discreto e na dele e quando solicitado atendendo aos fãs .Mas dava para observar que estava meio tenso ,como acompanho futebol e a notícia que ele estava fora dos planos era conhecida , suspeitei que este era o motivo .
    Meu filho ( 5 anos ) acabou ficando bem amigo do filho dele que devia ser um pouco mais velho . Jogavam bola juntos , participavam das brincadeiras etc . Um dia conversando com os dois expliquei para o meu filho quem era o pai do amigo , que morava em outro país jogando futebol , etc e perguntei para o filho dele se gostava de morar na Alemanha e este respondeu meio triste dizendo que apesar do frio gostava ,mas que não sabia aonde iria morar agora porque o técnico não queria mais o pai dele no time ( como pode isto ?).
    Me deu um nó na garganta mas na mesma hora expliquei p/ ele que o pai dele era um grande jogador e não iria faltar grandes oportunidades e ele iria gostar muito das coisas novas ,dos novos lugares . Ele ficou confortado ,mas um pouco deconfiado .
    Não demorou muito e lá estava o Lucio na Inter . Já estávamos de volta p/ casa e expliquei p/ meu filho a novidade e ele abriu um longo sorriso entendendo que o amiguinho devia estar feliz .De lá pra cá acompanha todos os jogos do Lucio , Julio Cesar e cia e pergunta se o amigo tá lá no estádio.Neste último torceu como se fosse para o Timão .
    Agora na época de copa ,todo pai quer comprar a camisa amarelinha para o filho . Levei ele na loja e presentei-o com o manto dourado. Na hora de ecolher o número 10 do kaka ? ou o 11 do Robinho ? escutei : que nada pai quero a 3 do Lucio !!
    Como vc disse : Lindo ,sorte de quem viu ! ( ou ficou sabendo por vc )

    abs

    Gallo

    AK: Boa história! Obrigado pelo comentário. Um abraço.

  • Armando de Jesus Santos

    Oi, na verdade meu comentário é sobre a reportagem publicada no Lance de03/06/2010 sob o tema ” O guarda costas “,gosto de futebol ,mais aprecio mais reportagens como esta de quem,
    vivendo de futebol consegue aproveitar oportunidades de ouvir as razões das pessoas e entender
    como podem ser manipuladas a fazerem coisa que não gostariam.

    Parabens pela reportagem.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo