NOTINHAS PÓS-RODADAS



Alguns títulos estaduais já entregues. Outros a caminho…

* Com Jefferson em tarde de santo e Abreu em tarde de louco, o Botafogo (2 x 1 no Flamengo: Herrera, Vagner Love e Abreu – 50.303 pagantes no Maracanã) exorcizou seus fantasmas rubro-negros e comemora o merecidíssimo título estadual.

* Desde 2008, foram 3 finais de turno e três finais de campeonato entre Botafogo e Flamengo. O Flamengo ganhou todas, menos a última. Imagine o significado desse título para o botafoguense.

* É lógico que temos uma terceira nota: o critério usado para marcar os pênaltis foi o mesmo, finalmente. E se houvesse esquema para ajudar o Flamengo, ou para atender os interesses da TV, o Botafogo não venceria ontem, né?

* Quarta nota? Por que não? Talvez não tenha nada a ver, mas desde que o Flamengo folgou em três dias na mesma semana, disputou 4 jogos e só ganhou 1.

* O Coritiba (2 x 0 no Atlético Paranaense: Marcos Aurélio e Geraldo – 25.031 pagantes no Couto Pereira) já tinha o supermando, os pontos de bonificação e agora tem o trigésimo-quarto título estadual de sua história.

* Ótima atuação de Edson Bastos, goleiro do Coxa.

* Terceira? Pois não. Para que me entendam bem: o Coritiba não tem culpa (pelo menos não tem culpa sozinho) pelo regulamento genial do Campeonato Paranaense.

* Com Neymar infernal, a garotada do Santos agradeceu a visita do São Paulo com três tapinhas (3 x 0: Neymar-2 e PHG –  13.785 pagantes na Vila Belmiro) nas costas.

* Próximoooooo… Santo André (perdeu para o Grêmio Prudente por 2 x 1: Tadeu, Renato Dias e Marcos Assunção – 11.835 pagantes no Bruno José Daniel).

* Terceira nota, obrigatória: se faltava, ao Santos, um resultado enfático contra um time de grandeza igual, não falta mais. Que a meninada que joga o futebol mais vistoso e produtivo do país receba o documento de maioridade futebolística, com o título que fatalmente virá.

* Também temos uma quarta notinha, sobre o apito: compreende-se que haja reclamações em relação aos lances dos dois primeiros gols, como sempre. Mas com o jogo que o São Paulo não fez, fica difícil reclamar.

* No Rio Grande do Sul, um Gre-Nal vai decidir o campeonato pela primeira vez desde 2006.

* O Inter levou um baita susto em casa, mas virou (3 x 2: Clodoaldo-2, Bolívar, Edu e D’Alessandro – 30.589 pagantes no Beira-Rio) o jogo contra o Pelotas.

* Em Minas Gerais, um Atlético x Cruzeiro não vai decidir o campeonato pela primeira vez desde 2007.

* O Atlético sofreu (0 x 0 com o Democrata – 15.114 pagantes no Mineirão) , mas fez o dele. O Cruzeiro (Ipatinga 3 x 1: Danilo Dias-2, Alessandro e Wellington Paulista), não.

* Vale mais uma nota, com uma pergunta: o Cruzeiro quis?



MaisRecentes

Plano B?



Continue Lendo

Pendurado



Continue Lendo

Porte



Continue Lendo