COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

PERIGO REAL E IMEDIATO

Sou só eu ou você também reparou como tem atacante argentino jogando bem, às portas da Copa?

Gonzalo Higuaín, do Real Madrid, e Carlitos Tévez, do Manchester City, são os primeiros a pular da mente para o papel. Mas só os primeiros. Diego Milito, camisa 22 da Internazionale de Milão, é um dos motivos pelos quais o time está crescendo o olho para cima do troféu da Liga dos Campeões da Uefa. E Sergio Aguero, o “primeiro genro” (para o caso de você não saber que ele é casado com a filha mais nova de Diego Maradona), é um dos poucos atrativos de mais uma temporada decepcionante do Atlético de Madrid.

Já são quatro. Mas a conversa continua com um jovem apelidado de “Angelito”. Talvez você se lembre de Angel Di Maria, aos 20 anos, fazendo o gol que valeu a medalha de ouro da Olimpíada de Pequim para os argentinos. Dois anos mais velho, ele é nome freqüente na seleção principal e tem multa rescisória de 40 milhões de euros no Benfica. Angelito tem também a estranha mania de fazer gols bonitos.

E com um pouquinho, mas só um pouquinho de boa vontade, a lista aumenta para seis nomes se incluirmos Ezequiel Lavezzi, cujos gols têm ajudado a manter a esperança do Napoli de disputar a Liga Europa no ano que vem. Lavezzi seguiu o caminho de Maradona na Itália, mas se diz mais parecido com Tevez.

Faltou falar dele (porque não é justo que eu, que escrevo aos sábados, não possa tratar do que tanta gente já tratou na semana), o pequeno grande Leo Messi. Mas não se preocupe porque aqui você não lerá mais um comparativo precoce entre ele e Diego. É impossível definir a carreira de um jogador antes dela terminar.

Mas é até assustador perceber que Messi é capaz de enfileirar atuações espetaculares, como fez nas últimas semanas, e não se perguntar: e se ele jogar assim na Copa? Sim, do Barcelona para a seleção argentina, há muito mais diferenças do que semelhanças. Companheiros, treinador, sistema, status, ambiente. Até hoje não houve como o rendimento de Messi ser igual. Ou parecido. E sim, a Copa não começa na semana que vem, portanto o momento de Messi na África pode ser outro. Mas ele tem o que não se ensina, não se aprende, apenas se admira. Seja lá o que for isso, nenhum outro jogador tem tanto.

Há um programa de televisão no Canal + da Espanha que talvez seja o melhor já feito na TV esportiva, certamente é o mais inteligente. Chama-se “El Dia Después” e vai ao ar às segundas-feiras, mostrando a rodada do campeonato de forma sempre surpreendente. Esse foi o programa que primeiro utilizou a leitura labial para decifrar o que jogadores e técnicos dizem em campo. Na goleada do Barcelona sobre o Zaragoza (além de uma imagem que revelou que Messi usa as caneleiras que eram de Ronaldinho Gaúcho), as câmeras pegaram um diálogo entre um torcedor e o técnico Pep Guardiola. Após mais um golaço, o cara gritou para Guardiola que “esse menino é de outra galáxia”. A resposta: “se não fosse por ele eu ainda estaria treinando time de segunda divisão”.

É difícil acreditar que a segunda melhor escola de futebol do planeta falhará eternamente na Copa do Mundo.



MaisRecentes

Pertencimento



Continue Lendo

Vitória com bônus



Continue Lendo

Anormal



Continue Lendo