METADE SERIA MUITO



Claro que você se lembra do que aconteceu no estádio Couto Pereira, na última rodada do BR-09.

Você também deve se lembrar da punição que o Coritiba recebeu da Justiça Desportiva, a maior já aplicada a um clube brasileiro.

E talvez você se lembre deste post.

Pois bem, não estávamos enganados.

O Tribunal Pleno do STJD avacalhou reformou a decisão: 10 mandos e multa de R$ 100 mil.

Que maravilha.



  • BASILIO77

    Posso estar enganado, mas sou contra a punição da instituição e não DOS TORCEDORES individualmente identificados.
    É como se uma manifestação de funcionários de uma determinada empresa acabasse em tumulto e quebra quebra e essa tal empresa fosse condenada a alguma coisa…e olha que nesse exemplo HÁ uma ligação formal entre “a turma da encrenca” e a instituição.

    Como se numa confusão num show do Paralamas, os trio de músicos fosse responsabilizado.

    Não vejo assim.
    Prisão aos BANDIDOS CRIMINOSOS, até porque as outras opções não funcionam…punem o clube e os bandidos combinando a próxima briga na internet…

    Abraço.

  • Rodrigo

    Essas palavras riscadas e trocadas por outras (“avacalhou” por “reformou”) são intencionais ou é algum erro de publicação mesmo?

    Quanto à punição em si, estava na cara que isso ia acontecer… é por isso que coisas como a que houve nesse fim de semana em Campinas são difíceis de acabar. Segundo o colunista Carlo Carcani, do Correio Popular, dois torcedores do SPFC estavam na área reservada aos deficientes (um auditivo e um visual) no Majestoso, no jogo Ponte x SPFC. Ambos comemoraram o gol do time deles e, do nada, alguns torcedores da vitalícia pularam a cerca e foram bater nos caras. Polícia e seguranças nada fizeram. Só foram fazer algo minutos depois, quando outros torcedores, inconformados, foram cobrar atitude dos policiais. Aí os PMs foram até lá e, pasme, conduziram os dois tricolores para junto da torcida do SPFC. A PM diz que vai averiguar, já a diretoria da Ponte diz que não houve nada demais. Aí vem o STJD e dá esse belo exemplo.

  • GERALDO AMBONATTI

    É MUITO INTERESSANTE VER A MANEIRA COMO OS PAULISTAS E CARIOCAS SE COLOCAM COMO JUIZES, EXIGINDO PUNIÇÃO AO CORITIBA, SUAS MEMÓRIAS SÃO MUITO FRACAS, OU SÃO MUITO MAL INTENCIONADOS. A PUNIÇÃO EXIGIDA, É SÓMENTE POR SER UM CLUBE DO PARANÁ, QUANTAS COISAS ACONTECEM EM SEUS ESTADIOS , E SUAS MENTES CAUTERIZADAS FAZEM DE CONTA QUE NÃO HOUVE NADA.VAMOS PUNIR QUEM FEZ, NÃO QUEM FOI
    O MAIOR PREJUDICADO, CHEGA DE HIPOCRISIA.

    AK: É mais interessante ainda como o complexo de perseguição impede que as pessoas leiam o que está escrito. E um lembrete: na próxima vez em que comentar (se houver uma próxima vez) destrave o CAPS LOCK do seu teclado. Obrigado. Um abraço.

  • GERALDO AMBONATTI

    É atraz deste complexo de perseguição que os paulistas e cariocas, se veem no direito de achar que o Brasil se restringe a São Paulo e Rio de Janeiro, dois pesos, duas medidas.

    AK: AtráS do complexo, você ainda não leu o que está escrito. Obrigado pelas minúsculas. Um abraço.

  • Eduardo Pieroni

    Boa André, não tivemos sorte! não foi desta vez que eles nós enganaram.
    Viva a porrada !
    Viva aos que se escondem atrás de uma camisa de uniformizada para fazer barbárie contra pai de familia e pessoas honestas que vão a um jogo de futebol pela paixão.
    e tem gente que diz que é perseguição paulista,carioca,inglesa,francesa sei la o quê .

  • GERALDO AMBONATTI

    deixando os complexos de lado, concordo plenamente com voces, torcida organizada que vai a campo para brigar, quebrar, tem que ser punida com os rigores da lei, viva o futebol,
    um abraço.

  • Elison

    O time tem q pagar sim pela besteira de alguns indivíduos.. prender uns zé manés isolados nao resolve nada. Se nao existir a consciencia pelo amor ao time, deixa q a verdadeira torcida eduque um marginal desses, na proxima vez que, sabendo que o time será prejudicado, um destes tentar invadir o campo. Agora é uma pena que a estória é sempre a mesma. e vamos contar os dias pra próxima invasao, pra proxima penalidade que de uma porrada vira quase um tapinha nas costas, quem tem a cara do “isso acontece, mais sorte na proxima”.

  • José Corrêa Lima Netto

    Se você acha que dez jogos foram poucos (sendo que essa é maior pena já imposta para um time de futebol no Brasil) o que você me diz dessas outras punições impostas:

    – Coritiba rebaixado para terceira divisão por não comparecer a jogo no campeonato (mesmo estando juridicamente protegido e após ameaças ter que desistir de ação ganha na justiça comum pra conseguir voltar a jogar na 2ª divisão), vale salientar que o jogo era com o já semi-rebaixando Santos e a vitória daria ao Coritiba a vice liderança do campeonato.

    – Invasão de campo em São Januario pelo presidente do clube que com a derrota estaria rebaixado, acaba o campeonato e o time em questão como punição continua na primeira divisão sem perder nem um mando.

    – Invasão de campo nas laranjeiras aonde inclusive o goleiro do time adversários sai desmaiado por ser agredido pelos torcedores que estavam insatisfeitos pois o time foi rebaixado.
    Punição : perda de um mando, como prêmio apesar do clube ter sido rebaixado no campo, esse time jogou a primeira divisão no ano seguinte, sendo rebaixado de novo e no ano seguinte foi rebaixado no campo de novo (tri-rebaixado), jogou a terceira divisão e por um milagre inexplicado conseguiu voltar da terceira pra primeira divisão.

    – Em São Paulo casos de violencia pipocam entre torcidas com várias vítimas fatais, nada de suspensão. è impressão minha ou nesse post você simplesmente ignorou que o Corithians Paulista foi ABSOLVIDO (pra quem não entende quer dizer que não pegou pena nenhuma) pela invasão e agressão fisica no jogo do ano passado.

    Concordo que os responsáveis teriam que ser punidos, o clube provou que fez pedido para aumento da segurança pública e a CBF liberou o estádio, considerado como um dos mais seguros do Brasil, se os resposaveis pela segurança e a entidade que assegurou que podia ser realizado o jogo não são punidos pq o clube é? OS invasores foram quase todos identificados e presos com ajuda do clube e já respondem a processos. A principal torcida organizada já foi punida e o clube cortou relações com a mesmas. Mas mesmo contudo isso ainda foi punido com a PENA MÁXIMA de 10 jogos.

    Nos torcedores do Coritiba Foot ball Club não queremos impunidade, queremos só ser tratados como igual pela justiça.

  • Vinicius Antoniw Klemz

    Engraçado que quando os gaúchos colocaram fogo no estádio a punição foi exemplar. Engraçado que quando o Corinthians perdeu na libertadores a uns anos atrás e torcedores entraram em conflito com a policia e alguns ate conseguiram invadir tivemos uma punição exemplar. Engraçado que em 1996 quando o Fluminense foi rebaixado e os torcedores invadiram o campo e fizeram com que o goleiro do Atlético fosse tirado desacordado do estádio também tivemos uma punição exemplar. Engraçado que quando a torcida do Palmeiras e do São Paulo invadiram o campo e travaram uma verdadeira guerra também tiveram uma punição exemplar.

    Não estou dizendo que o Coritiba não deveria ser punido. Só não me conformo com a INjusiça nesse pais. O Coritiba merece punição? Sim, mas punição aplicada com o mesmo rigor que foi aplicada nos exemplos acima (e que não são os únicos).

    Ultima pergunta. Se isso tivesse acontecido com o Corinthians, com o Flamengo, com o Vasco, com o Palmeiras, vc escreveria da mesma maneira???? Ou seria algo do tipo:
    -Injustiça, maior punição para um time brasileiro é dada ao Corinthians

    Chega de hipocrisia .

    AK: Pare de falar em hipocrisia sem ter lido o que está escrito sobre o assunto. Seus argumentos, baseados em regionalismos, são infantis. Um abraço.

  • Luis Fernando

    H I P Ó C R I T A .. É isso que você é, como meu amigo coxa branca citou vários fatos que passaram “desapercebidos” pela imprensa do eixo.

    Queria ver se fosse o timinho de vocês se estariam julgando assim, recebemos a maior pena do futebol brasileiro 10 jogos ( UM ABSURDO ), visto que 30 jogos seria uma aberração.

    Jornalismo esportivo brasileiro = PARCIALIDADE

    AK: Se você tivesse lido o que escrevi a respeito do assunto, teria alguma chance de entender minha opinião. E eu não concluiria que você tem mania de perseguição. Um abraço.

  • Ricardo H

    André, cabe ressaltar que o CBJD mudou, fazendo com que a pena máxima atual seja de 10 jogos. Ou seja, na prática, não houve redução nenhuma, visto que o clube pegou a pena máxima permitida por lei. Uma punição mais severa só seria possível se o Código fosse desrespeitado, o que eu creio que você não acharia correto, acharia?
    E ainda acho que a pena é exagerada, levando-se em conta o que acontece pelo Brasil afora e não é punido. O clube ainda tentará recurso para diminuir a pena, o que lhe é de direito (e torço muito por isso).
    Abraço

  • Rodrigo

    Pra quem não tá entendendo o que tá escrito, clica no link que tem no meio do texto. É um outro post onde existe a frase “Como já escrevi aqui: de nada adianta punir o Coritiba com a mão pesada, se outros clubes forem tratados de forma diferente”. Será que é tão difícil????

    AK: Aleluia!!!!! Um abraço.

  • João Guilherme Fowler

    André, me desculpe mas escrever “leia melhor o que eu escrevi” é fugir da raia.

    A verdade é que o senhor está tomando uma aula de argumentação e não está conseguindo responder.

    Não venha falar que é mania de perseguição pois isso não é percebido quando se trabalha em Rio/São Paulo. Não são só os paranaenses que pensam assim. São os baianos, pernambucanos, potiguares, catarinenses e muita gente do Brasil inteiro que está cansada desse descomprometimento e má vontade de noticiar clubes de fora.

    A verdade está mais do que clara: se fosse algum time do Rio de Janeiro ou São Paulo, a repercussão seria outra, sem sombra de dúvida!!

    Pra começo de conversa, André Kfouri, NÃO HOUVE MORTES NO ESTÁDIO COUTO PEREIRA!!! Só por isso já torna o fato muito menos grave que os 7(SETE!!) mortos na Fonte Nova (3 mandos) e muito menos sério que qualquer Palmeiras x Corinthians que acontece todo ano.

    Que fique claro que o Coritiba Foot Ball Club foi penalizado com a pena máxima possível dentro do novo código de justiça brasileira, ou seja, se há uma reclamação, ainda é pelo exagero na pena comparando-se os outros casos.

    Eu garanto que haverá coisa pior no futebol brasileiro. Só esperar pela eliminação do Corinthians na Libertadores que, provavelmente, verão mais um ato de bandidagem que não será criticado pela imprensa nem penalizado pela justiça.

    Obrigado e, se for responder, não venha com ironias. Seja homem e franco, mas com respeito, assim como todos aqui estão sendo!!

    AK: Aula? Por favor… Não tenho outra alternativa a não ser renovar o pedido para que se leia o que escrevi. É incrível que alguém venha para o debate desse jeito. Um abraço.

  • José Corrêa Lima Netto

    P.S.: Ainda não respondeu meu post, principalmente sobre a punição do Corinthians.

    AK: Não vou reescrever o que já escrevi. Um abraço.

  • Rogerio J H

    AK: Se você tivesse lido o que escrevi a respeito do assunto, teria alguma chance de entender minha opinião. E eu não concluiria que você tem mania de perseguição. Um abraço.

    Eu li e digo: hipocrisia pura!!!!!!!!!

    AK: Se leu, não entendeu. Ou não sabe o que é hipocrisia. Um abraço.

  • Izael Borges

    Sr AK.
    Não estou com um regionalismo infantil, mas espero que quando aconteça algo semelhante a algum time do eixo o sr exija tbem uma punição exemplar e não adianta falar que metade ja seria muito em texto, mas responde que acha que a pena de 30 mandos seria justa. (“AK: Óbvio que os vândalos têm de ser punidos severamente. Mas não acho a pena ao clube exagerada. Um abraço”)e vê se larga de ser hipócrita e irônico com uma das torcidas mais apaixonados pelo seu clube.
    Saudações Coxa-Branca.

    AK: Você está um pouco confuso. Se clicar no link para o post antigo, entenderá por que escrevi que “metade seria muito”. Novamente, procure ler os posts. Um abraço.

  • João Guilherme Fowler

    Não adianta discutir mesmo. Pra vocês sempre será pouco. Só se satisfarão quando algum time de fora do eixo for rebaixado à série D. Aí, o exemplo terá sido dado.

    Eu duvido que a repercussão será a mesma caso seja o Corinthians. Quero ver matérias de TV com repórter indo ao estádio pra achar defeitos onde não existe. Quero ver qualquer título importante ser ofuscado assim como o PENTA* brasileiro do Flamengo foi.

    E fica o convite pra assistir um jogo no Couto Pereira. Garanto que será infinitamente melhor tratado que em qualquer estádio do Rio ou de São Paulo.

    AK: Já estive várias vezes no Couto Pereira, antes e depois da reforma. Já escrevi o que penso sobre o tratamento dado a esses episódios, independentemente do clube envolvido. Um abraço.

  • Bernardo Domakoski

    Sr André.
    Refresque nossa memória com algumas punições exemplares sofridas por outros clubes do Brasil.
    De acordo com o que escreveu, a pena máxima seria justa, mas não obstante, injusta se fizesse do Coritiba um “boi de piranha”.

    Portanto, aponte-nos outros casos em que a punição tenha sido proporcional ao fato em si, assim como foi no caso do Coritiba.

    AK: Se você lesse o que eu escrevi sobre esse assunto, não pediria o refresco de memória. Um abraço.

  • Jairo Bettega

    Andre , sabe oque é PIOR

    esse clube teve seus torcedores indo num aeroporto em 2006 e destruiram o areporto

    esse clube e sua nojenta torcida em 1991 invadiu o gramado do proprio clube para bater num senhor de idade chamado Evangelino Costa Neves
    que era presidente do clube.

    em 1989 essa mesma torcida porca invadiu o proprio gramado e bateram no goleiro Rafael que foi campeao brasileiro pelo proprio clube.

    E agora em 2009 invadiram o gramado destruiram o prorio estadio e receberam o certificado de burrice com pena de 10 jogos

    UMA VERGONHA ´- SÓMENTE NESSE PAÍS MEDIOCRE

  • Jonatas

    Os responsáveis pela invasão foram individualizados e devem ser punidos. Só isso deveria garantir ao Cori uma pena menor que a máxima. Lembrando que a máxima são os 10 jogos, e não 30 – isso foi estratégia maquiavélica ventilada no calor do ocorrido, e enganou alguns como você.

    O Couto Pereira oferecia totais condições para o jogo (como todos os estádios do campeonato, foi vistoriado e liberado). O Coritiba não bateu em ninguém. Muitos dos vândalos, identificados, estão soltos, e nós, com a conivência e até admiração da mídia hipócrita, pagamos o pato.

    Só aceitaria os 10 jogos (injusto!) se tivesse certeza que casos semelhantes com times de massa serão punidos com o mesmo rigor. O STJD, e vocês carniceiros parciais da mídia do eixo, vão ter logo a oportunidade de conferir isso. E conferir muitas vezes, pois violência em estádio é corriqueira aí em SP.

    AK: Você se engana em relação a mim, pois como não sou auditor do STJD, não preciso pensar em artigos e penas correspondentes. Ademais, falta-lhe conhecimento para afirmar que “como o Coritiba não bateu em ninguém” não merece ser punido com rigor. E sua última afirmação é uma peça de ficção. O mais engraçado é que eu, aqui, escrevi que não adiantaria punir o Coritiba se outros clubes infratores não fossem tratados da mesma maneira. Mas você prefere falar em “eixo”, em vez de ler. Um abraço.

  • Rubian Figueiredo

    Olá

    André, concordo como a sua posição, apesar de ser Coxa Branca. É obvio que a pena inicial era uma aberração jurídica, mas o excesso da punição inicial , já corrigida, não deve tornar o Coxa como vítima.
    Não vou entrar no forum da parcialidade do Tribunal quanto ao estado do Clube, pois isso é claro. O fato é que devemos aceitar a punição e ficar revoltados sim, não com tribunal e jornalistas, mas sim com a atitude de alguns membros de nossa torcida organizada, com a complacência da nossa diretoria e a incopetencia de nossa polícia.
    Que aprendamos com os nossos erros!
    Verdão até a morte…

    AK: Agradeço pelo comentário equilibrado. Não é tão difícil debater com argumentos e sem complexos. Um abraço.

  • José Corrêa Lima Netto

    Desculpe mas ainda não achei no seu blog aonde você comenta sobre a “punição” dada ontem pelo Corinthians.

    AK: Não desista. Um abraço.

  • Tiago Bassan

    bom, qual seria a pena considerada justa por voce?

  • Luís

    E por acaso 10 mandos não continua sendo a maior punição imposta? Você queria que o clube fosse enquadrado 3 vezes no mesmo artigo só pra ser punido da forma que você acha “satisfatório”? Você não é a lei e você não tem credibilidade nenhuma pra falar o que é “justo”.
    Vá reclamar do corinthians que foi absolvido após torcedor invadir campo e meter porrada no bandeira, vá reclamar do palmeiras que traz pra dentro de seu estádio torcedor armado(comprovado por vídeo) e sequer julgado será.
    Ah mas esses casos não rolou novela no Fantástico né, então pra estes não tem por que você soltar a franga e clamar por “justiça”, não é mesmo?

    P.S quanto ao comentário ser “equilibrado”, ele é proporcional ao “equilíbrio” do “jornalista”.

    AK: Eu não tenho credibilidade, mas você está aqui comentando. Imagine se eu tivesse… um abraço.

  • José Corrêa Lima Netto

    Desculpe, para o corinthians.

  • Felipe Sebben

    André, sempre te achei um cara imparcial e que sabia o que estava falando, desde o nosso futebol até futebol americano e outros.
    Entretanto, você pisou na bola feio com a torcida Coxa Branca, não pelo fato de criticar a punição ou a torcida, mas pela má escolha em algumas palavras.
    A maior torcida e o maior time do futebol paranaense está em baixa. A todo momento só escutamos falar mal da torcida, vândalos pra cá, assassinos pra lá… 50% das notícias veiculadas na mídia sobre o Coritiba são sobre este fatídico dia 06/12, e sempre colocando o clube e principalmente a torcida como culpados de tudo.
    Nós não aguentamos mais isto! Já basta este time ridículo que temos e esta diretoria que está DESTRUINDO o clube.
    Não queremos que a imprensa nos trate como vítimas ou coitados, mas que exaltem tudo o que o centenário Coritiba representa no cenário futebolístico nacional.
    Parece que a invasão apagou tudo o que a torcida fez durante o ano passado. Belas festas no centenário, vigílias, show de fogos, incentivo durante 90 minutos do jogo e principalmente as lindíssimas festas no estádio, o “Green Hell”, copiado por várias outras torcidas Brasil afora.
    Foi a torcida do Coxa que salvou o ano do centenário e foi graças ao nosso apoio que chegamos na semifinal da Copo do Brasil.
    A torcida só quer RESPEITO.
    Não se pode punir toda a nação Coxa por sua diretoria incompetente, PM despreparada e 30 vândalos que invadiram naquele domingo.
    Espero que as pessoas “de fora” entendam o que realmente queremos. E aguardem que a torcida Coxa Branca logo logo voltará com tudo, fazendo sua linda festa e provando que não se pode punir toda uma instituição de tradição por causa de poucas pessoas.
    Saudações alviverdes.

    AK: Pisei na bola? “Má escolha de palavras”? Espera um pouquinho: eu dei a minha opinião sobre a punição, e ponto. Não falei sobre o clube, sobre a torcida, sobre o que o Coritiba representa. Acho que você está confundindo as coisas, principalmente quando escreve “Não queremos que a imprensa nos trate como vítimas ou coitados, mas que exaltem tudo o que o centenário Coritiba representa no cenário futebolístico nacional”. Não é sobre o centenário do Coritiba que estamos conversando aqui. Um abraço.

  • Kendy Nojima

    Tudo bom André
    O que entendi no seu post, foi sua indiginação com o STJD por abrandar a pena imposta em primeira instância ao Coritiba, acredito que a questão perseguição,se aplica não só aos torcedores dos times fora do eixo, como a torcedores de Flamengo, Santos, Palmeiras etc.Mania de perseguição é birra de qualquer um que se sinta injustiçado, cada um defende o que é seu. Se for citar todas as bárbaries que ja ocorreram no nosso futebol, e que simplesmente passaram a borracha como se nada tivesse acontecido absolvendo os mesmos clubes de sempre,meu comentário não caberia aqui. Você reforça essa opinião com a frase “de nada adianta punir o Coritiba com a mão pesada, se outros clubes forem tratados de forma diferente.” Respeito sua opinião, mas espero que entenda que o torcedor do Coritiba estava esperando essa diminuição de pena ja a 3 meses, torcedores esses que amam seu time do coração, e que muitos aqui como o próprio STJD agem por pura emoção.
    abraço.

    AK: Obrigado por apresentar seu argumento depois de ler o que eu escrevi. Um abraço.

  • Alan

    Caro Andre,

    Vamos supor que o sr. cometa um crime, que a pena máxima para o crime seja de 5 anos, que em um primeiro julgamento o sr. tenha sido condenado a 15 anos e que em um segundo julgamento sua pena e definida em 5 anos.O Sr. vai achar que:
    a) AVACALHARAM com o primeiro julgamento
    b) REFORMARAM o primeiro julgamento
    c) CORRIGIRAM o primeiro julgamento

    abs

    AK: A comparação está errada, e você sabe disso. Um abraço.

  • Leonardo Pires

    André, esclareça aqui uma dúvida, por favor. Tem gente aí em cima dizendo que a pena máxima é de 10 mandos. A informação está correta? Em caso positivo, como se pode afirmar que a punição foi pouca?

    AK: Está correto, porque o código foi reformado e artigos e penas correspondentes são diferentes da época do primeiro julgamento. Minha opinião sobre a punição não é baseada em artigos. Um abraço.

  • BASILIO77

    Se não acabar em acordo, a iniciativa do Coxa é bem legal:

    “Coxa vai cobrar R$ 20 mi de organizada por prejuízos após quebra-quebra

    O próximo passo do Coritiba, após saber que ficará dez jogos longe de seu estádio na Série B do Campeonato Brasileiro, será cobrar aqueles a quem considera como culpados pelos prejuízos causados pelo quebra-quebra no Couto Pereira. No caso, o clube responsabiliza a principal torcida organizada do time, a Império Alviverde. E a conta será bem salgada: R$ 20 milhões.

    De acordo com o vice-presidente do Coxa, Vilson Ri­­beiro, o clube deverá cobrar na Justiça esse valor. Além dos prejuízos materiais após a confusão, o Coritiba contabiliza também as perdas provocadas pelas 15 partidas, no total, que jogará longe de seu estádio. O tumulto aconteceu em 6 de dezembro do ano passado, quando o time empatou com o Fluminense e foi rebaixado no Brasileirão.

    – A torcida organizada é uma empresa jurídica. E o Coritiba, a partir de agora, tem todos os prejuízos e vai calcular isso. São todos os dez mandos, além dos cinco já perdidos, ou seja, 15. Vamos entrar com uma ação cível contra a empresa jurídica e seus dirigentes. Pelos meus cálculos, passam de 20 milhões (o prejuízo do Coritiba) – afirmou.”

    AK: Em tese, está perfeito. Mas como receber esse valor? Um abraço.

  • André Mansur

    Você pede pra todo mundo reler o post, pois ao que tudo indica o mais importante dele está no link, onde aponta para uma publicação que cita que todos os clubes deverão ser punidos da mesma forma, com esta mesma “mão pesada” que incidiu sobre o Coritiba.

    Pois bem, se foi isso, péssima hora para criar esse novo post. Agora, o foco, querendo ou não, está sobre a coerência da pena imposta. Além disso, a única informação que se tira é a ironia (‘que maravilha’) da ‘avacalhada’. Desse jeito, como você espera não receber retaliação?

    Este post deveria ser criado não agora, mas logo, quando o próximo clube paulista ou carioca tiver torcedores morrendo ao lado do estádio (lembrando que o clube tem responsabilidade pelos arredores do mesmo), ou ainda dentro de seu patrimônio, e for absolvido. Aí sim era a hora do senhor provocar e MUITO as decisões do STJD.

    E já lhe dou uma dica de titulo para o post: “VERGONHA: O eixo mais uma vez favorecido pelo STJD”. Que tal? Será um fato, uma publicação justa. O duro é ter peito pra fazer uma acusação desta…

    AK: Retaliação? Você acha que eu considero uma opinião diferente da minha (desde que tenha pelo menos um argumento, desacompanhado de bobagens regionais) como “retaliação”? Algo está muito errado. Além de tudo, você quer prever o futuro e dizer o que e como eu tenho de escrever. Sensacional. Um abraço.

  • André Mansur

    Trabalhar com estatísticas é muito diferente de prever o futuro, meu amigo. Você acha que nunca mais teremos problemas com violência, seja em SP, RJ, e varios outros lugares (e aqui mesmo no Paraná)?

    Suas ironias não esgotam nem respondendo os leitores?

    Dica = dizer o que e como deve escrever? SENSACIONAL!

    Aquele abraço!

    AK: Lamento que você não tenha entendido a minha resposta (e todos, repetindo: todos) os comentários foram respondidos. Tentei ser o mais claro possível, mas no seu caso não foi suficiente. Um abraço.

  • João Guilherme Fowler

    É, André Kfouri, todo mundo aqui está errado, a sua opinião á uma verdade absoluta…

    Quem precisa reler é você!!

    O que a torcida do Coritiba está de saco cheia, e com razão, é da repercussão que isso está tendo. NUNCA houve algo parecido sendo que houve casos muito mais sérios que este. Vai dizer que isso é mania de perseguição?!?

    Não. Definitivamente, não!! Ninguém quis absolvição, só pedimos coerência do STJD e da imprensa. Chegaram a pedir o rebaixamento do clube à série C(risos)!! Ora, se isso ocorre após uma invasão de campo, imagino o que vocês da imprensa e do STJD vão exigir(duvido que isso aconteça) quando o Corinthians protagonizar mais uma cena de conflito com policiais ou uma briga entre organizadas num clássico que resultam em algumas mortes…

    É assim que as coisas funcionam e é isso que o torcedor do Coritiba quer. Ele não quer impunidade, ele quer justiça de todos. E a compração do colega acima foi coerente, sim!! Se alguém comete um crime e é condenado a 15 anos e depois, no recurso, essa pena é reduzida a 5 anos após uma mudança de legislação, você considera isso avacalhação??

    AK: Primeiro: as opiniões aqui publicadas, mesmo as de torcedores do Coritiba, são diferentes em relação ao mesmo problema. Então, não existe “todo mundo”. Segundo: não considero (diferentemente de você) que quem pensa diferente de mim está errado. Terceiro: a recorrência de citações (como a sua) a outros clubes, e essa bobagem do “eixo”, revela a mania de perseguição. Quarto: sim, considero uma avacalhação. Um abraço.

  • Iuri Lapsky

    Em minha opinião André, você escreveu pouco e mal.
    Só te pergunto; em que o STJD ‘avacalhou’ neste caso?
    Em mudar o código? Em acreditar na trágica figura do Schimth? Em aplicar a pena máxima?
    Ah, já ia me esquecendo, você não considera “os artigos” em sua opinião!
    Então, porque tecer qualquer comentário sobre o resultado de um JULGAMENTO? (desculpe, mas a caixa alta neste caso se faz necessária)

    É justo você escrever sua opinião? É, mas, não considerar os elementos inerentes aos fatos, é quase uma ‘brincadeira de criança’!

    Lamento mas, deixar apenas para sua conciência a tarefa de decidir o que é ou não justo, e apagarmos os ‘artigos’, no mínimo é muita soberba!
    Um abraço.

    AK: Sei. O que você diria se, no novo código, a punição ao clube aumentasse para 90 jogos? É engraçado como “os artigos” valem, mas só quando interessa. Eu não levo o STJD a sério. E não necessariamente acho que 30 jogos e R$ 610 mil de multa são a punição perfeita. Só não posso concordar com a redução, baseada na reforma de um código que também não se pode levar a sério. O que estamos discutindo aqui, desde o ano passado, é o que aconteceria com a pena. Afirmei que ela cairia para menos da metade. Estava errado, caiu mais. É piada. Só mais uma coisa: por qual motivo eu não posso concluir o que é “justo”, se você pode concluir o que é “soberba”? Um abraço.

  • Alan

    Se voce me mostrar um unico julgamento, a nao ser esse do Coritiba, em que o clube tenha sido enquadrado mais de uma vez no artigo 213, ai eu vou concordar com voce.

    AK: Com todo o respeito, não pretendo que você concorde comigo. Um abraço.

  • Leonardo Pires

    André, essa nova plataforma do blog está, ao menos por enquanto, péssima. Escrevi um comentário detalhado sobre o assunto acima e, no momento em que enviei, recebi mensagem de problemas técnicos no site. Não vou escrever tudo de novo, mas era pra dizer que se a lei prevê pena máxima de perda de 10 mandos, não se pode, nesse caso, criticar o STJD por ter reduzido a punição para menos da metade. A sua previsão se confirmou, mas não por decisão voluntária do STJD. Nesse caso, pelo que entendi, a ele não era dada opção de manter a pena nem sequer de aplicar sanção maior. A lei pode até merecer modificações, o que, na democracia (ainda que estabanada) em que vivemos, pode ser buscado. Critique-se a lei, mas não a estrita obediência a ela…

    AK: Lamento o problema técnico. Até agora, não recebi outras reclamações, mas enviarei sua mensagem às pessoas certas. Sobre o assunto em questão: coitado do STJD, não? Tão bem intencionado… Ele queria tanto aplicar uma pena mais pesada, mas ficou de “mãos atadas” pelo novo código… um abraço.

  • Willian Ifanger

    É incrível como o pessoal que mais reclama do seu “bairrismo” usa de argumentos extremamente bairristas. IUPST?

    Acho que em momento algum foi tratado/criticado o clube/instituição Coritiba. A única culpa do Coritiba e de TODOS os outros clubes é achar que as organizadas representam os torcedores de seu clube e encherem de regalias. Eu sou são-paulino e repugno a Independente (principalmente). Uma torcida que passa 90% do jogo cantando músicas sobre a organizada. Eles deveriam virar uma escola de samba. Sem falar das atitudes preconceituosas.

    O que está se tratando é da falta de compentência/coerência/seriedade do STJD. Só isso. E esse tipo de atitude só encoraja mais ainda os baderneiros/marginais a continuarem tocando o terror dentro (e fora) dos estádios, já que nada demais acontecerá. Nem com eles, nem com niguém. Prejudicados mesmo, somente nós, torcedores comuns.

  • Leonardo Pires

    André, posso compreender seu posicionamento contrário à maioria das decisões do STJD e até concordar com você. A questão é que sua previsão, apresentada naquele post intitulado ‘Como é que fica?’, era de que o STJD reduziria a pena por uma decisão voluntária e corporativista. Não duvido de que tal fato ocorreria, não. A circunstância, entretanto, é que a decisão foi revista por um motivo, pelo que entendi, técnico. Daí porque, a meu ver, sua previsão não foi confirmada, posto que o STJD reduziu a pena para mais da metade e por conta de uma determinação legal, não por julgamento interpretativo. Dizer o que o STJD teria feito caso a lei não houvesse reduzido a pena, restringe-nos ao campo das hipóteses.

  • Muriel

    Oi André, quanto ao incidente do COXA, vc reparou que a torcida do Fluminense também invadiu o campo neste mesmo jogo? Ninguém fala nada, mas deveriam, não concorda?

  • Iuri Lapsky

    Caro André, acho que você não leu, ou entendeu o que escrevi.

    Senão vejamos, eu disse que deixar ‘apenas’ para sua conciência e ‘apagar’ os artigos no mínimo seria soberba.

    Para deixar mais claro a frase em questão vamos explicá-la.

    Apagar os artigos, significa pura e simplesmente apagar os códigos e as leis que orientam nossa sociedade, pois os mesmos são compostos de artigos, e uma vez apagado os códigos e as leis, sobraria somente sua conciência de forma soberana para julgar.

    Em outras palavras, você se diz capaz de julgar sem a necessidade de orientar-se pelas leis e códigos, o que no mínimo me parece soberba.

    Você me questiona se eu posso concluir que sua maneira de pensar é soberba, olha caro André, eu poderia usar então um sinônimo que melhor se adeque a esse caso, PRESUNÇÃO. (mais uma vez desculpe-me a caixa alta)

    Não sei se você vai ler este post, mas, gostaria de abordar algumas questões relevantes e deixar de lado nossa picuinha.

    André, neste caso você tem conhecimento que o procurador Paulo Schimth é atleticano (PR) declarado? Você acha que isto pode ter interferido na montagem da peça acusatória contra o Coritiba?
    Olha, por aqui existem muitos boatos sobre essa relação clubista, mas, são boatos.

    Outro assunto diz respeito as ações do clube em relação a torcida e em especial a torcida organizada. Subiu o ingresso mais barato para R$50,00, dez vezes o valor do fatídico jogo, talvez pensem que eletizando o futebol resolvam o problema. Cortou as relações, que até então, mantinha com a organizada, proibiu ela de entrar com camisetas, bandeiras e seus aparatos e agora diz que vai cobrar na justiça um ‘prejuiso’ de vinte milhões dela.

    Isto mostra, pra mim, que a diretoria do clube continua despreparada e sem saber o que fazer.
    Afastar o torcedor com o valor do ingresso parece a “solução” pois assim àquele que tem um poder aquisitvo menor deixará de ir ao estádio ou irá menos, com isso “naturalmente” não haverá mais problema. Eureca, é só tirar o ‘pobre’ que tudo se resolve.

    Quanto a torcida organizada, concordo que precisa ser punida assim como o clube também, os marginais dispensamos comentários, mas, generalizar não é cometer o mesmo erro que muitas pessoas estavam fazendo com a instituição?
    A necessidade de punição à organizada é mister, mas, poderia aproveitar a chance para transformá-la. Sem abrir mão da punição, poderia tentar mudar o relacionamento da organizada para com o clube, de alguma forma mudar a cultura dela, tranformando-a em parceira em co-responsável pelo clube. Talvez fazendo com que seus membros se tornem sócios do clube, acho que muitos devem ser, e porque não tentar criar um departamento dentro do clube para institucionalisar essa relação?

    Bem em resumo, acho que nossa diretoria está equivocada em punir e afastar a grande maioria da nossa torcida, e acho que está perdendo uma grande chance de trazer o torcedor, inclusive das organizadas, para o seu lado, para isso dar certo precisa apenas criar um vínculo mais forte de pertencimento, de participação e de co-responsabilidade pelo clube.
    Um abraço,

  • Marcelo Bonatto

    Concordo com você AK. O que o STJD faz, já fez e ainda vai fazer com relação a aplicações de penas a jogadores e clubes é uma “piada sem graça”. Sinceramete, pergunte a qualquer conhecido seu se, quando um jogador do seu time de coração é punido pelo STJD ele fica preocupado ou com medo da punição, quase certo que a resposta é não, porque logo em seguida surge um efeito suspensivo, uma diminuição de pena ou transforma punição em cesta-básica (essa última é “sensacional”). Com relação ao Coritiba, vamos observar a condunta da justiça alemã no caso do final de semana no jogo do Hertha Berlin que foi muito parecido com o que ocorreu no Couto Pereira e veremos as diferenças do STJD do Brasil para um “STJD da alemão”.

    Abraço.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo