NOTINHAS PÓS-RODADAS (atualizado com a festa do Oscar)



* No Canindé, o Campeonato Paulista viu seu melhor jogo (Portuguesa 1 x 1 Santos: Héverto e Zé Eduardo – 9.135 pagantes). Daqueles em que só os melhores momentos dão uns 15 minutos de imagens.

* O nome do empate foi Fábio, goleiro da Portuguesa.

* Mano Menezes gostou mais do primeiro tempo do Corinthians (1 x 0 no São Caetano: Dentinho – 4.031 pagantes) na Arena Barueri. Mas foi só no segundo, e no fim, que o time venceu pela primeira vez em quatro rodadas.

* O técnico ainda deixou claro que o chamado “time titular” (o da Libertadores) pode ter novidades.

* O São Paulo (2 x 0 na Ponte Preta: Washington-2 – 9.487 pagantes) jogou fora de casa, mas Washington se sentiu como mandante.

* O Moisés Lucarelli, que já viu tantos gols dele, só estranhou as cores da camisa.

* Eram sete clássicos sem vitória do Fluminense (2 x 1 no Botafogo: Herrera, Fred e Mariano – 11.280 pagantes no Maracanã). Mas com o talento conhecido de Fred, e esperado de Wellington Silva, a escrita acabou.

* Achei exagerada a expulsão de Conca. E aposto que se o argentino do Flu não tivesse sido expulso, o argentino do Bota também não seria.

* “Jogamos mal, mas vencemos”. A declaração se tornou obrigatória no pós-jogo do Vasco (1 x 0 no Boavista: Carlos Alberto – 1.598 pagantes em São Januário), 100% na Taça Rio.

* No domingo que vem (clássico contra o Flamengo), será necessário jogar mais.

* O Flamengo não precisa de Adriano para ganhar (4 x 0: Bruno Mezenga, Léo Moura, Vinícius Pacheco e Vagner Love – 1.217 pagantes no Raulino de Oliveira) do Resende. Precisa?

* Mas na Libertadores, independentemente do adversário, o jogador mais caro do clube tem de estar em campo.

* O caso vale uma terceira nota: a decisão que o Flamengo tem de tomar em relação a Adriano já foi tomada: contratá-lo. Junto com o Imperador, vem um obrigatório kit de manutenção. Era assim na Inter de Milão, foi assim no São Paulo, é assim na Gávea. Se o clube entende que o retorno de marketing e os gols compensam os efeitos colaterais (até agora, compensam), tem de lidar com eles. Tudo se resume a dois pontos: o desempenho de Adriano nos jogos, e a paciência dos outros jogadores com as regras diferentes que existem só para ele.

* O Tupi (3 x 2: Anderson Lessa, Ademílson, Fabrício Soares, Gedeon e Pedro Ken – 7.844 pagantes no Mário Helênio) não ganhava do Cruzeiro há 23 anos.

* O gol de Ademílson está entre os mais bonitos do fim de semana.

* Incrível. Obina não marcou na vitória do Atlético (1 x 0: Júnior – 11.548 pagantes no Mineirão) sobre o Democrata.

* O meia equatoriano Edison Méndez, ex-LDU, é bom jogador. Se a contratação for fechada, o time do Atlético ficará melhor.

* De roupa nova, e bonita, o Grêmio (1 x 0 no Porto Alegre: Willian – 13.530 no Olímpico) fez outro gol antes dos 10 minutos de jogo.

* Já são 47 jogos de invencibilidade gremista em casa.

* Andrezinho foi esperto ao desviar da bola, para que ela chegasse a Eltinho, autor do gol da vitória do Internacional (1 x 0 – público ND no 19 de Outubro) sobre o São Luiz.

* Do meio para a frente, o Inter só escalou reservas. Guiñazu e Alecsandro entraram no segundo tempo.

* No Atle-TIba (1 x 1: Manoel e Marcos Aurélio – 21.353 pagantes na Arena da Baixada), um gol em cobrança de escanteio para o Atle e um em cobrança de falta para o Tiba.

* O líder sentiu-se vencedor, pois se aproximou do supermando.

______

Lamento não poder fazer comentários sobre o Oscar, como em anos anteriores.

Infelizmente, não vi nenhum (repetindo: nenhum) filme que concorreu. Isso precisa mudar.

O primeiro será “Guerra ao Terror”, o segundo será “Avatar” e o terceiro será “Um Sonho Possível”.

Algo me diz, não sei bem por que, que gostarei dos três filmes, mas não concordarei com a estatueta entregue a Sandra Bullock.

Ao chegar do trabalho, vi a cerimônia de premiação enquanto consegui ficar acordado.

Do que acompanhei, a homenagem póstuma a John Hughes foi legal. Matthew Broderick me fez rir ao dizer que, por causa do diretor, não houve um dia nos últimos 24 anos em que alguém não se aproximou dele e o cumprimentou dizendo: “Olá, Ferris”.

Entre os filmes que são puro entretenimento, “Curtindo a Vida Adoidado” (“Ferris Bueller’s Day Off”) é um dos melhores da História.



  • Eduardo Pieroni

    Boa André,grande surpresa a partida do Domingos pela Portuguesa jogou serio, com cofiança sem dar aqueles golpes de luta livre que é original dele parecia outro zagueiro.

  • Anna

    Tirei umas feriazinhas do Vasco. Só vi os melhores momentos un passant no BB2 ontem! Só pensei no cinema, no Oscar. Tanto é que fiquei até duas horas da amanhã vendo. Esqueci futebol e esportes esse finde. 🙂

  • Anna

    Eu também não vi nenhum filme! Mas torci pela Sandra Bullock. E gostei da Kathryn Bigelow ter sido a primeira mulher a ganhar o premio de melhor direção, mesmo tendo torcido por Avatar até o último minuto. Será o primeiro filme que verei desta leva. 😉

  • Eduardo Pieroni

    Outra coisa o Vagner Love saiu de SP porque apanhou dos caras da Mancha, agora vai para o Rio para apanhar da mulher do adriano, vai gostar de apanhar la longe.

  • Rafael Wuthrich

    Sobre o Oscar e a homenagem (justíssima – quem nasceu na década de 80 e nunca assistiu Clube dos Cinco, Curtindo a Vida Adoidado ou Gatinhas e Gatões que atire a primeira pedra), foi incrível ver os nomes do cinema adolescente da década de 80 transformados verdadeiros senhores, como Broderick, Anthony Michael Hall, Ally Sheedy e Judd Nelson (aliás, aquela ERA a Molly Ringwald???).

  • Edouard Dardenne

    Cara, Avatar é uma excelente produção gráfica, tem paisagens belíssimas, e um ponto de partida bastante interessante – esse lance de um cara com deficiência reencontrar gosto pela vida por conta de seu avatar. Mas o filme fica nisso. O roteiro é cansativo tamanha a previsibilidade, e o filme se torna um genérico high tech de outras versões, que não vou comentar para não antecipar o deslinde da história. O filme é um marco porque oferece uma experiência nova no cinema. Em alguns momentos, pareceu, forçando um pouco, que eu estava assistindo ao vivo à história. Seu mérito é mesmo esse. Não sei, por isso, se é um grande filme para ver em DVD, no conforto do seu sofá. Um abraço.

    AK: É na experiência visual que eu penso. Imagino que fique bem melhor na tela grande, não? Um abraço.

  • Pô André, vc não viu nem Bastardos?

  • Edouard Dardenne

    Eu não vi e casa, não gosto de DVD pirata, e não sei como o filme fica na TV.
    Mas dá para imaginar que a experiência foi boa (e apenas boa) porque no cinema. Som com 12 ou 15 canais, imagem em três dimensões, etc.. Infelizmente eu ainda não tenho isso na minha sala, mas ainda sou novo…
    Fugindo um pouco do assunto, mas nem tanto, acho que o caminho para o cinema é esse mesmo. Conheço gente que assistiu ao filme Simplesmente Complicado em casa ANTES da estreia no cinema. O cinema fiou-se, por muito tempo, no ineditismo da película para atrair o público. Esse negócio de “o filme é ótimo, vc não pode perder, vá logo assistir” resulta, muitas vezes, em uma compra de DVD pirata. É diferente de “a tela tem 200m², a imagem tem 3 dimensões e o som…”. Ultimamente, até a pipoca de microondas tem ficado tão boa quanto aquela que vem num saco grande, e que custa quase tanto quanto um ingresso.
    Um abraço.

  • leonardo atleticano

    André, Bastardos Inglórios é ótimo, diferente, violência nua e crua, sem maquiagem. Tarantino tem assinatura, se vc não soubesse o nome do diretor, saberia que é dele, eu gostei.

  • Leonardo Pires

    Avatar é filme para ser visto no cinema e em 3D. O Edouard Dardenne está coberto de razão. O roteiro é cansativo, previsível e, acrescento eu, repleto de clichês. Tem inegáveis méritos pela fotografia, pela grandeza das imagens e pela qualidade e inovação do 3D.
    No resto, também não assisti (mas por razões certamente diversas das suas, André) a ‘Bastardos Inglórios’ nem a ‘Um Sonho Possível’. De todo modo, acho que a Sandra Bullock é demais, em todos os sentidos.

  • Anna

    Eu vou ver Avatar, Guerra ao Terror e Um sonho possível. Bastardos inglorios, vou esperar passar na TV. Nao tenho curiosidade em ver. Não gosto de filme que fale de nazismo. 😉

  • Roberto Carlos

    Andre
    O adiamento do jogo do Palmeiras no sabado com muita antecedencia não lhe pareceu estranho?
    Abraços
    Roberto Carlos

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    Se nao conseguir ver Avatar em 3D vc vai perder bastante do filme… E a Merryl Streep em “Julia and Julia” merecia a estatueta.

    Abraco

  • Carlos Henrique

    E o filme ‘Invictus’, com Morgan Freeman (brilhante no papel de Nelson Mandela) e Matt Damon como François Pienaar? Você já assistiu?

    AK: Também não. Que fase… Um abraço.

  • Marcel Souza

    Surpreendentemente eu consegui assistir 5 dos 10! Mas não vi Avatar…

    André, sobe a posição do Up nessa sua lista. Apesar de ser um desenho (que não o desmerece de forma nenhuma por isso) é um filme belíssimo.

    1 abraço,

    AK: Esse é mais fácil porque compramos o DVD. Obrigado, um abraço.

  • Lippi

    Cara, sobe o Bastardos na lista, vc não vai se arrepender…. e se vc (ou qualquer pessoa) falar que já imaginava o desfecho do filme, estará mentindo… é sensacional…

    Só uma coisa, o blog do Juca mudou o endereço, o seu link nos favoritos ainda está apontando para o antigo, que não tem as atualizações..

    Abraço

    AK: Link atualizado. Um abraço.

  • David

    Sinceramente, André… se não for pra ver em 3D, melhor fingir que Avatar nunca existiu…, mas se ainda dá tempo, não deixe pra depois um filme que está marcando época no cinema desta forma.

    Guerra ao Terror pode até ser melhor, mas vc vai arquivá-lo em sua memória junto com os outros bons filmes que viu. Mas de forma inexplicável, seja qual for sua opinião sobre o filme depois, Avatar estará inesquecivelmente guardado em um lugar especial! Mas tem que ser no cinema e em 3D!!!

  • claudio

    guerra ao terror eh dos piores filmes que ja vi… o primeiro ganhador de oscar que eu discordo completamente. pras familias americanas com filhos que ainda estao no oriente, deve fazer um sentido bem maior do q para mim, q nao via a hora de acabar o filme, acontecer alguma coisa, ou iniciar uma historia e acabar a repetiçao incessante da mesma ideia. Up eh realmente alem da imaginaçao, muito bom mesmo e uma pena q Avatar se deu tao mal. abraçao, sou seu fã, gostaria de saber oq vc acha do guerra ao terror depois.

  • Ricardo Medeiros

    A homenagem a John Hughes foi muito boa mesmo… Ele fez filmes que marcaram nossa infância/adolescência. Mathew Broderick, Molly Ringwald, John Cryer… Deu pra matar um pouco da saudade dessa galera.

    André, gostaria também de aproveitar o momento, pra falar que vc é um dos poucos jornalistas-blogueiros que responde os comentários dos leitores. Por isso venho aqui bater palmas pra vc, dar os parabéns e agradecer… Porque, muitas vezes, qnd colocamos uma mensagem aqui, esperamos que vc leia, e coloque sua opinião, então, é motivo de muita satisfação ver nosso comentário respondido.
    E sabendo que vc deve ser um cara cheio de ocupações, esse ato de se comunicar com seus leitores, torna-se ainda mais valoroso e nobre.
    É uma atitude que com certeza faz crescer a admiração que todos tem por vc.

    Abraço.

  • Vicente

    ‘Up’ também deveria furar a fila na frente de ‘Avatar’

  • Rogerio Jovaneli

    André, vi “Bastardos Inglórios” em viagem de avião, quando fui para Vancouver, no Canadá. Era madrugada, então a análise fica um pouco prejudicada, mas acho que vale a pena ver. Baita atuação de Christoph Waltz. Merecidíssimo o Oscar de melhor ator coadjuvante que ganhou.
    Só uma dica: o filme tem cenas bem fortes. Quem não aguenta ver sangue ou cenas de crueldade, não pode ver contigo. É forte.

  • Rogerio Jovaneli

    Também vi Avatar em cinema de Vancouver, no Canadá. Vale mais pela parte tecnológica do que pelo roteiro. Enfim, deixaria para vê-lo por último. É bacana, vale a diversão e tal, mas não vai marcar a sua vida ver o filme. Repito: a parte tecnológica é show, sim.

  • Rodrigo

    Já viu os extras de Curtindo a Vida Adoidado no DVD? Mostra os atores nos dias de hoje. O Cameron é um dos que mais mudou. Tabém são hilárias as citações do filme em Two And a Half Men, com o John Cryer tentando se passar pelo Matthew Broderick, e sendo cobrado pela continuação do filme. Muito bom mesmo!

  • Felipe

    Relaxa Andre´…

    o Avatar não vale o esforço…e tem um tal de Distrito 9, que se eu fosse vc nem chegava perto!!!!

    O bastardos inglórios eu também tenho que ver, me falaram muito bem dele!!!!

  • Dos filmes concorrentes ao Oscar, por incrível que possa parecer, Avatar é dos piores que vi nos últimos tempos. À parte a tecnologia inovadora, a estória é aquela velha coisa de herói americano salvando o mundo alheio depois de tentar destruí-lo a qualquer preço. O coronel que comanda a destruição é extremamente caricatural, chegando ao ridículo e, sinceramente, não merecia mesmo o prêmio – seria valorizar mais a tecnologia do que o roteiro, o argumento, a interpretação, o cenário, enfim, aquilo que todos se esforçam pra sublimar, Avatar desprezou tudo baseando-se apenas em um avanço tecnológico que mexeu demais com a vaidade do Cameron. Ele tomou um susto ao perder!!

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo