O QUE VOCÊ VIU NA SUPER QUARTA?



Última data-fifa antes da Copa…

Concentrei minha atenção em dois jogos: França x Espanha e Alemanha x Argentina.

No Stade de France, quase 80 mil pessoas viram a diferença entre um time que poderia estrear amanhã no Mundial (e seria um dos favoritos) e outro que tem vários problemas e apenas 100 dias para resolvê-los.

Com Xavi e Fernando Torres poupados (entraram no segundo tempo), a Espanha jogou e venceu (2 x 0: Villa e Ramos – 79.021 pagantes) como se estivesse em casa.

Foi a primeira vitória espanhola em solo francês em 42 anos (6 jogos).

A Espanha é a seleção que joga o futebol mais vistoso da atualidade, e talvez a que tenha o melhor meio de campo, por causa de Xavi e Iniesta, os dois caras que fazem o Barcelona andar.

David Villa, obviamente, é um artilheiro.

O título europeu lhes tirou aquela pressão de quem “nunca conquistou nada”, e confiança não falta.

Mas em Copa do Mundo nada é garantido.

Em Munique, a Argentina venceu (1 x 0: Higuaín – 60 mil pagantes) a Alemanha, num jogo que de amistoso não teve quase nada.

Mas no bom sentido, o da competição, da vontade de ganhar. O goleiro Adler até foi para a área tentar o empate no final.

Aliás, a arbitragem do escocês Craig Thomson foi quase perfeita (talvez, muito talvez, tenha acontecido um pênalti em Klose no primeiro tempo). Critérios iguais para os dois lados e firmeza nos momentos em que as divididas foram um pouco mais fortes.

Caiu a invencibilidade de 10 jogos dos alemães, que sofreram com a habilidade do meia Angel Di Maria, destaque de um time que jogou muito mais do que nas Eliminatórias. Mas era só um amistoso.

Messi jogou pouco, em quantidade.



MaisRecentes

Filme



Continue Lendo

Perversidades



Continue Lendo

Arturito



Continue Lendo