COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

E OS MEIAS SERÃO…

Quando a maior polêmica sobre a Seleção Brasileira, às vésperas de uma Copa do Mundo, não é uma polêmica, percebe-se como as coisas estão calmas. Bom sinal, claro. Resultado de um trabalho eficiente, também. Dunga pode se mostrar contrariado quase sempre que se vê diante de um microfone (exceção feita às entrevistas nós-fazemos-a-assistência-e-você-faz-o-gol, que conhecemos bem), mas o fato é que seu período na cadeira mais quente do futebol mundial tem sido suave. Mérito dele.

A tal “polêmica” é, apenas, uma pergunta: você levaria Ronaldinho Gaúcho para a África do Sul? É parte de qualquer conversa sobre a Seleção e, independentemente das opiniões, é perda de tempo. Não importa o que você ou eu pensamos. Não é nossa decisão. Só há um cara chamado Dunga (quer dizer, há mais um, mas ele trabalha numa mina de diamantes e não tem nada a ver com a CBF), e ele não gosta de falar no assunto.

Quando fala, não fala. Às vezes, joga frases misteriosas no ar, como quando diz que a Seleção “precisa de jogadores que atuem os 90 minutos”, o que pode ser compreendido como uma porta fechada a quem é capaz de decidir jogos em um. É isso? Se é, craques estão fora. Pois fazem, num lance, o que os comuns não fazem em carreiras inteiras.

Noutras vezes, Dunga reclama da criatividade dos interlocutores, que “fazem as mesmas perguntas e ouvem as mesmas respostas de sempre”. Uma referência ao caso Scolari/Romário/2002 (mais sobre isso em instantes), que ignora que hoje o técnico é outro, o jogador em questão é outro, e a pergunta cabe. Fora que a melhor maneira de acabar com a repetição é respondê-la.

A propósito: não compre a comparação entre os episódios. No caso de 2002, todo mundo sabia (ainda que ninguém dissesse) por que Romário não iria à Copa. Houve um problema e uma decisão coletiva. Entre Ronaldinho Gaúcho e a lista de Dunga há, só, uma opção. Que deve ser absolutamente respeitada se tiver motivos técnicos, táticos ou de formação de grupo. Critérios que são prerrogativas de qualquer treinador, que não necessitam de segredo. Mas quando alguém se recusa a falar sobre algo…

Veja, não há nenhum motivo que nos faça crer em uma bola preta a Ronaldinho. Ele não tem relacionamentos fraturados com ninguém, nem simboliza tudo aquilo que Dunga foi chamado a varrer do mapa da Seleção. A coisa com ele, como diria Jair Picerni, “é campo”. A diferença entre o jogador que foi e é. E que dá pinta de querer ser de novo. É impossível que Dunga não esteja atento.

Por isso, aqui vai o que nós achamos que acontecerá: todo mundo tem visto Ronaldinho jogar bem pelo Milan nos últimos meses. Não é nada sobrenatural, mas é bom. E já há algum tempo. Dunga sabe do que o Gaúcho é capaz, e da falta que faz alguém assim (o número de fazedores de diferença na Seleção é menor do que o de governadores do Distrito Federal) no grupo dele. Já que não há a necessidade de observá-lo, a ausência de seu nome nas listas serve ao propósito de manter Ronaldinho interessado.

Até que, na última convocação…



  • Não acha que o problema do Ronaldinho pode ser de relacionamento, como o do Vagner Love no Palmeiras?

    Lá no Palestra, ninguém disse que o Vagner tinha problemas com ninguém. Mas nós dois, e o resto do mundo, sabe.

    Não estaria Dunga apenas preservando o jogador, se esquivando do tema? Por que todo mundo sabe das qualidades técnicas do Ronaldinho. Em boa ou má fase, ele é um cara fundamental numa seleção.

    AK: Pelo que ouvi, a questão do Love no Palmeiras era a diferença entre o salário dele e o dos outros. Um abraço.

  • Rodrigo

    Pode esquecer Ronaldinho na Copa. Dunga, em entrevista ao Sportv, deu algumas dicas:
    – os jogadores que estão ali, gostam da seleção, não escolhem torneios (referência ao fato do RG jogar bem só na época da Copa);
    – RG já teve chance na seleção, mas foi criticado pela mesma imprensa que agora o cobra lá dentro;
    – se Elano entra e joga bem, Julio Baptista entra e joga bem, fulano entra e joga bem, pra que chamar alguém de fora?? Não está bom assim?;
    – e a dica principal: “Eu e o Jorginho, nós gostamos de futebol, amamos o futebol. Não assistimos apenas o compacto com os melhores momentos. Pra ‘nós’ não interessa apenas dois ou três minutos, tem que jogar bem o jogo inteiro, não adianta ver apenas o compacto que não resolve”.

    Claro que não foram essas as palavras exatas, mas foi mais ou menos isso. A última é uma clara resposta a quem citou os últimos jogos do Ronaldinho pelo Milan, com poucas, mas decisivas participações.

    O pior de tudo: o Paulo César Vasconcelos (é esse o nome mesmo?) puxando o saco dele. Imparcialidade, uma coisa que a emissora oficial deveria aprender.

    AK: Todos os argumentos que você mencionou aparecem na coluna. Mesmo assim, acho que o RG será chamado na última lista. É pura opinião, não informação. Um abraço.

  • Rodrigo

    Ah, o pior de tudo: deu a entender que jornalista tem que torcer pela seleção, e não contra ela. Ufanista que só, esqueceu que o papel do jornalista é evidenciar os fatos, sejam eles bons ou ruins. Confundiu “torcer” com “imparcialidade”. Citando apenas o canal que mais acompanho, a ESPN não torce contra, apenas discorda do ponto de vista do anão-chefe.

    Obs.: o “anão-chefe” não é uma citação ao FG, mesmo porque ele é chefe apenas no Grande Prêmio, que fique claro! rs

  • marcelo

    excelente comentário!

  • marcelo

    Não acredito que o Ronaldinho Gaúcho não será convocado se continuar jogando assim até a Copa. Mesmo se um jogador jogue bem apenas alguns minutos, seu desempenho decisivo nas vitórias será levando em conta, pois não é razoável que não se aproveite este talento, o qual fará falta à qualquer seleção. É aguardar para ver…

  • Rodrigo

    Sim, sim, está no seu texto. É que essa entrevista dele escancarou tudo isso, indo de encontro ao que você já tinha percebido. Apenas acho que, da forma como ele colocou as palavras ontem, acho difícil dele mudar de ideia. A não ser que ele chame de última hora, dando a entender que “chemei porque quis, não porque vocês pediram”.

    Aliás, a Branca de Neve dele é o Parreira… então, não esperemos postura diferente na Copa.

  • Rodrigo

    Ah, só pra matar: “Já que não há a necessidade de observá-lo, a ausência de seu nome nas listas serve ao propósito de manter Ronaldinho interessado”. Isso ganha força se pensarmos na convocação do Grafite. Faz todo o sentido do mundo. []s!

  • Willian Ifanger

    Eu sei que é totalmente off-topic, mas a final do Hoquei foi um dos maiores jogos que eu já vi. Espetacular.

    Aliás, você não vai fazer nenhum comentário sobra as Olimpíadas?

    AK: Vou fazer o seguinte comentário: o primeiro Canadá x EUA no hóquei foi praticamente a única coisa que eu vi dessa Olimpíada. Acabo de ler sobre a final. Obviamente, gostaria de ter visto. Mas o Campeonato Paulista me impediu. Pena. Um abraço.

  • Willian Ifanger

    Putz……é verdade……vc provavelmente estava fazendo alguma cobertura bem na hora do jogo. São os ossos do ofício, infelizmente.

    Uma curiosidade, a ESPN HD transmite os jogos da NHL?

  • Paulo

    Como é bom ver o Todo Poderoso Timão do Presidente Lula, do Bando de Loucos, da Imprensa Festiva dos Reis da Média, do dinheiro fácil do Marketing e da Maloqueragem de São Paulo perder! E perderam até a linha que nunca tiveram, time de baderneiros que são! Time do PT populista e das facilidades… O árbitro foi horrivel sim, mas quando ele favorece a “Favela”, a Turma da Marginal sem Número, fica tudo por isso mesmo… Quando erra contra, é perseguido pela Turma do Recalque, que nunca teve educação mesmo e que nunca terá! E pelo patrulhamento da imprensa de esquerda! VIVA O SANTOS! VIVA O ANTICORINTHIANISMO! ABAIXO O TIMÃO, NO ANO DO CENTENÁRIO, DO TEATRO EM CAMPO E DO ESTELIONATO DA BOLA!

  • Rodrigo

    Paulo, como você é engraçado! Estou rindo muito! Vou rir mais um pouco: RÁ! Pronto.

  • Gavião

    Paulo, você não tem vergonha de não ser palmeirense e sim um anti-corintiano? Enquanto isso, em Rio Claro… huahauhahuauhauaua!!!!

  • BASILIO77

    Os cães ladram e a caravana passa…

    Um sábio ditado árabe diz:
    Que não importa o latido dos cães, não importa o barulho que façam, a caravana segue seu caminho. Apesar deles…
    Existe uma estrela a ser seguida, um sentimento a ser preservado e nada vai impedir que a caravana siga seu rumo!
    Mesmo que pare por alguns momentos, mesmo que alguns cães se julguem alimentados pegando restos que caem durante a passagem. A caravana segue seu rumo, mais forte, mais coesa. Deixando cada vez mais longe o barulho dos cães esfomeados.
    Uma caravana é feita de sonhos, de amizade, de amor e de desejo.
    Ela segue e seguirá seu caminho, totalmente indiferente ao ganido dos cães enlouquecidos.

  • Shao

    André… esse é realmente a única dúvida que temos sobre nossa seleção. Masss…..Maaaaasss , vou dizer uma coisa, estou com Dunga. Sim, eu não levaria RG a Copa do Mundo (e quando digo isso a grande maioria acha que sou louco).
    Não sei ao certo, quantas convocações ele tem pelo nosso país, então costumo pensar em anos: RG está sendo chamado constantemente a nos últimos 8 anos (no mínimo). Todos nós só conseguimos lembrar de 2 grandes jogos feitos por ele, contra a Inglaterra em 2002 e seu jogo de estréia pela amarelinha.
    Dunga já tentou de tudo com ele, fez ele ser a principal estrela, fez ele ser coadjuvante, deu a braçadeira de capitão e a responsabilidade de conduzir jovens garotos ao sucesso, e até convocou-o para um torneio muito importante quando estava completamente encostado no Barcelona. E a resposta final, sempre foi a mesma: RG não correspondeu.

    Não vejo motivos para acreditar, que agora ele vai “resolver” nossa situação, caso precisemos….

  • Carlos

    UMA HISTÓRIA INEXPLICÁVEL.
    QUE, NO ENTANTO, FAZ TODO O SENTIDO:

    Durante a semana, surgiu a denúncia de que, independente do sorteio que seria realizado para definir a arbitragem da rodada do final de semana do Paulistão, o árbitro responsável pelo clássico Santos x Corinthians, aguardado com grande expectativa, já estaria definido.

    A informação pode ser conferida nos dois links a seguir, de dois jornalistas da Jovem Pan, uma rádio com uma equipe de esportes que não costuma ser nada condescendente com o Corinthians:

    http://blogs.jovempan.uol.com.br/fernandosampaio/geral/minha-bola-de-cristal-nao-erra-deu-jhc-no-classico/

    http://blogs.jovempan.uol.com.br/quartarollo/futebol/o-que-acontece-no-sorteio-de-arbitros-na-fpf/

    Nesse domingo, o Santos ganhou do Corinthians por 2 x 1. Apesar de o Santos haver jogado melhor do que o Corinthians (o goleiro corinthiano Felipe se destacou e impediu que o Santos fizesse mais gols; embora seja preciso ressaltar que o Corinthians também perdeu grandes oportunidades de gol), o que de mais marcante o jogo teve foi a arbitragem de José Henrique de Carvalho, muito contestada pelos corinthianos.

    De fato, houve várias decisões controversas da arbitragem – todas desfavoráveis ao Corinthians:

    – (1° tempo) O jogador Marquinhos do Santos invade a área corinthiana, quase arranca a camisa do beque Willian na disputa, é empurrado e se projeta; quando Roberto Carlos chega, o jogador santista já está caindo, a 45 graus do chão. O árbitro marca pênalti, cuja cobrança foi defendida por Felipe.

    – (1° tempo) Falta na intermediária do campo do Santos, o Corinthians bate rapidamente aproveitando a desarrumação da defesa santista, Ronaldo recebe, passa pelo beque, fica de frente para o gol e… o árbitro apita e manda cobrar novamente. Não ficou claro se foi porque a cobrança havia sido feita um pouco à frente do local da infração, se foi porque a bola estaria rolando (não estava) ou se foi porque a marcação de gol por Ronaldo era iminente.

    – (2° tempo) Aproveitando uma parada de bola, o árbitro autoriza uma substituição no Santos. Germano entra, corre em direção à sua própria área, o Corinthians cruza uma bola em direção à Dentinho, e este é atropelado pelo estabanado jogador santista que acabava de entrar. Pênalti escandaloso. O árbitro nada marca.

    – (2° tempo) Roberto Carlos invade a área santista, toma a frente de um jogador adversário limpamente, recebe um empurrão e cai. José Henrique de Carvalho não marca o pênalti e ainda dá o cartão amarelo para Roberto Carlos, que acaba expulso por já haver recebido um primeiro cartão na partida (dentre os muitos distribuídos aos corinthianos).

    – (2° tempo) O corinthiano Moacir dá um carrinho de frente, na bola, e recebe cartão amarelo. Assim como Roberto Carlos, acaba expulso, pois também já havia recebido um primeiro cartão
    Essas foram as decisões controversas ou claramente equivocadas da arbitragem com consequências mais agudas. Mas a verdade é que a partida entre Santos e Corinthians foi uma daquelas em que uma das equipes, no caso o Corinthians, passou praticamente o tempo todo, e de modo crescente, inconformada com as interpretações do árbitro. Desde a primeira disputa de bola, quando Ronaldo recebeu uma “paulistinha” de um adversário.

    – ESTRANHO (mas nem tanto)

    E “quem é” o árbitro José Henrique de Carvalho?

    É um árbitro que já colecionava duas atuações “memoráveis” em jogos do Corinthians.

    A primeira havia sido no Paulistão de 2008, no jogo Corinthians 2 x 0 Guarantinguetá, em que José Henrique de Carvalho deu dois cartões amarelos para o jogador Magal da equipe do interior, e não o expulsou (http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Corinthians/0,,MUL343651-4402,00.html). Erro crasso.

    A segunda foi no clássico de triste memória São Paulo 1 x 1 Corinthians, pelo Paulistão de 2009, marcado pelo trágico incidente em que dezenas de torcedores corinthianos ficaram gravemente feridos (http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u504955.shtml). Naquela partida, os jogadores corinthianos saíram reclamando muito da arbitragem. A maior polêmica ficou para a expulsão de Túlio do Corinthians, em que José Henrique de Carvalho deu o cartão vermelho depois de receber aviso eletrônico de seu auxiliar Ednilson Corona. Ficou a suspeita de que o auxiliar teria recebido a indicação de expulsar Túlio de uma terceira pessoa, que viu lance de agressão pela tevê; o que configuraria irregular interferência externa na decisão da arbitragem (http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,carvalho-e-corona-garantem-nao-teve-interferencia-externa,324424,0.htm).

    Pelo menos em outras três ocasiões, nas dez rodadas anteriores do Paulistão 2009, o Corinthians teve motivos para se queixar da arbitragem. Antes desse clássico contra o Santos, o mesmo já ocorrera, embora em menor escala, nos jogos contra o Monte Azul (empate em 1 x 1) , a Portuguesa (empate em 1 x 1) e o Palmeiras (apesar da vitória corinthiana por 1 x 0). Quatro arbitragens prejudiciais em onze partidas é demais.

    É sabido que o Corinthians tem grandes ambições no ano de seu centenário. O Corinthians queria “ganhar tudo”. O que provocou sentimento de igual intensidade nos anticorinthianos, que querem que o Corinthians não ganhe nada neste ano. Estes já comemoraram duas derrotas: a eliminação na Copa São Paulo de Juniores, quando o Corinthians foi eliminado por 1 x 2, em que um dos dois pênaltis que resultaram nos gols do Juventude foi assinalado por erro do árbitro; e a derrota dos Gaviões da Fiel no desfile do Grupo Especial das Escolas de Samba, com notas absurdas dos jurados, principalmente no quesito enredo.

    O Corinthians terá que mostrar força e poder de superação comparáveis aos de seus melhores momentos em 100 anos de história, para conseguir se sobrepor a todas as imensas dificuldades (as naturais e as nem tanto) e marcar o ano de seu centenário com as glórias planejadas para brindar a sua imensa e apaixonada torcida.

  • Marcio S

    Se o RG continuar jogando até a Copa o que está jogando agora será um crime não levá-lo. Não um crime contra a seleção, mas contra a Copa, contra o futebol e sua hstória.

    Qual brasileiro está jogando mais bola do que o RG atualmente? Se tiver algum, com certeza não está na lista do Dunga…

  • Alex

    Se a diferença “é campo”, o Kleberson depois de Brasil 2 x 0 Alemanha em 2002 nunca mais foi o mesmo!!!
    O Julio Batista nunca mais foi mesmo depois da ótima temporada no Sevilha!
    O Elano nunca mais foi o mesmo depois do Santos 2004!!!
    O Gilberto Silva nunca mais foi o mesmo dos tempos de Arsenal!!!
    O Felipe Mello, bem esse nunca foi em lugar nenhum e este ano está pior ainda!!!!

  • Alexandre

    O Marcio S disse tudo e essa é a pergunta que não quer calar: Qual brasileiro está jogando mais bola do que o RG atualmente?

  • Leandro Azevedo

    O Ronaldinho, assim como o Pato, mereciam pelo menos uma chance nesse amistoso de amanha. O Grafite merecia ser chamado ano passado, mas nao esta jogando no mesmo nivel, enquanto o Pato esta comecando a jogar o que sempre foi esperado dele.

    Outro jogador que seria interessante testar, na minha opinao, seria o Paulo Henrique do Santos. Eh um jogador que faz uma funcao parecida com o Kaka e que hoje nao temos alguem que consiga jogar de forma parecida caso algo aconteca com ele.

    Abraco

  • Hyrata Abe

    Muitos estão apostanto que Dunga não é bobo e que “não é possível que ele não leve Ronaldinho Gaúcho” para a África. Eu aposto nisso também. Não pode ser! Ele não poder ser tão desatento e teimoso a ponto de fazer um erro grave como esse. Sim, porque Júlio Baptista em sua plena forma nunca será tão eficiente e decisivo como está sendo o Gaúcho nesse ano. Os números da FOLHA DE SÂO PAULO mostrando essa regularidade e eficiência é tudo que o Dunga tem que olhar. Esses números colocam sim Dunga no paredão.

  • Hyrata Abe

    Mas, quer saber André? num tô vendo esse clamor popular todo em torno do nome do Gaúcho. Acho que é uma coisa que vem mais de vocês da imprensa e de quem entende de futebol. A massa tá sendo levada pelos bons resultados do Dunga. Concorda?

    AK: A última vez que eu vi esse “clamor popular” foi para o Parreira convocar o Romário para aquele jogo contra o Uruguai, em 93. Um abraço.

  • Lucas

    Tomara que este tal de Centenário passe logo! Ninguém vai aguentar este xororô toda vez que o time da Plebe Rude perder este ano… Fanáticos eles são e “desportistas”, só quando ganham… Corintianos torpes… Ronaldo não passa de prima-donna… Na Europa, não teria mesmo mais condições de atuar… Lá, existem homens jogando bola!

  • Massara

    Não há brasileiro algum jogando mais bola que o RG. Fato.

    Mas para o Dunga (e para mim também) seleção brasileira não é momento. Uma seleção se forma com o tempo. Ao longo deste tempo, pode-se desenvolver estratégias, traçar objetivos, assumir compromissos dentro e fora de campo, mesmo quando se está longe da seleção, jogando pelo seu clube. A intenção é criar uma linha de raciocínio e comportamento comum dentro de um grupo para que se chegue à época da Copa em condições de brigar pelo título e para que, ao longo da Copa, o time tenha a atitude necessária para isso.

    E admitir um “corpo estranho” a esta equipe, que foi formada com tanto custo e trabalho, justamente na hora da convocação para a Copa pode ser algo muito custoso para os objetivos do time.

    Por isso, cravo meu palpite: o Dunga não leva o RG. E terá o meu apoio nisso, tal como o Felipão teve em 2002, quando não levou o Romário. Não se trata da bola que ele joga, mas dos objetivos que ele tem (ou não tem) no momento atual de sua carreira.

    Abs.

  • Oi André,

    EU moro em Nice, na França. Posso dizer que todos os canais de televisão franceses, italianos e ingleses estão torcendo muito pra que Dunga não convoque Ronaldinho. Dizem que seria uma grande preocupação a menos. Tudo bem que Elano e Júlio Baptista são excelentes jogadores, mas o que o Ronaldinho tem feito no Milan é fantástico. Tudo bem que ele não tem mais a velocidade que tinha no Barcelona, mas tem a mesma técnica e está carregando o time sozinho nas costas. Aliás, sozinho não, com grande ajuda do Pato. Sinceramente, se o Dunga não convocá-lo, tem que criticar sim e não tem nada que respeitar. Aliás, há que perder o respeito por ele, pois seria muita vaidade abrir mão do Ronaldinho. Mesmo se ele não é exatamente o de antes, ele é muito melhor do que a maiorida dos jogadores. Jogando no campeonato italiano, difícil apontar alguém do mesmo nível.
    Bom, espero que Dunga não seja tão vaidoso a ponto de descartar um craque.

  • marcelo

    Prezado André e amigos,

    Em nome do futebol, espero que você esteja certo. É lógico que o Gaúcho não pode ficar de fora. Mas o Josué, por exemplo, pode.
    E vale dizer que o Gaúcho não é uma maça podre. É jogador de grupo sim, foi campeão em 2002, com boas atuações. Ou ninquém se lembra que ele foi o melhor da vitória (a mais importante, além da final) contra a Inglaterra? Espero que ele seja realmente convocado. Fica no banco para entrar no segundo tempo. Se não for convocado, o Dunga pode passar no cartório e pegar o registro de BURRO! e ponto final!
    abraços

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo