CAIXA-POSTAL



Aos temas da semana:

João Paulo (entre muitos) escreve: André, sobre o projeto de lei da Câmara dos Vereadores de São Paulo (que determina que jogos de futebol na cidade não podem acabar depois das 23h15): você acredita que será aprovado e nós não teremos mais que aguentar esses horários?

Resposta: Não, não acredito que a lei será aprovada pelo prefeito de São Paulo. Mas gostaria de ampliar a conversa: qual é a grande diferença, para o torcedor que vai ao estádio, entre um jogo que termina às 23h45 e um jogo que termina às 23h15? Alguém pode argumentar que o metrô fecha por volta da meia-noite, e que portanto há uma diferença considerável. Ok, mas e no caso de um jogo que vai para prorrogação ou pênaltis? E no caso de uma final de campeonato, em que o torcedor quer ficar no estádio para comemorar, ver a taça, etc? Para ficar claro: sou contra o futebol às 22 horas. Mas não consigo acreditar num projeto que se declara defensor de quem vai ao estádio, mas não resolve o problema de quem vai ao estádio. Sabe qual é o único objetivo que seria atingido com a aprovação (e aplicação, claro) da lei? Mexer com a grade da TV Globo. Para mim, isso é estranho. Se a proposta fosse de que os jogos precisam começar, no máximo, até às 20h30, seria outra conversa.

______

Mário escreve: Os times Mexicanos disputam a Libertadores e a Liga dos Campeões da CONCACAF. Mas para estes clubes qual torneio é mais importante?

Resposta: A Liga dos Campeões da Concacaf. Simplesmente porque ela classifica seu campeão para o Mundial de Clubes da Fifa. Na Libertadores, os times mexicanos são convidados. Eles podem ganhar o título, mas não vão ao Mundial se o conquistarem. É como alguém te convidar para uma festa, mas te avisar que você não pode comer nem beber.

______

Haroldo escreve: Tenho ouvido nas últimas transmissões da Liga dos Campeões o risco que a Itália passa de perder uma vaga direta dessa competição (de 4 para 3 times) para a Alemanha (que passaria de 3 para 4 times). Isso porque os times italianos têm ido mal nos últimos anos, ao contrário dos Alemães. Mas afinal, como é essa “fórmula” que define as vagas diretas e indiretas por país?

Resposta: O balanço das vagas para cada país na Liga dos Campeões tem como critério um ranking anual feito pela Uefa. Esse ranking leva em conta o desempenho dos clubes na própria Liga dos Campeões e na Liga Europa (antiga Copa da Uefa). A queda dos times italianos e a ascensão dos alemães podem resultar na alteração.

______

Vinicius escreve: Como são-paulino tenho acompanhado a “novela” sobre o projeto do Morumbi para a Copa 2014. A princípio envaidecido com a possibilidade da escolha do time para qual torço, tenho ficado cada vez mais decepcionado com o desenrolar da história a ponto de achar que os dirigentes do São Paulo deveriam retirar a candidatura do Morumbi e dizer à FIFA: “Obrigado, por nada!”. A questão é: será que vale mesmo a pena passar por toda essa “humilhação” para que o estádio sedie jogos da Copa? Tirando o evento em si e a possibilidade de se vangloriar para outras torcidas locais, qual seria o verdadeiro retorno para o clube em sediar jogos da copa? Moderno ou não (e tenho plena consciência de que não é) o Morumbi é a grande arena para eventos – não só futebolísticos – de São Paulo. Será que a modernização do estádio só se justifica para a realização da Copa? Gostaria de saber sua opnião.

Resposta: A Copa de 2014 é a oportunidade do São Paulo (e de todos os outros clubes que pretendem ver seus estádios envolvidos) de reformar seu estádio e se posicionar melhor para usá-lo de todas as maneiras que forem economicamente interessantes. Por isso o clube resiste nessa briga política que envolve a Fifa, a CBF, a FPF, o governo e a prefeitura de São Paulo. Briga que ainda terá novos rounds.

______

Como sempre, muito obrigado pelas mensagens.

(e-mails para a CP do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link abaixo da foto)

“Do fundo de suas almas, e cada gota de sangue de seus corpos, deixem tudo naquele campo até o apito final. E se vocês fizerem isso, se vocês fizerem isso, nós não podemos perder. Podemos estar atrás no placar quando o jogo terminar, mas se vocês jogarem assim, não poderemos ser derrotados.”

Jack Lengyel, em “Somos Marshall”.



  • Anna

    Eu acho que os jogos terminam muito tarde. O horário deveria ser: começar às 21h e terminar às 23h. Mas as televisões terão que ajustar a programação. Não sei o que acontecerá, na verdade. Abraço, Anna

  • Rejane

    Gostaria que os jogos do Estado de São Paulo começassem a partir das 20:30 horas! Acho que seria o horário ideal mas o problema é mexer com o horário da programação da Globo!
    André, e os horários de alguns jogos do Campeonato Carioca? O que você achou do jogo desse Sábado: Madureira X Boa Vista, ter começado às 8:00 horas?

    AK: Piada. Dane-se a qualidade do jogo (os jogadores terão de acordar às 5 horas), dane-se quem pretende ver o jogo. É o fim. Um abraço.

  • Gutow

    André, nada a ver com o post, mas você já viu o filme “The Damned United”? Conta a história de quando Brian Clough treinou o Leeds e é, sem dúvida alguma, o melhor filme relacionado a futebol que já vi (não que isso seja muito difícil). Eu já tinha lido algumas coisas sobre o Brian Clough, mas fiquei surpreso com a história e fico imaginando se o cara era louco daquele jeito mesmo. Se ainda não viu, recomendo. Tenho certeza que vai gostar.

    AK: Obrigado pela dica. Um abraço.

  • Carlos

    André,
    “Ascenção” ou “ascensão” ? Fiquei na dúvida…

    AK: AscenSÃo. Obrigado.

  • Rejane

    “Boa vingança” essa do jogador Wayne Bridge vencendo o Chelsea do jogador John Terry! Gostei da virada do Manchester City!
    André, espero que a minha pergunta no post anterior não tenha te irritado. Bom final de semana e bom trabalho no Domingo!

  • Beto

    Bela frase, André. Traduz a grandeza do esporte, seja ele qual for.

  • Lucas Costa

    Caro André Kfouri hoje a Liga dos Campeões da Concacaf (aliás tô cansado de ouvir todas as competições se chamarem liga dos campeões de X confederação, se algum dia mudarem a libertadores para Liga Libertadores dos Campeões da Comenbol vai ser rídiculo. mas que seja)

    voltando… Hoje a Liga dos Campeões da Concacaf pode ser mais importante, por causa da “vaga” no mundial, mas não sei se é por que eu cresci torcendo pelo meu time na libertadores, mas acredito que a Libertadores para os times mexicanos até a preferem, acredito que a Libertadores pague mais que o campeonato continental da América do Norte, e a exposição mundial é até maior, afinal o méxico sempre ganha.

    A questão da vaga do mundial é até rídicula nesse caso pra mim, viajar até outro país para jogar um jogo que não vale nada contra um time da Oceania, ou campeão nacional dos Emirados Arabes é pior que jogar contra um Boca Jrs, Flamengo ou até mesmo o Peñarol.

    Não acho que os times mexicanos devam ganhar a vaga da comenbol, mas se a MLS entrasse na Libertadores seria até melhor para os times Americanos.

    Gostaria muito que os dois países entrassem na Libertadores, e que a primeira fase fosse maior com mais clubes.
    Na verdade que a primeira fase fosse desmembrada em 2 com mais playoffs para incluir mais times e dar mais chances a times menores chegarem a principal competição do hemisfério sul.

    AK: Seu comentário está um pouco confuso. De qualquer forma, não concordo com sua visão sobre o Mundial da Fifa. E os mexicanos também não. Um abraço.

  • Roberto Carlos

    Andre
    Permita-me dois assuntos:
    Voce acha que o Dunga quiz mandar algum tipo de recado para os seus criticos ao convocar o Grafite nas vespera da Copa, se não testou antes porque testar agora?
    O brasileiro ama o futebol, na TV é um dos carros chefes na disputa pela audiência, porque no cinema são poucos os filmes que abordam o asssunto? Da audiencia na telinha e não na telona?
    Abraços
    Roberto Carlos

    AK: Acho que o Grafite foi convocado apenas por formalidade. Também acho que o futebol deveria ter mais espaço no cinema. Um abraço.

  • Rodrigo Neves

    André,

    Há uma diferença considerável entre um jogo acabar às 23:15hs do que às 23:45hs. Principalmente no que diz respeito a volta para casa.
    Agora o seu argumento de prorrogação, pênaltis ou entrega de taça é totalmente descabido. Quantos jogos acabam assim por ano no Brasil?? Um ou outro jogo da Copa do Brasil, uma final de Libertadores ou uma possível final de estadual em que o jogo decisivo seja na quarta-feira. Faça uma pesquisa e se surpreenda com os números.

    Concordo que é uma lei difícil de se pegar, principalmente pelo poder que a detentora dos direitos do campeonato tem e o tanto de dinheiro envolvido nisso.

    Abraços

    AK: Estamos falando de uma LEI, não estamos? Como se pode aprovar uma lei que será desrespeitada em casos que acontecem todos os anos? Não importa a frequência dos jogos que vão para a prorrogação ou pênaltis, o que importa é que eles serão exceções a uma lei. Isso, sim, é descabido, ainda mais num país em que leis são vistas como apenas sugestões. Um abraço.

  • Leonardo Pires

    Absurdo tb é o metrô não se adaptar aos horários dos jogos, não? Mas isso é reflexo da falta de compreensão de que o poder público, ainda que formalmente separado, deve atuar de modo integrado… Por mim os jogos começam até às 21h30min.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo