COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

CRONOLOGIA DE UM ENGANO

No dia em que o Palmeiras contratou Vágner Love, tudo ficou muito claro na mente deste projeto (ainda e sempre) de colunista: era o movimento que faltava para garantir o título do BR-09 e reposicionar o clube na balança de forças do nosso futebol. Não me culpe pela conclusão precipitada. O Palmeiras liderava o campeonato com um time que tinha um evidente defeito, que a chegada do “atacante do amor” corrigiria.

Tudo o que aconteceu desde aquele dia mostrou que a imagem, que parecia tão clara, era miragem. E faz supor que se fosse um torcedor adversário a escrever a história do Palmeiras nos últimos sete meses, ela não seria tão perversa, por causa da distância entre expectativa e realidade. É necessário lembrar, admitir e jamais desrespeitar uma verdade – NUNCA SE SABE. Assim, fica menos difícil entender os fatos:

21/07/09, 18h14 – o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo surpreende e anuncia, via twitter, que Muricy Ramalho é o substituto de Vanderlei Luxemburgo. Doze dias antes, usando a mesma tecnologia, Belluzzo divulgara o não-acordo com o técnico. A contratação do tricampeão brasileiro empolga a torcida, já animada com a vice-liderança do Brasileirão.

22/07/09, 11hs – Belluzzo declara: “Ninguém contrata o Muricy para ser quinto colocado”. Afirmação totalmente verídica (e incrivelmente profética).

08/08/09, 15h02 – Clube e parceira financeira informam que Diego Souza e Pierre não serão negociados com o futebol europeu na janela de agosto. O foco é o título.

28/08/2009, 16hs – Love chega.

18/11/2009, aproximadamente 22h38 – na saída para o intervalo do jogo contra o Grêmio, Obina e Maurício brigam no gramado do estádio Olímpico. O Palmeiras perde e fica em terceiro lugar.

22/11/2009, 22hs – Belluzzo declara: “Eu gostaria de não ter aceito o convite para ser presidente do Palmeiras”. Pode ter sido um arrependimento momentâneo. Mas para quem acredita(va) numa nova era, foi triste.

01/12/2009, aproximadamente 15h15 – bandidos uniformizados de torcedores armam emboscada para Vagner Love, na porta de uma agência bancária.

06/12/2009, aproximadamente 18h51 – o Palmeiras perde para o Botafogo na última rodada do BR-09, termina o campeonato em quinto lugar.

15/01/2010, 19h15 – Vagner Love é apresentado oficialmente como jogador do Flamengo.

17/02/2010, aproximadamente 23h41 – Palmeiras 1 x 4 São Caetano, no Palestra Itália.

18/02/2010, 16h14 – Muricy Ramalho é demitido do Palmeiras.

18/02/2010, 21h30 – Antônio Carlos é o novo técnico.

E então, o que aprendemos (além do já citado NUNCA SE SABE)? Que não devem ser poucos, e nem simples, os problemas de relacionamento entre os grupos que habitam o Palmeiras. Que há situações em que se tenta fazer tudo certo, e dá tudo errado. Que no futebol, mais vezes do que imaginamos, a chamada “liga” entre técnico e jogadores é crucial para o bom andamento das coisas.

Mas seria ótimo se tivéssemos aprendido que, em todos os clubes, há uma escada de responsabilidades. E que trocar o treinador é sempre mais fácil.



  • Rejane

    André, concordo com você! A melhor lição é o Nunca se Sabe!

  • Rejane

    Botafogo campeão da taça guanabara! Valeu Professor Joel Santana! Tão bom ganhar a taça que é uma imitação da Liga dos Campeões da Uefa! kkkkkk

  • Cruvinel

    Titulo sem importância + Botafogo Campeão = bem do estilo Taça Guanabara!

  • Rodrigo

    Li na Época, dessa semana, que o Beluzzo quitou uma dívida razoável com a Receita Federal. Se o foco dele for esse mesmo, acho que está fazendo mais do que certo. Aliás, devia ser regra nos clubes brasileiros: limpar a c****** dos antecessores e começar a fazer a coisa certa.

    Olhando pro SEP e SCCP, não vejo muita luz… corneteiros de um lado, mafiosos de outro… estaremos na Idade Média do futebol brasileiro??

  • Anna

    Muito bem feita a cronologia. Sobre a decisão uma palavra e silêncio: lateral com elder Granja, não dá. Ainda bem que vi o jogo que o Mauro Cezar Pereira viu. Não estou tão ruim. 😉 Que venha a Taça Rio. Parabéns aos botafoguenses e um presente de aniversário à querida Rejane! Grande abraço, Anna

  • Diego Brandão

    André, você já leu a coluna do Bill Simmons?

    AK: Se eu costumo ler? Sim, com alguma frequência, apesar de achá-las muito extensas. Se eu li a última? Ainda não. É boa? Um abraço.

  • Fábio Niterói

    Sua cronologia omitiu um fato importantíssimo que abalou a confiança do Palmeiras: o crime cometido pelo Simon no Maracanã. Tivesse o Palmeiras ido para o intervalo com 1×0 sobre o Fluminense, muito provavelmente estaria hoje na Libertadores, e talvez fosse campeão.

    AK: Difícil afirmar o que aconteceria. A omisão do erro do Simon (e do destempero público do presidente do Palmeiras) teve um motivo: erros de arbitragem acontecem em todos os jogos de futebol. Um abraço.

  • Diego Brandão

    A última do Bill Simmons não é tão boa (pelo menos não do meu interesse – Tiger Woods-). Leia a da vitória do Saints e veja a idéia do “You never know”. Achei interessante fazer a comparação com a sua idéia desta coluna. A abordagem é a mesma. Vale a pena.

    Ps. Caso não queria responder por comentário, fique à vontade para enviar suas impressões por e-mail.

    AK: Acabei de ler. Legal. O recurso de voltar a um jogo e relatar impressões já foi usado pelo próprio BS uns tempos, talvez anos, atrás. Mas essa do Super Bowl ficou melhor. O pessoal do Deadspin de vez em quando também faz isso. Obrigado, um abraço.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo