NOTINHAS PÓS-RODADAS (e um recorde no Texas)



Começando pelo clássico carioca:

* Fred perdeu gols que ele normalmente faz, e o Vasco (0 x 0 com o Fluminense, 6 x 5 nos pênaltis – 30.490 pagantes no Maracanã), pela primeira vez em seis anos, está numa final de turno estadual.

* Por falar em Fred (que obviamente não tem culpa): a cobrança dele na decisão por pênaltis é a prova de que algo precisa ser feito em relação à paradona.

* Após a derrota do América (2 x 1 para o Olaria), Bebeto está no mercado. A primeira experiência dele como técnico durou oito jogos – 3V, 1E e 4D.

* Constrangedora falha de Felipe no gol da Portuguesa (1 x 1 com o Corinthians: Marco Antonio e Elias – público ND no Canindé), que inexplicavelmente jogou de preto numa tarde infernal em São Paulo.

* Defesaça de Fábio no último minuto do jogo, impedindo (com a colaboração da trave) um gol de cabeça de Jucilei.

* Primeira vitória do São Paulo (1 x 0 no Ituano: Rogério Ceni – 6.953 pagantes no Novelli Junior) fora de casa no ano, com o octagésimo-sétimo gol de seu goleiro.

* E se o calor das 3 da tarde (horário real) já era absurdo em São Paulo, imagine como estava em Itu…

* O Palmeiras (1 x 1 com o Botafogo: William e Léo – 10.481 pagantes no Santa Cruz), que pelo menos jogou à noite em Ribeirão Preto, certamente sentiu o cansaço na semana em que foi ao Piauí jogar pela Copa do Brasil.

* Ótima atuação do goleiro Weverton, um dos motivos pelos quais o Botafogo não perde há cinco jogos.

* O Pacaembu não viu a festa que esperava na estreia de Robinho como titular do Santos (2 x 1 no Rio Claro: Jackson, André e Giovanni – 32.001 pagantes), diante do sempre ótimo público quando o time joga em São Paulo.

* Mas viu uma vitória de virada do líder do Campeonato Paulista, com gol de Giovanni aos 44 minutos do segundo tempo.

* A quarta expulsão na temporada não impediu o Cruzeiro de vencer (2 x 0 na Caldense: Wellington Paulista e Gilberto – público ND no Ronaldão) e chegar à vice-liderança do Campeonato Mineiro.

* Fábio (um dos quatro titulares escalados) pegou um pênalti, o árbitro mandou voltar, e ele pegou de novo.

* Obina marcou pela primeira vez com a camisa do Atlético Mineiro (2 x 2 com o Uberaba: Obina, Muriqui, André Nascimento e Douglas – público ND no Uberabão), que permitiu o empate no final do jogo.

* O paraguaio Cáceres foi expulso no primeiro tempo.

* A vitória do Grêmio (2 x 1 no São José: Juca, Mithyuê e Fábio Santos – 3.807 presentes no Olímpico) só aconteceu porque o termômetro marcou dois graus a menos do que o limite de 35, imposto pelo sindicato dos jogadores.

* Estranho que a medição oficial, da Federação Gaúcha, tenha sido feita na sombra. O Olímpico é coberto?

* A vantagem na fase decisiva da Taça Fernando Carvalho é do Internacional, que venceu o Esportivo (2 x 1: Kléber, Marco Aurélio e Alecsandro – público ND no estádio Montanha dos Vinhedos) e somou o maior número de pontos.

* O Inter insiste em antecipar o jogo contra o Juventude para quarta-feira à tarde (o Grêmio joga à noite), mas a proximidade entre o Beira-Rio e o Olímpico preocupa a Polícia Militar.

______

O fato de 108.713 pessoas terem assistido a um jogo de basquete, marca que vai para o Livro dos Recordes, já é suficientemente especial.

Me faz lembrar os jogos da seleção brasileira de vôlei, nos anos 80, realizados no Maracanã e no Morumbi.

Ou quando a Espanha fez a final da Copa Davis de tênis num estádio para 72 mil pessoas em Sevilha.

Na boa, é legal pra caramba.

A fartura de espaço no Cowboys Stadium permitiu que a NBA fizesse um show espetacular na abertura do All-Star Game (Leste 141 x 139 Oeste, Dwyane Wade MVP com 28p, 11a, 6r),

Não falo da performance do rapper Usher, que não está entre meus preferidos. Mas sim da apresentação dos jogadores.

Num palco montado ao lado da quadra, os titulares literalmente brotaram do chão, erguidos à superfície por plataformas, com a devida produção de luzes e fumaça.

Depois, atravessaram um corredor com fãs dos dois lados, tocando as mãos das pessoas até chegarem à quadra.

Cobri quatro edições do Jogo das Estrelas, entre 2001 e 2004, e pude ver de perto do que a NBA é capaz de fazer.

Mas o pré-jogo de ontem em Dallas foi, de longe, o melhor de todos.



  • Cruvinel

    Ak, tem coisa melhor do q ficar em casa em pleno carnaval (odeio!) assistindo os astros da NBA no All Star Game? Ver LeBron James jogar vale mt a pena!
    O Cowboys Stadium é realmente demais! É sempre bom assistir a estes tipos de espetáculos que salvaram minhas noites!

  • Rejane

    O Super-Bowl em Miami e o All-Star Game no Texas são exemplos de mega eventos super bem estruturados! As produções que estão envolvidas com os shows internacionas no Estado de São Paulo deveriam aprender com esses exemplos a como fazer eventos que não danifiquem tanto o gramado do Morumbi!
    Rodada bem devagar! Jogadores pensando no Carnaval!

  • Felipe Storace

    veiooooooooo, queria jogar modern warface2 nesse telao ae 🙁

    sera q isso pode virar um padrao para all stars-games AK ??

    carmelo comeu a bola no primero tempo, achava q ele tinha chance de ganhar mvp, depois do belissimo show de shakira e alicia kiss(ta certo isso??) vi soh 5 minutos e capotei.

    pow 2 pontos de vantagem soh, os cara tao levando mais a serio o jogo?

  • Willian Ifanger

    Eu moro aqui do lado de Itu……quando fiquei sabendo que o jogo era as 16:00, nem fui atrás de comprar ingresso. É um desrespeito com o espetáculo. As pessoas que mandam no futebol deveriam ser processadas por todo mundo que passa mal nesses jogos (e tem muita gente).

    Quanto ao jogo das estrelas, também lembrei na hora dos jogos de volei entre Brasil x URSS (sorte que em Dallas ninguém teria que enxugar a quadra se caisse uma chuvinha…….hehehehe)……aliás, resolveram o problema do placar eletronico (absurdamente gigante) do estádio?

  • Anna

    É um recorde especial, mesmo. Adoro basquete e vê-lo cheio de gente é magnífico. Queria que o nosso basquete fosse resgatado e tivesse seus tempos áureos. Em plena segunda de Carnaval, sonhar não custa nada…

  • Moacyr Lopes

    Prezado André,

    Moro e fui ao jogo em Uberaba. O time do atlético é muito ruim.
    O Ricardinho parece enceradeira: roda, roda e não sai do lugar. O Tardelli não fez nada em campo, pois tinha marcação individual. Pelo jeito, o Cruzeiro será tri.
    Os dois gols foram de falhas da defesa do Uberaba. O Uberaba teve maior posse de bola e maior número de chances ao gol. O empate foi justo, pelas falhas da nossa defesa.
    O Luxemburgo reclamou das expulsões, mas elas foram justas. Se você acessar o site da TV Alterosa, vai ver um compacto onde mostra que o Cáceres entrou com o pé alto, na altura do peito do jogador do Uberaba.
    O único erro da arbitragem foi um penâlti claro para o Uberaba aos 3 min. do 2o tempo.
    A propósito, o público foi de 5.578 pagantes.

    Um abraço.

    AK: Obrigado pelo comentário e pelas informações. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Só pra variar,discordando:

    “Fred perdeu gols que ele normalmente faz”.Discordo.Pelo menos nas duas oportunidades do primeiro tempo,ele não perdeu.Em uma,o goleiro do Vasco fez uma ótima defesa e,no rebote,o Conca perdeu um gol,aí sim,que normalmente atacante não perde.
    Numa segunda oportunidade o Fred,foi desarmado pelo Sousa.O vacilo dele ali foi olhar para o bandeira para ver se o mesmo tinha marcado impedimento,coisa que não ocorreu,até pq não houve,mesmo.

    E quanto a paradinha.Ano passado,num jogo válido pela Libertadores,Diego Souza converteu um pênalti cobrado com paradinha.O árbitro mandou voltar.D.Souza bateu de novo,o goleiro defendeu(se adiantando),e o Verdão perdeu o jogo por 1 x 0.

    O comentarista do jogo,não lembro quem era,disse que o árbitro não validou a primeira cobrança pq no país dele não era permitido.

    Por mim,a paradinha acabava.Ela praticamente elimina as chances do pobre do goleiro defender a cobrança.E ainda deveria ser punida com cartão amarelo.Se não pode tentar enganar o árbitro,também não pode enganar o goleiro.

    O que deveria acontecer,então,era a IB pronunciar-se a respeito,oficializando ou banindo esse artifício de uma vez por todas.

    Entrevista de Carlos E. Simon,árbitro brasileiro da Copa-2010,a Régis Roesing,no Esporte Espetacular do último domingo:

    Simon “A paradinha vai ser aceita na Copa do Mundo da África.Se o jogador cobrar o penalti usando a paradinha,o gol será validado.”

    Régis “Então a FIFA já oficializou a paradinha?”

    Simon “Não,mas nós recebemos orientação para aceitá-la.”

  • Murilo

    André, nao sei se vc viu mas o David Letterman entrevistou Drew Brees dos Saints! O engraçado eh q o David torce para os Colts!
    (Passou ontem no GNT…)

    AK: Não vi, mas vou procurar. Obrigado pela dica. Um abraço.

  • Paulistão

    A previsível crônica paulistana já solta comentários pejorativos em relação ao Campeonato Paulista de futebol. Chamá-lo de “Paulistinha” parece inofensivo, mas é o começo de um raciocínio que termina sempre com a defesa da extinção do torneio. Ou seja, com o desaparecimento de dois terços dos times interioranos.
    Não pode ser por causa das relações promíscuas entre esporte e política, nem da corrupção dos dirigentes e empresários, pois esses desvios, além de generalizados, têm mais gravidade quando envolvem clubes da capital. E se o título fosse realmente secundário, bastaria dividir por igual as cotas de patrocínio e transmissão, conferindo verdadeiro equilíbrio à disputa. Ah, mas Robinho e Roberto Carlos não topariam, certo?
    Na verdade, a campanha contra o Paulista é fruto de despeito e serve para ocultar o fato de que os times do interior estão cada vez mais competitivos. Os super-craques da capital, como seus puxa-sacos midiáticos, estão acostumados a lotar estádios pequenos, comandar a festa, golear com time misto e distribuir autógrafos, pimpões, donos da cocada. Deve ser humilhante viajar quatro horas para levar caneladas num calor senegalês, perdendo o jogo e a pose, e ainda por cima tomando vaia de caipira maluco. Não surpreende, portanto, que depois respondam, avexados: “eu nem queria mesmo…”
    Em breve, pelos mesmos motivos, também a Copa do Brasil será chamada de Copinha, várzea, gaveta dos infernos. E os “grandes” começarão a procurar outras prioridades.

  • Leandro Azevedo

    Andre,

    Comecando hoje o mata-mata da Champions League, baseado no futebol que estao jogando atualmente os times e com algumas contratacoes antes do fechamento da janela, vc mudaria alguma previsao que vc fez em Dezembro?

    Abraco

    AK: Talvez, mas não acho certo. Dou meus palpites no meu momento em que a tabela é conhecida e fico com eles. Um abraço.

  • fabio zardo

    Andre; estive no jogo , com minha mulher e meu filho de 13 anos. MARAVILHOSO. que organizacao, que estadio, que jogadores. unico senao… os torcedores ficam levantando o tempo todo para ir comprar cerveja e quando alguem quer sair , a fila toda tem de levantar , pois o espaco entre as fileiras e pequeno. de resto, maravilhoso… ainda disse Hello para o Barkley, que nao respondeu…. mala…

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo