DÚVIDA CRUEL



(reforço o lembrete de que este blog está operando em modo de plantão)

De longe, muito longe, leio que o Ministério Público de São Paulo vetou 9 estádios para os jogos de estreia do Campeonato Paulista (aquele que, um dia, foi chamado de “Paulistão”).

Se não for apenas mais uma simulação de eficiência (é preciso manter a desconfiança…), palmas.

O aspecto mais atrasado do futebol brasileiro são os estádios. Não é necessário entrar em detalhes.

A Copa do Mundo de 2014 promete tratar dessa questão, entregando ao país 12 arenas “de primeiro mundo”. Sem elas, modernas, bonitas e de acordo com o livrinho da Fifa, não há Mundial.

Pois bem. Há uma questão mais interessante nessa conversa. Na manhã da segunda-feira seguinte à final da Copa, herdaremos (em tese) alguns dos melhores estádios do mundo. E o que faremos com eles (obviamente a pergunta só vale para as sedes onde existe futebol profissional)?

Duas opções:

1. Adaptaremos “nossa maneira de frequentar e cuidar de estádios” a uma realidade nova, de arenas confortáveis, funcionais, etc.

2. Adaptaremos essas arenas confortáveis, funcionais, etc. à “nossa maneira de frequentar e cuidar de estádios”.

A opção 1 é evolução. A opção 2, deixo para você definir.

Temos pouco mais de 4 anos para resolver o que vamos fazer.



  • Dennis

    Oi André, frequentei muito a Arena da Baixada e (bem menos) o Couto Pereira e não tenho a menor dúvida que, infelizmente, a opção 2 vai prevalecer. Se é assim na “moderna e educada” Curitiba, não acredito que seja diferentes nos outros centros.
    Abraço e parabéns pelo “Mais Gelo”, já está adicionado aqui aos favoritos.

  • Lívia Maria

    Hoje notei que você faz perguntas que nos faz refletir. Passarei afrequentar seu blog! Beijos!

  • Kaddu Xavier

    André,

    é preciso que gente como tu chame a atenção praquilo que está prestes a acontecer:
    acabaremos não tendo tempo hábil para as licitaçoes, e tudo acabará sendo construído de forma emergencial, custando 3, 4 vezes mais do que o original.

    e preste atenção: nao temos 4 anos. Temos 3!! em 2013 tudo tem que estar pronto pra Copa das Confederações.

    abraço, e boas férias.

    AK: Tudo, não. Apenas três ou quatro estádios. Um abraço.

  • BASILIO77

    Creio que a sociedade deveria deixar cair a máscara e assumir que adora futebol e liberar que o estado entre com grana no negócio.
    Existem outras tantas áreas que o estado arca com despesas e que não abrangem nem a metade de brasileiros que acompanham o futebol como divertimento.
    Isso não legitima a roubalheira e nem o favorecimento de entidades privadas. Existem iniciativas públicas bem sucedidas, é só copiá-las.
    De qualquer forma, como alguém já comentou acima, isso vai acontecer…só que na “emergência”…sem a devida fiscalização e planejamento.
    Abraço.

  • Marcos Vinícius

    Pior é no Rio.
    Com certeza,apenas Maracanã(depois das obras previstas,que começam em julho) e Engenhão passariam se fosse feita uma análise UM POUCO

  • Marcos Vinícius

    Continuando…
    UM POUCO criteriosa.São Januário,Godofredo Cruz,Raulino de Oliveira,e todos aqueles espaços que parecem jaulas mas são chamados de estádios seriam,no mínimo,reprovados com louvor!

  • Daniel Garcia Dias

    Pois é André, não concordo com a avaliação de que os estádios sejam a coisa mais atrasada do nosso futebol. Realmente a maioria dos estádios brasileiros são ruins.
    Porém, pior do que isso são as pessoas responsáveis pelas direções do clubes, que ainda fazem sua gestões em beneficio pessoal.
    E tão ruim quanto isso é a violência das torcidas organizadas. Isso é resquicio medieval que precisa ser eliminado do futebol.

    AK: O problema da cartolagem não é atraso. É má intenção. Um abraço.

  • Gustavo

    Aberta a temporada 2010 do futebol brasileiro.

    RENDAS E PÚBLICOS DOS JOGOS DOS CLUBES COM AS 5 MAIORES TORCIDAS DO BRASIL (CONFORME ÚLTIMA PESQUISA DO DATAFOLHA):

    1.
    MONTE AZUL 1 x 1 CORINTHIANS
    local: Estádio Santa Cruz (Ribeirão Preto – SP)
    Público – 25.294 pagantes
    Renda – R$ 908.230,00
    (preço médio do ingresso: R$ 35,91)

    2.
    SÃO PAULO 1 X 3 PORTUGUESA
    local: Estádio do Morumbi (São Paulo – SP)
    Público: 18.074 pagantes
    Renda: R$ 467.148,25
    (preço médio do ingresso: R$ 25,85)

    3.
    PALMEIRAS 5 x 1 MOGI MIRIM
    local: Estádio Palestra Italia (São Paulo – SP)
    Público – 16.524 pagantes
    Renda – R$ 364.900,00
    (preço médio do ingresso: R$ 22,08)

    4.
    FLAMENGO 3 X 2 DUQUE DE CAXIAS
    local: Estádio do Maracanã (Rio de Janeiro – RJ)
    Público – 16.067 pagantes
    Renda – R$ 351.718,00
    (preço médio do ingresso: R$ 21,89)

    5.
    VASCO DA GAMA 1 x 0 TIGRES
    local: Estádio São Januário (Rio de Janeiro – RJ)
    Público – 10.613 pagantes
    Renda – R$ 269.285,00
    (preço médio do ingresso: R$ 25,37)

    CONSIDERAÇÕES:

    O Corinthians teve o maior público, com alguma folga; São Paulo, Palmeiras e Flamengo jogaram para platéias semelhantes, e o Vasco ficou em um patamar inferior. Considerando a ocupação média dos estádios (para quem não os conhece, as informações são facilmente encontradas na internet), Corinthians e Palmeiras jogaram em estádios cheios; o Vasco jogou em um estádio com ocupação média; São Paulo e Flamengo jogaram para estádios semi-vazios.

    No quesito renda, a diferença do Corinthians para os demais foi foi muito grande. O Corinthians teve uma renda que foi praticamente o dobro da renda do São Paulo; perto de 3 vezes a renda de Palmeiras e de Flamengo; e mais do triplo da renda do Vasco.

    A grande diferença da renda do Corinthians em relação aos demais se explica tanto pela maior presença de público quanto pelo preço médio de seus ingressos, cerca de 50% mais caro que os dos outros clubes considerados.

    A FORÇA DO CORINTHIANS

    A torcida do Corinthians é conhecida como Fiel, e não é à toa. O seu apoio ao Corinthians é constante, histórico; o corinthiano – e é principalmente nisso que ele se diferencia dos demais torcedores – continua vivenciando o Corinthians mesmo nas piores fases do clube, como se constatou recentemente quando da queda corinthiana para a Série B, ou durante o martírio dos 22 anos sem títulos.

    Uma das maiores aberrações, economicamente falando, é a ausência de um estádio na cidade de São Paulo à altura da grandeza da Fiel. O Corinthians atualmente manda os seus jogos em um diminuto Pacaembu, com capacidade para 35.000 pessoas (sendo que apenas cerca de 50% dos lugares têm preços de ingressos “populares”, de R$ 30,00).

    Isso explica o porquê de, ao final da temporada, aparecerem clubes com médias de público superiores à corinthiana, considerando que mandam suas partidas em estádios com capacidade para 60, 80 ou 90 mil pessoas, e com grande porcentagem de acomodações populares.

    O mercado percebe essa realidade. Os investidores não atiram pedra em avião, nem dão milho para bode. Apostam para ganhar. E quem, mais uma vez, recebe a maior quantidde de fichas dos investidores foi o Corinthians, com seus novos patrocínios que despertaram a admiração e atiçaram a inveja das agremiações co-irmãs.

  • Shao

    Off-topic: Vai dar Vikings….. Favre é um monstro….joga demais…
    Abraços e boas férias.

    AK: Eu adoraria vê-lo no dia 7/2. Um abraço.

  • Temos exemplos como o Engenhão, construído para ser um estádio moderno, apto a receber futebol e atletismo, entre outros, e o que vimos depois do Pan foi um mico que o governo queria empurrar para alguém de qualquer forma.

  • Angelo

    Boa tarde.
    Venho aqui deixar resgistro para a péssima reportagem sobre o jogo do Vasco x Tigres que acabei de assitir no website, a partir de link deixado na capa do site. Em nenhum momento a jovem equipe de reporteres destacou a excelente atuação do jogador Fagner, tao pouco exibiram o lance mais incrivel da partida protagonizado por ele: uma bola que o jogador chutou na trave, e que caprichosamente correu a linha do gol mas nao entrou, saindo pelo outro lado do gol!
    Nao destacarm outro fato inusitado: apos a saidas das estrelas Dodo e Carlos Alberto, para a entrada dos jovens talentos Philipe Coutinho e Sousa, o Vasco cresceu muito na partida e desperdiçou varias oportunidades. Nao comentaram tb a patetica expulsao do Pimpao ainda no primeiro tempo…enfim, parece que nao assistiram ao jogo!
    Precariedade além da sensação de se tratarem de universitarios, nota zero para o Lancenet na referida reportagem, Lancenet que em relação ao torcedor vascaíno, já não concede o devido destaque que o time merece, e quando o faz, nos apresenta esta lambança que descrevi!
    Desejo melhoras.
    At.
    Angelo

  • Raphinha Silva

    Se os turistas ficarem e mandarmos embora as torcidas “organizadas” no lugar, creio que poderemos confiar na situação 1! Esse é um bom plano emergêncial eu diria…
    Mas, como isso não é possível, vejo dois cenários:
    1 – Aumentar os valores de ingressos pra ‘filtrar’ quem freqüenta o local. Isso já está acontecendo em SP.
    2 – (Re)Educar a nação. Mas, isso leva bem mais de 4 anos e não dá voto…

    Abraços;

  • Paulo

    Ainda acho bem difícil cumprirmos a carta de intenções da FIFA para o Mundial de 2014. O Morumbi é alardeado pela elite paulista como sendo o melhor, mas perto da modernidade européia, não passa de um chiqueiro! Brasileiro não tem referências de estádios de verdade e torcedor são paulino, só assiste final de Mundial de Clubes pela TV. Os corinthianos dizem que adoram o Pacaembú, só para destruí-lo em momentos de fracassos. Os palmeirenses destroem a Turiassú, as redondezas e o Palestra Itália vive pixado! Somos uma piada de mau gosto! Um bando de novos ricos sem modos, principalmente agora que o Lula acha que somos de primeiro mundo! Se não fosse a força de lobby político não tinha Copa neste puleiro não…

  • Marcola

    “URGENTE”
    Wagner Ribeiro dá declarações que ‘incriminam’ os empresários de Oscar e Diogo. Em reportagem na edição de hoje do Lance! sobre o meia Marcelinho, destaque são-paulino na copinha, Wagner comenta os casos de emancipação de jogadores e afirma: “Não houve nenhum tipo de coação com o Marcelinho. Ele foi emancipado como todos são no São Paulo.” Perguntado se, caso Marcelinho não fosse aproveitado no time de cima, se tomariam o caminho de Oscar e Diogo, Wagner respondeu: “Não vai acontecer comigo. Não fiz “sacanagem” com o São Paulo nos casos de Kaká, França e Ilsinho, e não vou fazer agora. Só não quero que Marcelinho vire um Sérgio Motta.”
    Opinião: Ao usar o termo ‘sacanagem’ para ilustrar as atitudes dos empresários que entraram na justiça contra o clube, e ao informar veementemente que seu atleta não sofreu pressão para emancipar-se, Wagner Ribeiro detona seus aparentemente maus companheiros de profissão. Os casos de Marcelinho e Oscar são, segundo este jornal, idênticos e, segundo o próprio Wagner, tentar quebrar tais acordos na justiça é “sacanagem”.

  • Eduardo Pieroni

    boa andré, o wagner ribeiro como os outros empresarios só querem dinheiro é o sujo falando do mal lavado.

  • Leonardo atleticano

    André, na minha opinião, bem pior do que ver uma coisa mal feita, é ver uma coisa bem feita ser destruida. Infelizmente, tenho visto muitas coisas úteis para a população serem destruidas pela propria. Acredito que os estádios brasileiros estão condenados a serem destruídos pouco a pouco pelos selvagens que lá frequentam. A mudança tem que ser muito grande e geral. Leis, comportamento, cultura, fiscalização e muito mais, vc disse 04 anos, acho que nem em 40. Boas férias .

  • Carlos Bueno

    André, não tem nada a ver com o assunto abordado no seu comentário, mas estou mandando para sua coluna por estar preocupado com meu Santos.
    Estamos perdendo Rodrigo Souto para o São Paulo. Pura incompetência de uma diretoria sem nenhuma vivência no futebol. Estipularam um salário teto abaixo dos que já eram pagos no clube. Será que antes de se candidatarem eles não tinham conhecimento do salário pago aos melhores jogadores do elenco? Fabio Costa é outro que ainda não definiu sua situação, ele que não banque o tonto de aceitar redução salarial. Falo isso com tristeza por correr o risco de perder também um dos melhores goleiros do país. Léo está na mesma situação. Para quem prometeu um Santos forte, lutando por títulos, com dinheiro para contratações, está se revelando um verdadeiro político, daqueles bem safados, que não medem as mentiras para vencer uma eleição. Agora vem com conversa que reforços de peso só no meio do ano! Que reforço de peso vai aceitar esse teto salarial? Repatriar quem? Esses caras estão cavando a sepultura do nosso Santos, pois abaixando o salário dos únicos jogadores em condições de vestir nosso manto sagrado, não poderão trazer novos jogadores ganhando acima desse teto, pois ira causar a desunião no elenco. Como ficará nosso Santos? Até agora só trouxeram promessas, jogadores baratos, que irão vestir pela primeira vez a camisa de um grande clube. Torço para que de certo, mas cadê craques prometidos na campanha? Jogadores de que nível serão contratados daqui para frente com esse teto salarial? E esses investidores falados na campanha, quem são? Porque não dar nome aos bois? Para que investidores sem condições de bancar um time forte? Não vamos nos iludir com resultados de campeonato paulista, já falei isso no inicio do ano passado. Fomos vice no paulista e um fiasco no Brasileiro, esse ano não será diferente. Campeonato estadual não serve como parâmetro, podemos até ficar campeã, mas no Brasileiro o buraco é mais embaixo. Todos nós sabemos quem é Wesley, Pará, Germano, Rodrigo Mancha, Roberto Brum, etc. Foi com eles que começou o fiasco de 2009. Acorda para a realidade Sr Presidente, futebol não se comanda com merrecas. É uma vergonha um clube com o peso de um Santos estampar na camisa a logomarca de uma ONG, por falta de patrocinadores. Até isso já perdemos. A torcida está passiva demais, aceitando e achando que estamos sendo comandados pelo Supra-Sumo dos diretores. Se quisermos estar fortes no brasileiro não tem que se medir esforços para segurar Rodrigo Souto, Fabio Costa e Leo. E só isso não basta, será preciso contratar já grandes jogadores, pois se deixar para mais tarde, esse mais tarde será tarde demais.
    Vamos voltar ao assunto dos investidores, parceiros, ou seja lá que nome for, se já existiam durante a campanha, porque não dão as caras? Porque não vir a público e dizer quem são e o que querem? Seria um grupo com intenção de colocar no Santos jogadores baratos para valorizar, tentando obter lucro fácil? Será interessados em ficar com porcentagem de jovens revelações das divisões de base? Será lavagem de dinheiro, uma espécie de MSI?
    Sr Presidente, venha urgente a público e diga quem são e o que querem, ou no mínimo peça desculpas pelas mentiras de campanha.

  • Alessandro-Palmeirense

    Gustavo,
    Gostaria da análise sobre as atitudes da torcida diferenciada nos seguintes episódios:

    Corinthians 2 x 3 River Plate – 2006
    Palmeiras 3(5) x 2(4) Corinthians – 2000
    São Paulo 5 x 0 Corinthians – 2005

    E o reconhecimento dado aos seguintes personagens de sua história: Sócrates, Casagrande, Rincon, Vampeta, Edilson e Rivelino.

    Claro, que não ouvirei dessa vez o tão famoso “mas toda torcida faz isso”, já que, embora verdadeira, não seria cabível em uma torcida dita “diferenciada”…Ou será que na hora da parte errada todas são iguais, e nas boas, só a do seu time é diferente?
    Aliás, cansei de ler que a torcida corintiana foi a primeira que apoiou o time em divisões inferiores…Sendo que esse apoio já existia para Coritiba, Atlético-MG, Grêmio, Botafogo, Palmeiras, Bahia, Ponte Preta, Guarani…

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo