ATÉ QUANDO?



No blog do meu camarada Paulo Calçade, o relato indignado de um torcedor que teve a infelicidade de estar no estádio Couto Pereira, anteontem.

É bom ver que ainda há pessoas que se relacionam com o futebol como se deve.

Porque o que temos visto é a transformação de gente aparentemente normal em idiotas, e de idiotas em assassinos.

Exemplo randômico, citado aqui apenas pela coicidência de local: nas semifinais da Copa do Brasil desse ano, a equipe da ESPN Brasil que transmitiu Coritiba x Internacional não pôde ficar na cabine para concluir o trabalho de pós-jogo ao vivo.

Valentões complexados, incapazes de perceber que a “imprensa paulista” (o jogo era entre um clube paranaense e um gaúcho, só para lembrar) nada teve a ver com a derrota do Coritiba, decidiram invadir a cabine para agredir narrador, comentarista e técnicos.

Os seguranças, obviamente inferiorizados numericamente, ajudaram a removê-los para o caminhão de transmissão, do lado de fora.

Estamos aqui falando das chamadas “sociais” do Couto Pereira, local habitado por gente que deveria saber se portar (o que não justifica o que se passa nas áreas menos nobres dos estádios brasileiros, mas ainda há uma pequena diferença). Não duvido que tenham saído dali alguns (ou muitos) marginais que quebraram salas internas do estádio do Coritiba, no domingo passado. Porque a mesma imbecilidade que leva um desqualificado a agredir alguém “em nome do clube”, o leva também a vandalizar o próprio clube.

Reforço: o exemplo é randômico. Cenas idênticas aconteceram em muitos outros lugares, ou praticamente todos. Os nomes da cidade, do clube e do estádio poderiam ser outros. Não apareçam aqui com bobagens sobre “perseguição” e “bairrismo”.

E na grande maioria dos lamentáveis e recorrentes episódios, houve condições de identificação dos bárbaros, além é claro da responsabilização dos clubes envolvidos.

O que foi feito? Como sabemos, nada.

Mas um dia, cedo ou tarde, alguém se sentirá obrigado a tomar uma providência. Se esquecerá o que aconteceu antes, e se traçará uma linha: chega, acabou.

O problema é que isso só acontecerá no dia em que muita gente morrer num estádio de futebol, como se deu em outros países.

Porque de uma morte aqui, outra ali, vivemos faz tempo.



  • Anna

    Foi uma bárbarie o que aconteceu. Fiquei muito triste mesmo! Os culpados precisam ser punidos e o Coritiba perder o mando de campo em alguns jogos da série B. Não concordo com o time despencar pra série C, sem escala, porque os jogadores e o clube não têm culpa alguma. Aguardemos. E que não acabe em panetone!

  • Klaus

    André, repito a pergunta de outro post: a PM não tem autoridade para prender as pessoas em flagrante, neste casos? Agrediu e está no campo, puxa para o lado e algema! Ou seria “abuso de autoridade” ou “demonstração pública de poder”? Se soubessem que seriam presos, os idiotas valentões não se “arriscariam”… Um abraço!

    AK: A polícia tem autoridade e prende. Mas o cara está na rua em pouco tempo. Um abraço.

  • Eduardo Pieroni

    Boa andré,minha opinião é clara é melhor pegar a grana dos ingressos ,comprar uma picanha e uma caixa de cerveja, reuna os amigos e assista em casa o seu futebol que no outro dia você vai ver os seus filhos e sua mulher acorda,ir a estadio de futebol hoje em dia é para SUPER-HEROIS.

  • Giuliano

    Não concordo com a Anna. O clube tem a sua parcela de culpa sim. Fez uma promoção populista, colocando ingressos a R$5,00. Você acha que num jogo como este, se o ingresso fosse o preço normal, não lotaria do mesmo jeito? Sua diretoria é omissa e covarde, tanto que abriga a tal torcida organizada, dentro das dependências do próprio estádio.

  • Leonardo Dias

    André, falando em vergonha, por favor, se possível, tente comentar(e divulgar) a respeito:

    http://espnbrasil.terra.com.br/santos/noticia/91237_TEIXEIRA+PRETENDE+VENDER+GANSO+E+NEYMAR+ATE+O+FIM+DE+SEU+MANDATO+DIZ+JORNAL

    O cara passou 10 anos no poder..e antes de sair, quer vender os principais jogadores. Diz que emprestou dinheiro do próprio bolso…E não quer entrar na fila dos credores.

    Um absurdo!

    AK: Você esperava outra coisa? Um abraço.

  • Edouard Dardenne

    Eu não acho que os preços cobrados pelo ingresso são o que determina se há responsabilidade ou não do clube pelos lamentáveis eventos do Couto Pereira. Não acho razoável que se espere sejam cobrados ingressos mais caros como medida de segurança, como que para garantir o ‘bom nível’ dos torcedores no estádio. Essa é uma tese que, na minha opinião, flerta com tendências nazi-fascistas.
    Por outro lado, vejo enorma parcela de responsabilidade do Clube pelo que ocorreu. Só foi possível a entrada de tantos torcedores no gramado, enfim, só foi possível toda a baderna porque a segurança era inferior ao que se esparava de um jogo tão importante.
    No mais, acho que o Estatuto do Torcedor, embora muito importante, perdeu uma grande chance de tratar de forma mais adequada o problema dos tumultos nos estádios. Há breve referência, no art. 39, sobre o assunto, mas não há sistematização de diretrizes para atuação repressiva do Clube e do Estado. Toda a parte da lei que trata dos planos de segurança, etc., é muito boa. Faltou o mesmo afinco na tratativa da parte repressiva – necessária – do problema.
    Um abraço.

  • Nelson Luis Bertoni

    É André, raspe o couro da civilidade e ache um gozilla.

  • João Carlos Filho

    Cara, sei q vc tem muita experiencia e conhecimentos de bola.tava vendo a reprise da liga dos campeoes de 1999 na tv a cabo e lá mostraram dados, historias e campanhas dos times. algo q me chamou atenção foi q no bayer tinha um zagueiro/libero q jogava com a camisa 10.como só tenho 15 anos nem sonhava em ver futebol nessa epoca.mas gosto das historias. esse jogador me deixou curioso, sei q o nome dele se pronuciava algo como lotar matheus, apesar de ser alemão.entanto cara, me ajuda,me diga o pq desse zagueiro jogar com a camisa 10, aos 38 anos numa final de liga?ele era craque?abraço!

    AK: Uau. Eu sei que o tempo passa rápido, mas essa me surpreendeu. O que eu posso dizer sobre Lothar Matthaus? Bola de Ouro na Europa em 1990, Melhor do Mundo da Fifa em 1991, sete vezes campeão alemão pelo Bayern de Munique, campeão italiano pela Inter de Milão, campeão do mundo pela Alemanha em 1990, jogou outras quatro Copas. Sim, era craque. Daquele jeitão alemão, mas era craque. Sempre foi jogador de meio-campo, mas terminou a carreira mais atrás, como líbero. Hoje é técnico. Aliás, teve uma rápida passagem pelo Atlético Paranaense em 2006. Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    E o pior eh ver que ainda existem diretorias que dao de graca ingressos para torcidas (DES)organizadas para fazerem badernas nos estadios.

  • João Carlos Filho

    andré, mais uma vez MUITO OBRIGADO pelo esclarecimento, e perdão por ter ecrito o nome errado! é matthaus e não matheus ehehehehe, agora fui pesquisar uns videos no tradicional youtube e dentre outros achei esse link http://www.youtube.com/watch?v=l4y_e6JPeNk com uma musica sensacional de king krinson!, valeu msm, o q mais me surpreendeu nesse alemão, era a velocidade com a bola e o chute letal de perna direita como pude ver no video vlw!

  • Meu pequenino fez 3 anos ontem, o moleque é uma coisa… inteligente que só ele… juro que não é “corujice”!

    Chuta a bola, faz gols imaginários e grita (sem sequer saber o que significa): ” – gooollll… do Tolíntia!”

    Estamos assistindo jogos pela TV, qualquer jogo, qualquer equipe, qualquer gol e lá está ele: ” – gooollll… do Tolíntia!”

    Meu pai, são-paulino doente, nos levou (a criançada) ao Morumbi para assistir um SPFC x SCCP em meados de 1982, eu tinha 8 anos… naquele instante me apaixonei pelo esporte mais fabuloso do planeta! Mentira, foi amor à primeira vista! Já era atleta federado de futsal, tornei-me então um torcedor “profissional” (em termos de frequência… e não porque vivia disso, como muitos!).

    Fui um frequentador assíduo de jogos do Corinthians… brigas aqui e acolá, badernas, torcidas uniformizadas crescendo… e eu tentando desviar de tudo para acompanhar meu esporte.

    Veio então a morte de Rodrigo de Gasperi (tinha 13 anos, em uma Copa SP de Futebol Junior, SPFC 1 x 0 SCCP, gol de Andrey, centroavante do SPFC e amigo pessoal meu. Esse gol marcou nossas vidas, muito mais de forma negativa que positiva. Aliás, meu amigo ficou conhecido pelo “gol que marcou na morte de Rodrigo”…). Depois dessa morte o que se viu foi exatamente o descrito no texto: “… porque de uma morte aqui, outra ali, vivemos faz tempo…”.

    Abandonei os estádios em 1993, com um aperto no coração, mas sabendo que não sobreviveria se seguisse minha paixão. Admito que dou pouquíssimas escapadas (Épocas de Tevez e R9, no Corinthians), mas de forma o mais segura possível (se é que existe isso).

    Sabe quando levarei meu pequeno Nicollas para assistir qualquer jogo ao vivo?

    Eu sei…

  • pablo torquato

    se eu fosse do juridico do Coritiba ou outro clube que sofresse o que aconteceu tentava reconhecer os delinquentes atraves de relatos ou imagens de tv e ajuizava ações de indenização por dano material e moral ao clube

    quem sabe mexendo no bolso o torcedor (?! sic) nao aprende

  • Narcísio G. rodrigues

    Sou profissional do direito, aplico a lei e os regulamentos. Assim, dizer que o Flamengo é hexa, é o mesmo que dizer que jornalista não tem liberdade de expressão, que leitor não tem direito de resposta, que torcedor pode invadir estadio etc. Para Fifa, CBF(que ditam as normas e são responsáveis pelos registros do Futebol) e, mais importante, para o Poder Judiciário do Brasil, o Flamengo é penta, já que o Campeão Brasileiro de 1987 é o Sport. Negar isso é se admitir que regras e e leis devem ser burladas, ignoradas, quebradas e nada pode acontecer. Seria o caos. Éticamente, é o mesmo que defender a desordem, a criminalidade, a corrupção. Para que, afinal, Constituição, leis, regulamentos……..

    AK: Por favor, preste atenção. Não nego que o Sport tenha vencido o Campeonato Brasileiro de 1987. Ao contrário, respeito a nomenclatura (como já deixei claro inúmeras vezes aqui). Apenas penso que o Campeonato Brasileiro de 1987 não foi a competição de futebol mais importante do Brasil naquele ano. Foi a Copa União. Se você quiser comparar esse pensamento com defesa de desordem, criminalidade e corrupção, fique à vontade. Mas é puro nonsense. Um abraço.

  • Gilson

    Anna também não concordo com voce em alguns pontos. O Coritiba tem culpa sim, nos atos de vandalismo e a punição não pode ser alguns jogos somente. Acho que a punição tem que ser pesada para que o clube tome as devidas providências para que este tipo de coisa não aconteça novamente.
    Pra mim o clube deveria jogar o campeonato da serie B sem público no estadio.
    Eu sei que o clube teria um grande prejuizo, mas ele que cobre esse prejuízo do vandalos que praticaram aquela selvageria…
    Sei que isso é “utopia”, mas só com atitudes drasticas vai se resolver essas situações, senão, continuaremos vendos essas coisas varias vezes, e em vários outros lugares, como disse o André…
    Alias, parabéns André pelo belo texto….

    Um abraço

    Gilson

  • Edmilson Oliveira

    aconteceu até na rua javari. e os agressores contratados pelo presidente foram chamados de “torcedores exemplares”. saiu até no jornal. lamentável!

  • Edouard Dardenne

    Tá cheio de purista por aí. Eu vou começar a defender as coisas como melhor me aprouverem também e, a partir de hoje, vou começar a sustentar que o Vasco não é o campeão brasileiro do ano 2000, porque: (i) não tinha o nome de Campeonato Brasileiro, (ii) não foi organizado pela CBF, mas pelo Clube dos 13, e (iii) a final foi em janeiro de 2001. Que tal? Um abraço.

  • Anna

    O Vasco é campeão de 2000! E o fla é de 1987! Abraço, Anna

  • Luanderso

    André sem muro:qual campeonato é melhor: premier league inglesa ou campeonato espanhol? (obs.: é uma pesquisa q tô fazendo em algusn blogs!)abraço!

    AK: Premier League. Um abraço.

  • Pedro Valadres

    Excelente post! Assunto triste…

  • José Baudaier

    André, pergunta pra caixa-postal: Qual você acha que deve ser a punição pro Coritiba? Eu particularmente acho que deveria ser rebaixado pra terceira divisão.

  • Recado para o Papito Juca, e claro, um comentário (e um pós) sobre o assunto.

    Desculpa aí pela folga André, mas mando por aqui pois é bem mais simples.
    No dele é uma “treta”. Tem que ter e-mail do BOL ou do UOL… Dá uma forcinha pro velho…

    Antes de qualquer coisa, o que aconteceu no Couto Pereira foi o fim da picada! Acho inclusive que a crítica esportiva “pensante”, da qual notadamente faz parte o “Papito”, não abordou com a devida gravidade o que se passou por lá. Provavelmente anestesiada que está pela repetição crônica de episódios como esses – que sempre vêem acompanhados da nossa brasileiríssima impunidade.
    Se o STJD fosse sério, e não o clubinho do faz de conta, ou o clubinho da briga por interesses (notem que estamos falando de num orgão de justiça), o Coritiba iria direto para a terceira divisão e teria que disputá-la longe do Couto Pereira. Pois a torcida que fez o que fez, pondo em risco tantas vidas (não sei se houve mortes), merece correr o risco real de desaparecer do futebol.

    (pós recado no pré)

    Sou sãopaulino e em 2005, depois da conquista da Libertadores, torcedores (bandidos) enfurecidos depredaram a avenida Paulista e arredores do Morumbi, espalhando prejuizos e terror por onde passavam. Achei na época que o São Paulo devia ter sido proibido de disputar a competição por 5 ou 10 anos! E olha que ninguém torceu como eu pelo título. Mas como sabemos, não houve maiores concequências.

    (pós)

    É preciso que todos encarem os fatos, e o primeiro deles é que uma grande parcela dos torcedores que hoje vão aos estádios, não vão para assistir uma partida de futebol. Vão pra guerra!
    É um fenomeno social que precisa ser combatido de frente! Zero ou um: Banir a violência dos estádios ou permitir que sejam eles, os estádios, os pontos de eclosão. O futebol seria (como está sendo) um mero meio.
    Adoraria ver o tema abordado no Linha de Passe (programa que não perco). Acho que é mais urgente cuidar desse assunto, do que falar de futebol, dos times… Não… aí é demais… Que loucura, né?

    O recado.

    É o seguinte. O Galo contratou o “profexxxor”, que é um e mesmo (me desculpem os demais leitores pelo termo). Que pensa que é “mananger” (acho que no dia em que traduziram essa palavra pra ele, foi como a primeira dose de ópio). Que quer virar senador (prova incontestável de que a política no Brasil virou um negócio). Muito bem… Quer dizer nada bem!
    Mas o Alexandre Kalil disse que traria apenas ele, Luxemburgo, e para dirigir só e somente o time.
    Tomara que seja assim. É a última (e única) chance que ele (profexxxor) tem de se recuperar, pois quando apenas dirigia times de futebol e dava entrevistas com aquele português rocambolesco, era bem melhor. Chegou a ser o melhor mesmo. Mas de uns anos pra cá, ele deixou de ser vencedor e pitoresco para se tornar essa coisa horrorosa.
    Vamos ver no que dá, eu não pagaria pra ver e espero que o AK não esteja pagando demais.

    Abraços,

    João Santos Neto (filho de João Alves dos Santos). Ele conheceu meu saudoso pai, seu colega, jornalista. Se não se lembrar, diga para perguntar ao Alberto Helena Jr.)

    PS Não bastasse ser filho de peixe, teu blog é muito bom. Você tem muita personalidade e ótimos pontos de vista. Parabéns André!
    Para o alto e avante! + abraços

  • Klaus

    Caramba! O amigo João Carlos Filho também fez me sentir velho, apesar de só ter 9 anos a mais. Como filho de alemão, torcedor fanático do Bayern, acompanhei muito Lothar Matthäus e olha, dentre aquele jogo alemão chato, recheado de ligações diretas e lançamentos, ver Matthäus bater na bola dava gosto! Apenas uma dúvida: ele não jogou no título (com Gol de Ouro), da Euro 1996? Um abraço!

    AK: Não. Veja a ficha:

    FINAL

    London, June 30, 1996
    Germany 2-1 Czech Republic [asdet]
    Germany: Köpke, Sammer, Babbel, Helmer, Strunz, Hässler, Eilts (46′ Bode),
    Scholl (69′ Bierhoff), Ziege, Klinsmann, Kuntz.
    Czech Republic: Kouba, Kadlec, Hornak, Suchoparek, Poborsky (88′ Smicer),
    Nedved, Rada, Berger, Bejbl, Nemec, Kuka.

    Referee: Pairetto (Italy)
    Attendance: 76,000.

    Scorers: 59′ Berger (pen) 0-1; 73′ Bierhoff 1-1; 95′ Bierhoff 2-1.

    Um abraço.

  • Sou Coxa-Branca (sócio) e defendo a punição SEVERA do clube, para que aprenda de uma vez por todas que:

    a) Não se brinca com o sentimento do torcedor. Em 2009, a torcida levou o Coritiba nas costas e a diretoria só se aproveitou disso, contratando mal, aceitando a chantagem salarial de um jogador, fracassando na promoção de shows e no projeto do novo estádio e sujeitando os torcedores a todo tipo de gozação. Em 2005 quando o Coxa caiu, a torcida cantou seu amor ao clube porque viu que houve esforço de todos para não acontecer. Em 2009, foi visível que a diretoria se omitiu e os jogadores desistiram da empreitada;

    b) Não se brinca com o que se sabe ser perigoso. Pode ser que a maioria das pessoas que foi ao campo por cincão seja honesta e correta, mas esse valor chamou todos os punguistas e ladrões de galinha da cidade para dentro do Couto Pereira, sendo que as lanchonetes do estádio estavam sendo saqueadas 10 minutos antes do fim do jogo, e há relatos de violência apenas para o roubo da carteira de algumas pessoas. Ou seja, na galera do cincão, entraram um monte de ladroezinhos de galinha que se aproveitaram da situação, como todo ladrão faz!

    c) A punição servirá para reavaliar a administração de um clube que este ano foi deficitário em 17 milhões (com receita estimada de 30). Aliviar a barra do Coritiba e facilitar (um pouco) sua vida em 2010 é dar sinal verde para a continuidade de uma política danosa aos associados e aos torcedores. Preferível que caia para a Série C e aprenda a administrar o futebol com os recursos disponíveis, e não com emprestimos bancários como faz há dois anos.

    André, para você saber, 38% da receita de sócios do Coritiba é paga a título de “taxa de administração” para uma empresa que ninguém sabe de onde veio! E a folha de pagamento do clube parece a de uma câmara de vereadores do interior, tão cheia de apadrinhados. Junte estes fatos a outros relevantes e ao fracasso em campo e você terá a explicação do estopim de domingo, se bem que, bem dito, nada justifica a violência… mas a explica!

  • Anna

    André, aguardo os links da Champions! Que joguinho ruim do milan,hein? 😉

  • Cruvinel

    AK, tu já passou por uma situação dessas (guerra em campo) como repórter esportivo??
    Acho uma das melhores profissões! Mas ultimamente nao dá medo de pisar o pé “em certos jogos” ?
    Da última vez que fui ao estádio deu pancadaria …então nem vou mais!
    Que Deus abençõe o PFC !

    AK: Algumas vezes. Mas em nenhuma delas eu estava no gramado, felizmente. Um abraço.

  • NANDO DE NOVO HAMBURGO

    André, boa noite. Tche, esta é a primeira vez que entro aqui, gostei do que li e vou adicionar teu blog aos meus favoritos.
    Seguem alguns comentários e primeiramente uma pergunta: também és corinthiano como seu pai ?

    No jogo Coritiba x Inter, pela semifinal da CB tive a mesma sensação de que algo de errado poderia acontecer a qualquer momento. Parecia haver um clima de animosidade extremo, não sei se pesou o fato de ser o centenário dos dois clubes, mas tinha tudo para dar m….

    Quanto a punição, acho que deve sim ser severa, porém o clube paranaense não pode servir como boi de piranha. De norte a sul temos problemas idênticos. Aos auditores que serão responsáveis pela análise, sugiro que tenham o mesmo rigor para punir o goleiro do Corinthians e a direção do gremio, que ajudaram a colocar o titulo do brasileirao no colo do “mais querido do Brasil”. Isto também é grave, isto também é imoral.

    Quanto ao Luxemburgo no Galo, desejo a maior sorte do mundo ao time mineiro. Mas lembro que antes de se acertar com o Galo, Luxemburgo sentou na mesa com a direção colorada e o acerto não saiu por que o Inter não aceitou “terceirizar” o futebol para o técnico. E é por isso que ele nunca vai treinar o sao paulo, e por isso também que não foi treinar o inter, mesmo sendo ele o sonho de consumo de todo torcedor colorado.

  • Sério, quando vi no youtube deu vontade de chorar. Quanta animalidade! Lembrou o Corinthians x River de 2006, só que sem a grade entre a torcida e os policiais.

  • Alexandre

    Caro André, a discussão é interessante, mas veja só como a solução não é tão simples.
    A única forma de impedir que esta espécie de animal promova estas selvagerias é colocando enormes fossos e grades nos estádios, além da contratação de dezenas de seguranças, além do policiamento normal. Ainda assim, a baderna poderias ser feita nas arquibancas mesmo.
    A questão maior é como punir os agressores, o que depende não do clube, mas do poder público, e nós sabemos que o gargalo maior não está nem na polícia, que em geral consegue identificar boa parte dos envolvidos, e sim na justiça penal brasileira, que é extremamente lenta e cheia de falhas. Se tem até jornalista assassino confesso e condenado em primeira instância solto por aí com o aval da Justiça…
    Não adianta ser hipócrita e querer mandar a equipe para a série C ou D, e os criminosos continuarem sem punição.
    O tipo de crime é diferente, mas dá para fazer uma analogia com o caso “Edílson” em 2005: fizeram um escarcéu, anularam diversos jogos, prejudicaram equipes que não tinham nada a ver com o acontecido, e não se fez nada contra os envolvidos, exatamente o inverso do que ocorreu na segunda divisão da Alemanha no mesmo ano, onde não houve anulação de nenhuma partida, mas os envolvido foram presos em pouco tempo.

  • leonardo atleticano

    André, muitos comentários afirmam que o Luxemburgo vai mandar e desmandar no Galo, que vai acontecer isso e aquilo, acho que a turma não conhece o Kalil. Se tem uma coisa bem complicada nessa vida é bater de frente com o Kalil, o cara é um trator, meio desengonçado e falastrão, mas é uma rocha na defesa do Galo.

  • Bruno Costa de Oliveira

    André, nada justifica o que aconteceu no Couto Pereira. Mas o bairrismo pode tranquilamente ser uma das “razões” ou a “razão” de um problema desse tipo. Não foi o caso do Couto Pereira, mas infelizmente penso que está próximo o dia em que isso irá ocorrer. Vi muito isso na final da Copa do Brasil de 2008, quando se foi criado um clima de guerra para este jogo. E de quem é a culpa? Dos dirigentes e também da imprensa sensacionalista, sem generalizar, que criava factóides aqui em Recife de que torcedores do Corinthians foram recebidos a tiro, que os torcedores do Sport jogavam o carro para atropelar os corinthianos, entre outros exemplos. E isso absolutamente não existiu. Outro assunto interessante é porque que a cota da TV é diferente para todos os clubes? Claro que sei que há clubes que promovem uma maior audiência na tv. Mas creio que esta vantagem poderia ser barganhada no contrato de patrocínio na camisa, por exemplo. Mas isso é uma outra discussão. abs

  • pablo torquato

    so um comentario ao da Ana
    o titulo do vasco em 2000 nunca foi discutido, como é o de 1987.

  • Ricardo Pradas

    Só um detalhe: a hora de dizer chega!!! Já passou… Dá inveja de ver estadios ingleses sem grades de proteçãoe com os atletas comemorando cara a cara com a torcida.
    Pena que estamos loooooonge disso.
    E a Copa vem aí.

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo