SÓ PAPO?



Talvez seja só um daqueles encontros que não resolvem nada.

Mas ontem a Fifa convocou uma reunião extraordinária para tratar, entre outros assuntos, da mão esquerda de Thierry Henry. A conversa acontecerá na semana do sorteio dos grupos da Copa da África do Sul.

A maneira (sem trocadilho) como a França se classificou para a Copa de 2010, aparente e felizmente, parece não ter caído no rápido esquecimento.

Henry está sendo grelhado em todo o planeta por ter ajeitado a bola com a mão no lance do gol de Gallas (aliás, em breve ninguém lembrará que marcou o polêmico gol), até na França.

Na sexta-feira passada, o jornal Libération (agradecimentos ao leitor Felipe Leite Reis pela informação, e crédito ao blog do jornalista Mário Marcos, da RBS) estampou mãos em todas as suas páginas, para lembrar o assalto que a Irlanda sofreu no Stade de France.

Como já deixei claro aqui, não concordo com a “criminalização” de Henry. A recusa da arbitragem de futebol em evoluir é a verdadeira culpada.

Duvido que, ao levar a mão (duas vezes) à bola, a mente do francês estivesse em modo de “eu-sei-que-isso-é-errado-mas-vou-fazer-assim-mesmo-porque-precisamos-ganhar”.

O instinto do jogador de futebol é fazer o que estiver a seu alcance.

O zagueiro que, antes do escanteio, puxa o atacante pela camisa para que ele não salte para cabecear (e arrisca ter um pênalti marcado contra seu time), está agindo da mesma forma.

O centroavante que empurra o zagueiro para se desmarcar à espera de um cruzamento, também.

O cobrador de falta que ajeita a bola antes do lugar apontado pelo árbitro, para ficar mais longe da barreira, também.

O técnico que faz uma substituição (ainda que isso não seja ilegal) só para ganhar tempo no final de um jogo, também.

O jogo de futebol tem, ou deveria ter, mecanismos para punir as transgressões à regra, no momento em que elas acontecem.

Tomara que a reunião da Fifa aborde essa possibilidade.

Qualquer avanço, por menor que seja, já ajudaria bem.



MaisRecentes

Pertencimento



Continue Lendo

Vitória com bônus



Continue Lendo

Anormal



Continue Lendo