COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

JÁ VIU ESSE FILME?

A cena aconteceu no restaurante do Hotel Bellagio, em Las Vegas. Está em “Onze Homens e Um Segredo”.

Danny Ocean (George Clooney), recém-saído da prisão, surpreende Tess (Julia Roberts, deslumbrante) à mesa. Senta-se e diz que voltou para buscá-la. Falsamente incomodada com a presença do antigo amor, Tess se esforça para afastá-lo: “Estou com Terry (Andy Garcia), agora.” Danny não se intimida: “Ele te faz rir?” A resposta revela uma mulher magoada: “Ele não me faz chorar.”

Claro que não é a mesma coisa. Trocar alegria por ausência de tristeza é descer um degrau na escada. Mas pode ser a opção pelo possível, numa época em que o melhor possível está fora do alcance. Vale para a vida e para o futebol. Quer ver?

Responda, com aquela sinceridade a toda prova que lhe é peculiar: você imaginava que o São Paulo disputaria o título do Campeonato Brasileiro? Não falo do mês passado. Falo da semana da eliminação do Campeonato Paulista, com duas derrotas para o Corinthians. Ou da Copa Libertadores, com duas derrotas para o Cruzeiro. Falo das primeiras semanas do BR-09, com apenas uma vitória em sete jogos. E da substituição de Muricy Ramalho por Ricardo Gomes.

“Houve um momento em que realmente o título parecia muito difícil”. A frase, com a qual imagino que você concorde, é de Raí. O ídolo eterno, comandante dos times que fizeram o são-paulino rir, sorrir e chorar pelo bom motivo, viu a temporada em sério risco até a sequência de sete vitórias em julho e agosto. “Naqueles jogos o time mostrou que alguma coisa diferente estava acontecendo, o Ricardo (Gomes) encontrou opções ofensivas que deram resultado, foram atuações muito boas”, completa. Dos times campeões brasileiros nos últimos três anos, o preferido de Raí é o de 2006. “Era o que jogava mais bonito”, diz ele. Compreende-se a predileção em relação ao de 2007, brilhantemente defensivo (levou 19 gols em 38 jogos), e ao de 2008, que ganhou o campeonato com 18 rodadas de invencibilidade e alguma colaboração dos adversários. “Foi uma bela arrancada, mas os outros falharam muito”, lembra o ex-capitão. Raí considera a versão 2009 equivalente à do ano passado, em matéria de futebol mostrado.

Um time que não abre um grande sorriso na arquibancada (a bem da verdade, se tem alguém fazendo isso é o Flamengo, assunto para outra coluna), mas também não a faz recorrer ao lenço. E que tem sido irritantemente insistente na recusa a abandonar a briga, a ponto de receber o apelido do vilão que não morre nos filmes de terror. Não deixa de ser uma qualidade.

O que deve assustar os outros: a quatro jogos do final, o São Paulo é o único time que depende apenas dos próprios resultados para ser campeão. Quando o BR-09 tinha um mês de vida, pouca gente apostaria nessa previsão. E se o Morumbi comemorar mais uma vitória logo mais, a janela de oportunidades dos adversários ficará menor.

De volta à cena do restaurante do Bellagio: Terry chega e não gosta do que vê. Danny se retira, mas deixa seu recado. Imediatamente, Tess sabe como a história terminará.



  • Bruno Manzano

    Poxa André, no final ela fica com o Danny!!!! esse ano, eu gostaria muito que ela ficasse com o Terry!!!! 😀

  • Fred Kronemberger

    Com a ajuda dos homens de preto (na verdade agora de amarelo, uma cor mais adequada) fica fácil “torcer” para esse timinho. Eu teria vergonha de comemorar mais um título alcançado somente por ter mais dinheiro e, por isso, mais influência sobre a arbitragem. Em 2006 o time era realmente o melhor. Em 2007, todos estavam no mesmo nível, então vá lá. Mas em 2008 e neste ano, é uma vergonha! O time só chega porque é ajudado! E querem que o campeonato tenha credibilidade…

  • Rejane

    Eu apostava antes do Campeonato Brasileiro começar que o São Paulo seria um dos candidatos ao Titulo de 2009! A Campanha do São Paulo em 2009 é bem parecida com a campanha de 2008! Em ambos os anos o clube perdeu o Campeonato Paulista e a Libertadores. Em 2008 o São Paulo começou mal no Brasileirão, se recuperou e se sagrou campeão! Em 2009 a dose são paulina pode se repetir!

    André, o jogador Fred do Fluminense além de fazer gols para ajudar o Clube, está fazendo um leilão beneficente para ajudar no tratamento do Washington (jogador do Fluminense na década de 80) que tem uma doença rara! Fred é goleador e solidário! O Fluminense também está na Campanha!

  • Robson Castro

    Sou são paulino doente, se assim pode-se dizer. Preciso lhe falar que já li(e leio) varias, varias e varias colunas falando do tricolor paulista todos os dias, durante anos…mas a sua descrição, e o uso de um filme como metáfora que parece tão distante me surpreenderam.
    Parabéns, umas das melhores colunas sobre o são paulo acaba de ser lida por este doente (se assim pode-se dizer).

  • Willian Ifanger

    Ahhhhhhh……..a Trilogia dos Segredos……..uma das mais divertidas de todos os tempos (essa eu tenho até em Blu-Ray)…….e só estar passando qualquer um dos filmes, em qualquer canal, que paro pra assistir.

    Incrível a sua capacidade de fazer paralelos, André. Mais um brilhante.

    Não sei se você leu a coluna do Mauro Beting de depois do jogo de ontem, quando ele fala do jogo contra o Corinthians do primeiro turno. Mas eu penso mais ou menos daquele jeito.

    Eu, como são paulino, vou ser bem honesto……jamais imaginei o time lutando por algo esse ano (nem pra não ser rebaixado). Achei que iria ser um ano de fim de ciclo, pro ano que vem mudar elenco e filosofia de trabalho, se o Ricargo Gomes conseguisse mostrar algum tipo de brilho. E aquela primeira sequencia de vitórias do primeiro tunel mostrou um caminho a seguir.

    Mas mesmo assim uma hora o time iria voltar a estagnar, e tinham outros times bem montados na frente da tabela, com uma vantagem considerável. Mas, meio que inexplicavelmente, o time achou que dava pra ser campeão, em nenhum momentoi desistiu da idéia, chegou, ultrapassou todo mundo e hoje é líder, com muitos méritos, mas também ajudado pelo nervosismo da concorrência.

    O grande diferencial do São Paulo, hoje, é saber que a torcida não está totalmente desesperada por causa do título brasileiro. Maior pressão sofre o elenco na Libertadores. Então, o time pode jogar sem a preocupação latente de ter que ser campeão pra sair da fila (como os concorrentes).

    Pode ser que pro torneio em si seja ruim ver o mesmo time ganhando sempre…….pode gerar descontentamentos e facilitar mudanças de regras pra acabar com a hegemonia desse time.

    Mas isso é problema agora pra 2011….neste momento quero muito ser Tetra/Hepta. Azar de quem deixou chegar e renascender o amor escondido.

  • Davi

    “a bem da verdade, se tem alguém fazendo isso é o Flamengo, assunto para outra coluna”

    MILAGREEEEEEEEEEEEEE!!!!!!!!!

    AK: Outro caso raro de rubro-negro com mania de inferioridade? Leia sobre a “IUPST”. Um abraço.

  • André, parabéns pela lúcida e lírica postagem: comentários bem-feitos, sem sectarismo, bairrismo, revanchismo. Sou sampaulino e boto muita fé no tetra-hepta (apenas o Flamengo preocupa). Ontem o o SPFC voltou a jogar um futebol competitivo, de jogadas bem construídas, ou seja, sem ligação direta e sem chuveirinhos despropositados. O time não goleou porque a ansiedade do Washington não permitiu (ele, a bem da verdade, foi muito importante, no primeiro gol, o do Jorge Wagner). O Hernanes voltou a jogar um futebol solidário e competitivo, com boas assistências e o Jorge Wager foi o destaque do jogo (jogando no meio, que é onde ele gosta de jogar). A torcida do SP espera agora a absolvição de 4a. sobre Jean e Dagoberto (Borges deve pegar um gancho), além da tentativa da reversão da perda de mando do último jogo. A continuar com esse futebol compacto, resta ao São Paulo apenas controlar a ansiedade e os nervos (as três expulsões contra o Grêmio e a briga entre Hugo e André Dias). Valeu. Obrigado pelo espaço.

  • Rita

    Ontem, quando iniciou o jogo no Morumbi, pensei em prestar atenção no Jorge Wagner.
    Lembrei de outro dia quando vc escreveu que ele cresce nos jogos importantes. Valeu a pena. Ele jogou muito e foi premiado com um gol. Assim como jogaram muito, Hugo e Hernanes, na minha opinião.

    Sinceramente, não acreditava no título, mas já que os concorrentes vacilam quase toda rodada, estou torcendo muito por ele, porém ver o Flamengo pelo retrovisor significa que um vacilo pode significar uma ultrapassagem definitiva.

  • Edson Batista

    André, vamos torcer para que a Tess (taça) continue fiel ao murumbi e naum deixe se seduzir pelo maraca. um abraço.

  • Paulo Lara

    Oh maravilhosa estrutura de disputa de campeonatos conhecida como ‘pontos corridos’, que acaba premiando com o título sempre a equipe mais organizada, melhor dirigida e estruturada!!!! Nela, ‘os fracos não tem vez’, os pequenos são relegados àquilo que são, pequenos, os intermediários sempre ficam numa posição intermediária, e disputam o título as maiores, as melhores, as mais bem estruturadas equipes! Em sendo assim, o futebol torna-se cada vez menos um jogo em detrimento da competência financeira (sim, porque muito comumente os melhores e mais organizados são os mais ricos) e gerencial. Portanto, e também porque estrutura não se adquire da noite para o dia, proponho que se entregue o título dos próximos dez anos você sabe pra quem, tempo razoável de se esperar que as demais equipes se organizem e tenhamos, então, quem sabe, uma disputa, um jogo.

  • Fabio de Andrade

    Andre,
    Não sei se cabe aqui essa pergunta, mas as vezes tenho impressão que a TV mais atrapalha que ajuda no futebol. Quando não tinha o tal “tira-teima” as torcidas aceitavam as decisões dos juízes, tudo bem tinha sempre os Armando Marques, mas 13 cm de impedimento não era o que mudava um campeonato. Hoje alguns comentaristas calculam até os pontos perdidos, roubados, errados, etc. Mas será que muda muita coisa…tudo bem, seria um ponto ganho aqui e outro lá, mas muda? Eu sou a favor da arbitragem eletrônica, mas sinto que a TV e os comentaristas (que deixam aflorar seu lado torcedor) incitam essa confusão toda (não é uma critica a alguém, mas a um processo de evolução que fragilizou quem esta no campo). Vou perguntar assim: É injusto um juiz dar um gol com um impedimento de 13 cm se a maioria de nós é incapaz de parar um carro sem bater na calçada? Como um juiz pode ver se um jogador puxou outro pelas costas se não tem visão de raio X ?
    Fica aqui só uma ressalva, isso não vale para os “senhores” do STJD que eu enxergo serem bem amparados eletronicamente e como diz meu pai: lá no ar condicionado sempre o torcedor supera o imparcialismo da justiça.
    Um abraço.

    AK: Comentário certeiro. O jogo que acontece no campo é um. O que se vê na TV, outro. Por isso a TV deveria ajudar o árbitro. Um abraço.

  • Fabio de Andrade

    Eu esqueci de uma coisa…o juiz do jogo do Flamengo x Nautico levou 5 minutos para decidir, mas cá entre nós a decisão era dar ou não impedimento, será que ele não pensou umas 300 vezes em que, se desse algo errado seria massacrado pela TV (adivinha qual…que passou 5 vezes o replay do gol no fantastico e dos outros times não repetiu!!!!). E além disso aquela conferencia na lateral do campo foi ridicula, era ou não impedimento, mas eles deviam estar morrendo de medo de errarem (e acertaram) e serem massacrados!
    Sem penalizar o coitado do ser humano do juiz, mas isso é certo ?????

    AK: Felizmente, eles acertaram. Se a consulta ao replay fosse utilizada, demoraria muito menos tempo. Um abraço.

  • leonardo atleticano

    André, sobre o lance do gol anulado do Náutico, o bandeira sabe o que viu, o juíz ídem, essa demora, não lhe pareceu uma espera por alguma informação extra campo? acho que tivemos uma arbitragem eletrônica as escondidas. Não lhe pareceu?

  • Felício

    Fico realmente impressionado que ainda haja tantos que imputam aos títulos já conquistados pelo São Paulo (e certamente também aos que poderá conquistar) à mancha de compra de juízes, TJD e afins. Querer macular a competência que esse clube apresenta nos últimos 20 anos (sim, porque não é de hoje que as conquistas e o SP andam lado a lado) é, ao meu ver, rotular de incompetentes todos os demais times do Brasil, além de ser de uma chatice sem fim, pois denota total falta de argumento. Coisa típica de ignorante mesmo, pois sequer perde tempo para analisar quantas vezes este mesmo time foi também prejudicado. Mas, paciência. Com relação ao seu comentário, foi muito legal o paralelo que você traçou. E quanto ao final, espero que, assim como nas 5 vezes que vi o filme, também seja o mesmo no Brasileirão…rsss Abraços.

  • Lucas Dantas

    quer dizer que o Flamengo vai terminar o campeonato com a taça, né? 🙂
    anotei

    AK: Esse é um dos finais possíveis. Mas o que importa é a frase de Tess. Um abraço.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo